História Tonight - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias WINNER
Personagens Mino
Tags Jade, Song Mino, Tonight, Winner
Visualizações 85
Palavras 1.023
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLHA QUEM VOLTOU!
Não vou comentar nada sobre o que aconteceu nesses últimos dias com Winner... Não esperem textão nas notas finais.

Enfim, eu estou de volta! Passei um bom tempo sem att, e eu sei... Me desculpem, serio mesmo povo

~Boa leitura, espero que gostem

Capítulo 19 - Red Room


Fanfic / Fanfiction Tonight - Capítulo 19 - Red Room

Os minutos se passaram de acordo com os ponteiros do relógio, depois de tudo havíamos comido alguns biscoitos com um pouco de chá gelado, logo em seguida liguei para os meus pais. Confesso que fiquei apreensiva com a reação deles ao me ouvir falar que dormi na casa de Mino. Minha mãe atendeu o telefonema, mas sua reação foi a mais calma possível, o que me surpreendeu ainda mais. Sem xingamentos, sem brigas. Desliguei logo após me despedir. Foi estranho, porém aliviante.

-Preciso trabalhar. – Disse Mino um tanto apressado, saindo em disparada.

-Tudo bem, eu pego um ônibus. – Falei educada, não querendo interromper o moreno em sua ida para o trabalho.

- O que? Não precisa. –Puxou meu braço que já ia de encontro com meu casaco azul e soprou um sorriso. – Eu trabalho aqui, só preciso revelar umas fotos, é rápido. Não vai embora. – Pediu o moreno encontrando espaço nos meus olhos para me fitar.

- Mino, você precisa trabalhar! Olha, não quero ser à chata que fica grudada ao seu lado, não quero te atrapalhar.

- O problema é que adoro ter você grudada a mim. – Sorriu maliciosamente e roubou um selar rápido de meus lábios. Segurou minha cintura após o ato e me encarou. –Eu posso te ensinar umas coisinhas sobre o meu trabalho. An? O que acha?

Aquela altura meus olhos já se encontravam fechados, estava concentrada na sua rouquidão e em seu tom de voz que quando se chocava com meus tímpanos uma explosão de sentimentos se misturava sobre meu corpo. Era algo incontrolável, ainda mais quando o mais velho me atiçava dando pequenos beijos arrepiantes sobre a pele quente de meu pescoço nu.

Tentei me controlar e resolvi lutar contra meus instintos, afastei calmamente o moreno de meu corpo e disse o fitando com um sorriso no rosto:

- Tudo bem, eu fico. Mas já é quase meio dia, preciso fazer algo para comermos. Vamos fazer o seguinte, eu faço o almoço e você faz seu trabalho em paz, tudo bem?

O garoto respirou fundo, um tanto frustrado com a ideia de termos de nos separar nem que fosse por algumas horas.

- Tudo bem... – Disse arrastado.

***

Algumas horas se passaram e o cheiro da comida já se arrastava por todo apartamento, não era nenhuma chef de cozinha, mas sabia de algumas coisas graças ao Google.  Quando enfim terminei de cozinhar, andei até a porta da sala onde Mino trabalhava para chama-lo, porém a mesma  se encontrava aberta, apenas encostada a pequena coluna de madeira que se fundia a parede. Hesitando um pouco a abri vagarosamente com a mão direita sem dizer absolutamente nada. Ao abrir a porta me deparei com um quarto completamente avermelhado, nunca havia visto algo igual, apenas em filmes de terror.

Tudo era escuro banhado por uma luz avermelhada na cor de sangue. Semicerrei os olhos ao tentar visualizar cada foto que havia naquele lugar, mas era mais difícil do que pensava. Perguntava-me como Mino conseguia trabalhar em um lugar com uma aparência tão perturbadora.

O silencia dominava o ambiente, nem ao menos consegui encontrar o rapaz naquele pequeno quarto e aquilo era o que mais me intrigava. Pensei em chama-lo, seria mais fácil, porém a curiosidade de ver seu trabalho gritava dentro de minha cabeça. Saber como tudo funcionava e até mesmo a fome de “espiona-lo” me fazia fazer coisas que sabia que deveria fazer.

Cheguei até um varal onde algumas fotos estavam penduradas e peguei uma direcionando-a para meus olhos. Era difícil ver o que estava ali, estava um pouco borrada. Elas pareciam ter acabado de serem postas naquele lugar.

Forcei meus olhos e coloquei toda a atenção sobre aquela fotografia. Meus sentidos pararam por um minuto, me fiz refém da curiosidade. Minha respiração acelerava a cada segundo que se passava com a adrenalina presente naquela sala que mais parecia um matadouro.

- Não deveria está mexendo nisso.

A voz de Mino veio de repente atrás de mim. Era calma, porém de uma forma séria, quase que autoritária. O mesmo me fez virar imediatamente e sem querer derrubar algumas ferramentas sobre o chão, fazendo o barulho ecoar por todo o quarto.

-Ai meu Deus Mino! Puta que pariu, que susto. Eu ein! – Disse me afastando das fotografias.

Ele me fitou serio, deixando o clima ainda mais pesado dentro daquele quarto escuro. Afastei-me do mesmo na tentativa de sair do quarto, ir em direção da cozinha e fingir nada daquilo aconteceu, porém ele grudou sua mão sobre meu pulso fazendo-me tremer dos pés a cabeça de medo e insegurança.

- Quando entrar aqui Jade... Bata na porta. –Mino Finalizou e soltou meu pulso levemente.

Milhões de pensamentos se formaram sobre minha cabeça naquele momento, diferente de quando fomos para a fábrica abandonada eu não confiava nele naquele momento, Mino parecia diferente, ele parecia não ser ele mesmo. Sentia algo errado, talvez ruim vindo de dentro daquele quarto. Talvez fosse coisa de minha imaginação, mas ele deveria ter um motivo para não me querer olhando tais fotos em seu quartinho particular.

-Não se preocupe, não irei mais entrar sem bater. Me desculpe... – Falei e me afastei do mesmo em direção à cozinha. – E a propósito, a comida já está na mesa. – Disse de costas para Mino que continuava na porta do quarto como se guardasse aquele lugar.

Nós nunca escondemos nada um do outro, isso martelava na minha cabeça. Ele estava muito estranho, o moreno nunca havia me tratado de tal maneira, nunca havia me privado de ver coisas do seu trabalho. Estava começando a me preocupar com o mesmo. Do nada uma briga por um bebê que nunca sequer existiu, em seguida sou proibida de ver coisas sobre seu trabalho e olha que o dia ainda estava na metade.

Tenho medo do que realmente pode está acontecendo com Mino, talvez seja exagero pensar que aquele antigo cara que conheci está indo embora, mas com tudo isso acontecendo só me resta pensar dessa forma. A cada minuto que se passa tenho me preocupado ainda mais com o mais velho. Tenho que fazer alguma coisa, preciso fazer alguma coisa. Afinal, eu o amo.

 


Notas Finais


TAN TAN TAN TAANN! Mino ainda continua fofinho pra vocês? HAHAHAHA

~Até a próxima amorecos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...