História Tokyo Ghoul: Wrong World - Capítulo 96


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Ayato Kirishima, Ginshi Shirazu, Hideyoshi Nagachika, Hinami Fueguchi, Juuzou Suzuya, Ken Kaneki, Kishou Arima, Koutarou Amon, Kuki Urie, Kureo Mado, Nishiki Nishio, Renji Yomo, Rize Kamishiro, Saiko Yonebayashi, Shuu Tsukiyama, Tooru Mutsuki, Touka Kirishima, Uta, Yoshimura
Tags Ccg, Etoken, Ken Kaneki, Tokyo Ghoul, Touken, Tragedia
Exibições 88
Palavras 1.985
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem vindos a mais um capítulo da fanfic Tokyo Ghoul: Wrong World
Espero que Gostem.

Capítulo 96 - Segunda Temporada - Outro Lado


Tokyo Ghoul – Wrong World

Segunda Temporada – Outro lado.

 

Os grunhidos de dor e impiedade estavam ecoando pelo enorme salão, o piso era feito inteiramente de concreto, que atualmente estava com diversas rachaduras, o cheiro de carniça naquele mesmo salão ultrapassava de todas as maneiras, a higiene normal que deveria seguir, haviam diversas cadeiras com apoios nas pernas espalhados pelo local, e sentados naquela cadeira estavam diversos esqueletos que tinham alguma parte da sua forma esquelética quebrada.

Sua mandíbula tinha rachaduras profundas e espessas, os ossos dos braços e das pernas foram transformados em pó, havia também alguns insetos que rastejavam por todos os buracos possíveis, suas costelas estavam espalhadas pelo redor, sua bacia estava enfiada no meio do seu crânio, e seguindo por diversas formas que um esqueleto poderia parecer algo que foi profanado.

Os rastros de sangue seco estavam sendo evidentes no chão, todos eles espalhavam-se pelo local, alguns continham mensagens de socorro, outros eram enigmas, e alguns eram palavras totalmente sem sentido, os esqueletos não variavam apenas de adultos, mas também de crianças e adolescentes, que ainda não tinham sua formação completa, aquela sala era algo totalmente assustador.

Todos naquele lugar estavam mortos a muito tempo, foram esquecidos e abandonados pela ignorância daquele mundo, jogados fora como poeira, e descartados como lixo, algo que não precisava ser salvo, apenas esquecido.

Mas havia uma pessoa viva naquele lugar, que foi trazida a força, sem chances de escolhas, ela simplesmente foi vítima da lei entre os mais fortes e os mais fracos, o seu cabelo que antes apresentava uma cor verde, agora era branco e pálido, sua pele estava no mesmo estado, indiretamente afirmando que seu corpo estava com falta em nutrientes, tornando-a fraca e indefesa, mais acima de tudo, deixando-a humilhada.

Mutsuki Tooru.

Ela tremia enquanto estava sentada naquela cadeira carbonizada, com suas mãos amarradas no suporte da cadeira, localizado na parte de trás da própria, ela tentava manter-se sã enquanto contava números lentamente, ela mantinha uma crença forte que enquanto ela lembrasse o nome dos números, ela nunca esqueceria de quem era e tornaria-se louca.

Alguns meses ou anos haviam se passado, ela não lembrava-se perfeitamente, tudo o que sabia era que dia após dia ela foi torturada e abusada pela pessoa que mais passou a odiar; Torso.

Capturada por Eto, ela não teve chance alguma para defender-se, a primeira tortura que recebeu foi de longe uma das piores dores que recebeu, ela teve sua boca costurada e rasgada diversas vezes enquanto gritava, tais gritos eram causados pelas perfurações que ela recebia constantemente em seu corpo, todas elas profundas e outras que danificavam o seu Kakuhou profundamente, impedindo que o seu Kagune fosse revelado.

As torturas de Torso eram fracas comparados a tudo aquilo, e os estupros por outro lado não foram tão gritantes, ela constantemente era abusada pelo seu pai, por isso não ficou tão surpresa quanto outro homem louco começou a desejar o seu corpo, ela constantemente mordia a língua, para não lhe dar o prazer de ouvir os seus gemidos, e ainda mais, para irritá-lo.

Presa naquele mundo de loucura, tudo o que lhe restava eram os números, que nada mais eram além de uma contagem regressiva..

‘’3567... 3568... 3569... 3600... 3601...’’ Ela ainda contava, com sua voz fraca e arrastada, o cheiro de sangue e odor era algo que estava impregnado em seu corpo, ela sentia-se suja e humilhada, seus olhos estavam opacos e enxergavam nada além do vazio que estava em sua mente.

