História Total Mess - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Tzuyu
Tags 2yeon, Dubchaeng, Jeonghyo, Ji2yeon, Michaeng, Mimo, Nahyo, saida, Satzu
Visualizações 109
Palavras 2.547
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


depois de dizer que eu ia tentar não demorar, aí que eu demoro mil anos mesmo. Enfim voltando da aposentadoria rs

Capítulo 7 - Chapter Seven


Uma semana depois...

 

CHAEYOUNG POV

Não tá sendo nada fácil viver em uma casa sem a nossa cozinheira, nunca tem um café da manhã preparado e como se não bastasse eu ter acordado em cima da hora, ainda tenho que ir de bicicleta e sem companhia pra escola, porque é claro que eu não vou aceitar carona de unnie nenhuma, não quero parecer uma aproveitadora como outras pessoas.

Eu preciso acordar mais cedo pra fazer meu café da manhã antes de vir pra escola, eu tô faminta e nem posso contar pra Tzuyu porque não quero parecer miserável, sigo firme me aguentando até chegar em casa.

 

O recreio tava maravilhoso até eu avistar uma pessoa vindo em nossa direção.

Kim Dahyun, a interesseira que eu não respeito.

Mas por que quando eu olho pra ela começo a ver tudo em câmera lenta?

Olha como ela anda radiante, feliz com o mesmo sorriso lindo de sempre e sem nenhuma culpa ou preocupação aparente enquanto eu sou a trouxa chateada com tudo. Grrr

Tá feliz por quê, palhaça?

 

Eu e Tzuyu estamos sentadas em um banco e ela continua em nossa direção.

 

— Oi, Tzuyu... E Chaeyoung – Ela diz sorrindo para nós.

 

— Olá, Dahyun. – Tzuyu responde sem nem ao menos olhar para a mais velha, com certeza tá olhando pra coisa melhor.

 

— Oi, desconhecida. – Eu digo com ironia. 

 

— Até quando vai me tratar assim? 

 

— Eu não sei do que está falando. – eu ignoro a pergunta. — Mas como conseguiu chegar depois de mim se saiu primeiro?

 

— A Sana e eu fomos tomar café da manhã e depois ela me trouxe. – e eu nem sei por que eu ainda pergunto.

 

— Err Chaeyoung, eu vou ali conversar com uma amiga rapidinho. – essa Yoda sempre quer pular fora quando a Dahyun está por perto, grande amiga grrr.

 

— Que amiga, Yoda? Aquela ali? A Elkie? Gostosinha ela, hein!? – eu não podia perder a chance de provocar. Ela não me responde e se retira.

 

— Nossa! Chaeyoung, eu nunca ouvi você chamar alguém de "gostosinha". – Dahyun franziu o cenho e fazia sinal de aspas com as mãos.

 

— É que agora eu sou assim. – falo dando de ombros.

 

— Entendi. – ela senta do meu lado.

 

— E aí? Já contou pra todo mundo que tá namorando alguém do ensino superior? – só agora percebi que ela tem um pacote de chocopie na mão e com isso meu estômago ronca tão alto que aposto que dava para ouvir do Japão. Eu queria parecer séria e sarcástica mas minha cara de trouxa estragou tudo.

 

— Não contei, Chaeyoung. – ela tá rindo da minha cara e eu quero sair daqui. — Toma. – ela estende a mão com o pacote pra mim e eu encaro com hesitação em aceitar. — É pra você. Eu ouvi seu estômago roncando. – se ela pensa que pode comprar minha amizade com isso… ela tá certa. Eu aceito, abro e como um timidamente.

 

 

 

==== / / ====

 

 

JIHYO POV

Como já era de se esperar, não é fácil fazer a Nayeon entregar o paradeiro da Jeongyeon.

Já faz uma semana e ela não abre a boca nem sob ameaças mas tudo bem, existem outros meios de conseguir isso e...

Meus pensamentos são interrompidos pelo meu celular que começa a tocar e pra minha alegria é o meu querido pai que há dois dias não atende e nem retorna minhas ligações.

 

— Até que enfim apareceu! 

 

— Oi, meu bebê. 

 

— Oi nada, quero dinheiro!

 

— Awn eu também estava com saudades de você.

 

— Aonde você tá, meu filho? Já te liguei tanto. Preciso de dinheiro!

