História Todo Mundo merece uma segunda Chance - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Apollo, Calipso, Hades, Jason Grace, Luke Castellan, Nico di Angelo, Percy Jackson, Poseidon, Thalia Grace, Zeus
Tags Jasico, Jercy, Lukercy, Pernico, Wico
Visualizações 61
Palavras 5.527
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Medo, claro que não, apenas estou Apavorado!


Apolo amava voar, claro que ele amava em seu carro do sol que poderia se tranformar no que ele desejar, até mesmo em uma carrosa turbinada com os peidos dos pégasos como impulsos iguais a um foguete. Ele fez isso uma vez e acreditem o odor no ar matou plantas, animais, Deméter deu a louca e Artemis então... Apolo aprendeu a nunca mais fazer isso. Por isso durante alguns séculos sua carroagem se transformava em um fusca lindo e fumacinante. No entanto, como fora dispojado de seus poderes por Zeus na Tpm divina que adora culpar os outros e não a si mesmo ou melhor dizendo falta de pika naquela raba dele que só pode ser esse o problema, em fim. Viajar se segurando no rabo de festus não era uma boa maneira de voar para Apolo. 

Foi o único local que soubrou para ele que teve a idéia que ele considerou suicida de ir na missão com nossos herois, nem Apolo sabe o porque o desejo repentino de morte, mas ele sentiu nessa noite que dormiu no acamapamento ou melhor uma voz lhe disse, que ele deveria ir na missão para resgatar Cerberu, ele tinha que descobrir alguma coisa e somente ele poderia fazer isso. 

Por que ele ia no rabo? Bom Leo estava na frente conduzindo Festus, Nico atrás de si com Lou Ellen. E claro Apolo atrás dela, algo que ele considerou sexy, porém ele é uma molenga e acababou escorregando e foi parar na cauda do dragão e assim ele aprendeu a se segurar firme como se deve. 

Percy e Thalia iam em terra cachorriando(Cavalgando) na Sra. O'Leary com os lobos de Thalia os seguindo. Embora as vezes eles tinham que fazer diversas paradas para Sra. O'Leary fazer suas necessidades de cão infernal bem comportada. 

Lou Ellen tinha afiado cada vez mais a névoa em volta deles com ajuda de Thalia, assim os mortais que olhavam, apenas viam Percy e Thalia correndo em um cavalo garanhão preto que ficava com a lingúa para fora como se fosse um cachorro e Festus parecia um balão de ar nos céus com os três tripulantes em suas costas e Apolo o exibido, preso em uma corda amarrada ao balão na parte de baixo.

Eles estavam seguindo o cheiro de Cerberu a varias horas, porém tinham a impressão de estarem andando em circulos ou o cheiro de Cerberu estava espalhado de uma forma bem maluca. Eles pararam em duas cidades para poderem conseguir algumas pistas de acordos com as Harpias de Hades, Cerberu esta em locomoção constante como se fosse mágica. 

-Onde garota? - pergunta Percy. 

Sua cadela fungou e correu para a esquerda, ela correu até eles sairem nos limites da cidade de Atlanta, eles estavam no Estado de Georgia e acabarem parando em um campo sem civilização, apenas tinha grandes árvores e uma estrada de terra. 

-Estamos voando a horas. - diz Nico. - Parece que ela captou o cheiro, mas ele se espalha cada vez mais. Já vai escurecer. Vamos parar naquele campo rural pra descansar.

-Esse lugar...  - Lou Ellen morde os lábios. - Que frio...

Ela passa as mãos em seus braços para se esquentar. 

-Precisamos descer. - diz Leo. - Festus precisa de um pouco de óleo. 

Eles mandam uma mensagem com as mãos para Percy e ambos param em meio a floresta por precaução. 

-NUNCA MAIS SAIO VOANDO COM VOCÊS! - grita Apolo. 

-Ninguém te convidou em primeiro lugar. - sorri Leo. - Você veio por ser intrometido. 

Apolo o fuzila com o olhar. 

-Valdez, eu juro que quando eu voltar a ser o deus lindo e magnifico que eu fui um dia, eu vou transformar você em barata e lhe pisar em cima. - responde Apolo. 

-Ai eu começo a voar e você sai correndo como uma garotinha. - sorri Leo. 

-ORA SEU MORTAL OUSADO! - grita Apolo. 

-Parem. - diz Thalia fazendo carinho em seus lobos. - Não é momento pra isso. 

