História Tomorrowland - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V, Xiumin
Tags Chanyeol, Jikook, Namjin, Vhope, Xiumin, Yoonvseok
Exibições 22
Palavras 1.846
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - Desespero


Fanfic / Fanfiction Tomorrowland - Capítulo 22 - Desespero


Havia sido um dos primeiros à entrar no grupo, por isso, parecia que tinha acompanhado toda a trajetória do grupo. No começo eu ainda estava me acostumando a nossa vida difícil e as tarefas diárias que vinham junto dos exercícios excessivos e as coreografias cansativas demais, porém, sempre mantia um sorriso no rosto, sendo que tampouco sorria, mas era afastado dos olhares alheios. Eu era muito inocente que não imaginava sequer que aquele abuso todo estava apenas pro meu lado e apenas comigo, não com JiMin, JungKook ou TaeHyung, era apenas à mim. Talvez tivesse mesmo demorado um certo tempo para eu me ligar do que estariam fazendo comigo, mas isso não significava que eu tivesse repreendido-os tão rápido, tampouco falei, apenas me manti calado em boa parte do tempo e não forcei ainda mais a barra. NamJoon; ah, Namjoon foi a minha salvação, eu sabia que ele via tudo, escutava tudo e ainda achava tudo aquilo um absurdo, ele não fazia nada, mas eu sabia que aquilo seria só uma questão de tempo pra ele jogar na cara daquele monstro que ele era o pior deles, pois NamJoon também ouvia coisas desagradáveis sempre que algo acontecia que não fosse do seu gosto e o homem levantava a voz e intimidava-o até o talo, por isso que ele sabia o quanto o homem era um infeliz. Eu apenas segurava as pontas.

Depois de um pequeno diálogo entre os dois que Kang passou à me dar menos horas de sono, descanso e paz, quando não o obedecia ele praticamente me humilhada e quebrava meus objetos de valor, era um bastardo. Eu não estava conseguindo mais de nenhuma forma conviver com aquilo, após um quase desmaio em um show que ele pôs toda a culpa em mim sem ao menos justificar o porquê da culpa ser minha, apenas gritou que eu era um lixo desnecessário e sem importância ou valor, naquela noite havia ligado para minha mãe informando-a que iria desistir do grupo, por mais que tenha sido uma decisão difícil, eu sempre era desrespeitado e desvalorizado (por mais que ainda mantivesse um sorriso no rosto), no final eu acabei por ficar e o motivo era a discussão que NamJoon teve com Kang, ele acabou sendo denunciado e foi substituído uma semana depois, os membros, confusos, perguntaram o porquê, mas eu optei por não abrir a boca e preocupar os membros que já se ocupavam com tantos problemas.

Tudo bem que eu estaria agora tendo uma vida mais tranquila e pacata, entretanto ainda acontecia umas e outras, mas sempre era tudo controlado e no seu limite. Portanto, a relação que eu passei a ter com NamJoon fora a mais diferente, estávamos sendo mais carinhosos um com o outro, os outros sabiam, mas não comentavam. Namjoon sempre passava a me elogiar de uma maneira que aumentasse minha autoestima. Amava seu sorriso porque pra mim era o mais especial nele, era uma mistura de malícia e graça, eu não resistia e sempre estava corado diante dele.

De todas as relações daquele grupo, a nossa sempre foi a mais simples, pacata e feliz, não tínhamos nenhum passado obscuro, era como se fossemos ligados para viver aquele amor tão profundo e sossegado, tudo no controle. Yoongi sempre estivera se metendo com seus comentários debochados, não que estivesse com inveja, mas mesmo sonolento ele tinha muito humor e tudo na ponta da língua, por então, sempre estava fazendo seus comentários, mas queria mesmo assim que eu fosse feliz e estivesse feliz à todo custo, pois ele se preocupava comigo tanto quanto os outros.

