História Together Forever - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Eldarya
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Erika, Ezarel, Iris, Jamon, Kentin, Keroshane, Leiftan, Li, Lysandre, Miiko, Nathaniel, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Visualizações 28
Palavras 1.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoee kkk
Essas fotos de capa são elas, ficou ruim? Óbvio! .-. Mas eu estava com pressa tbm

Desfrutem!

Capítulo 4 - We're taking the trampoline!


Fanfic / Fanfiction Together Forever - Capítulo 4 - We're taking the trampoline!

Fomos para a cama, nos perguntando como iria ser nesse mundo. Papai nos disse para arrumarmos nossas coisas, pois iriamos ficar lá permanentemente. Ele também pediu para tomarmos cuidado com nossa irmã mais velha, que se chamava Miiko. Na hora quase tive um ataque cardíaco por prender a vontade de rir, por quê esse nome me lembrava um animal daqui. E também para não nos assustarmos com a nossa nova forma, pois seria bem estranha. Subimos cada uma para os nossos quartos, olhando para cada canto da casa antes de deixá-la no dia seguinte. 

           No meu quarto, que era enorme, peguei uma mochila preta, que era de viagens, se eu poderia falar assim. Peguei o que iria querer usar: Celular, que era um Galaxy Mega 3 preto, fone de ouvido, coisas de higiene, meu tablet, uma roupa de frio, um ''roupão'' para dormir, maquiagem, acessórios de manicure e pedicure, Cheetos e algumas balas. 

Fui para a cama e abracei meu urso de pelúcia enorme, que era o da Junko, de Danganronpa, e eu o achava muito fofo, principalmente aquela parte maligna que ele tem. Eu sou estranha? Não! Só sei provocar e ser sexual, e má as vezes. Gosto disso, principalmente quando os garotos babam em meus pés, e quando a Ambre me xinga de inveja? Só taco um foda-se na cara dela e saio, sem me preocupar com nadinha.


A primeira música que cantamos ontem define isso:
Let me tell you all a story 

About a mouse, name Dilory 

Vou te contar a história 

Da rata chamada Dilory 

Ou seja, a rata era a pragacite da Ambre 

Dilory was a mouse in a big brown house 
Dilory morava em uma grande casa marrom. 

Ou seja, a casa dela também era uma espécie de mansão, mas bem menor que a nossa. 

She call herself the hoe 

Ela se apelidou de Vadia 

O que ela realmente era 

With the money money blow 

Com todo aquele dinheiro 

Ela também era rica, mas comparando a gente, tinhamos todo o dinheiro do universo. 

But fuck that little mouse 'cause I'm an albatraoz 

Mas foda-se a pequena rata, eu sou uma Albatraoz 

Ou seja, estou pouco me lixando para ela. 

Dilory said she was a mouse 

Dilory já havia falado que era uma rata. 

Ela achou que era a melhor, mas estava errada. 

Smoked the cheese and light it out 

Fumava queijo e ascende-o 

Amava plantar a discórdia e tinha um belo de um fogo no meio do rabo. 

Moneyli money money hoe 

Dinheiro, dinheiro, dinheiro vadia 

Como eu disse, ela tinha dinheiro, mas do mesmo jeito era uma vadia. 

Dilory was a witch, yeah a sneaky little bitch 

Dilory era uma bruxa, uma vadia traiçoeira 

Ela é pior que a prof Delanay, e traiçoava bem seus planos. 

Ooh I say yeah 

Ooh, eu digo sim. 

Eu digo a ela que sim, ela é uma peste, bruxa, e mal vestida, parece que ela não se olha no espelho cara... 

Ou seja, a música era uma despedida para ela, já que o show também se passava em televisão.

Apaguei enquanto pensava como seria minha vida. Sinceramente, eu logo acordei, parecendo que apenas pisquei e quando abri os olhos, já estava de manhã. 