A cadela de Percy se deitou no chão de tão cansada. 

-Descanse garota. - sorri Percy fazendo carinho em suas orelhas. Nico se aproxima deles e faz o mesmo. 

-Logo vai escurecer. - diz ele. - A noite meus poderes estão mais fortes e os dela também, eu irei com ela viajando nas sombras em cada ponto que os servos de meu pai disserem que Cerberu esteve. 

Percy o encara. 

-É muito perigoso Nico. - diz ele. - Do mesmo jeito que te deixa forte, também pode deixar o nosso inimigo. 

Nico sorri travesso. 

-Preocupado comigo Jackson? - pergunta ele. 

-Jason me mataria se algo acontecer contigo. - responde o moreno. 

-Ele é muito preocupado pro meu gosto. - responde Nico. - É fofo, mas muito imbecil. 

-Te entendo, Luke também é assim. - sorri Percy e ele estende a mão esqueda para Nico lhe mostrando uma marca do cetro de Hermes. 

-Uma tatuagem? Ta querendo agradar o sogrão? - sorri Nico. 

-Não sei se ele vai gostar, mas em fim. - sorri Percy. - Isso é uma marca de Luke, ele não pode se teletransportar para lugares que não conhece ou nunca viu, e como ele não sabe onde poderemos estar, ele me marcou com esse simbolo, assim se ele souber que precisamos de ajuda por uma mensagem de Íris por exemplo, ele pode se teleportar na hora no local em que eu estou. Quer algo mais protetou que isso?

-Realmente Luke bateu final. - sorri Nico. 

-Gente, tenho uma boa e uma má noticia. - diz Leo. - A boa, estamos perto de uma cidade com civilização e comida! A má, Festus vai ficar parado por mais um dia.

-QUE! - gritam todos. 

-QUAL O PROBLEMA DESSA LATA VELHA? - questiona APolo.

-Destendeu várias peças em seu estômago, eu sabia que comer a maquina de lavar do Sr. D ia causar mal estar nele. - responde Leo. - Aquela coisa tinha até poeira de milhares de anos sem ser usada. 

-Pronto, era o que me faltava. - responde Apolo. 

-Sem drama, podemos procurar a pé. - diz Thalia. - Lou, sente algo?

-Tem uma grande magia por aqui, energia do mal e antiga. - responde ela. - Nico também pode sentir, certo?

Ele faz sim com a cabeça. 

-Vamos olhar o mapa de novo. - diz Percy. - Não acho que estamos perdidos, afinal seguimos a rota como exatamente Hades nos instigou. 

Nico tira um papel de seu bolso, preto com todo o Estados Unidos. Tinha desenhos em branco de todos os lugares importantes para os semideuses. Losd Land onde fica o acampamento meio sangue. Manhatan onde fica o Empire State, a entrada para o mundo inferior em Las Vegas, O monte Orís e a prisão de Atlas em são francisco, junto com o acampamento Jupter e um local em Nova Jersey, sorveteria 69, vou chupar teu pau até ele secar e tinha um emblema do sol em cima do local e todos olham para Apolo que fica vermelho. 

-Ora, parem de olhar pro meu local de férias por favor. - diz ele. 

-Ei, eu já chupei sorvete nesse lugar. - diz Leo. - Como nunca percebi?

-Para menores de 18 anos é uma sorveteria comum e normal, para maiores a bicho pega! Foi lá que fiz Will. - sorri ele. 

-Tudo bem, chega. Ninguém quer saber da sua sorveteria sexual. - diz Thalia fazendo uma careta. - 

-Tem certeza Thalia, lembra você me achava quente. - sorri Apolo. 

-Claro é o deus do sol, ou melhor era. - sorri Leo. - Quente sou eu, o fire boy. 

-Eu era jovem e retardada. - responde Thalia iguinorando Leo. - Olhem, saimos do acampamento e fomos para o Sul e sentimos o primeiro cheiro aqui na Filadélfia em Nova Jercey, exatamente onde as Harpias foram primeiro. 

-Depois seguimos para Washington DC, onde os zumbis e os cães infernais seguiram o restante. - diz Nico. - Mas não havia nada lá. 

Apolo cruza os braços parecendo pensativo. 

-Passamos pela carolina do norte e sul e o cheiro ficou mais forte, certo garota? - pergunta Percy e Sra. O'Leary late concordando. 

