História Touch Me - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 558
Palavras 1.945
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Me desculpem! Era pra mim ter postado bem antes, bem mais cedo e tal , mais o meu teclado está de palhaçada com a minha cara :(

Capítulo 33 - A Criança cresceu mamãe!


Fanfic / Fanfiction Touch Me - Capítulo 33 - A Criança cresceu mamãe!

Quando paramos de nós beijar acariciei o seu rosto sutilmente e disse: -Me desculpe por ter batido em você.

 

Ele sorrio. –Tudo bem.

 

-GENTE TÁ TUDO BEM AI? Ouvi Kakashi nos perguntar através da porta.

 

-Está tudo bem pai, já já vamos descer. Disse Sasuke ao me olhar. –Acho melhor irmos explicar o que houve.

 

-E o melhor.... Disse isso ao sorrir.

 

Sasuke se afastou de mim e calmamente vestiu o resto de suas roupas, quando terminou pegou a chave, destrancou a porta, segurou em minha mão e então descemos. Assim que chegamos ao andar de baixo todos nos olharam quase de imediato.

 

-O que houve? Perguntou meu pai.

 

Eu e Sasuke nós olhamos e então eu levantei a mão para que todos vissem o anel, assim que viram eles gritaram quase de imediato, todos se levantaram para nos cumprimentar e Itachi disse que tínhamos logo que comemorar e de fato comemoramos muito, todos estavam felizes por nós, e confesso que pela primeira vez na vida senti que estava no lugar certo.

 

 

--

 

Sasuke pov’s

 

 

Acordei com a luz do sol batendo no meu rosto olhei para o lado e pude ver Sakura deitada ao meu lado, ela estava completamente nua, o seu corpo ficava ainda mais perfeito sobre a luz do sol. Me sentei sobre a cama e quando vi o anel em seu dedo um sorriso apareceu em meus lábios.

 

-Agora sim posso dizer que você e completamente minha. Sussurrei isso enquanto a olhava.

 

Estiquei o braço e puxei as cortinas pois sabia que logo o sol ficaria forte demais para ela, em seguida voltei a olha-la. Se alguém me dissesse a um tempo atrás que tudo isso aconteceria eu juro que o chamaria de louco. Passei as mãos sobre os cabelos para joga-los para trás e  em seguida me levantei da cama, eu estava apenas de cueca então decidi vestir uma bermuda.

 

-Onde vai? Perguntou Sakura ainda sonolenta.

 

-Beber agua, você quer?

 

-Não.

 

Dei um breve sorriso e em seguida sai do quarto. Desci as escadas e fui para cozinha sem fazer o menor barulho porque eu não queria acordar os outros, quando cheguei a cozinha abri a geladeira peguei uma garrafa de agua, abri a mesma e bebi um pouco de agua enquanto fechava a porta novamente. Assim que olhei pela janela pude ver Itachi no quintal, ele estava sentado em uma dessas cadeiras de praia,  estava sozinho, olhando para o nada, fechei a garrafa que estava em minhas mãos, abri a porta e fui até onde ele estava, calmamente me sentei na cadeira de praia que estava ao lado da qual ele estava sentado.

 

-Iai, como se sente? Perguntou ele.

 

-Bem, muito bem e como você se sente?

 

Quando lhe perguntei isso ele me olhou quase de imediato.

 

-Me sinto bem.

 

-Obrigado por ter me dado aquele anel.

 

-Aquele anel era da minha mulher.

 

Quando ele disse isso meu coração disparou.

 

-Não deveria ter me....

 

-Calado garoto! Ver Sakura com aquele anel fez com que eu me senti bem, eu preciso esquecer o que houve e seguir em frente.

 

-Itachi.

 

-Quando vi você e Sakura juntos, vi a alegria de vocês quando desceram e contaram para todos que estavam casados.... Oh meu deus era quase como se eu tivesse voltado no passado, eu me vi em você, era quase como se eu pudesse sentir tudo aquilo novamente. Disse ele ao olhar para frente e sorrir. –Espero que você seja tão feliz com ela quando eu fui com a minha mulher.

 

-Eu tenho certeza que seremos felizes e toda essa felicidade que eu estou sentindo agora, eu devo tudo isso a você.

 

Quando disse isso ele me olhou novamente.

 

-A mim? Porque?

 

-Porque você me ajudou nos momentos mais difíceis, cara eu te considero como um irmão.

 

Itachi sorrio. –Garoto não fale essas coisas sou muito sentimental.

 

Ambos começamos a sorrir.

 

-Fico feliz em saber que me considera dessa forma. Disse ele ao tocar meu ombro. –Então quando pretendem se casar?

 

-Ainda temos muitas coisas para resolver, e você quando pretende se casar?

 

-Eu?
 

-E, aparentemente você ama Hinata e acabou de me dizer que quer deixar tudo no passado então deduzi que você iria pedir Hinata em casamento...

 

Ele sorrio. – Meu lance com Hinata e algo único, e verdade eu a amo mais não quero machuca-la, acho que devo esperar mais um pouco antes de propor a ela algo assim, quero entregar a ela todo o meu coração e não somente metade dele.

 

-Entendo.

 

-Ei, o que diabos vocês estão fazendo nesse sol? Perguntou Sasori ao se aproximar.

