História Tokyo Ghoul - Interativa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Tags Tokyo Ghoul
Exibições 52
Palavras 1.710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Luta, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Shounen, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Self Inserction, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yoo~

Primeiro capítulo oficial da fic, infelizmente esse capítulo não terá personagens das fichas ^^

Mas no próximo, teremos personagens novos ^^

Capítulo 2 - Capítulo 01 - Exterminador


Capítulo 01 - Exterminador

 

Tóquio, Japão  - 20° Distrito

 

Yoshimura suspirou de leve, ao observar o jovem de cabelos negros. Sua situação era, no mínimo, complicada.

– Kaneki-kun, eu entendo que você deve estar se sentindo muito mal agora – o velho começou, com um sorriso gentil – Mas você não deve negligenciar sua saúde por isso.

Ken Kaneki era um jovem que havia se juntado a cafeteria recentemente. Seu caso era raríssimo, provavelmente único. Ele era um humano transformado em Ghoul, um Meio Ghoul. Kaneki não queria se 'alimentar', o que já estava lhe fazendo mal.

– Eu entendo isso, Yoshimura-san – o moreno disse baixando o olhar – Mas abandonar minha humanidade assim, está fora de questão.

Novamente o velho suspirou, ao perceber que Ken não mudaria de ideia tão rapidamente. Yoshimura decidiu mudar de assunto, vendo que dialogar era inútil.

– Tudo bem, Kaneki-kun – ele disse em um tom sério – Mas quero te apresentar a uma pessoa. Ele provavelmente estará aqui em alguns minutos.

– Me apresentar a alguém? – o Meio Ghoul repetiu, seu tom era de surpresa – Eu já não conheço todos os funcionários do Anteiku?

Yoshimura sorriu de canto, ele não pôde deixar de concordar mentalmente.

– Realmente, você conhece todos os funcionários – o velho fez uma pausa proposital – Mas essa pessoa é um pouco como Renji, um membro que não trabalha aqui. Digamos que ele age nos bastidores.

– Como o Yomo-san? – Kaneki pareceu pensativo – Isso quer dizer que ele também pega carne de suicidas?

Yoshimura balançou a cabeça, em negação. Kaneki franziu a testa, sem conseguir imaginar nada a mais.

– É algo bem mais profundo que isso – Yoshimura disse com uma expressão séria, deixando um Meio Ghoul sem palavras.

O silêncio varreu a sala do gerente, por alguns segundos constrangedores. Kaneki não sabia o que falar, então se manteve quieto. Em seguida, a dupla pôde ouvir batidas na porta.

– Entre – Yoshimura disse com uma expressão séria. Quem abriu a porta foi Touka, e não o indivíduo de quem falavam.

– Yoshimura-san, Zane está aqui – a Kirishima disse com uma expressão séria.

– Mande-o entrar – o velho pediu, sorrindo em seguida. Touka saiu dali, deixando a porta aberta. O velho logo se virou para Kaneki – Tente não estranhá-lo, Kaneki-kun.

O Meio Ghoul não respondeu, apenas sentiu seu coração acelerar, um pouco assustado. O nervosismo dominava Kaneki, esperando um homem careca, com várias cicatrizes na cabeça e uma roupa negra entrar. Uma definição estranha.

– Velho? Você está aí? – para a surpresa de Kaneki, um jovem de no máximo 19 anos entrou ali. Seus cabelos eram castanhos, enquanto seus olhos eram bicolores, nas cores dourado e azul. O olho esquerdo era dourado, enquanto o direito era de um azul límpido. Usava uma calça preta e camisa xadrez preta e azul, com um cigarro aceso na boca.

Imediatamente o desconhecido apagou o cigarro, jogando-o na lixeira da sala. Seu olhar recaiu sobre Kaneki, de uma forma que lhe arrepiou a espinha.

– É esse – o moreno tinha um desprezo em seu olhar – o ovo que a Rize deixou?

– Já faz um tempo, Zane-kun – Yoshimura sorriu de canto para ele, ignorando sua pergunta.

– Eu disse que aquela vadia ia dar problema aqui – ele sentou-se ao lado de Kaneki, sem medir palavras – e você não me deixou cuidar dela.

