História Torture [Markson] - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Bambam, Exo, Got7, Jackson, Jaebum, Júnior, Mark, Markson, Sehun, Tuan, Wang, Youngjae
Exibições 617
Palavras 1.595
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Escolar, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Eu não vou deixar tudo se repetir


Mark On

Os últimos dias tinham sido estranhos para todos nós, duas semanas haviam se passado e o clima estava muito bom, calmo demais que chegava a ser incomodo. Jaebum e Youngjae estavam namorando, Bambam e Yugyeom também e esses quatro viviam sozinhos pelos cantos com seus próprios companheiros. Isso fez com que minha amizade com Junior aumentasse, eu agia mais naturalmente com ele do que antes e comecei a entender o garoto e seu jeito de ser. Jackson por outro lado havia deixado seus amigos e vivia agora com as líderes de torcida e os jogadores de futebol de seu time, saia para as festas e chegava no dia seguinte com olheiras e visíveis ressacas na escola.

"Mark! Eu preciso falar com você agora!" Junior exclama entrando pela porta da sala. Vejo todos os olhares dos alunos que lá já estavam caírem sobre mim e ele. "Vem!" ele caminha até mim e me puxa pelo braço me obrigando a levantar e sair da sala com ele.

"O que foi?" pergunto preocupado "Aconteceu algo grave?" falo encarando o garoto de cabelos pretos que deixa um sorriso sincero tomar conta de seu rosto.

"O Sehun me convidou pra sair com ele. Ele disse que tínhamos que tratar alguns assuntos mau encerrados. E ele disse que estava ansioso pra me ver" Sorrio pelo nervosismo visível na expressão do garoto.

"Saia com ele hoje mesmo." digo rindo da situação.

O outro garoto abre bem os olhos me olhando com incredulidade. 

"Eu não quero ser tão fácil, não quero que ele me esqueça na mesma rapidez que da primeira vez." o garoto diz baixo.

"Se ele tivesse te esquecido não teria pedido esse encontro. Eu acho que no fundo ele só ficou com outra pessoa pra te esquecer, mas desistiu quando não obteve êxito. Não deixe o seu amor ir embora assim. Corra atrás dele. Ouça o que ele tem pra dizer." vejo o sorriso do garoto voltar a radiar em seu rosto.

 

Há duas coisas que devemos aprender para não quebrarmos a cara com a vida. Primeiro: Nunca ache que um dia está bom demais porque algo vai aparecer para estragar. E segundo: Quando esse algo aparecer, não ache que está ruim demais porque tudo que é ruim pode piorar.

Eu estava saindo da escola, indo em direção ao estacionamento quando avisto um corpo alto e forte encostado no carro de Jaebum, seus cabelos eram loiros, não loiro tingido como o meu, o do Jackson e o do Bambam, era um loiro natural, um loiro escuro, um loiro que eu conhecia bem. Tento recuar o passo mas o loiro já havia me visto pelo vidro do carro, ele se vira em minha direção me encarando com os olhos azuis piscina que por um tempo eu fui tão apaixonado, aqueles olhos que poderiam enganar facilmente o que o coração do garoto trazia. Um sorriso nasce em seus lábios assim que me encara de cima a baixo, mas uma coisa havia diferente em seu olhar, aquele olhar que pra mim sempre emanou tristeza, tortura e desejo, hoje exalava a fúria e a raiva e o seu sorriso, antes era de malicia, agora era de vingança.

"Ora, ora. Quem temos aqui?" Sua voz grossa é audível e seu tom sarcastimo eminente.

"Patrick..." Sussurro com a voz cortada sentindo todo o nervosismo e o medo me atingirem de uma única vez.

"Você achava mesmo que eu nunca te encontraria, Mark? Achava que eu seria o genro perfeito sempre para os seus pais? Devo dizer que sua mãe realmente te ama muito, ao ponto de quase perder a própria vida para não dizer onde você estava... Pena que seu pai ama bastante ela e fez o que eu esperava." Sinto meus olhos encherem de lágrimas só de pensar no que ele havia feito aos meus pais.

"O que você fez com eles?" falo dando um passo a frente ganhando apenas mais um riso de seu rosto.

"Estão vivos. Isso que importa." ele diz e minha vontade é de ir para cima dele e o esmurrar até que o mesmo perdesse a consciência. Mas isso nunca aconteceria. Patrick era forte, tinha o vício de passar duas horas na academia todos os dias, não seria eu a ganhar essa luta.

"Sai daqui. Eu  não te amo mais, eu não quero nada com você, Patrick. Acabou há muito tempo." O loiro semicerra seus olhos ao me encarar e nega freneticamente com a cabeça.

"Está tudo bem, Mark?" Ouço uma voz grossa bem atrás de mim fazendo com que meus pensamentos se confundissem ao extremo, viro-me em direção a Jackson que encara Patrick com curiosidade e me lança um olhar de dúvidas. "Não te conheço. O que quer aqui?" ele indaga.