‘’3602... 3603... 360-...’’ – Ela interrompeu sua fala quando por um segundo, ela ouviu um barulho, algo que foi bem incomum, considerando que ela estava em uma sala com apenas uma vida dentro, e cheio de esqueletos envolta.

‘’Ahn.. porquê você parou de contar?’’ Perguntou uma voz feminina e brincalhona, que soou por toda a sala, logo no meio da escuridão que cobria as paredes, apareceu uma silhueta um pouco baixa, com seu corpo totalmente coberto por faixas brancas, deixando apenas a sua cabeça e o seu longo cabelo verde a vista, e utilizando o seu manto roxo.

Tooru abriu um pouco mais os seus olhos enquanto olhava para o chão, Eto por outro lado começou a andar lentamente em direção a ela, com suas mãos entrelaçadas em suas costas, e um sorriso brincalhão em seu rosto.

‘’Huh, você deveria experimentar um dia olhar para alguém com sua esperança destruída, é tão bom ver alguém morrendo por dentro, ao vivo é claro’’ Eto parou em frente a Tooru e agachou-se um pouco, com seus braços apoiados em seu joelho, e suas mão apoiando seu rosto.

Eto ficou olhando para ela por alguns segundos, Tooru por outro lado sequer olhou para ela, apenas ficou encarando o chão, claramente apenas rezando mentalmente que aquela tortura não começasse novamente.

‘’Você não está dizendo nada.. mas você não morreu..’’ Eto então soltou outro sorriso divertido ‘’Mas acho que posso fazer você falar, o que acha?’’ Ela levantou uma agulha que tinha uma linha vermelha presa em sí.

Tooru então arregalou os olhos enquanto olhava para aquela agulha.

‘’Não..’’ Ela sussurrou, começando a tremer, Eto aumentou o seu sorriso enquanto olhava para Tooru.

‘’Ooh, eu acho que não te escutei’’ Eto disse ainda mais divertida, Tooru começou a tremer ainda mais, ela estava apenas brincando com a Mutsuki, ela sabia muito bem como manipular as pessoas e transformá-las em brinquedo.

‘’Não... Não... Por favor.. Não..’’ Tooru aumentou a sua voz, Eto por outro lado apenas riu mais uma vez, ela levantou-se e junto puxou o cabelo de Tooru, ambas ficaram encarando-se, os olhos divertidos de Eto encaravam os olhos suplicantes de Tooru.

‘’Pobre criança, acho que vou ter que lhe dar outro lição’’

Tooru apenas viu o brilho que aquela agulha demonstrou um pouco antes de brutalmente adentrar o seu globo ocular, espalhando o sangue por seu rosto.

‘’Nunca responda os mais velhos’’

(Cafeteria :RE)

Aquela cafeteria estava cheia e como sempre, reunindo diversos Ghouls, haviam horas reservadas para eles, onde os gerentes que tomavam conta do lugar passaram a observar os humanos e começaram a impor mais regras naquele distrito, onde quem quisesse ter Paz, teria que no mínimo, compartilhar informações úteis na cafeteria.

‘’Você ouviu? O ceifador Negro está trabalhando junto com o Ceifador do CCG’’

‘’Eu ouvi dizer que ele massacrou um exército da Aogiri’’

‘’Esse cara é um monstro!’’

‘’Ele deveria ter morrido anos atrás’’

Alguns desses comentários começaram a tornar-se comuns não apenas na cafeteria, mas em todos os distritos a qual o Ceifador Negro atacou, ele massacrou diversas forças da Aogiri, na esperança de enfraquecer suas forças para o ataque final, porém dias atrás todos os Ghouls da Aogiri haviam sumido, todos localizados na Rue Island.

Touka estava com uma bandeja em suas mãos, enquanto isso Nishiki limpava o balcão e Yomo estava sentado em uma cadeira lendo um jornal, com o mesmo olhar sério e frio em suas mãos.

Ela ouvia atentamente o som da televisão ligada, que estava em um canal de notícias que atualmente mostrando informações sobre o próximo ataque do CCG contra os Ghouls. Na tela estava uma das mentes brilhantes do CCG, Yoshitoki Washu.

Atrás dele estava Matsuri Washu e Arima Kishou, atrás deles estavam Ken Kaneki, Suzuya Juuzou, Nimura Furuta, Mado Akira e por fim Kukri Urie, todos eles com olhares sérios em seus rostos, Kaneki era o que mais estava atento, olhando para todos os jornalistas com um olhar sério e frio, e Arima por fim estava alí apenas para representar as forças especiais da invasão.