 

— Estou em viagem de negócios aqui no Japão.

 

— Tá. Qual é o nome do negócio?

 

— Adivinha? Começa com Minatozaki.

 

— Meu Deus do céu! Você tá aí de namorico com o pai da Sana? 

 

— Estou sim.

 

— Mico! E o Hyunsuk?

 

— Nós brigamos, ele não sabe e não se atreva a contar isso pra filha dele, ele pensa que estou trabalhando. 

 

— Pode deixar, eu não ouvi nadinha disso.

 

— Muito bem.

 

— Mas vem cá, o pinto de japonês não é pequeno?

 

— Vai cuidar das suas xanas!

 

— Não tenho mais nenhuma, a Jeongyeon foi embora, Nayeon e eu não estamos muito bem e eu preciso de dinheiro.

 

— O que aconteceu com suas namoradas?

 

— Pai, eu não quero falar sobre isso, só me dê o dinheiro que preciso.

 

— Okay e de quanto você precisa?

 

 

 

==== / / ====

 

 

 

CHAEYOUNG POV

De boas voltando pra casa com meu digno meio de transporte não motorizado.

Pelo menos uma coisa aqui é digna, né? Porque a minha dignidade eu comecei a jogar fora quando enchi a cara e o resto acabou hoje quando aceitei comer algo que com certeza foi a Sana que comprou, mas isso eu ignoro porque vale mais o fato de eu ter matado a fome.

 

Santo Cristo! Mas que maravilha é essa parada na calçada? Será que eu errei de casa?

Não, é essa mesmo.

Mas quem será que comprou? Será que é alguma visita?

Nossa! Isso com certeza é mais caro que o país inteiro, com o dinheiro desse carro dá pra comprar um navio porta-aviões cheios de Evoque roxo da maluca da Sana. Uau!

Só pode ser da Jihyo unnie porque se tem alguém nessa casa que poderia ter um carro desse, com certeza é ela.

 

Passo pelo portão e estaciono minha linda e digna bicicleta na garagem e entro em casa, assim que entro vejo Jihyo na sala em pé olhando para mim como se já me esperasse. Hum, muito suspeito.

 

— Unnie, tem um carro diferente estacionado na nossa calçada. É seu?

 

— Um carro diferente? – ela olha pela janela. — Não é meu e eu nunca vi o antes.– termina a frase e em um movimento rápido joga uma chave no chão perto do meu pé. — Mas... opa! Tem uma chave perdida aqui no chão e não é minha. Por que você não pega e vai lá ver se destrava a porta?

 

Não sei se eu entendi muito bem o que ela tá insinuando mas eu já tô tremendo. Ela tá me dando uma fucking máquina de correr? Oi?

 

Limpo minha garganta antes de dizer alguma coisa.

 

— Unnie, você não está me dando esse carro, né?

 

— Chaeyoung, que isso? eu faria uma coisa dessa? Claro que sim. Pega logo a chave, você precisa aprender a dirigir seu carro. – ela diz com um sorriso enorme e eu simplesmente vejo minha alma sair do meu corpo e ir embora.

 

— C-como a-assim? 

 

— Não quer dirigir? Vem, você precisa ouvir o ronco do motor. – Jihyo pega a chave no chão e depois me puxa pelo braço.

 

 

==== / / ====

 

 

~ Depois de horas de aula de direção ~

 

— Unnie, eu não sei como agradecer um presente desse, nem é meu aniversário nem nada, não tinha motivo pra me dar um carro. – eu falo sem jeito.

 

— Eu não gosto de te ver triste pela casa, eu só quero te deixar mais feliz e com um carro você pode passear com alguém. – ela bagunça meu cabelo e pisca pra mim.

 

— Me sinto uma idiota, vai parecer que é pra chamar a atenção de você sabe quem.

 

— Não pensa nisso, apenas aproveite seu novo brinquedo. A Dahyun não é o centro do mundo, relaxa e vê se você se diverte um pouco. 

 

— Obrigada, unnie.

 

— Mas olha. – ela me aponta o dedo em ameaça, isso me assusta. – Sem bebidas, okay? Você já sabe que tá proibida. – ela completa e eu respiro aliviada que seja só isso.

 

— Pode deixar, não beberei nunquinha.