Há algumas semanas atrás eu tive um dos melhores dias; um pedido de namoro. Tinha sido clichê e etc, mas eu não suportaria deixar lágrimas caírem sem que perceba. Estávamos cada vez melhores e fortes juntos um do outro, como um escudo, Namjoon sempre estava a elogiar meu cabelo, minhas roupas, meus olhos, minha boca, meu corpo, simplesmente tudo e mais um pouco, foi até mesmo capaz de escrever uma música especialmente para mim. Estava todos os dias falando o quanto eu era belo e de grande valor, parecia que eu nunca enjoava de tudo aquilo. Seus sorrisos que me levantavam sempre que estava caído ou fraco.

Aquela era uma noite, em especial, caia uma chuva fumegante, mas também costumeira naqueles dias de inverno e frio. Meu olhar secava a janela e através dela a pequena inundação em poços de areia que se formavam com a batida dos pingos com o chão, o quarto estava acima e por isso a pequena inundação não chegava até a casa. Eu não tinha nada pra fazer, exceto ler um livro, mas já estava um tanto cansado da história e por isso dei uma pequena pausa pra observar os pingos de água. Já estávamos no mês de Dezembro, novamente, mas era uma véspera de Natal e só queríamos comemorar no dia seguinte já que não bastava os shows e agora tínhamos mais festança ainda, Namjoon, neste momento, não estava no dormitório, talvez estivesse resolvendo algo no prédio da empresa, mas de fato, não estava ali conosco. Ouvi passos velozes e pesados pelo corredor e vi que tinha vindo em direção à porta do meu quarto assim que a porta se abriu de supetão e a silhueta de JiMin estava ali, cansado e suado, parecia ter saído de mais um treino, porém estava acelerado e assustado, demonstrou pânico assim que gaguejou para falar.

- H-Hyung, a-a-aconteceu algo t-terrível! – vibrei e me manti atento, o que seria tão terrível para ele chegar dessa maneira?

- O que houve Jimin, e por que está desse jeito? – mordi o lábio, nervoso.

- O TAEHYUNG! E-ELE ESTÁ EM TRABALHO DE PARTO! – gritou tão alto que me assustei e dei um sobressalto na cama pondo a mão no peito, acabara de receber a notícia de que Taehyung estaria em trabalho de parto, o que faria nessa situação? – Hyung, estamos perdendo tempo e estou ficando nervoso, está chovendo e não temos carro, vai ter que ser aqui mesmo! Hoseok está prestes a desmaiar, faça algo! – gritou, só que mais baixo, inquieto.

Levantei da cama rapidamente e segui Jimin até o quarto quase no final do corredor, dava pra se escutar os gritos que vinham de dentro do local. Quando a porta foi aberta nada mais vi que Hoseok suado e estático enquanto Taehyung estava de pernas abertas, se contorcendo com a expressão que demonstrava dor e medo enquanto soltava gritos de dor.

- Hyung, o que faremos? – logo que lançou a pergunta Jungkook e Yoongi apareceram na porta, provavelmente escutaram os gritos escandalosos, Jungkook se aproximou e tremeu assim que entendeu o que estava acontecendo.

- HYUNG, ME DIGA LOGO O QUE IREMOS FAZER! – eu estava tão desligado e sem jeito que não consegui raciocinar direito e ouvir os gritos constantes de Jimin, estava totalmente agitado e perturbado.

Aproximei-me de Taehyung e tirei suas roupas o deixando seminu, ainda com o blusão que estava vestido. Hoseok agora tinha seus olhos marejados, não pude saber se era de emoção ou desespero. Taehyung não aguentaria por tanto tempo e logo teria de pôr tudo pra fora, seu ânus estava totalmente aberto e eu podia ver a cabecinha sair de dentro pra fora, soltou um berro alto, puxei a cabeça, a criança estava quase sufocada, contudo consegui tirá-la de lá, mas apenas uma parte, estava quase.

- Taehyung, tenha calma, você consegue! – o motivei, o garoto pôs mais força ainda e gritou ainda mais alto quando puxei todo o corpo do bebê, estava pesado, mas consegui o tirar de lá e erguê-lo para dar dois tapinhas nele para fazê-lo parar de chorar.

