História Touch It | chansoo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O
Tags Chanyeol!bottom, Exo, Gay, Sexo
Visualizações 226
Palavras 3.397
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Se tiver erros me avisem por favor, não revisei!

Boa leitura bebês

Capítulo 1 - Show ya, babe


Querido garoto você está na minha mente e em minhas fantasias

Ninguém se compara a você 

Te vejo nos meus sonhos 

¥¥

Chanyeol respirou fundo, estava profundamente irritado naquele momento, veja bem, faltava apenas quinze minutos para a aula de química acabar e ele estava ao lado de sua dupla, o (não) tão querido Oh SeHun, e as coisas não poderiam estar PIORES!

Tudo começou quando no dia anterior, este ser humano ao lado do ruivo soltou a seguinte bomba: "eu gosto de ti, tu gosta de mim?" e o Park, a inteligência em pessoa, respondeu um belíssimo "não, desculpa!", e agora, o mais novo não estava falando consigo, quando chegou na aula e disse o habitual "oi Hunnie!", foi totalmente ignorado. 

Pra merda toda piorar seu melhor amigo não respondia suas mensagens indignadas, afinal o que o Do estava fazendo que era mais importante que dar atenção ao ruivo? Quer dizer, ele achava que estava entre as prioridades do menor, só achava mesmo, e se estivesse em uma situação pior? E se ao invés de Sehun o estar ignorando... estivesse vomitando sangue? Ou quebrado uma perna?! Um tremendo sem consideração, isso que Kyungsoo era, provavelmente estava babando enquanto dormia em cima de uma apostila qual numa aula tão entediante quanto a que estava tendo agora. 

Quando o sino tocou deu graças a Deus mesmo sendo ateu, ele costumava ser aquele tipo de pessoa que permanece sentado vendo todos os seus colegas saírem correndo como uma manada de búfalos enquanto permanecia com a postura elegante lhes chamando mentalmente de tolos, não sabia pra que aquele desespero todo pra ir embora rápido se no dia seguinte voltariam e fariam as mesmas coisas, mas naquele dia ele se tornou o que jurou destruir, saiu como um louco fugindo do hospício para fora daquela tensão que o Oh emanava, tudo que Chanyeol precisava agora era de um abraço bem apertado e um beijo gostoso de Do, os garotos meio que mantinham uma "amizade com benefícios", começou quando tinham dezesseis anos e se estendia até agora que estavam com os dezenove, o mais velho sempre lhe esperava no portão para irem juntos para casa de algum dos dois, geralmente do próprio moreno já que morava apenas com a mãe e esta trabalhava em tempo integral. 

Porém seus planos foram barrados bruscamente quando alguém o puxou pelo braço e agarrou sua cintura, nem precisou se virar pra trás pra saber quem era, mas fez da mesma forma para poder lhe empurrar, este que sorriu largamente, só havia duas certezas na vida, uma é que os cristãos sempre julgam os outros por pecar mas pecam também, e a outra é que: Byun BaekHyun era um embuste de marca maior, pense em uma gay poc chata, pois era ele. 

— O que você quer? - perguntou ríspido, o corredor já se encontrava um pouco mais vazio. 

— Só vim te chamar pra sair Channie. - fez um biquinho fingindo estar magoado, mesmo sendo irritante Park nunca poderia negar que Baekhyun era um viado bonito, e muito bonito. 

— Por que sairia com você se tenho meu Soo? - devolveu a pergunta sorrindo cínico. 

— Ah é verdade! Você está certo... - o loiro crispou os lábios e quando Chanyeol pensou em se virar pra ir o mesmo voltou a falar. — Por enquanto você ainda tem "o seu Soo". - ajeitou a mochila nas costas pronto pra ir embora. 

— Hey volta aqui! - Park o puxou pelo pulso. — O que quis dizer com "por enquanto"? - perguntou jogando o mais baixo contra os armários. 

— Não sei se devo te contar... 

— Por favor BaekHyun, para de fazer a bixa sonsa porque você só veio aqui pra isso, ande, fale logo! - estralou os dedos apressando o Byun que riu. 