 

 

CHAEYOUNG POV OFF

 

 

 

 

 

Dentro de casa, Mina observava atenta pela janela o carro que acaba de estacionar e nem percebe Momo se aproximar lentamente por trás.

 

— O que você tá espreitando pela janela, hein? – Momo sussurra perto do ouvido da outra que dá um pulo de susto.

 

— Sai da minha vida, assombração! 

 

— Por que tão rude, Myoui? Só fiz uma pergunta. – Momo finge limpar lágrima.

 

— Para de show e olha isso, pisou na sua pink Lamborghini. – Mina aponta para o carro vermelho do lado de fora.

 

— Quê? Deixa eu ver. Pode pisar na sua carroça da BMW, só se for. Aquela é uma Ferrari 458 Spider, a minha Aventador custa o dobro do preço. – a loira não perde a chance de se gabar.

 

— Você é tão humilde, Momo, não me admira nada eu já ter gostado de você um dia. – Mina revira os olhos e sai de perto de Momo.

 

— Eu sei que ainda gosta. – Momo diz seguindo a outra japonesa.

 

 

 

JIHYO POV

Tento passar pela sala fingindo não notar a presença da Nayeon no sofá, até ela chamar a atenção assobiando.

 

— Oi, Nayeon, nem te vi. – digo fingindo surpresa.

 

— Como você dá um carro daquele pra Chaeyoung? É praticamente uma arma pra ela se matar.

 

— Para de ser estraga prazeres. – reviro os olhos.

 

— E o caixão? Vai ser caríssimo também? O número um da funerária, sem dúvidas. 

 

— Desde quando você passou a ser tão responsável? – eu cruzo os braços.

 

— Eu me preocupo com a Chaeyoung. 

 

— Eu ensinei bem, não se preocupe.

 

— Vai carregar ela nas costas agora? Você sabe que ela não tem dinheiro nem pra gasolina.

 

— Vou! E daí?

 

— Desde que ela perdeu a Dahyun, você quer ser a nova melhor amiga, né? 

 

— Tá com ciúme? – eu levanto uma sobrancelha e ela dá um sorriso evidentemente falso.

 

— Eu não vou nem responder esse absurdo porque eu preciso sair.

 

— E vai visitar a Jeongyeon? Já que é a única que sabe onde ela está. – eu tenho vontade de esganar a Nayeon toda vez que lembro disso mas não posso fazer nada além de bancar a boa moça até conseguir arrancar isso dela.

 

— Eu estou respeitando a vontade dela de não querer falar comigo.

 

— Estou impressionada com seu respeito.

 

— Pois é, eu vou sair é com a Jennie. – ela diz sorrindo largamente. Eu retiro o que eu acabei de dizer.

 

— Quê? A Jisoo sabe?

 

— Vish! Eu não perguntei se ela sabe. – ela debocha.

 

— Cuidado com isso de sair com pessoas que já tem namorada. 

 

— Relaxa, eu estou acostumada com namoro em trio. – ela pisca pra mim e eu devolvo uma cara de nojo. — Mas tá com ciúme de mim ou tá preocupada que a sua irmãzinha possa ser traída?

 

— Cala a boca. Tchau! – dou as costas e vou para o meu quarto.

 

 

Eu quero entender como aquela maluca vai sair com a Jennie.

Só pode ser pra entornar uma garrafa de Hennessey e galinhar, mas deixa só eu fazer uma ligação.

Me jogo na cama, pego meu celular e começo a procurar o contato da Jisoo, a quem eu chamo de irmã por ser filha do marido do meu pai, marido esse que ele tá traindo agora mas ninguém sabe além de mim.

Eu aperto pra chamar e no segundo toque ela me atende.

 

— Olá, quais são as novidades? – ela atende.

 

— Talvez eu tenha alguma novidade. Tá deixando a Jennie sair sem você?

 

— Quê? Não tô sabendo, a gente teve uma pequena briga. Mas como você sabe disso?

 

— Porque é a Nayeon que tá arrastando ela.

 

— E você tá deixando?

 

— Ela é praticamente solteira agora.

 

— O que aconteceu? – é, ela não sabe, eu evito espalhar o mico.

 

— Ah… bobagens. – digo sem jeito.

 

— Entendo... mas eu vou ver isso direito e depois eu te conto, tá? Bye bye.

 

— Bye.

Eu desligo e largo meu celular do meu lado na cama.