Troquei de roupa e coloquei uma bem curta, que eu amava. Coloquei um colarinho, que parecia de lingerie, vermelho e preto. Eu amava usar aquilo, e ainda mais a corrente que tinha na direita da bermuda. Olhei para o Boby e Toby, o meu ursinho. Boby era a parte boa, e Toby era a parte má. Decidi leva-lo, o colocando na mochila. Ainda bem que ela era grande.

Fui descendo as escadas saltitando, como eu costumava fazer, e indo em direção a cozinha, onde só encontrei a Juriscreitam lavando algumas louças e as garotas chamadas... Karenn e Alajéa, acho, conversando.

-  Olá Alice! - Alajéa me olhou, acenando - Estavamos te esperando.

- Sim já estou indo lá para frente - Peguei uma maçã e fui em direção a porta - Vocês não vem?

- Sim, vamos... - Karenn se levantou da cadeira.

- Tchau Júris - Acenei para a cozinheira.

- Tchau linda - Ela piscou para mim.

Andamos até a porta, que, quando abrimos, o grupo estava conversando entre si.

- Eu vou levar e ponto final! - Aline fala e se vira cruzando os braços, de costas para o grupo.

- Como vamos levar isso criatura? - Ezarel falou nervoso

- Se vira, bicho do mato! - Aline apontou a língua. Ouvi Nevra, Valkyon e Camëria rirem baixinho.

- O que está acontecendo? - Alajéa se aproximou mais.

- Ela quer levar o trampolim - Naomy se pronunciou.

- E qual o problema disso? - Perguntei ficando nervosa.

- O problema é que ele não quer nos deixar levar! Seu bicho do mato! - Aline tornou a ficar de costas.

- Ué, se ele quer que nos fiquemos pulando nas costas dele e lutando uma contra as outras não tem problema! - Sorri maliciosa.

- O quê? - O elfo estava ficando vermelho de bravo.

- Sim garoto. Elas aprenderam a lutar pulando no trampolim, no caso delas lutarem contra um inimigo aéreo - Papai se pronunciou, calmo como sempre.

- Perigosas... - Nevra falou sorrindo maliciosamente. 

- Cuidado Morceguinho, sei ser má - Sussurro contra sua orelha. Ouço Alajéa bufar.

- É o que vamos ver... - Ele piscou de forma sedutora para mim.

- Vão agora, irei abrir o portal - No mesmo instante, ele lançou uma magia no trampolim, que coube na palma da mão de Aline - Quando chegarem lá saberão fazer ele voltar ao normal. Boa sorte meninas - Ele abriu o portal de coloração azul e todos passaram.

-

Chegamos em uma sala bem decorada, com uma pedra azul no centro. Logo depois ouvimos um "Aaah" vindo de Aline. Ela se assustou com algo.

- Que isso? - Ela olhou para as costas, agora continha uma cauda negra com a ponta branca, um pouco acima dos cotovelos para baixa seus braços ficaram negros e com um pouco de pelo, e unhas um pouco maiores que o normal. Suas orelhas eram pretas com o centro branco, e seus cabelos estavam metade branco e metade preto, amarrados por uma Maria Chiquinha.

- Hahaha! Melanie Martinez versão loba! - Zoei com ela.

- E Arlequina versão raposa! - Ela cruzou os braços e mostrou a língua para mim.

Olhei para os meus braços e estavam parecidos com o de Aline, mas marrons. Olhei nas minhas costas e minha causa era marrom e branca. Peguei um espelho e me olhei, agora meus cabelos estavam presos em uma Maria Chiquinha e com as pontas delas marrons, com orelhas brancas e marrons. Meus olhos agora eram vermelhos como sangue. 

- Nossa, eu me pegava agora! - Sorri para mim mesma.

- Alice! Aline! Que bom que chegaram! - Ouvi uma voz feminina mas adulta.



Notas Finais


Melanie Aline
Alicequina

Meu deus que bosta ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...