História Tomorrowland - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V, Xiumin
Tags Chanyeol, Jikook, Namjin, Vhope, Xiumin, Yoonvseok
Exibições 18
Palavras 1.453
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Esse é meu segundo lemon e por isso pode ter ficado ruim, eu já fiz um, ficou muito bom pelo que disseram, mas esse eu não sei se ficou tão bom quanto o outro.

Capítulo 24 - Intenso


Fanfic / Fanfiction Tomorrowland - Capítulo 24 - Intenso

Estava tão triste, aquele dia estava chuvoso e a tempestade fumegante por conta das gotas que caiam como raios: rápidas e ligeiras. Olhava pela grande janela transparente do quarto com meus pensamentos vagos e tristonhos – não negava, estava tão triste e cansado. Daquela vez Jungkook não estava ali no quarto, talvez estivesse na cozinha ajudando Jin com as louças ou talvez estivesse vendo tevê: de fato, Jungkook era quase igual à Jin, só um tanto birrento e tímido, mas mesmo assim ele era como uma namorada pra mim: fofa e gentil.

Depois de divagar um pouco mais que Jungkook apareceu no batente da porta com seus fones de ouvido e o celular em mãos enquanto cantava alguma música – brincalhão – ele veio até mim e se sentou em meu colo e tirou os fones de ouvido junto do celular os pondo em cima do criado-mudo – ele estava tão bonito naquele dia, parecia até mais radiante e esbelto – seu olhar se fixou em mim e novamente sorriu se movimentando em meu colo; tentador.

- No que estava pensando? – soltou em meio às suas risadas frouxas enquanto via minhas caretas – Está triste? – logo seu sorriso se desmanchou e suas risadas cessaram, sua expressão mudou para uma desconcertada.

- Nada, meu amor – sorri fraco.

- Você é lindo, sabe disso – ele o repetiu mais uma vez – Sou eu quem avalio sua beleza e mais ninguém, ignore-os e siga em frente – beijou-me os lábios passando para meu pescoço parando após alguns minutos.

- Continue – pedi sussurrado.

- Amor, faz tempo que não fazemos isso. O que acha?

- Por mim tudo bem – disse, mesmo que ainda estivesse um tanto malogrado e com a expressão abatida.

Ele intensificou seus selares e passou para beijos quentes e molhados em meu pescoço me fazendo soltar fracos arfares. Enlaçou seus braços em meu pescoço e caímos juntos na cama; Jungkook riu, mas foi apenas ele.

Não tardei para tirar nossas camisas e o mesmo foi até meus mamilos tesos e os chupou como canudos e lambeu toda a extensão deles apertando o outro. Já não me controlava com seus toques mesmo que simples e sua mão fria tocando meu corpo quente. Quando ele os deixou não demorou tanto pra retirar minha calça e alisar meu corpo em proveito, suas mãos tocaram minha cueca molhada e a apertaram meu membro já rijo.

- J-Jungkook... – gemi soprado e deleitoso.

Mudei as posições e agora retirava a calça de Jungkook com cuidado e calma, sem pressa alguma. Dava-me chupões pelo pescoço e agarrava-me como se fosse me perder de repente – ri soprado – Engoli seu pênis em minha boca começando com os movimentos acelerados. Mas, por que aquilo ousou de repente voltar às minhas preocupações? De fato, eu estava sendo ridículo?

- Amor... – Jungkook me chamou baixo – Por que parou? – olhei para a coisa mole em minha cavidade bucal e percebi que estava à horas parado ali – ChimChim, pare de pensar tanto, nós estamos prestes a transar e você de repente para pra pensar? – elevou a voz, mas quando viu minha expressão abatida que vacilou – Eu te amo.

Voltei a fazer os movimentos enquanto o moreno tinha sua expressão de deleite e prazer enquanto eu ia rápido e assim que tudo se intensificou que ele começou a estocar em minha boca rapidamente – gozou – Tirei meus lábios de seu pênis que se mexeu um pouco pelo movimento e depois amoleceu após o boquete. Ainda estava vazio, mas mesmo assim forçava meu melhor sorriso para o deixar feliz e poder sorrir também. Olhando para a janela dava-se pra perceber que a chuva havia parado e dava-se apenas para ouvir o som dos pingos caindo em algum poço de água. Meu olhar fixou em Jungkook e ele levantou-se da cama se endireitando em meu colo enquanto massageava meu pênis que acabara de ficar duro.