— Está curioso agora Chan? Só digo por um beijo. - proferiu abrindo um sorriso ladino. 

— Perdi a vontade de saber. - quando tentou se virar pra ir embora o menor o puxou. 

— Que sem graça você Chan, vou te contar pela nossa amizade. - o ruivo quis rir por aquela frase, a relação deles não podia nem ser chamada de "coleguismo", quem dirá amizade. — Eu vi o Soo e a Hana conversando hoje na última aula, estavam super íntimos até cochichando no ouvido um do outro. - BaekHyun confidenciou. 

Chanyeol parou por um momento, ponderando a informação, Kim Hana era uma garota que ele abominava, no seu primeiro dia de aula ela praticara bullying com o altão, derrubando seus materiais no chão e colando um papel em sua testa escrito "poste", ninguém o defendeu exceto o próprio Kyungsoo, foi assim que se tornaram amigos, e o moreno sabia o quanto ele era rancoroso e nunca falava com a garota a pedido do mesmo, por que faria isso agora? No entanto, o Byun não era de mentir, sempre foi direto e sincero consigo. 

— Isso é sério? - arqueou uma sobrancelha, desconfiado. 

— Já menti pra você? - perguntou de volta. 

Sem ter mais o que falar Chanyeol saiu dando as costas, já não tinha mais nenhum aluno nas instalações do colégio, sua cabeça estava a mil enquanto caminhava em direção a sua casa que não era muito longe, Park na realidade não sabia o que era aquele gosto amargo na boca ao saber que Kyungsoo havia interagido com a garota que mais odiava, os dois eram só amigos coloridos, nada impedia nenhum dos dois de se relacionar com outras pessoas, ele repetia isso na sua cabeça o tempo todo mas mesmo assim, aquela "coisa" continuava o deixando incomodado quando soube dos dois juntos através de BaekHyun. 

Era... ciúmes? Não! Mas é claro que não, o problema estava na falta de caráter da garota, sim, este era o problema, apenas este, ela havia humilhado o garoto tempo atrás, naturalmente guardava mágoas, e seu melhor amigo estar próximo dela, logo o SEU melhor amigo?! Era absurdo, mas no fundo o ruivo sabia que não era só isso, tinha algo mais, aquele aperto no peito não era só a mágoa pelo bullying, porém o altão não queria admitir isso para si mesmo nem pra ninguém, seu celular vibrou no bolso o tirando de seus pensamentos, mas era justamente o dono deles que havia lhe mandado mensagem. 

Soo hyung: Oi Yeol, desculpa a demora pra responder 

Soo hyung: o que eu estava fazendo era realmente importante 

Chanyeol bufou, então aquela garota era mais importante que si? Okay, tudo bem Do Kyungsoo, "topper"! 

Chanyeol: Tá 

Respostas monossilábicas e seus maravilhosos poderes, decidido a esquecer aquele incomodo o ruivo parou em frente a farmácia na rua ao lado da de sua casa, encarou as tintas de cabelos de variadas cores na vitrine e tocou seus fios desbotados, por que não? 

*** 

O Park estava em casa, mais especificamente em cima da pia do banheiro de seu quarto, as mãos com luvas de plásticos enquanto com o auxílio de um pincel pintava mecha por mecha de seu cabelo descolorido com a tinta rosa que havia comprado, foi um procedimento longo mas o garoto se preocupava muito com seu couro cabeludo então fez tudo que mandava nas instruções e viu alguns tutoriais no YouTube, normalmente chamava Kyungsoo para ajudá- lo nesse tipo de coisa, mas o mais velho provavelmente estava fazendo algo importante e não seria Chanyeol a atrapalhá- lo. 

Depois de tingir todo o cabelo de rosa com mechas azuis e roxas ele aguardou todo o tempo que mandava nas instruções, após os minutos passarem foi para o chuveiro e tirou todo o produto, lavou várias vezes e hidratou com bastante cuidado e calma, deixando o creme hidratante por alguns minutos também, e finalmente lavando seu corpo, espalhou o sabonete por cada parte da pele pálida que se encontrava corada pela água quente, enfim terminando e saindo do banheiro com uma toalha em seus cabelos e outra amarrada na cintura. 