-E meus lobos e os de Lupa que também estão ajudando vieram de Nashiville, em Tenesse e Alabama. Os lobos de Lupa me falaram que um pouco ao noroeste de Atlanta o cheiro parecia muito mais intenso e poderoso. - responde Thalia. 

-Muitos lugares. - fala Nico. - Muitas direções. 

-Eu odeio geografia. - diz Leo. - Sempre tirei F de frango na escola. 

-Temos que organizar isso. - diz Lou. - Pensem, se em todas essas direções tem o cheiro. Isso significa que quem levou Cerberu passou com ele por todos esses lugares ou então... 

Nico da um soco no própria mão. 

-Já sei. - diz ele. - Cerberu urinou em todos esses lugares. Ele pode ser um monstro enorme de três cabeças, mas ainda continua sendo um cachorro que marca seu território, acreditem os mortos morrem quando passam pela entrada e sentem aquele cheiro terrivel. Por isso que isso confunde os lobos e os cães de meu pai. Eles tentam sentir o cheiro de Cerberu, mas ao inves disso, sentem o cheiro de sua urina. 

-Era isso que eu ia dizer. - diz APolo. - E se permitem eu pensei um pouco. Com certeza o totó fez isso para ser encontrado, porém se ele fez tudo isso e o cheiro apenas está neste circulo se não repararam. 

Apolo toca no mapa e faz um circulo em todoa essa parte e eles estavam em Georgia, bem no centro. 

-Ele só pode estar por aqui onde estamos pisando. - termina ele. 

-Se estiver certo. - diz Thalia. - Então faz sentido o que os lobos de Lupa falaram sobre o noroeste de Atlanta, devemos investigar. A cidade ta bem ali, acabamos de passar por ela. 

-Ta escurecendo. - diz Apolo. - De noite mesmo que fico menos disposto. 

-Vamos fazer assim, Nico, Percy, Thalia vão investigar. Lou e eu ficaremos aqui com o chorão. - diz Leo - Se encontrarem algo nos envie uma mensagem de íris e vamos onde vocês estão, por favor não façam nada imprudente como eu faria. 

-Bom, com certeza faremos, mas avisamos. - sorri Percy. - Fique aqui e descanse garota. Os lobos de Thalia podem dar conta. 

Ela ficou inquieta do mesma forma. 

-Ela parece querer ir. - diz  Thalia. - Não entendo o que as criaturas do mundo inferior falam. 

-Ela ta com fome. - respondem Nico e Lou. 

-Ai... não trouxe nada. - diz Percy. - Desculpe. 

-Deixe conosco. - diz Lou Ellen. 

Nico pega umas mini caixas de seu bolso, tão pequenas e Lou diz.

-Aumentati! - diz ela estendendo suas mãos. 

E as caixas crescem ficando do tamanho da cadela. Nelas tinha um emblema de caveira e uma marca escrita "Restaurante Do Inferno, por favor ligue agendando seu pedido e uma morte certa"

-Tem um restaurante no mundo inferior? - pergunta Percy. 

-Claro que tem. - responde Nico. - Levei Jason em nosso segundo encontro, mas ele vomitou quando viu as comidas que ali serviam além do mc lanche feliz. 

A caixa se abre e um monte de carne fedorenta cai no chão e a cadela a devora com gosto e alegria. 

-Credo, não pode alimentar ela com uma comiga mais cheirosa? - pergunta Apolo. 

-Essa é a carne de um minotauro cozinhada no rio estige, o favorito de Cerberu. - sorri Nico. - Claro que ela vai gostar. Agora vamos. 

-Lou e Leo, fiquem espertos. - diz Thalia. - Voltaremos logo. 

...

No acampamento, enquanto seu namorado e seus amigos iam em mais uma missão perigosa, Jason e Piper limpavam os estabulos, esse era o trabalho das harpias da faxina, mas como elas estavam lutando por direitos como férias, 13 salário, e mais carne fresca nas refeições e fazendo greve, alguém tinha que fazer o trabalho deles e como Jason, Percy e Nico tinham que dar o exemplo, eles sempre se voluntariavam, como seus dois amados primos estavam em uma missão super dahora, Jason foi o único que sobrou ali para ter essa responsabilidade. 

Piper de bom grado, como uma boa amiga foi ajudar ele. Era isso ou ficar em seu chale ouvindo  a Drew dizendo de como ela era linda 100 vezes seguidas que olhava no espelho. 

