História Tomorrowland - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V, Xiumin
Tags Chanyeol, Jikook, Namjin, Vhope, Xiumin, Yoonvseok
Exibições 22
Palavras 1.156
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 23 - Desabafo


Fanfic / Fanfiction Tomorrowland - Capítulo 23 - Desabafo

JiMin sempre conviveu comigo, até mesmo em boa parte de minha infância até meus 13 anos quando acabei me mudando para outra cidade, algo que eu tentei prolongar, mas infelizmente o dia chegara sempre. Jimin de vez em quando falava em dançar e cantar, achava sua voz gritante e até mesmo cogitava ser uma boa ideia, contudo, ele não se saia tão bem na escola e por isso acabava reprovando, tendo que passar suas horas do dia fazendo contas de matemática e trabalhos que antes eu o ajudava a fazer, enfim, ele passou a fazer tudo sozinho por essa causa. Eu o esqueci de uma hora pra outra, mas mesmo assim não esperava o encontrar no mesmo grupo que eu, então pensei que teríamos que conviver juntos novamente.

Tímido, eu era o mais tímido, e por conta disso foi Jimin quem me ajudou a ser mais social e confiante, mesmo quando as fãs diziam que eu era o mais lindo e extraordinário. Talvez eu tivesse pensado demais que a vida fosse tão fácil assim, pois não era. Quando já estávamos no nosso tempo de fama; digo, quando estávamos sendo citados como um grupo famoso e que fazia grande sucesso, enfim, foi nesse mesmo tempo que o manager começou a abusar de seu poder e por conta disso nós passávamos a maioria de nosso tempo treinando. Eu parecia cego, eu achava Jimin incrível por conseguir fazer todo aquele esforço sem reclamar de nada e ainda sorria conosco, entretanto, quando ele havia desmaiado por conta de seu cansaço que eu tive de abrir os olhos e passar a entender tudo que acontecia, e aquilo pra mim era tão errado e eu não fazia ideia de que eles tiravam nossos direitos e nossas horas de sono, além do mais, nos esforçamos tanto.

O tempo correu rápido e quando nós percebemos ele já não estava lá, haviam colocado um novo manager e assim nós nos sentimos livres de tudo aquilo que ocorria conosco, era quase comparado à um filme de terror.

Meus dias de autoestima pareciam ter acabado com o tempo, quando me vi estava um terço de desistir de tudo, estava tão difícil, por mais que eu estivesse fingindo não sentir nada eu continuava a sentir falta de meus pais, aqueles que estavam presentes em toda minha infância não podiam estar presentes naquele momento, me senti só, completamente só. Tive um sonho com eles, foi tão bonito, mas era tão triste. Me lembro que Jimin estava na janela do quarto, ele o dividia comigo e por isso eu sempre o via de noite naquela janela, ele gostava de observar o céu ou talvez fosse apenas para fumar seu cigarro que levava consigo na mão, era um cheiro forte e ele não queria prejudicar-me. Pois bem, ele estava brilhante mesmo assim, sujo de tabaco.

Quando me levantei  desvencilhei-me das cobertas e levantei da cama ele me seguiu até a porta do dormitório para sairmos de lá. Andamos até o parquinho e o que ocorreu à seguir foi mais do que previsível: nos sentamos no chão em meio aos folheados e depois de um longo tempo o olhando que ele se virou pra mim e me beijou; simples assim.

Estávamos felizes; completos. E se passou assim, semanas por semanas e era sempre daquele jeito. Porém. Não respondia mais pelos meus atos, meu controle fugiu de mim. Eu estava apenas tentando o ajudar com as roupas, eu conversei com ele, mas ele parecia tão irritado e frustrado, achou que eu era um inútil e me subestimou tanto. Ele acabou me batendo. Eu também o bati, fui tolo, infantil. A briga começou a ficar séria e quando vi já estávamos em uma confusão completa, Jin estava chocado em ver aquilo acontecer, ele sequer imaginava que éramos tão violentos assim.

Quando deu três dias que eu estava certificado em pedir desculpas à ele, pedir seu perdão e considerá-lo, entretanto, eu não esperava que ele ainda fosse desconsiderar os meus sentimentos por si, além de se agarrar com umas e outros, ele se embebedou tanto que nem parecia ele mesmo, só que eu que tive de levá-lo para o dormitório com a consciência pesada e o saco cheio pronto pra derramar, mas aí eu o deixei em frente ao dormitório, estava tão cansado daquilo.

A única coisa que tinha feito era me deitar na cama e ficar lá por dias, parecia até que ainda estava dormindo, mas só estava sem nenhuma motivação pra sair daquele quarto pra ver a cara do ruivo, ele iria cuspir na minha cara, eu pensava assim.

Jin de vez em quando ia no meu quarto, pois ele era o que mais se preocupava comigo e com minha saúde, mas era uma pena Jimin não ser assim; preocupado. Quando o vi sair de casa eu tinha corrido para o seguir aonde quer que fosse, antes mesmo havia pegado meu agasalho; lá fora estava frio e o inverno predominava. Andei à passos vagos pela rua, estava tão frio, cheguei perto de uma cerejeira e me sentei no banco, o vento estava ótimo, quando que senti mãos macias tocarem minha nuca e fazerem-me um carinho costumeiro. Era Jimin. Primeiro ele me pediu o casaco emprestado e eu o dei para que vestisse, assim ele começou a falar comigo, eu estava com tanta saudade de sua voz aveludada.

- Jungkook, eu posso parar de fumar...por você – sussurrou – Aceita namorar comigo?

- S-Sim.

Estava mais feliz ainda e mais completo ainda, não imaginava sequer que fosse ser tão fácil assim pra ele, mas eu estava contente com aquele pedido que eu não hesitei em aceitar, pois era o que eu mais queria. Estava tudo dando certo naquele momento, eu senti que finalmente poderia sorrir sem ter que engolir à seco. Mas Jimin se provou que podia ser carinhoso, por mais que ele tenha feito aquilo, por mais que ainda carregue um monte de mágoas comigo, nada pode ultrapassar o que sinto por ele.

                      ––#––
   



Eu o amava, você sabe o que é amor? Já sentiu?

E com tudo isso, eu gostaria de fazer um desabafo. Jimin passou a engordar, achei fofo, mas ele não parecia ter orgulho nenhum disso. Sabe, eu fiquei um tanto triste. Jimin ficava por horas treinando e cortava suas horas de sono, eu também não fiquei nada feliz com isso. Jimin começou a ficar magro e fez um regime cortando toda sua alimentação – outra vez – eu também não fiquei nenhum pouco feliz com isso. Então ele disse que se sentia fraco, inútil, insuficiente, enjoado, esquisito, feio, ridículo e acima do peso – novamente – eu não fiquei feliz, mas eu também me senti inútil por não aumentar sua auto-estima. Ele olhava para o meu corpo e sentia inveja, ele queria ser como eu porque apenas eu era valorizado.

Mas ele não precisava disso, ele é lindo, quando eu disse isso pra ele o mesmo sorriu; simples assim.


Notas Finais


Ficou calmo? Sim, mas o próximo será mais animado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...