Chanyeol se secou e vestiu uma boxer e camisa do Deadpool, tirou a toalha dos cabelos e alcançou um secador para analisar o resultado, parecia algodão doce molhado, mas o agora rosado achou que ficou bonito, ligou o secador na tomada começando a tirar o excesso de água dos fios rosas. 

A máquina fazia um barulho alto por todo quarto e Park não ouvia nada do que acontecia do lado de fora do cômodo, mas não tinha problema, estava sozinho afinal, sua irmã Yoora havia ido passar o fim de semana com o namorado e seus pais estavam em uma viagem de negócios, ninguém mais iria ali então não tinha com o que se preocupar. 

Ledo engano. 

Devido ao barulho do secador, o garoto não ouviu o som da campainha ou quando abriram a porta da casa, os passos subindo as escadas e as batidas na porta do seu quarto, estava quase terminando de secar todo seu cabelo, sorriu para o reflexo no espelho satisfeito com o que via e só notou a segunda presença no ambiente quando um suspiro surpreso ecoou pelo local. 

— S- Soo..? - toda a confiança que sentia em relação a nova cor de cabelo se esvaiu ao ter o melhor amigo lhe encarando tão intensamente. 

O moreno nada respondeu, apenas foi dando passos para frente, se aproximando lentamente do mais alto até estar próximo o suficiente para envolver sua cintura o trazendo para perto. 

— Você está... - aspirou o cheiro que o pescoço alvo exalava, arrepiando os pelos da nuca de Chanyeol. — Você está lindo Yeolie. - prendeu o maxilar do mais novo com os dentes. 

O Park não reagiu, estava aliviado pelo mais velho ter gostado e confuso em relação ao que fazer, ainda estava irritado pela informação que o Byun lhe passou mas por outro lado era o Do ali, e ele desejou o moreno por tantas vezes naquele dia, não queria reclamar, brigar ou discutir, só queria beijar aqueles lábios grossos em forma de coração. O mesmo pareceu ler seus pensamentos quando subiu do maxilar para a boca rosada e chamativa bastou uma troca de olhares para se beijarem, a língua do mais velho invadiu a boca de Chanyeol, levar as mãos para os fios negros e sedosos os puxando com vontade foi puro instinto, não importava quantas vezes se beijassem ia sempre ser como na primeira vez, respiração descompassada, uma bagunça de gemidos baixos, línguas se enroscando e dentes se esbarrando deliciosamente.  

Kyungsoo desceu as mãos pelas coxas do mais alto, dando impulso para que este contornasse seu quadril com as longas e magras pernas pálidas, o moreno foi cambaleando para a cama do amigo se jogando no colchão macio, separaram os lábios para se olhar, as orbes negras de Do sempre fariam o maior se arrepiar, o moreno subiu a camisa a tirando deixando o torso exposto, não era muito malhado mas era obviamente forte, e a pele levemente bronzeada o deixava ainda mais sexy, Do levou a mão para a barra da camisa do mais novo rindo da estampa, Chanyeol era tão infantil as vezes... ergueu a mesma se livrando da peça o deixando coberto apenas com o tecido da boxer. 

— Por que me respondeu tão friamente? - Kyungsoo perguntou passando a mão pela ereção já marcada na cueca, esta que estava manchada com líquido pré seminal. 

O Park não respondeu, em vez disso inverteu as posições ficando por cima do Do e desafivelando seu cinto de couro negro, conhecia bem aquele acessório, já havia apanhado dele e a esperiência havia sido muito boa, deslizou o jeans preto pelas coxas grossas do amigo observando o membro duro e grande sendo apertado pela boxer, arrancou o tecido do corpo do mais baixo e salivou quando o pênis cheio de veias saltou para fora, aproximou o rosto da região tendo plena consciência que cada movimento seu era observado, lambeu o falo, descendo o músculo úmido por toda a extensão a fim de espalhar o pré gozo e a saliva, Kyungsoo levou as mãos até os fios rosados empurrando- o para mais perto, num pedido mudo para ser chupado logo. 