 

 

CHAEYOUNG POV

Nada melhor do que finalmente deitar na cama após esse dia agitado, estou mais relaxada depois desse hino de banho e claro vou agora estudar para meus testes e provas, porque aqui morando de favor, ganhando carro e sendo trouxa, que dignidade eu vou conseguir recuperar se eu nem me formar na escola? O melhor a se fazer é manter o foco totalmente nos estudos e...

 

Ah não!

 

Vejo a minha ex melhor amiga que agora é só um pouco amiga, entrando no quarto e indo direto mexer na parte dela do guarda-roupa.

Só pode tá tramando alguma coisa, mas não me interessa, tenho coisa melhor pra fazer.

 

Peraí o que ela tá fazendo? Não, não, não...

 

 

Sem chance!

 

 

 

— Não se atreva a trocar de roupa na minha frente! - falo alto e bato o livro forte para fazer barulho, ela olha pra mim.

 

— Não é a primeira vez, Chaeng. – Ela sorri levemente e tira a calça.

 

— Vá para o banheiro. – sento na cama e aponto para a porta à nossa frente.

 

— Eu vou trocar aqui mesmo, você que se retire se está incomodada. – ela rapidamente veste um short.

 

— Eu não vou sair.

 

— Pois então... 

 

Ela tira a blusa, em seguida o sutiã e o joga em cima da cama dela. SOCORRO MEU DEUS!!! O meu rosto tá queimando um pouco mas eu espero não estar vermelha como um tomate.

Tento controlar minha respiração e continuo olhando aquela cena.

Ela só coloca uma blusa e parecia estar pronta pra sair.

 

Até parece!

 

Pulo da minha cama e corro pra porta a impedindo de passar.

 

 

— Aonde pensa que vai? 

 

— Vou dormir em outro quarto.

 

— Com a Sana? Pra quê? Sua cama tá aqui – tranco a porta. Mas ela não vai mesmo!

 

— Ela é minha namorada e você não manda em mim. Me dá a chave! – ela tenta roubar a chave de mim mas eu travei bem minha mão e ela não é mais forte que eu pra me tomar.

 

— Você tem que estudar, se você for mal em alguma prova, eu vou contar pra sua mãe. – com essa frase ela congela com o olhar fixo em mim. Não dá tempo de dizer nada porque ouvimos alguém bater na porta.

 

— Dahyun? Cadê você? – é a voz da Sana. Droga!

 

— Nós estamos estudando. – eu tapo a boca da Dahyun e respondo no lugar dela.

 

— E por que a porta tá trancada? Dahyun, abre a porta! 

 

Dahyun faz sinais pra eu destrancar a porta e com a mesma mão que eu seguro a chave, eu aponto pra o sutiã que estava em cima da cama indicando pra ela o vestir, ela me entendeu e rapidamente obedeceu.

Assim que ela estava decente, eu destranquei a porta.

 

— Você não vem dormir comigo? – Sana pergunta fazendo biquinho pra Dahyun e eu tenho que me segurar pra não vomitar. Dormir? Aham, sei.

 

— Eu lembrei que tenho que estudar, então eu vou ficar aqui, deixa pra outro dia. – a Dahyun despacha a Sana e eu posso comemorar por dentro.

 

Finalmente posso voltar a estudar e fazer a cabeça oca da Dahyun estudar também.

 

Depois de 30 minutos de pura cara no livro...

 

— Chae... – ouço ela me chamar em um tom bem baixo.

 

— Oi?

 

— Tenho uma dúvida.

 

— Pode falar.

 

— É nessa questão aqui do livro,  que diz que no momento em que eu tirei o sutiã... Era gostosinha ooooou...

 

— Cala a boca, por favor! – Não deixo nem ela completar, o que ela tá pensando? Quase eu tenho um avc bem aqui, só me faltava essa. Tô tentando estudar dignamente e vem me perguntar um absurdo desse. — Eu não vi nada, não veria nem se estivesse usando uma lupa! – completo.

 

— Tá bom, desculpa. – sinto que ela respondeu sem graça e volta a se concentrar no livro, se está estudando ou não eu não sei mas que pelo menos não volte a falar comigo porque senão quem vai tirar notas ruins sou eu. Aquela cena de mais cedo não sai da minha cabeça. Que merda!

 

É hoje que eu não durmo...


Notas Finais


call me pretty and nasty


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...