Não demorou muito tempo para Yoshitoki começar o seu discurso;

‘’Povo de Tokyo, todos nós sabemos que nossa cidade é aterrorizada desde tempos antigos pelas criaturas humanoides conhecidas como Ghouls, que atualmente estão no topo da cadeia alimentar, mas por favor, não se assustem, nós do CCG estamos aqui para combater eles e protege-los do pior, nós lutamos todos os dias para que sua vida continue, e sacrificamos todos os dias nossas Vidas para que um Futuro melhor exista’’

Yoshitoki bateu com seu punho esquerdo em seu peito, enquanto soltou um olhar de determinação em sua face, os jornalistas imediatamente tiraram milhares de fotos.

‘’Eu, Yoshitoki Washu, o próximo Herdeiro da Familía Washu, juro pelo meu nome que protegerei Tokyo de todo o mal possível, com minha vida, com minhas unhas, e com meu sangue, eu lutarei por todos, e todos nós do CCG lutaremos por vocês! Em breve a Organização conhecida como Aogiri Tree será varrida no Mapa, e mais uma vez nós poderemos desfrutar da Paz que todos queremos em Tokyo!’’

Alguns dos Jornalistas imediatamente começaram a fazer perguntas, enquanto todo o resto passou a tirar mais fotos de ângulos aceitáveis para uma foto, apenas para chamar atenção, o assunto mais comentado naquela cidade era sem duvidas o extermínio da Aogiri que seria executado em poucos dias.

Um pouco longe daquele prédio estavam algumas figuras com sobretudos negros e mascaras brancas que cobriam todo o seu rosto, eles estavam em cima de uma torre, olhando diretamente para a base central do CCG, onde havia ocorrido o discurso de Yoshitoki.

‘’Tudo foi como o planejado, Yoshitoki cumpriu sua parte do plano, vamos voltar’’ As figuras então imediatamente sumiram daquele lugar, apenas com o plano da corrosão da imagem dos Ghouls em sua mão.

Todos os Investigadores imediatamente saíram do local, Furuta era o único que ainda mantinha um sorriso em seu rosto, e cantarolava coisas sem sentido, Kaneki apenas olhava para ele de canto.

‘’As coisas estão começando a complicar’’ Estes eram os seus pensamentos finais, antes de todos os Investigadores desaparecerem do local, deixando apenas os jornalistas presentes.

Touka cerrou um pouco os seus olhos enquanto com um pouco de tristeza, pensou;

‘’O que você está fazendo.. Kaneki?’’

(Com Eto)

Os grunhidos altos de dor de Tooru estavam enfeitando aquela sala, Eto estava com sucesso arrancando diversas partes do seu corpo enquanto Tooru estava com sua boca costurada e sem chances de gritos, ela tinha lágrimas escorrendo pelos seus olhos enquanto de todos os modos possíveis, tentava soltar no mínimo um grito para aliviar aquela tensão.

‘’Não grite, eu não te autorizei a isso’’ Eto gritou com uma voz divertida, ela logo parou de cortar e arrancar as partes de Tooru, que tinha enfeitado o chão ao redor com seus saborosos órgãos que ainda insistiam em funcionar, e esguichavam um pouco de sangue.

‘’Oh não, eu não posso deixar o meu segundo brinquedo favorito morrer’’ Eto então pegou um dos pedaços da carne de Tooru e com uma grande risada, enfiou de uma vez em sua boca, forçando-a engolir automaticamente.

Tooru começou logo a tossir de maneira descontrolada, enquanto o seu sangue estava caindo e sujando todo o chão, o seu Kakugan estava ativado, ela estava deconstrolada por sentir todo aquele sangue perto dela, mesmo que ele pertencesse a sí mesma.

‘’Eu cansei, você é muito divertida, Mutsuki-chan! É realmente bom ter uma amiga como você para aliviar o meu stress, sabe.. em poucos dias o CCG vai invadir esse lugar, talvez você tenha sorte de sair daqui, caso seus companheiros encontrem você..’’ Tooru então sentiu um fio de esperança crescer em seu coração, mas logo foi destruído.

‘’Ah, desculpe, eu esqueci, eles abandonaram você..’’ Tooru então começar a fitar o chão com seus olhos opacos e arregalados, ela lentamente subiu o seu olhar para Eto que estava agora de costas e andava em direção a saída daquela sala, que era atualmente desconhecida para Tooru.

‘’Quando eu sair.. a primeira que eu vou matar.. vai ser você...’’ Tooru sussurrou, Eto apenas começou a gargalhar ainda mais alto enquanto começou a desaparecer lentamente, com o seu Kakugan ativado.

‘’Huhuhuh, eu realmente dúvido muito, mas caso você consiga sair, diga algo a Ken Kaneki por mim..’’ – Eto então com uma voz sombria e enigmática começou a falar antes de desaparecer daquela sala.

‘’Brinquedos não foram feitos para serem quebrados’’

 

Fim do Capítulo.


Notas Finais


Obrigado por Ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...