História Todos Contra Kyungsoo - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Sehun
Tags Baekhyun, Chanyeol, Comedia, Exo, Jongin, Kyungsoo, Sehun, Sesoo, Vingança
Exibições 116
Palavras 1.099
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu, primeiramente, gostaria de agradecer por cada favorito que essa fic recebeu com apenas um capítulo. Estou muito feliz, mesmo, e motivado a continuar. Muito obrigado a todos <3

Eu havia comentado que, por os 4 primeiros capítulos serem pequenos, eu iria atualizar toda segunda e sexta, mas já começo falhando, MDS, me perdoem por isso. Serei pontual e postarei o próximo na sexta-feira. I promise!

Esse segundo capítulo trás a visão de Baekhyun sobre todos os acontecimentos e os sentimentos dele em relação a tudo.

Desculpem pelo textão :3
Espero que gostem.

BOA LEITURA!

Capítulo 2 - O Amante


 Para início de conversa: minha vida é uma catástrofe. E eu, mais do que ninguém, sou um completo idiota. Todo mundo sabe que Byun Baekhyun não consegue passar pela porta; o motivo disso deve-se ao fato dos enormes chifres que ele carrega em sua cabeça. E sabe qual é o pior disso tudo? Eu sou Byun Baekhyun, o dono de todas as galhadas existentes no planeta terra.

 Só tenho dezessete anos, porém pareço um velho de sessenta reclamando da vida, e essa é a história de como Do Kyungsoo partiu meu coração. Desde que entramos em uma relação... tudo bem, não era oficialmente uma relação, eu era o amante. Contudo, bem lá nas profundezas do meu coraçãozinho partido, eu fingia que era oficial, então era.

 Eu tinha um relacionamento, esse era o ponto. E eu era traído. O x da questão está em descobrir como um amante poderia ser traído, porém para mim traição é um estado de espírito. Se eu me sentia traído, eu havia sido traído.

 Desde que eu entrei naquela relação arriscadíssima, Do Kyungsoo me levou do céu ao inferno. E, depois de tudo, acabei por ficar lá no inferno mesmo.

 Era para ser uma linda história de amor, se descartássemos o fato de eu levei um belo pé na bunda. Eu e no namoradinho dele levamos, mas isso não vem ao caso. Eu dei tudo — tudo mesmo — para ele e no final quem se ferrou fui eu. Triste, não é?

 A nossa história começou há três anos, quando nos conhecemos, para ser mais especifico. Porém, foi só depois de um ano que percebemos que nossos sentimentos iam muito além da amizade. Seria muito simples apenas assumir um relacionamento oficial e, naturalmente, levar isso adiante. Mas existia um detalhe: Kyungsoo tinha um namorado. Era um garoto que estudava — e ainda estuda — em nossa escola, Kim Jongin. Um esnobe idiota.       Kim Jongin era o típico garoto perfeitinho. Era bonito e inteligente demais, e também... chato demais. Eu até posso entender o porquê de Kyungsoo recorrer a mim depois de apenas alguns meses de namoro. Qualé, Jongin era um completo pé no saco e cheio de draminha desnecessário.

 Mas voltando, não era exatamente aquele tipo de relação que eu idealizei ter com Kyungsoo. Eu realmente não queria ser o outro. Mas é aquele ditado: o que é que você não faz quando você é um cara apaixonado?

 Logo que começamos a nos relacionar Kyungsoo me prometeu que terminaria com Jongin e me assumiria, mas isso não aconteceu. Durante o período de dois anos eu vivi á sombra de Kim Jongin, pois ele era o namorado, enquanto eu era apenas... a segunda opção. Não preciso nem dizer que isso me machucava pra caramba.