Ele sorriu assim que desceu toda a extensão – talvez em prazer ou satisfação – ele não demorou para começar à pular, não era mais virgem e por isso não tinha doído tanto quanto antes. Subia e descia enquanto um sorriso estava aberto em seus lábios que não tardei para beijá-los enquanto possuía seu corpo o abraçando em meio às quicadas e apertando sua bunda que estava empinada em tanto prazer e deleite. Sua cavidade era quente e molhada me dando mais chances de que tudo entrasse mais rápido e o momento ficasse cada vez mais gostoso.

Minhas coxas suavam e grudavam na sua que pareciam uma gelatina em colisão com a minha, mas eram macias, brancas e fofas. Sua mão passou por meus cabelos os agarrando até puxar para trás enquanto pulava mais alto e desajeitado, talvez estivesse pensando apenas em seu orgasmo. Mudando as posições eu fiquei colado à si e o fiz se deitar a cama enquanto abria as pernas para mim – seu ânus estava molhado, vermelho e pulsante – enfiei dentro dele e voltei com os movimentos rápidos dentro dele enquanto o mesmo não controlava seus gemidos que pareciam tão altos que quem quer que estivesse naquela casa iria ouvir. Quando acertei sua próstata ele gritou – literalmente – e urrou logo após apoiando a mão na testa quente e suada pelo clima quente no quarto. Fui tão fundo que quando tivemos o clímax juntos que ele abriu tanto as pernas que pensei que iria rasgá-las.

- J-Jimin... – o gemido foi baixo e depois de ter conseguido atingir o orgasmo. Beijou minha boca e me abraçou carinhosamente.

- Está feliz? – depois de um longo tempo calado que ele perguntou-me, pensei que já estivesse dormindo e sonhando, mas ainda estava ali.

- Um pouco – sussurrei, não queria que o mesmo ouvisse – Ainda me sinto solitário, é algum vazio dentro de mim, eu era assim antes mesmo de entrar no grupo e parece que voltei do nada – desabafei.

- Não diga isso, não quero lhe ver fumando e prejudicando-se novamente – o tom se passou para triste e decepcionado.

- Não quis dizer isso, estou falando que estou sentindo falta de algo ou alguém, exceto cigarros.

- ttong...

- Não quero lhe ver mais tão preocupado, você se preocupa demais.

- Mas se eu não o fizesse hoje você seria um doente, eu me preocupo com sua alimentação e o seu humor. Jimin, você sabe o quanto me sinto quebrado quando te vejo abatido e triste, isso me despedaça por inteiro – sua voz já ficava embargada – Eu amo nossas fãs, mas parece que algumas não sentem o mesmo, nós não temos culpa de nada, não sabemos de nada e não entendemos nada e o que acontece, e elas nos punem em shows e desconsideram nosso trabalho bem feito, quando queremos um pouco de sucesso elas vem e dizem que nós não temos talentos, nós não podemos ser melhores que ninguém, nós... – e foi quando senti uma gota fria em meu peitoral e um fungar, ele estava chorando, havia acabado de desabafar.

- Silêncio – agarrei seu corpo e o abracei o dando um beijo.

Ele não perguntou mais.

- Eu quero desistir – disse – Mas eu não consigo pensar direito.

- Se não consegue pensar direito então não tome decisões, iremos continuar felizes e não importa o que digam.

Enlacei meus braços em sua cintura beijando seus ombros e pescoço, assim iniciamos mais uma rodada.

                                    

                                  [...][...][...]





Tinha acabado de chegar do mercado com as compras que Jin havia me mandado fazer. Aqueles dias estavam mesmo frios e eu quase que morria congelado naquele monte de neve. Não percebi quando Hoseok e Yoongi apareceram juntos na sala com a expressão abatida de quem acabara de chegar de um enterro – o mais provável – Taehyung não estava com eles como da última vez que foram juntos. Assim que os dois se trancaram no quarto eu corri ligeiro até o quarto que dividia com Jungkook: estava curioso.

- Kookie – chamei-o com meu sorriso largo e infantil que vacilou ao ver seu rosto encharcado em lágrimas e seus olhos vermelhos e inchados – O que foi?

- Jimin... – fungou – O-O Jin vai pro exército na sexta – derramou mais lágrimas e devagar me aproximei – Eu gosto muito dele, não quero que ele vá – quando me sentei ao seu lado da cama que apenas o dei meu melhor abraço.

- Amor – me chamou novamente – O Taehyung disse que vai sair do grupo, ele desistiu.

- Por que? – estava surpreso.

- Eu não sei, mas o grupo irá acabar e eu não verei mais você.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...