- Meu deus! – virei o rosto e Yoongi estava tentando levantar Hoseok do chão, desmaiado.

Taehyung parou com os berros e ficou fraco e sem força nenhuma, estava sem ações, acabara de fazer um parto de alguém. Pus o bebê nas almofadas e diante de alguns lençóis, estava perto da cabeça de Taehyung e o moreno apenas virou a cabeça para mirar o bebê que acabara de nascer, seus olhos marejaram.

Estava tudo tão calmo, agora.

                                       [...][...][...]






Depois de alguns dias após o parto que Taehyung estava mais sorridente, Yoongi já tinha uma criança para cuidar junto de Hoseok que, por incrível que pareça, era o que mais cuidava dos recém-nascidos ali e aquilo pra mim não fazia jus com o que ele afirmava ser, o pai. Eu quase não fazia nada, cozinhava, arrumava o dormitório, os acordava e observava tudo como uma mãe vendo os filhos crescerem e com uma curiosidade tremenda. Sabe, ultimamente vem acontecendo algo que estranhei um tanto; TaeHyung e Yoongi vem tendo brigas constantes, daquelas bem bobas que quando põem uma verdade no assunto acabam pondo todas as cartas na mesa e a confusão fica grande e é sempre assim, chamamos o Hoseok pra acalmar os dois. Eu não tinha essa ideia de que os dois eram desse jeito, no começo da estranha relação à três que eles eram tão amorosos um com o outro e eram o casal mais tranquilo da casa, mas talvez tenha acontecido algo que eu não saiba. Talvez soubesse.

Alguns meses atrás aconteceu algo que eu não imaginava que fosse acontecer: uma briga por ciúmes, sim, isso mesmo. Taehyung estava apenas trocando um carinho com o moreno e o loiro acabou por ficar estressado com tudo aquilo, eu não negava, pois sabia que Yoongi estava muito estressado naqueles dias por causa da agenda lotada de coisas e apenas queria um pouco de atenção, mas parece que Taehyung é um bobo e cego que não vê nada e apenas fala o que pensa como um egoísta. Mas eu estaria sendo injusto se eu dissesse que daquela vez ele fez certo em abrir a boca? Tecnicamente, ele jogou tudo na cara do loiro que acabou por se revoltar mais ainda e lá se foi o silêncio da casa e a paciência que eu tinha com discussões sem nexo, talvez tivesse alguma importância, mas ambos não sabiam como discutir aquilo de forma civilizada e paciente, apenas gritavam e gritavam mais ainda.

Depois que se passou alguns meses eles pareciam ter se afastado e tudo deu uma reviravolta quando os dois fizeram uma proposta: ou é um ou é outro, e eu achei aquilo uma grande idiotice já que contradizia tudo que eles ditaram no começo daquele relacionamento, era quase patético. Por fim, ninguém ficou com ninguém a algumas semanas se passaram; tristes semanas, e Hoseok apareceu chorando em casa e eu não vi mais Taehyung ali, mas eu vi Yoongi junto dele, ué?

Tempo, o tempo passou rápido.

Quando me liguei do tempo foi quando recebi uma carta falando que eu devia me apresentar ao quartel na sexta-feira, e que tinha de ser rápido e obrigatório. Naquele dia eu chorei demais, Namjoon estava lá para me reconfortar, mas sabia que não seria pra sempre, pois eu sabia detalhe por detalhe do que aconteceria à seguir quando eu fosse para o exército; enfim, o grupo iria acabar.


Notas Finais


Gostaria de avisar que essa narração do Jin é praticamente tudo o que aconteceu com o grupo no final, mas ainda terá os próximos capítulos dando detalhes dos outros shipps, a história deles e o que aconteceu no final, já irei avisando: essa trama não terá um final nada feliz. Talvez o próximo será Jikook, aguardem bem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...