História TOMDAYA One shot's - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tom Holland, Zendaya
Personagens Tom Holland, Zendaya
Tags Tom Holland, Tomdaya, Zendaya
Visualizações 63
Palavras 1.023
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oier, desculpa a demora

Capítulo 3 - Briga.


Fanfic / Fanfiction TOMDAYA One shot's - Capítulo 3 - Briga.

Faz um tempo que Zendaya e Tom
Passaram de amigos para "ficantes" não houve juras de amor, trocas de anéis, pedidos de namoro ou algo assim (exceto quando Holland enviou cinquenta flores de lavanda para zendaya, que disse a ele não ser necessário. Porém achou um mimo) os dois apenas aceitaram o fato de que queriam se pegar, então agora se pegam. As coisas estavam ficando sérias, a ponto de alugarem uma casa para "morarem juntos" durante as gravações em nova York.

Falta uma hora pra seção de cinema que marcaram começar, pegaram algumas coisas e foram pro carro.

Chegando no estacionamento externo do shopping após sair do carro, tom prende Zendaya com os braços pressionando-a contra o capô do Audi.

-thomas estamos em público por favor.. zendaya virou o rosto fazendo com que o beijo que o garoto direcionava a sua boca fosse ao seu maxilar. Sentiu um leve arrepio com o hálito quente do menor sobre sua pele em mais um dia frio de N.Y.

-só um..ele sussurrou perto de seu ouvido e selou seus lábios em um beijo rápido. Correram para o cinema.

[...]

-achei que seria melhor. Z falava enquanto entrava no carro.

-o trailer deixou muitas expectativas. Tom respondeu.

Deram um selinho e voltaram pra casa, amanhã seria outro dia de gravações.

-o que acha disso tudo? Tom perguntou para a garota que estava deitada de conchinha com ele.

-sobre o que? ela brincava com a mão dele entrelaçando seus dedos.

-sobre nós, as coisas aconteceram rápido. É o tipo de coisa que deve ser mantido em segredo e.. eu gosto muito de você Z se algo..

-shhh. Ela virou de frente para ele. -É o tipo de coisa que simplesmente acontece. Deitou na curva do pescoço dele e adormeceram.

[...]

Os dois estavam em um intervalo no trailer de zendaya. Quando ela ficou histérica para a tela do celular.

-ouououou... O que? Como..

-o que houve? Tom perguntou

-essa não, fudeu!Fudeu!

-o que foi Z? Ele ria da garota tendo um ataque, porém logo tirou o sorriso do rosto, zendaya virou a tela do celular para ele revelando fotos. Eram os beijos de ontem, no estacionamento e até mesmo o simples selinho no carro, tudo exposto na internet.

-puta merda. Só lhe restou Isso

-não era pra ter acontecido, que merda , isso é...  Isso é grave. zendaya já se via alterada

-z fica calma, algum paparazzi devia estar na nossa cola...

-não era pra VOCÊ ter me beijado em público tom, eu avisei!

-agora a culpa é minha?!

-agora a internet está cheia de boatos e fofocas, teorias e.. que droga Thomas!

-o que você espera? As vezes eu esqueço dessa Merda toda e só penso no que rola entre nós dois, é uma coisa que só nos diz respeito, z. Não pode simplesmente me culpar. Devia ser algo normal.

-porem não é. Não é tom, sabemos disso. Pode nos prejudicar de diversas maneiras. Acho melhor ficarmos distanciados.

-como o que sentimos um pelo outro pode nos prejudicar? Zendaya, trabalhamos juntos. Convivemos todos os dias com as mesmas pessoas, e diante da mídia. Não podemos nos distanciar ..

-vamos deixar "isso" pra lá. Somos crescidos o suficiente para manter uma relação profissional, e só. Escorreu uma lágrima do seu rosto antes de bater a porta do trailer.

[...]

Após um dia inteiro se evitando, tom sai do estúdio as uma da manhã e encontra zendaya em um ponto de táxi, sozinha. Caia uma neve fina. A garota esfregou os braços na tentativa de se esquentar, e olhou envolta a procura de algum táxi, sem sucesso.

-entra aí. Ele aproximou o carro assustando a mais alta.

-que susto porra! Não preciso de carona, obrigada.

-vai ficar me evitando? Esqueceu que estamos ficando na mesma casa? Ele arqueou uma sobrancelha.

Ela bateu um pé no chão. Bufou e adentrou o carro.

-acima de tudo, somos amigos.. não posso simplesmente te deixar sozinha, no frio uma hora dessas..

-eu te deixaria.. zendaya blefou Apenas uma brincadeira. Infelizmente entendida apenas por ela.

-eu não. Tom responde sem contado visual. "Brincadeira cara" zendaya diria se no lugar não fosse tomada por um arrepio devido ao frio. O britânico diminui o ar condicionado antes ligado para a neve lá fora não deixar o vidro embaçado, e pega um paletó no banco de trás do carro para zendaya, que o veste rápido.

O caminho era deveras longo, a morena pensava no ocorrido de mais cedo e como tom continua a tratando, "uma dama". Olha para o menor no banco do motorista com os olhos cançados sobre o tráfico. Pensou no quanto foi exagerada com ele, tinha total conhecimento do que thomas nutria por ela, o próprio já chegou a dizer "te amo", porém as curtas palavras voaram com o vento. Acha que está na hora de resgata-las. Não seria nenhuma mentira, ou um grande esforço. É apenas a verdade. Tão simples como o que vem acontecendo e deixar um Beijo em sua boca.

A neve se viu mais densa. Assim que chegaram Z correu para uma namoradeira perto da lareira, abraçando os joelhos. Tom senta do outro lado deixando um assento vazio entre eles. Silêncio. Absurdo e incômodo.

Zendaya puxa tom para deitar em seu colo e passa a brincar com seus cabelos entre os dedos.

-gosto do seu cabelo..

-você vai acabar me enlouquecendo... tom aproveita um raro momento de ternura vindo de zendaya, nem tão importante. não era esse tipo de coisa que o prendia a ela.

-me desculpa..

-tudo bem, foi minha culpa. vamos apenas esquecer.... Ele abraça a cintura dela se acomodando.

-tom, não quero esquecer...

-Como assim? thomas levanta ficando de frente pra ela.

-não acho que devemos continuar sendo amigos..

-Z, porque pensa assim? Nossa relação sempre foi tão boa.. era disso que tinha medo quando me declarei, de estragar tudo. preferia que não estivéssemos juntos, pelo menos estaríamos bem...

Ela segurou seu rosto com as duas mãos e o beijou, o mais doce e sincero que tivera.

-não quero ser sua amiga thomas. quero mais que isso... ela olhava diretamente nos castanhos de tom.

-é o que mais desejo. Mas... Não se importa com o que...

-deixe que falem. Desde que você saiba que sou sua.

Palavras nunca soaram tão bem para Holland que sorria de orelha a orelha antes de beija-la novamente.
A noite fria de New York tornou-se quente.

Fim,porran.


















Notas Finais


PREPARA que o próximo capítulo promete, bjs🔥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...