-Me desculpe por isso. - diz Jason voando por cima e limpando as bostas que BlackJack havia feito no teto. 

-Que isso, amigos são pra essas coisas, enfrentar monstros, salvar a bunda preguiçosa dos deuses e claro limpar merda de pegasos que não sabem usar o banheiro. - sorri ela. 

Piper estava toda suja, usava um boné e um macacão, quem olhava para ela jamais poderia perceber que ela era uma filha de afrodite, apesar de estar linda como sempre, mesmo naquele estado. 

Jason joga uma rajada de vento e tira toda a poeira de cima com suas teias de aranha. 

-Agora sei porque as harpias estão em greve. - diz Piper. - Coitadas. 

Jason distraido, nem ouviu o que ela falou, ele apenas limpava tudo com pressa, na verdade nosso filho de zeus estava preocupado até o último fio de cabelo loiro em sua cabeça. Ele odiava essa idéia de seus amigos sairem em uma missão sem ele e o pior, ele tava bravo com Nico por não escolher ele como membro. 

-Jay. - diz Piper. - Eu sei que ta preocupado, eu também estou. Mas ficar assim só vai te deixar pior. 

-Ele devia ter me escolhido, não gosto disso... - diz ele. 

-Percebeu o que ta dizendo? - pergunta ela. - Logo você que odeia toda a atenção por ser filho de zeus, queria ser escolhido na missão?

-Não por ela... mas para proteger meus amigos, proteger ele. - responde ele descendo ao chão cabisbaixo. 

Piper pega sua mão e sorri, ela a alisa carinhosamente. Mesmo depois do termino do relacionamento ambos ficaram mais amigos que antes, era bom sentir isso. Um sentimento que não morreu foi o amor e carinho fraterno que ambos sentiam e sentem um pelo outro. 

-Ele é o Nico, os inimigos que devem tomar cuidado. - sorri ela. - Ele é filho de Hades e tem Thalia ao lado dele, Percy, Leo, Lou, até mesmo Apolo pode ser útil. 

Jason sorri. 

-Menos contra um Puddle. - diz ele. 

-É tudo menos isso. - sorri ela. - Isso sorria, olha que sorriso lindo digno de um beijo. 

Ela se aproxima dele e beija sua bochecha. 

Nesse mesmo instante um flash forte surge e se revela Drew com uma cãmera digital. 

-Isso, eu quero mais ação, drama, amor, beije na boca. Vou adorar mandar pro Niquito. - sorri ela. - Imagino ele invocando todo o mal do mundo inferior e colocando tudo pra correr atrás de ti querida irmãzinha. 

Drew gravava eles a um bom tempo sem que os mesmo percebessem. 

-Aqui sou eu, sua linda Drew. - sorria ela para a cãmera. - Voando ali está Jason Grace, o meu futuro marido, mas é segredo e no chão temos a nossa faxineira, a tonta, sonsa e burra Piper Mclan a lerda do acampamento. 

-Não se cansa de ser insuportavel? - pergunta Jason. - Drew, pare. Sempre pertubando os outros. Não vê que estamos em crise?

-Ora meu lindo loirinho. - sorri ela. - Em tempos de crise, o melhor é rir. Por isso convidei todo o acampamento para está noite assistir um espetaculo. 

-Não, em tempos de crise devemos treinar e ficarmos mais fortes. - responde Piper e Drew a encara. 

-Irmã tola. - diz ela. -  Você é o exemplo de fracasso, tinha tudo na vida, pai rico, Jason Grace era seu namorado e você se deixou perder tudo. Somos filhas da deusa do amor, a mais poderosa, nós tomamos o amor e controlamos e não o contrário. 

-Mamãe tem repulsa de você. - responde Piper. 

-De você e da Silena, suas mal perdedoras. - diz Drew e Jason perde a pouca paciência que estava tendo naquele momento.

-O que quer Drew? - pergunta ele. 

-Provar que sou melhor que qualquer um e uma nesse acampamento. - sorri ela. - Eu sempre fui a numero um em tudo. A mais bonita, mais bela, mais educada. 

-Mais humilde. - sorri Jason. 

-Mais fala bosta. - termina Piper. 

Ela se aproxima um pouco sem pisar no coco de pegasos. 

-EU TE ODEIO! - grita ela. 

-É reprioco amor. - sorri Piper. - Fique feliz. 

-SUA! - grita ela e Jason sem querer acaba espirrando. O perfume de Drew sempre lhe causava alergia. 