O mais novo riu, abocanhando só a cabecinha e avançando lentamente, relaxando a garganta e sugando pouco a pouco, quando sentiu a glande tocar o fundo da sua cavidade bucal, começando um vai e vem rápido, sua cabeça subia e descia no pênis do moreno que soltava gemidos graves sem pudor algum, a respiração desregulada de Chanyeol indo contra sua virilha fazia os olhos do mesmo revirarem de prazer, Do estava tentando se controlar e não encher a boca do maior com a sua porra mas as coisas começaram a se dificultar quando o colorido começou a soltar gemidos manhosos abafados pelo seu membro teso, o mais alto sentia prazer em satisfazer o moreno e isso lhe excitava ainda mais, principalmente quando notou que ele estava se masturbando também. 

Kyungsoo não se conteve e agarrou os fios de cabelo do mais novo movendo os quadris e investindo brutalmente contra sua boca que ao seu ver era deliciosa, estocando ali como se sua vida dependesse disso, a sanidade já havia se esvaído de seu ser e tudo que se passava em sua mente era "Chanyeol" e "gozar", se continuasse naquele ritmo não ia aguentar por muito tempo, o Park ergueu o olhar encarando o moreno e despudoradamente deslizou o membro deste para fora de sua boca num "poc" bastante pornográfico, para logo em seguida enfiá- lo na boca novamente e sugar com força fazendo pressão no interior de suas bochechas, nem quando o líquido visgozo invadiu sua boca Chanyeol parou, ele continuou aquele oral até Do estar totalmente sensível e molhado. 

Os espasmos dominavam o corpo do mais baixo que caiu na cama deitado de barriga pra cima, o pênis agora flácido e mole entre as pernas enquanto o Park subia em seu colo sem a boxer que antes usava, encaixando o membro molhado do menor entre suas nádegas, sorriu ao ver o estrago que havia feito no amigo, ele estava exausto, suado, corado e nu ali só para si. 

— Você já cansou de brincar Soo? - perguntou se inclinando para deixar um beijo no pescoço do moreno. — Eu estava sentindo sua falta, desculpe ter esgotado suas forças, mas eu queria muito sentir o seu gosto. 

— Eu também quero sentir o seu gosto Yeol. - a voz rouca soou cansada, mas o rosado sabia que o Do não acabaria com tudo por causa de um boquete, um longo e gostoso boquete. — Senta na minha boca. - pediu fazendo o altão arregalar os olhos, não esperava um pedido assim. 

Chanyeol ergueu o corpo até estar em cima do rosto do amante, e logo em seguida fez o que lhe fora pedido, sentou a entrada rosada na boca do menor que o segurou pelas coxas lambendo a cavidade fazendo o Park se contorcer e arfar, até simplesmente penetrá- lo com a língua a afundando e chupando ali, o mais novo poderia jurar ter visto estrelas, sentia suas pernas tremerem pelo músculo molhado e habilidoso que lhe tocava tão intimamente, Kyungsoo dominava totalmente o que acontecia, lambendo e sugando sentindo o pênis já começar a se excitar novamente. 

O suor escorria pela testa do maior quando foi jogado de volta na cama, o Do se levantou abrindo as pernas do mesmo com brutalidade e se pondo entre elas, o pré gozo já começava a vazar da fenda de seu membro quando se pôs a chupar os dedos, os lambrecando com saliva para logo em seguida guiá- los até a entrada já molhada do mais novo que gemeu ao ser invadido por dois dígitos e tê- los se movendo dentro de si, o tesourando e alargando. 

— S- Soo, a ca- camisinha tá na gav- veta. - gaguejou de forma patética, Kyungsoo nunca precisava de muito para desarmá- lo, ele sabia disso, e adorava. 

O moreno abriu a gaveta tirando de lá a embalagem de preservativo a aproximando da boca do maior que mordeu o canto puxando com os dentes e rasgando, Do masturbou seu pênis com agilidade encaixando o plástico ali, alcançando também um tubo de lubrificante já no fim pelas outras vezes em que visitou o amigo e espalhando o líquido por cima, agarrou Chanyeol pelas pernas as erguendo na altura de seus ombros e sem esperar mais o penetrando com força. 