Yoshimura não deixou de sorrir, mas Kaneki pôde sentir o olhar severo sobre Zane.

– Você está dizendo – Yoshimura pausou, em um tom severo – que Kaneki-kun é um problema?

O moreno desconhecido o encarou sério, seus olhos emitiram um brilho afiado.

– No meu ponto de vista, sim – ele disse, sem nem ao menos desviar o olhar. Seu tom frio incomodou o Meio Ghoul – Você discorda, velho?

Yoshimura o encarou com o mesmo sorriso, mas seus olhos se abriram levemente. O moreno apenas o encarou, sem nenhuma ação perceptível.

Que atmosfera é essa... Eles são mesmo amigos?, Kaneki pensou chocado. Ele nem mesmo respirava, com medo de atrair a fúria do desconhecido.

Yoshimura voltou a sua aura calma de repente, com um sorriso gentil. O moreno apenas sorriu de canto, desviando o olhar para a janela, vendo que já era noite.

– Kaneki-kun, esse é o Katsuki Zane-kun – Yoshimura o apresentou com um sorriso, enquanto um Kaneki atordoado nem se atrevia a falar – Zane-kun, creio que você sabe quem é esse. Mas me pegou de surpresa, você dizer que viria aqui de repente. Você não é tão mesquinho ao ponto de só vir conhecer o Kaneki-kun, é?

– Na verdade, velho – Zane o encarou com uma expressão séria – é sobre a CCG.

Yoshimura ficou sério na mesma hora, seu olhar frio delatava sua preocupação.

– Qual é o assunto? – o velho perguntou friamente, seus olhos semicerrados passavam a impressão de seriedade.

– Ryoko-san e Hinami – o moreno disse seriamente. Yoshimura estreitou os olhos.

Kaneki não entendia nada, exceto pelo fato de que a CCG estava perto. Fueguchi Ryoko era uma mulher gentil e que não matava ninguém, assim como sua filha Hinami. Elas haviam chegado a poucos dias, e Kaneki já era como um irmão para a pequena. Como aquelas duas podiam estar sendo caçadas pela CCG?

Kaneki se levantou, sentindo que aquele assunto era muito sério para ele. Para sua surpresa, Zane lhe derrubou de volta na cadeira com uma rasteira, sem se importar se foi rude.

– Você fique aí, tem que ouvir também – o moreno disse em um tom frio. Kaneki sentiu o medo invadir seu coração, e apenas assentiu com a cabeça.

– Zane-kun, o que Ryoko e Hinami-chan tem com a CCG? – o velho perguntou sério – Eu sei que elas estão sendo caçadas e por isso as estou mantendo aqui, mas se você veio é porque tem algo mais.

O moreno confirmou com a cabeça, seus olhos brilharam friamente.

– Eu fui imprudente nesses últimos dias, e comecei a chamar atenção demais – Zane começou a explicar – por isso, os doves estão atrás de mim também. Posso ficar aqui por um tempo, enquanto estiverem aqui?

– Tudo bem – Yoshimura assentiu quase na hora – afinal, não há mais ninguém problemático aqui, além do que, a CCG já está nesse Distrito. Se algum Ghoul a qual estão atentos desaparecer, vão achar estranho.

A última parte chamou a atenção de Kaneki. O Meio Ghoul lançou um olhar interrogativo ao velho, que entendeu o recado na hora.

– Você deve estar se perguntando, qual o trabalho do Zane-kun – o gerente se dirigiu a Kaneki repentinamente – Peço que não se abale, Kaneki-kun.

O Meio Ghoul assentiu com a cabeça, preparando sua mente para uma surpresa. Kaneki desviou levemente o olhar para Zane, um pouco antipático.

– Zane-kun é o Exterminador do 20° Distrito – Yoshimura começou a explicar – Ele identifica Ghouls que estão bagunçando demais pelo Distrito, e extermina eles.

Kaneki arregalou os olhos, sua reação imediata foi a surpresa.

– Por que? – seu tom exaltado atraiu um olhar frio de Zane.

– Se eles continuassem vivos, com certeza chamariam atenção da CCG – Yoshimura baixou os olhos com pesar – Não podemos permitir que o perigo venha contra nós.