 Houve uma vez, no aniversário de Kyungsoo, em que ele me levou para sua casa — naquele dia seus pais tinham supostamente saído, então teríamos a casa inteira só para nós —, mas quando chegamos lá, ninguém menos que Jongin e a senhora Do estavam preparando um jantar de comemoração. Quando o mauricinho questionou sobre minha presença, Kyung disse que eu era apenas um colega e que tinha me chamado para jogar vídeo game — sendo que aquele idiota nunca gostou de vídeo games. E em menos de cinco minutos ele me enxotou de lá. A única coisa que eu queria era comemorar aquele bendito aniversário devidamente.

 Aquilo doeu muito, mas eu não podia dizer nada. Já que quando eu resolvia reclamar de coisas desse tipo, Kyungsoo dizia que eu estava ficando sentimental demais e, de forma sutil, ameaçava terminar comigo. Por isso eu apenas deixava para lá e me remoia sozinho. Diferente de mim, ele nunca deu valor ao que tínhamos, porém assumo que também me deixei ser usado por ele.

 Refletindo bem, hoje em dia, penso que não daria mesmo certo. Já que até mesmo o namorado foi descartado. Atualmente, tanto eu como Jongin buscamos seguir em frente; mas enquanto ele finge já ter superado tudo... eu assumo que, mesmo depois de tudo o que ocorreu, ainda sinto algo por Kyungsoo.

 Eu sei que posso está sendo um idiota, trouxa, iludido — e vários outros sinônimos que, querendo ou não, teriam o mesmo sentido —, mas ainda nutro sentimentos por aquele canalha. O problema é que não tenho como evitar. Até mesmo Kyungsoo já me superou e eu não o esqueci. Hoje Kyung está no inicio de uma relação com um aluno novato em nossa escola, Oh Sehun. Ele é bem bonito, alto, popular, tudo o que Kyung gosta. Só que existe uma pessoinha que não está nada feliz com isso: EEEU!

 Ele sempre foi do tipo de cara que precisava de mimos e atenção, deve ter sido por isso que arranjou dois, três... Quem sabe sete? Kyungsoo sempre se colocou em primeiro lugar; sempre buscava satisfação própria enquanto eu e Kim-Nojinho-Jongin ficávamos na mão. Acharia bem interessante se algum dia Kyungsoo soubesse como é sofrer por amor. Não que eu esteja jogando praga para que seu novo relacionamento dê errado ou coisas do tipo, mas seria bem bacana se isso acontecesse.

Do Kyungsoo merece tudo de ruim. Não só por ele ser essa pessoa horrível, mas por ter me iludido muito. Eu tenho certeza que ele não se arrepende de nada disso. Ele passa por mim todos os dias pelos corredores da escola de mãos dadas com seu novo troféu e age como se fosse o maior inocente na história — coisa que, certamente, ele não é.

Nesses momentos eu tento fingir que não me importo... só que é impossível. Acho que boa parte da escola sabe que eu ainda sofro por ele, já que era frequente me flagrarem choramingando pelos cantos. E como era.

 Eu não gosto nem de lembrar a fase que passei quando Kyungsoo e eu rompemos. Me deu a louca, é sério. Acontece que eu tentei me livrar da dor que estava sentindo, mas infelizmente foi da pior forma, eu confesso. Eu passava o rodo em todo mundo durante as festas de final de semana. Quando chegava a tão desgostosa segunda-feira; além da ressaca, eu ainda tinha que lidar com as pessoas me falando sobre os micos que eu pagava. Aquele momento em minha vida foi SI-NIS-TRO! E todo por culpa de uma única pessoa. Adivinhem... isso mesmo, Do Kyungsoo.

Mas eu acredito — e torço por isso — que ainda chegará um dia em que Kyungsoo provará de seu próprio veneno. E, nesse dia, eu serei o primeiro a gozar com a cara dele — no bom sentido, é claro.

Do Kyungsoo tem duas escolhas: ou ele volta para mim ou vai morrer na infelicidade. 


Notas Finais


Bom, esse foi o pensamento de Baekhyun sobre tudo. Bem diferente de Jongin, né? O próximo será o tão falado Kyungsoo!

Gostaria de agradecer a @sidhe por sempre me ajudar com os capítulos!

Muito obrigado a você que leu até aqui e até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...