"Por acaso você deveria conhecer todos os habitantes dessa escola?" Patrick pergunta com ironia. Não gosto nada do tom deles dois, Jackson é um cara muito explosivo e pelo outro lado Patrick é muito sarcástico e irônico e provoca a raiva de qualquer um.

"Deveria já que o meu pai-" levo minhas mãos a boca de Jackson fazendo com que o mesmo permanecesse calado, nego com a cabeça o olhando no fundo dos seus olhos e ele parece relaxar o corpo diferente de mim que fico mais nervoso esperando alguma reação equivocada de Patrick. "Mark, poderíamos conversar um minuto?" Jackson pergunta com os olhos irados. Assinto com a cabeça e o sigo até dois carros de distancia de Patrick. "Quem é esse?" ele sussurra com um tom estressado.

"O Patrick." Sussurro desviando meus olhos para o chão. "Jackson ele fez alguma coisa com os meus pais e eu só quero que ele saia daqui. Me faz um único favor..." peço em um tom de súplica, mas o garoto parece tão ocupado em observar o ex de quem eu tinha falado para ele que eu não sei se o mesmo escutou o meu pedido.

"O que? Quer que eu faça o que?" ele pergunta voltando a lançar um olhar pra mim. "Eu posso te beijar agora e ele iria pensar que te perdeu e ia embora." ele fala com a maior naturalidade.

"Não" nego com a cabeça "Ele tem ciúmes de tudo, ele chegou a bater em um garoto que eu era amigo na minha outra escola. Finge ser o Jaebum... Ele não tinha ciúmes dele, dizia que o Jaebum estava muito longe pra o ameaçar." falo em um sussurro quase inaudível. Minhas mãos tremiam e eu sentia todo o meu corpo suar frio, Jackson havia percebido e parecia controlar o impulso de me tocar.

"Eu não me pareço em nada com o Jaebum." Jackson fala e eu assinto.

"Eu sei, mas ele só viu uma foto do Jaebum comigo, quando tínhamos oito anos. Ele não vai estranhar." digo e o loiro assente, passando por mim e caminhando de volta até onde Patrick estava.

"Pensei que não viriam mais." Patrick reclama.

"Então, a gente ta indo nessa. Foi bom te conhecer Patrick." Jackson fala seguindo em frente, sigo ele, mas ao tentar passar por Patrick esse coloca o braço malhado na frente de Jackson e nega com a cabeça.

"Quem é  você? Mark não anda com qualquer pessoa, ele só anda comigo." Engulo em seco, mas Jackson se vira para ficar de frente com Patrick me fazendo perceber que os dois tinham o mesmo estilo corporal e eu  não seria capaz de apostar em quem ganharia em uma luta.

"Jaebum, amigo do Mark. Temos que estudar para uma prova de matemática que haverá amanhã. Se me da licença." Jackson retira o braço de Patrick de sua frente e puxa o meu para que eu passasse pelo americano também.

"Vou te esperar amanhã, em um café que fica ao lado de uma biblioteca próximo a um parque no centro da cidade. Espero que compareça. Não esqueça que quem está vivo pode morrer. E eu não gostaria nem um pouco de estragar aquele cabelo loiro lindo da sua mãe com sangue depois de atirar na testa dela." ele fala me fazendo parar imediatamente. Jackson percebe pois volta a me puxar e praticamente me coloca no banco no carro e entra logo depois dando partida em seu carro. 

Eu não era capaz de calcular a velocidade que as lágrimas caiam dos meus olhos, eram rápidas e impossível de controlar. Jackson havia ligado para o seu pai mandar os seguranças verificarem se havia alguém diferente no estacionamento e o senhor tinha se responsabilizado de fazê-lo. O garoto ao meu lado me encarava com os olhos preocupados, mas não se atrevia a falar nada. Nem mesmo quando parou o carro em frente a casa de Jaebum e desceu do carro indo até a porta do meu lado e abrindo para mim. Ele me ajudou a descer e fechou a porta logo depois.

Eu não era capaz de demonstrar surpresa quando Jackson me abraçou e apoiou meu rosto em seu peito, isso me fez chorar mais, mas por um lado conseguiu me transmitir uma certa proteção. Ficamos assim por alguns minutos até que eu parasse de soluçar. As lágrimas estavam controladas, mas minha mente não. Jackson se afastou um pouco ergueu meu rosto com seu dedo, aproximou seu rosto do meu e selou meus lábios por alguns instantes.

"Eu vou com você amanhã." ele sussurra encarando meus olhos com o rosto próximo ao meu. "Eu não vou deixar tudo se repetir. Você não merece isso." ele passa seus dedos pelos meus cabelos com calma "Me espera amanhã, ok?" assinto com a cabeça e logo o maior volta a selar seus lábios nos meus.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...