Zane suspirou levemente, sua voz saiu irritadiça.

– Originalmente, Rize era um dos meus alvos – ele confessou com uma expressão séria. Kaneki arregalou os olhos, novamente surpreso.

– Então, foi você quem..? – Kaneki imediatamente se lembrou de quando as vigas caíram em cima de Rize, salvando sua vida.

– Não, eu não estava lá – Zane disse, antes de encarar Kaneki pelo canto dos olhos – Se fosse eu, teria matado você também.

O silêncio varreu a sala novamente. Yoshimura suspirou, repreendendo Zane mentalmente.

– De volta ao assunto – Zane continuou sua fala, sem notar a atmosfera – Velho, avise a todos para tomarem cuidado. Principalmente Ryoko-san, Hinami e esse lixo aqui.

Obviamente, Zane se referia a Kaneki. O Meio Ghoul desviou o olhar, incomodado. Provavelmente era por isso que Zane o impediu de sair, para avisá-lo.

– Farei isso, Zane-kun – Yoshimura disse sorrindo – agora, vá por o uniforme de garçom.

– Ah, certo.. – Zane deu as costas e se preparou para sair, mas petrificou na porta – .. espera aí, o que você disse, velho?

Yoshimura sorriu gentilmente, mas seu olhar tinha algo de brincalhão.

– O que? Você não achou que ia ficar de graça, certo? – o velho perguntou em um tom inocente – Você tem que trabalhar como garçom, em troca. Peça um uniforme para Touka-chan.

Zane suspirou, e encarou Yoshimura com um olhar irritado. Ele sorriu de canto, voltando a dar as costas.

– Velho broxa e manipulador – ele resmungou saindo da sala, de uma forma que ninguém ouviu. Isso, é ninguém, além de Kaneki.

– Hum? O que foi, Kaneki-kun? – Yoshimura perguntou surpreso, ao ver o Meio Ghoul gargalhar repentinamente. Kaneki ainda tentou colocar as mãos sobre a boca, mas novamente o riso saiu.

 

Proximidades do Distrito Comercial do 20° Distrito

 

Com um movimento da Quinque, o Ghoul foi feito em pedaços. Seu braço foi arrancado, além de vários outros cortes graves por seu corpo. Mal se regeneravam quando o homem se aproximou.

– E então, você viu uma mulher Ghoul e sua filha por aqui? – o homem perguntou com um sorriso maldoso. Seu rosto era o de um homem já dominado pela idade, com seus cabelos inteiramente brancos. Seu olhar psicótico assustava o Ghoul.

Passaram-se alguns segundos, mas o Ghoul ferido nada disse. O homem de jaleco branco o chutou no estômago, com força muito superior a de um humano comum.

– Sem resposta? Então eu não tenho escolha – com um movimento de mãos, a Quinque voltou a se mover em um perfeito corte circular, rasgando o peito do Ghoul.

O homem velho se virou, sacudindo a Quinque de forma a limpar o sangue da mesma. Ao levantar o olhar, pôde ver um outro homem, esse décadas mais jovem. Usava um terno preto, segurando uma grande e pesada maleta de ferro. Seus cabelos negros curtos tinham um pouco de sangue neles.

– Ah, Amon-kun – o mais velho disse sorrindo. – Conseguiu alguma informação do outro?

– Infelizmente não, Mado-san – o moreno respondeu de forma arena. – pelo que parece, o senhor também não.

Investigador Ghoul de Primeira Classe Sênior, Kureo Mado.

Investigador Ghoul Rank 1 Novato, Amon Koutarou.

– Realmente – Mado disse sorrindo – mas não se preocupe. Minha intuição me diz que a Fueguchi e sua filha estão por perto.

– Bem, não é como se fizesse diferença – Amon disse com uma expressão serena – Vamos matá-las de um jeito ou outro.

A luz do luar recaiu sobre seus rostos, deixando seus olhos cheios da maldade a brilhar.


Notas Finais


E então? O que acharam do primeiro capítulo? O que tenho a melhorar?

Comentem ^^

Lembrando que no próximo teremos personagens das fichas, sem pressa ^^

Até os comentários ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...