-ATCHIM! - faz ele e sem querer usa seu poder sobre o vento e toda a merda de pegasos vai parar em cima de Drew.

-AHHHHHH!!! - grita ela. 

Piper gargalha como uma hiena com dor de barriga e pega sua cãmera. 

-Oi gente, aqui sou eu Piper e aqui temos Drew Panaca, a merda de pegasus falante! - ela grava e entrega pra Drew pira saindo correndo. 

-Vai postar no demigodtube? - pergunta Jason. 

-Não. - sorri Piper destruindo a câmera com sua faca de bronze celestial. - Mesmo que ela mereça, não somos iguais a ela. 

-Mas que espetaculo será esse que ela vai fazer? - pergunta Jason. - Tenho certeza que Quiron e Sr. D nem sabem de nada. 

-Deve ser mais uma noite idiota dela usando seu charme pra controlar todo mundo. - responde Piper. - Nem vamos dar atenção, depois do jantar eu irei dormir que ganho mais. 

-Bom, Luke e eu vamos jogar video game no meu chalé. - sorri Jason. - Tecnicamente não podemos ter nada eletrônico por aqui, mas um por uma noite, acredito que não vai ter problema. 

-Se divirtam. - sorri Piper. - Bom, acho que acabamos por aqui. 

-Nem me fale, eu to fedendo. - responde ele. 

-Ta mesmo. - sorri ela. 

Eles tiram suas roupas de limpeza e se dirigem aos seus respectivos chalés para poderem se limpar. 

Enquanto isso, mais uma vez no chalé de Morfeu, Luke tinha mais uma secção com Clovis que o ajudava a entender seus sonhos e pesadelos. 

-Você ouviu mesmo a voz do lorde titã? - pergunta o menino. 

-Sim. - responde Luke tremulo. - Parecia que ele estava na minha cabeça de novo. Isso é impossivel, certo?

Clovis havia cochilado de novo. 

-Clovis. - Luke o belista e o mesmo desperta. 

-Claro foi gol! - grita o menino. - Hã... onde estavamos?

-Cronos, é impossivel ele voltar. - Clovis boceja. - Apesar dele ter sido destruido completamente de uma forma que talvez demore eternos anos pra ele conseguir um corpo fisico de novo. 

-Talvez? - pergunta Luke. 

-Pelo menos foi isso que Hermes falou. - responde Clovis. - Olha Luke, serei sincero com você. O seu problema é que suas memórias estão retornando de uma forma que não sei porque... era pra elas terem sido apagadas totalmente, mas algo está fazendo elas voltarem e como uma bomba, você ta entrando em choque consigo mesmo Luke, sabe. 

Clovis pega sua mão. 

-Mesmo que elas voltem e te machuquem, mesmo que o chalé de Ares, Afrodite e os demais te desprezem. - responde o menino. - Você tem que aprender a se perdoar, somente assim podera encontrar algum tipo de paz. E sobre a voz do titã, olha talvez você precise de uma noite de sono pesada, olhar pra você me deixa cansado. 

Luke da um sorriso. 

-Você sempre ta cansado. - responde ele. 

-Pois é, durante a luta contra a mãe terra eu cochilei no campo de batalha e levei uns monstros comigo. - sorri o menino. 

-Obrigado Clovis, vim falar com você ta me ajudando muito. - responde Luke. 

-Assim não tem que falar com Percy, certo? - pergunta o menino e Luke ascente com a cabeça. 

-Faz bem em fazer isso. - responde Clovis. - Nico me falou que talvez isso acontece-se. 

-Nico? - pergunta Luke. - Como assim?

-Nico deve ter percebido seu comportamento. - responde ele. - Ele também é um tanto pertubado e fala comigo as vezes, na verdade todo mundo fala comigo quando tem problemas pra dormir ou sonhos suicidas. Mas de todos o que mais me assustou foi o de Drew. 

-Drew, o que pode ter de tão assustador nela? - pergunta Luke. 

Clovis suspira. 

-Drew nunca foi facil de se lhe dar por aqui. - responde ele. - Não sei se você se lembra, mas no passado ela sempre odiou Silena por ela ser como posso dizer, melhor que ela em muitas coisas e admito que ela adorou a morte da irmã, por que acha que ela fica espalhando por ai que Silena era uma traidora? Sinto muito dizer isso, mas Drew apenas ama a si mesma e deve ter piorado quando Piper apareceu aqui e tirou seu poder sobre seu chalé e se mostrou mais poderosa que ela. 

