História Together at Random - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Fifth Harmony, Lucy Hale, One Direction, Sasha Pieterse, Shawn Mendes, Shay Mitchell
Personagens Ashley Benson, Camila Cabello, Harry Styles, Lauren Jauregui, Lucy Hale, Sasha Pieterse, Shawn Mendes, Shay Mitchell
Tags Babies, Camren G!p, Emison, Hashley, Sashay, Sashay G!p, Shawncy
Visualizações 136
Palavras 858
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


😢

Capítulo 51 - Everything Is Lost


Fanfic / Fanfiction Together at Random - Capítulo 51 - Everything Is Lost

Shannon Pov. On.:

Harry veio correndo enquanto eu afastava o cadáver gigantesco de cima de mim. Mesmo que ele estivesse morto, eu ainda o odiava de todo o coração e do fundo de minha alma. Harry se ajoelhou no chão e me abraçou.

- sorry, Srta. Mitchell. Muito mesmo. Tudo o que vi foi a faca. Tive que atirar.

Continuei abraçada a ele, balançando-me para a frente e para trás.

- Não foi culpa sua. Não foi culpa sua..

Falei.
Mas então comecei a tremer violentamente. Sabia que tinha perdido o jogo ali, que Ian era minha última chance de encontrar minha filha.
Deixamos o corpo onde estava e retornamos à fazenda. Viaturas das cidades vizinhas estavam chegando e as luzes vermelhas e azuis em seus tetos iluminavam as árvores.
O desconhecido de terno azul marinho, que se apresentou como, Matt Bomer, um agente secreto da Scotland Yard. Ele saiu da casa enquanto nos aproximávamos.

- Vasculhei todos os cômodos. Não há ninguém aqui. Também não vejo nenhum sinal dela, Srta. Mitchell.
- ...
-  Não há vestígios de sangue; nada de óbvio, pelo menos. Eu diria que nunca estivera aqui.

Assenti, tentando registrar os fatos da cena do crime e compreender o significado deles.

- Mesmo assim, quero fazer outra busca. Preciso ver com meus próprios olhos.
- tudo bem.
- e enquanto ao Hudson?
- conhece ele?
- ele é o ex - noivo da minha noiva, Sasha Pieterse.
- entendi.
- o que vai acontecer com ele?
- A policia estadual está com ele por enquanto. Ele lhes mostrou que era filho de um dos chefões da CIA. Não sei o que vai acontecer agora. Duvido que possam prendê-lo.









(...)








Vasculhamos a casa, um barracão de ferramentas próximo e um celeiro até o dia amanhecer. Então começamos a passar um pente-fino nos arredores. A essa altura, já havia mais de 30 policiais, 4 esquadrões da S.W.A.T., e agentes do FBI e da CIA envolvidos na busca, mas o efetivo ainda não parecia suficiente para mim.
Tudo tinha um aspecto ainda mais irreal agora. Eu estava ali, mas não estava. Também havia perdido totalmente a noção do tempo; eu podia ter chegado à fazenda dois dias antes ou apenas ter passado poucos minutos ali. Prova de que Amy está viva!, pensei.
É isso que quero, não é?
Encontramos uma minivan Nissan que só podia ser o veículo que Ian e seus capangas tinham usado para chegar à fazenda. A van continha armas de fogo, roupas e videogames em caixas de papelão.
Mas não havia sinal de sangue lá dentro, nem cordas para amarrar ninguém. Nada que nos fizesse crer que minha filha tinha estado dentro do veículo.
Havia mais marcas de pneus perto da casa, porém nada de incomum. A julgar pela aparência do local, eu diria que a fazenda estava inativa havia no mínimo dois anos. Os registros municipais diziam que ela pertencia a Aiden Davis, mas ainda não tínhamos conseguido fazer contato com ele. Quem era Aiden Davis? O que ele sabia sobre o que havia acontecido ali?
Finalmente, por volta das quatro da tarde, Troian apareceu por lá e me convenceu de ir para casa, para junto de Sasha, que também precisava do meu apoio e eu do dela. Então Troian me levou até meu carro. Então assumiu o volante e me conduziu de volta para casa. Ela alegou que eu não estava em condições de continuar a busca e tinha razão.











(...)








Era tudo tão desconcertante, tão incompreensível, tão errado de tantas formas.
Troian e eu passamos algum tempo trocando ideias, mas eu não conseguia me concentrar. Meu raciocínio estava caótico demais; eu estava muito perturbada e perdida. Não queria falar, não queria comer e não conseguia dormir. Não pude sequer manter os olhos fechados a única vez que me deitei no sofá da sala de estar. Pensei em sair para dar uma volta de carro, mas achei melhor não, pelo menos por enquanto.



- Vou correr um pouco. Para clarear as ideias. Devo estar deixando passar alguma coisa.
- Ok, Buttah. Eu estarei aqui. Boa corrida.



Compreendendo que eu queria ficar sozinha, ela não se ofereceu para ir junto. Eu precisava de solidão para traçar um plano, para encontrar uma maneira de dar sentido ao que havia acontecido. Corri primeiro pelas ruas conhecidas perto da minha casa, depois por outras mais distantes da Rua 5, pelas quais não me lembrava de ter passado a pé antes.
Continuei a correr e percebi que estava ficando fisicamente mais forte, ou pelo menos me movendo mais depressa. Como o mundo podia ser cruel às vezes. Meu Deus. Esse nunca foi meu modo de ver as coisas. Eu não era assim. Até agora.
Depois de fazer praticamente uma maratona, voltei para casa.











(...)









Após um longo banho, fui para sala de estar, sentando-me no sofá e de lá mesmo, eu adormeci. Mas não dormi como um bebê. Esse era um tipo de sono que jamais voltaria a ter. A verdade era que eu já havia aceitado que minha filha estava morta, assassinada brutalmente por covardes. Nada jamais voltaria a ser como antes...






Shannon Pov. Off.:


Notas Finais


Eita! Tadinha da Shay... será que ela conseguirá dar a volta por cima? Onde está a pequena Amy, afinal de contas? E quem será esse tal de Aiden Davis? Ele faz parte do grupinho do mal ou foi mera coincidência? Então é isso pessoal, comentem o que estão achando da tensão armada, digam-me suas teorias e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...