História Tomorrow everything can change. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 12
Palavras 1.225
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Primeira fanfic aqui, espero que gostem, desculpem os erros de português e tudo mais, comentem o que acharam / <3

Capítulo 1 - Lembranças


Fanfic / Fanfiction Tomorrow everything can change. - Capítulo 1 - Lembranças

    Nunca imaginei que isso aconteceria, de um dia pro outro meus pais me deixaram por algum motivo que ainda não pude descobrir, logo começou os problemas, o resto da minha família não quis me apoiar, achavam que eu era uma “rebelde” ninguém quis me acolher, meus amigos?Afastaram-se logo que souberam da história, a história que espalharam era bem diferente do que realmente tinha acontecido, eu só fingi que nada estava acontecendo, se eu tentasse explicar ninguém ia acreditar mesmo. Eu não tinha mais ninguém pra confiar, e foi assim que passei o resto do tempo, sozinha, sem amigos, minha vida foi resumida em desenhos e letras escritas em um caderno onde escrevo o que sinto, não vejo como um diário, mas sim como um modo de poder desabafar.

Dois anos depois.

    Nada mudou desde aquele tempo, sempre quando tento fazer amigos, alguém aparece e estraga tudo, contam mentiras, e eles acabam acreditando, mas não me importo muito com isso, não preciso de ninguém, já passei todo esse tempo confiando somente em mim mesma, por que isso mudaria?

     Ouvi o sinal tocar, o intervalo havia acabado, fui andando até minha sala, sem olhar para os lados, sabia que todos estavam me olhando e cochichando sobre mim, entrei na sala e sentei no fundo, no mesmo lugar de sempre, as pessoas se recusavam a sentar do meu lado, os professores, bom, eles parecem que tem medo de mim, os boatos que espalhavam estavam ficando cada vez piores, mas isso ia durar pouco, estou pensando em desistir de tudo, sair da escola, e só andar por ai com meu fone de ouvido, minhas músicas, talvez isso não de certo, mas já sofri muito nesses últimos dois anos. Eu estava perdida em meus pensamentos, quando vi Jade entrar pela porta da sala, ela e suas “amigas” que sempre estavam com ela, entraram me encarando e rindo, foram até minha mesa e começaram a jogar minhas coisas no chão e dizer palavras estúpidas, me ofendendo verbalmente, aquelas palavras não me atingiam em nada, pelo menos era o que eu pensava, porque no fundo eu realmente me importava com tudo isso, só queria gritar, sair daqui não voltar nunca mais, poder me livrar de tudo isso, fugir seria uma boa ideia, mas não posso, pra onde eu iria? Não tenho dinheiro, emprego, nem sequer um lugar para me hospedar, a situação estava ficando cada vez pior.

    Ouvi o som do segundo sinal tocar, achei estranho pois o professor ainda não havia chegado e a primeira aula tinha acabado de terminar, Jade já tinha parado de me encher o saco, me levantei e fui para o banheiro, precisava descansar um pouco, ficar sozinha, ultimamente eu não estou tendo descanso, nem dormir direito estou, as provas, trabalhos, estão me deixando exausta, e pra ajudar ainda tenho que lidar com as mentiras que espalham sobre mim.

    Estava a caminho do banheiro quando encontrei o professor ele estava conversando com um garoto, ele não parecia ser um estudante da escola.

-Eu já disse para me obedecer não quero você andando com aqueles vagabundos!

-Eles não são vagabundos são meus amigos, e você deve respeito a eles!

-Quem deve respeito aqui?Eu sou seu pai eu que te banco, se não fosse eu você estaria jogado na rua pedindo esmola como um derrotado!Ah desculpa, você já é um!

    Continuei observando a discussão pude notar que o garota tinha marcas roxas em seus braços parecia que tinha levado uma surra, fiquei pensando se ele tinha brigado na rua ou seu pai havia o agredido, logo pude ter certeza de que aqueles roxos tinham sido feitos por seu pai.

-Até você aprender a me respeitar não vou te dar sequer um centavo se vire sozinho a partir de agora! _ele da um murro na cara do menino.

    Aquilo me fazia lembrar os meus momentos com meus pais minha relação com eles não era muito boa, o professor notou que eu estava ali, eu fingi que estava de passagem e entrei no banheiro antes que ele começasse a fazer várias perguntas. Fiquei no banheiro por um tempo, quando sai eles já não estavam mais lá, voltei para sala acabei dormindo nas ultimas três aulas, abri meus olhos bocejando, os professores não fizeram nada sobre eu ter dormido na aula, o que achei bem estranho porque normalmente quando durmo nas aulas eles me levam pra diretoria.Guardei meu material no armário e fui em direção ao meu quarto, notei que todos olhando pra mim rindo, no inicio achei normal, mas pude perceber que algo estava errado, fui para meu quarto correndo, pude ver todas as minhas coisas jogadas no chão, comecei a arrumar tudo, quando senti falta do meu caderno, alguém pegou logo sai do meu quarto deixando tudo bagunçado todos olhavam pra mim enquanto eu corria pelos corredores desesperada, pude ouvir risadas no fim do corredor quando me aproximei pra ver melhor, vi meu caderno na mão de um garoto.

-Foi fácil pegar, nesse momento ela deve estar que nem louca procurando, mal sabe ela que toda a escola já sabe de tudo que está aqui.

-Como todos sabem?

-Tirei copias do caderno e distribui para algumas pessoas, elas foram mostrando para seus amigos. Agora só falta aquela garota notar.

    Naquela hora não pensei em mais nada a cara dele me dava nojo, a raiva foi me consumindo aos pouco até que não pude mais me controlar fui andando com passos curtos até ele meu cabelo e minha jaqueta balançava por causa do vento, nossos olhares se encontraram meu ódio podia ser notado pelo meu olhar fui chegando perto dele não pensei duas vezes e dei um tapa em seu rosto.

-O que você pensa que ta fazendo garota?!_Segura meu braço com toda sua força.

    Eu queria dizer tudo o que estava pensando, mas não consegui meu ódio era grande, mas aquela cena e todos me olhando me lembravam de alguma forma meu irmão, eu não pude controlar lágrimas de raiva por lembrar o passado foram desabando pelos meus olhos, puxei meu braço com toda força e peguei meu caderno saindo dali sem dizer nenhuma palavra. Ele me olhava enquanto eu andava de alguma forma parecia que ele se sentia culpado, fui para meu quarto e bati a porta com toda minha força me sentando no chão o que eu faria agora todos sabem tudo sobre o que penso e sobre meu passado, comecei a ler o caderno cada pagina me fazia chorar cada vez mais.

-EU NÃO AGUENTO MAIS!_Grito desesperada.

    Olhei em volta e pude ver uma lâmina jogada no meio da bagunça a peguei e a coloquei perto de meu braço, mas algo me dizia “Não faz isso” eu queria me controlar eu já tinha parado com isso, prometi pra mim mesma que nunca mais iria colocar uma lâmina em meu braço a joguei para longe enquanto me controlava pra não fazer algo que não devia.

    Fiquei ali sentada chorando a noite inteira não consegui dormir pensando em como seria no dia seguinte, tentando me preparar para as palavras que iria escutar os olhares que iriam se direcionar a mim. Dessa vez minha vida foi realmente por água a baixo, não havia nada que eu poderia fazer sobre isso mesmo que eu tente nenhuma palavra ou ação vai ajudar, ninguém acreditara em mim na verdade nem eu mesma acredito.

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...