-Jason me contou que as duas nunca se entenderam, afinal Drew sempre deu em cima de Jason, apesar dele namorar na cara dela. - responde Luke. 

-E ai está, encontramos alguém com mais fogo no cu nesse acampamento do que Leo. Drew é perigosa. - responde Clovis. - O problema é que ninguém percebe isso. Ela tem o dom de controlar todo mundo apenas com sua voz. 

-Bom, não funciona muito conosco. - sorri Luke. 

-Vocês que gostam de garotos jamais cairiam no charme dela. - responde Clovis. - Mas isso pode ser superado se ela se esforçar, tenha cuidado Luke. 

-Drew não é um problema, ela apenas quer se aparecer. - responde Luke. - Ser a deusa do acampamento. 

-E por esse desejo de querer ser mais do que os outros, ela vai acabar sem ninguém e isso deve ser pior que morrer, acho que sabe disso? - pergunta Clovis e Luke sabia muito bem. 

-Sim... eu sei. - responde ele. 

-Mas tudo bem, com Annabeth, Thalia, Clarisse e Piper por aqui, Drew apenas vai cacarejar. - sorri Clovis. - E sobre o espetaculo  dessa noite, aconselho não ir. Apenas vai se estressar. Drew faz isso todo ano assim como sua festa idiota. 

-Não iria mesmo, sem Percy aqui, sem Thalia, Nico e Leo. Jason e eu concordamos em ficar em nossos chalés ou irmos faze alguma coisa pra distrair. - responde ele. 

-Muito bem e como sou mais esperto irei dormir. - diz Clovis caindo no sono. - E pra você darei isso. 

Clovis puxa de seu bolso um frasco com agulha e um liquido azul. 

-Não tem medo de agulha né? - pergunta ele. 

-Não, quem tem é Percy. - responde Luke. 

-Ótimo, isso precisa ir na sua corrente sanguinea. - responde ele. - Vai te derrubar como uma pedra, vai parecer morto, um sono muito pesado. Vai te derrubar por um dia ou mais. 

-Será que posso dormir tanto assim? - pergunta ele. - Afinal sou o lider de meu chalé. 

-Acredite, com o barulho dos Stoll você vai acordar logo logo. - sorri ele entregando para Luke. 

-Obrigado Clovis. - sorri o loiro se levantando e saindo de seu chalé. 

...

-Você fede. - diz Marco para Drew. 

-VÁ PRO INFERNO! - grita ela tacando uma escova em sua direção e o mesmo disvia. 

-Ora docinho, você apenas se antecipa demais. - sorri ele. - Eu falei pra ficar quieta. 

-Eu to cansada disso. Era pra todo mundo me amar e fazer o que eu quero. - diz ela. - Sempre foi assim desde que Silena morreu, ai veio essa desgraça da Piper e estragou tudo. 

Marco pega um pequeno frasco em seu bolso com um liquido azul florecente. Ele tinha um plano, tudo que precisava era uma briga entre Jason e Luke, para fazer isso acontecer ele vai está noite mesmo usar o espetaculo de Drew e liberar o video de ambos tendo relações pra todo o acampamento ver e claro, com a ajuda de Drew para alimentar mais a raiva dos dois, assim que Percy voltar, claro se estiver vivo, poís a aliada que Marco deixou preparada para ele com certeza vai adorar tortura-lo até ele implorar pela morte. Não apenas ele, mas todos os seus amigos idiotas, até mesmo sua irmã patética que apoia os deuses. 

Se Percy retornar, Marco vai invocar um monstro bem interessante em meio ao acampamento e instalar o caos e assim ninguém vai reparar quando ele atingir Percy com aquela poção e um feitiço. Tudo estava indo bem, nada poderia atrapalhar ele. 

-Drew, você se controle, temos muito o que fazer essa noite. - diz ele. - Não faça nada de errado! ME ENTENDEU!

...

Percy, Nico e Thalia andavam pelas ruas da cidade movimentada. Infelizmente os lobos de Thalia não conseguiram entrar na cidade, as buzinas e as musicas altas os deixaram inquietos e com dor de cabeça. Thalia pediu para eles apenas pratulharem ao redor e ruivarem se perceberem algo novo. 