Park gritou, a leve ardência costumeira acompanhada do prazer imenso que era ter o mais velho dentro de si tomando conta de seu corpo, se agarrou aos lençóis quando o mesmo começou a arremeter- se com firmeza e velocidade pra dentro de si, um vai e vem frenético que o enlouquecia, seu corpo balançava na cama e agora eram os seus olhos que reviravam pela intensidade das estocadas, suas pernas foram libertas e ele as enroscou no quadril do mais baixo procurando desesperadamente pelos lábios do mesmo para dar início a um beijo afoito e molhado com direito a estalos e língua pra fora da boca. 

— Vira. - Kyungsoo mandou saindo de dentro da entrada do de fios rosas que obedeceu ficando de quatro e empinando a bunda na direção deste, sentiu um tapa ser desferido em sua nádega esquerda antes de ser novamente invadido pelo mais velho, com movimentos mais brutos e fortes do que antes fazendo seus gemidos ficarem mais altos.

— Is- Isso Kyunggie! - arfou quando o menor acertou sua próstata e começou a surrar repetidamente aquele mesmo ponto fazendo Chanyeol ver estrelas. 

Totalmente ofegante e sem nem mesmo precisar se tocar o orgasmo atingiu o rosado em cheio, não teve mais forças para se manter na posição que estava relaxando seus braços e caindo de bruços no seu próprio sêmen enquanto Do continuava se movimentando dentro de si, em busca do próprio ápice, este que não demorou a vir no preservativo em jatos fortes, tamanha a intensidade do gozo que estourou o plástico da camisinha invadindo a entrada do mais alto também. 

Kyungsoo tirou o membro da cavidade do mais novo, observando o líquido esbranquiçado escorrer pelas coxas do mesmo, se livrou da camisinha furada e a jogou pelo chão do quarto ajudando o Park a se deitar confortavelmente no colchão e lhe abraçando, enterrando o rosto do maior em seu peitoral. 

— Ainda tá bravo comigo? - perguntou fazendo um carinho leve nos fios coloridos do mesmo que suspirou em aprovação. 

— Eu nã- 

— Não adianta dizer que não estava irritado, eu te conheço muito bem Yeolie. - cortou a fala do mais novo que bufou o fazendo rir, selou a testa do mesmo. 

— Eu gosto muito de ti hyung. - disse aleatório, não iria dizer o que BaekHyun havia lhe contado, o moreno já não simpatizava com o baixinho pelas cantadas e sorrisinhos que vivia mandando ao melhor amigo, não respeitando nenhum pouco a amizade - colorida deles e agora ficava fofocando sobre sua vida também? Ele iria surtar. 

— Eu também gosto de você. - a resposta veio depois de alguns segundos de silêncio que Chanyeol usou para pensar, aquele era o seu momento, talvez o único em que tivesse aquela coragem súbita, precisava ser agora. 

— Você não me entendeu. - coçou os olhos. — Eu entendi perfeitamente. - o tom de voz do Do se tornou mais sério ao que afastava um pouco a cabeça do moreno de seu peitoral para que conseguisse olhar em seus olhos. — Tem um tempo que quero te dizer isso, eu gosto de você, muito mais do que como amigo e eu quero evoluir isso que temos para um relacionamento sério mas não sabia como chegar em você pra falar, até pedi ajuda daquela garota que você odeia porque ela tá todo dia com um namorado diferente ma- 

— Espera, o que?! - arregalou os olhos com a última parte da confissão. — Pra quem você pediu ajuda??! 

— Aquela garota a Gana.. ou melhor, Vana... NÃO! Hana! Esse é o nome dela, mas ela não me deu nenhuma boa idéia. 

— Não precisa mais, eu retribuo seus sentimentos. - sorriu feliz pela notícia e aliviado por Kyungsoo não estar saindo com a garota. 

— Olha, essa não é a situação mais romântica de todas levando em consideração que estamos sujos de porra, mas... - o mais novo riu. — Quer namorar comigo? 

— Quero! - pulou em cima do agora namorado colando seus lábios.    


Notas Finais


Não acredito que demorei uma semana pra escrever isso bicho


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...