História Tons de Vermelho e Negro - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Giles, Iris, Jade, Kentin, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Manon, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Amor Doce, Ficção, Hentai, Mistério, Sadomasoquismo
Exibições 32
Palavras 913
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


~Como alguns perceberam eu não posto há muito tempo, e como eu quero MUITO que vocês saibam o final, que quem acompanha goste de como tudo irá se formar, decidi por uma regra. Vai sair capítulo a cada duas semanas, mesmo que não seja a melhor solução eu vou poder me organizar e vocês vão poder acompanhar a fic de uma forma melhor.~

Capítulo 60 - Destruindo a minha forma de vida.


Fanfic / Fanfiction Tons de Vermelho e Negro - Capítulo 60 - Destruindo a minha forma de vida.

P.O.V. Alexy

Mais uma lágrima fria escorria pelo meu rosto quente, perdido nas ruas de Sweet novamente... As luzes apagadas, o vômito entalado em minha garganta e o cheiro de álcool pelo local. Mais um dia se passava e eu dedicava horas procurando o Léo... Ele simplesmente sumiu e abandonou a todos! Somente me deu duas ligações, uma dizendo que me amava e iria voltar e outra pedindo para que eu não o procurasse...

Faziam dias que eu insistia em procura-lo... “Quem procura, acha” não é o que parece. Tudo a minha volta desmoronou, eu sou um total fracasso... Uma decepção tremenda para os meus pais! Subi as escadas do puxadinho naquele beco que eu já estava acostumado a ir, e bati na casa “dela” com um desejo enorme de terminar o que eu tinha começado quando Léo sumiu.

Lydia abriu a porta, seus olhos estavam pigmentados de vermelho, assim como os do Kentin. Senti o cheiro do que estava me mantendo de pé todos esses dias, andei calmamente até o sofá destruído que Kentin estava deitado, sentei ao seu lado, apanhando o baseado que ela me ofereceu...

 

“-Filho, nós temos um imenso orgulho de você, pela sua força, pela sua sexualidade, por toda a sua persistência... – minha mão disse ao me ver todo machucado ao chegar em casa.

-Você nunca nos decepcionaria... Você é uma das pessoas mais fortes que conheço! – meu pai sussurrou bagunçando meu cabelo – Você só nos decepcionaria se usasse drogas... – respirei fundo e olhei para Armin.

-Maninho... Só desta forma você nos decepcionaria! – uma lágrima escorreu de meu olho enquanto eu subia as escadas correndo, me joguei na cama de meu quarto e fui invadido pela culpa. Decepção...”

 

O coloquei na boca após lembrar desse dia, o acendi e voltei ao que estava acostumado a fazer desde que o Léo sumiu. Descobri há pouco tempo que Lydia lidava com isso, e conversando com Kentin, descobri que ele começou a se drogar também após a morte de sua mãe.

Sim, a mãe dele morreu faz dois dias... Ela faleceu quando estava saindo da base militar, alguns daqueles caras que ainda estavam vivos se encontravam lá... Manon se foi.

Ao fundo, naquele lugar que só continha eu e o casal, Alarm tocava e eu só conseguia sentir o efeito da erva em meu corpo. Lydia se aproximou e me entregou uma garrafa de vodka pela metade, se sentando em cima do namorado...

Bebi uns... sete goles direto da garrafa. E sim, os dois estavam fodendo do meu lado! Enquanto eu me dopava e bebia ainda mais, os dois transavam no mesmo sofá que eu. E meu pensamento só conseguia viajar em um olhar, em um beijo, em um sorriso, em um corpo... EU TE ODEIO LÉO!
...A culpa nem é dele... Eu poderia muito bem libertar a ausência que ele faz com outra coisa, mas não... Preferi ser um trouxa!

E não é porque pensei nisso que eu vou parar com esse delicia! Óbvio que não! Eu vou continuar a me destruir aos poucos... Vou continuar a procura-lo e a procurar todas as drogas que já consumi! Pois é... Maconha, ópio, nicotina, LSD, ecstasy, heroína, cocaína, merla, morfina e anfetamina... E por ai vai! Lydia e alguns amigos seus me forneciam, eu usava tudo o que podia usar para procurar ele!

Bebi o último gole que restava na garrafa e me levantei cambaleando, indo em direção ao banheiro da casa da Ly, a mesma se mantinha com o pau do namorado na vagina, então nem notou que eu fui para o banheiro me masturbar!

Ly já tinha acostumado com este fato, então, desde que mudou de lugar para morou, comprou revistas homossexuais e as colocou no banheiro! Fechei a porta e apanhei uma das revistas, abaixando minhas calças e a minha cueca. Eu já estava acostumado a fazer isso mesmo, então... Quando estava próximo a tocar em meu membro escuto uma batida na porta.

-Alexy... – era a voz do Kentin – Tem uma pessoa aqui querendo te ver...

-Quem é? Como sabe que estou aqui? – indaguei curioso e levantando minha boxer verde, ou era azul?

-Não sei quem é, ele só disse que quer te ver.

-Tô indo... – coloquei minha calça novamente e saí do banheiro.

Fui até o lado de fora da casa e vi o Lys do lado de fora, acompanhado de um garoto muito gostoso. Lys passou pro outro time? Ou sou eu que estou louco? Mas... eu conheço esse cara...

-Ah... Oi... – minha voz saiu extremamente rouca e eu dei uma desequilibrada.

-Oi Alexy! Esse aqui é o meu irmão, lembra? – ah... o boy da Violette... não... o boy de quem mesmo?

-O que estão fazendo aqui?

-Viemos ver como você está! E queria entender porque Kentin pareceu não me reconhecer. – o boy da Priya deu um cutucão no irmão. – Ah... Lembrei... Como está Alexy?

-Bem... considerando que o cara que eu amava sumiu do mapa e eu não consigo encontra-lo... Tudo está indo às mil maravilhas! – soei irônico e Lysandre me reprendeu com o olhar – Cara, olha o meu estado! E você vem me perguntar se eu tô bem?! Caralho, tu além de sofrer amnésia não tem noção? Puta que pariu! – dei as costas e voltei para dentro de casa, me trancando no banheiro novamente.

Destruir a minha vida é o meu único objetivo.

 

Bang bang, fogo de dois tiro

Homem morto, uma boba, um mentiroso

Trim, trim, a confiança desapareceu

Casa pegando fogo

Alarm – Anne-Marie


Notas Finais


Desculpe pelo capítulo bosta e também pequeno. Prometo melhorar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...