Como caçadora, Thalia ganhou um melhoramento em seus sentidos, ela sentiu o cheiro forte de cerberu e sua urina e passou a guia-los em meio a cidade farejando como se fosse uma doida e os mortais olhavam torto para nosso trio de ouro. Os mortais ou melhor dizendo os humanos normais sem poderes misticos andavam pelas ruas ouvindo musica alta sendo que tinham foninhos, jogavam papeis de chiclete no chão, papeis de comida e não se importavam com nada além de ficaram andando distraidos com os celulares na mão mexendo como se fossem robos. 

-Como vamos encontrar algo nesse lugar? - pergunta Nico. - Acabo de me lembrar porque odeio pessoas. 

-Ora, não é tão ruim. - sorri Percy com um pouco de saudade da vida humana comum. - Eu passo boa parte do meu tempo nesse lado da vida. Bom, pelo menos eu pretendo passar mais por causa da minha irmãzinha. 

Thalia o olha curioso. 

-Nada contra mortais, mas sabe passo tanto tempo com as caçadoras, as vezes esqueço que sou humana e que eu deveria estar em colégio contruindo uma vida. - diz ela. - Mas, não ligo. Sou feliz como sou, adoro flechar a bunda dos monstros. Por aqui. 

Thalia corre e os dois correm atrás dela. 

Eles passavam na rua Shurley Braice perto de um bar quando são surpreendidos por aqueles rapazes bebados de bares que olhavam para eles de um jeito estranho. 

-Nossa, olha que belezura. - diz um deles que tinha uma corrente de ouro enorme no pescoço. 

-Não se aproxime ou cortarei sua garganta. - diz Thalia com um olhar frio. 

-Nossa, a gatinha tem lábia. - sorri um com uma garrafa na boca. - Que tal uma dança, ou você menino emo, hum, magrinho e palido como eu gosto. 

Nico faz uma careta. 

-Nos deixem passar, não querem problemas com a policia, certo? - pergunta ele. 

-Hahahah garoto, eu tenho 8 passagens já por homicidio, estupro, roubo. - diz o cara. - Acha mesmo que dar uns pega em vocês vai nos encrencar com a nossa lei podre?

-Thalia, por favor. - diz Percy entendendo que o dialogo não ia ajudar. 

Thalia estala seu dedo e uma névoa verde passa por diante os olhos dos homens que ficam por um momento parados. 

-Minestra o que estamos fazendo aqui mesmo? - pergunta o cara com a bebida. 

-Não sei mistura, eu tava fumando o bag doido ali e esqueci o que eu ia fazer. - responde o homem com a corrente. - Mistura não iamos nos pegar com aquele negão ali?

-Ah Minestra vou ficar feliz em não andar amanhã. - sorri ele correndo na frente de seu amigo e jogando a garrafa de bebina no chão e a quebrando em pedaços. E seu companheiro o segue. 

-Adoro seu controle sobre a névoa. - sorri Nico. 

-Eu queria fazer isso... - diz Percy. - Mas não sei. 

-Ah para Percy, se pode respirar embaixo da água e eu não. - responde Thalia. 

-Você pode voar e eu não. - responde Percy. 

-Depois discutimos mais sobre isso. - diz Nico. - Temos que continuar Thalia. 

Eles começam a andar novamente até que param em uma aglomeração de pessoas perto de um beco e tinha um homem com cartazes dizendo que o fim estava proximo e ele gritava e berrava o mesmo. 

-O FIM ESTÁ PRÓXIMO! - grita ele. - O INFERNO PAIRA SOBRE NÓS!

Algumas pessoas jogavam lixo nele como papel, bitucas de cigarro e latinhas. Mas algumas ouviam ele. 

-NÃO ACHEM QUE ESSES DESAPARECIMENTOS NÃO TEM FUNDAMENTO! LEVARAM NOSSAS CRIANÇAS! É O DEMÔNIO, ELE TA AGINDO! - grita ele. 

-Levaram as crianças? - pergunta Percy.

-Faz mais de um mês que está acontecendo desaparecimentos por aqui garoto. - diz um homem vestido xadres, com cabelos castanhos e uma barba rala. - Não reparou os cartazes pela cidade?

Agora que os três prestam a atenção, eles podem ver que os postes e paredes estavam cheios de cartazes com fotos de crianças e adolescentes que haviam desaparecido. 

-Como isso aconteceu? - pergunta Thalia curiosa. 

-Ninguém sabe. - diz o homem pegando um cigarro e o ascendendo. - Uma noite dormiamos tranquilamente e na manhã seguinte despertamos com uma mãe que deu um grito de horror por que sua filha sumiu. 

-Isso faz um mês? - pergunta Nico, apenas pra confirmar. 

-Sim. - responde o homem. 

Interessante... era quase o mesmo tempo que os semideuses desapareciam dos acampamentos também...

Nico olha pensativo para Percy e o mesmo concorda com ele parecendo ler sua mente. 

-VAMOS TODOS MORRER! - voltou a berrar o homem. - MORTE! SANGUE! ESTAMOS CONDENADOS AO SOFRIMENTO ETERNO POR NOSSOS PECADOS!

Logo uns policiais se aproximam e abordam o homem e pedem para que ele pare de gritar e tumultuar as pessoas. O policial que tinha uma estrela na roupa pegou o megafone e começou a falar. 

-Por causas dos recentes acontecimentos, o prefeito exigiu um toque de recolher. - diz ele. - Todas as pessoas, por favor voltem para suas casas e tranquem tudo, bares fechem e todo estabelecimento, quem desrespeitar essa ordem vai ser punido com uma multa enorme, maior que meu salário! 

-Bom, era de se esperar que as autoridades fizessem isso. - diz o homem dando mais uma tragada e suspirando. - Minha filha mesmo sumiu na floresta no parque estadual, que era para ser algo para o público, mas se tornou uma floresta escura e horrivel. 

Ele aponta com o dedo e nosso trio de ouro olha na direção, bem a frente dos limites da cidade tinha  um enorme campo verde repleto de árvores exatamente como o local que eles pousaram para descansar. 

-O que tem ali? - pergunta Nico. 

-Era um local de brincadeiras e diversões, no entanto houve algo terrivel. No centro do parque foi construida uma igreja onde algumas pessoas rurais ao redor frequentavam todo domingo. - diz ele. - No entanto em 1930 durante a segunda guerra mundial, os inimigos atacaram nossa pequena cidade que era na época. Os civis correram de todos os lados, mas foram todos mortos e bombardeados, ao lado da igreja tem um pequeno cemitério com seu nomes, todo o ano desde então todo mundo se reune ali para lembrar de como a guerra pode ser fatal de como a ambição pelo poder pode ser destrutiva e amoral. No entanto todo mundo parou de ir alí depois que uma menina foi extrangulada com um arame, a igreja foi abandonada e se passarem ali poderão ver como parece um local mal assombrado com todos esses anos. 

Thalia por um momento ri. Aquilo parecia história pra colocar criança pra dormir e ensinar a eles que não devem ir a floresta escura e sombria. 

-O que tem naquela igreja? - pergunta ela.

-Com certeza não é um local que vai encontrar Deus. - responde o homem. - Bom crianças, ouviram o toque de recolher, tenham cuidado. 

E ele sai andando os deixando com os pelos do cu arrepiados. 

-Hora de visitar essa igreja. - diz Thalia. 

-FICOU MALUCA! - grita Percy. 

-Percy, eu sinto uma energia ruim naquele local. Tudo que Lou e eu sentimos vem mais forte da li. - responde Nico. 

-Sem dizer do cheiro de Cerberu. - diz Thalia. - Aquele local é o norte de Atlanta, exatamente como os lobos de Lupa nos informaram ou seja temos que ir.

-Odeio ser um semi deus. - diz ele. 

-Nem nos fale. - sorri Nico. - Afinal meu pai me trancou 70 anos no Cassino de Lotus e meu Tio Zeus assasinou minha mãe. 

-Bom, minha mãe morreu por ser louca. - responde Thalia. - Meu pai Zeus me transformou em pinheiro. E minha madrasta vaca quer me transformar em tamandua. 

-E eu hã... tenho irmãos psicopatas salvando Willis e Tyson. - diz Percy. - Meu coroa é dahora. 

Eles começaram a rir como idiotas. Acho que eles precisavam um pouco disso. 

-Bom, vamos chamar Leo. - diz Percy. - Ele vai adorar uma igreja mal assombrada.

"Hehehe com certeza ele vai. - diz uma voz ao longe os observando, era Melinoe, deusa dos fantasmas. - Aprecio muito uma vingança meus caros, vão pagar pelo que me fizeram anos atrás, Thalia pela flechada na testa, Percy por tentar me atacar e Nico, bom odeio meus irmãos, todos eles. "

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...