 

-Apenas conversando. Disse Itachi.

 

-Acho melhor irmos para dentro de fato esse sol está quente. Disse isso ao me levantar.

 

Itachi sorrio e se levantou e então todos nós fomos para dentro novamente, os meninos pegaram algumas cervejas e se sentaram no sofá, já eu fui ver como Sakura estava. E assim que cheguei ao corredor do andar de cima notei que a porta estava entre aberta e Sakura estava conversando com alguém.

 

-Obrigada por ter conseguido isso para mim.

 

-Na verdade eu já havia comprado a muito tempo, só estava guardado.

 

Me aproximei da porta e olhei para dentro do quarto pela pequena brecha e então pude ver meu pai abraçado com Sakura e na cama havia uma sacola.

 

-Ah! E aqui está o que me pediu. Disse ele logo ao se afastar dele e tirar um papel do bolso.

 

Sakura segurou o papel. –Tem certeza?

 

-Tenho está nesse local.

 

Quando ouvi isso abri a porta lentamente.

 

-Amor! Disse Sakura ao sorri.

 

-Acho que devo ir. Disse meu pai ao se levantar.

 

Sakura se levantou. –Mais uma vez obrigada Kakashi. Disse ela ao abraça-lo novamente.

 

-Não foi nada agora você será como minha filha então.

 

Ambos sorriram, e então meu pai calmamente veio em minha direção.

 

-Estou orgulhoso de você.

 

-Obrigado!

 

Ele saiu do quarto e então eu feche ia porta.

 

-O que e isso? Perguntei a ela ao apontar para a sacola que estava em cima da cama.

 

-Perucas.

 

-Perucas para que?

 

-Disfarce, preciso ir a cidade, vem comigo?

 

-Claro.

 

Ela sorrio, então calmamente tirou uma peruca loira de dentro da sacola, ela arrumou o cabelo e então pôs a peruca por cima, então pegou dois óculos escuros de dentro da sacola, colocou um no rosto e me entregou outro, coloquei o óculos no rosto e em seguida ela colocou chapéu na minha cabeça.

 

-Vem. Disse ela ao me puxar para fora do quarto.

 

Corremos pela casa até chegarmos a sala.

 

-Vamos ali. Disse Sakura.

 

-Ok! Respondeu Itachi – Tomem cuidado.

 

-Tomaremos.

 

Sakura pegou a chave do carro que estava em cima da mesinha, e logo em seguida saímos da casa e fomos em direção a um dos carros, assim que entramos no carro a olhei e perguntei: -Onde vamos?

 

-Em um abrigo.

 

-Fazer o que?

 

-Logo você saberá. Disse ela ao começar a dirigir.

 

 

--

 

Sakura pov’s

 

 

Assim que chegamos ao abrigo, parei o carro e olhei para Sasuke.

 

-O que estamos fazendo aqui?

 

Segurei o rosto dele com as minhas mãos e olhei em seus olhos.

 

-Você confia em mim? Perguntei a ele.

 

-Claro, mais porque ...

 

-Shiuuu!

 

Ela ficou em silencio.

 

-Quando eu sai, você passa para o banco do motorista e assim que eu voltar você dirige.

 

-Sakura...

 

-Eu amo você! Disse isso lhe dando um selinho e em seguida saindo do carro.

 

Respirei fundo, saí do carro, feche a porta e caminhei em direção ao abrigo. Assim que entrei naquele lugar notei que estava repleto de mendigos, aquele lugar cheirava a mijo e eu estava sentindo uma enorme vontade de vomitar, caminhei por aquele enorme lugar por uns 20 minutos até acha-la, ela estava deitada em um papelão, as roupas que vestia estavam sujas e ela estava fedendo, havia um fino lençol que cobria seu corpo.

 

-Mãe!

 

Quando disse isso ela me olhou.

 

-Sakura! Disse ela ao se sentar.

 

-Eu vim aqui para ajudá-la. Disse isso ao me abaixar. -Quero tira-la daqui.

 

Quando ela me ouviu, seus olhos se encheram de lágrimas.

 

-Mais você ...

 

-Eu tenho dinheiro, podemos levar a mesma vida de antes...

 

Quando aquela imunda ouviu minhas palavras, pulou em meus braços como se eu fosse sua salvação, Coitada mal sabia o que a esperava.

 

-Vem comigo. Disse isso ao tira-la de cima de mim.

 

-Claro.

 

Ambas no levantamos e calmamente fui a guiando para fora aquele abrigo, caminhamos pelo estacionamento até chegarmos ao carro,  abri a porta do carro para ela, ela entrou sem desconfiar de nada, fechei a porta e em seguida entrei no mesmo, assim que entrei no carro e olhei para Sasuke, pude notar que ele sabia o que eu estava planejando, ele não disse nada apenas dirigiu como eu havia pedido, me virei para trás para olhar para Tsunade, ela estava toda sorridente, respirei fundo e então tirei a peruca da cabeça e a coloquei dentro do porta-luvas.

 

---------------

 

Sasuke parou o carro a poucos metros da casa de Itachi.

 

-Querida o que estávamos fazendo aqui no meio do nada?

 

Calmamente me virei e a olhei.

 

-Desde do carro Vadia.

 

Quando eu disse isso ela arregalou os olhos.

 

-COMO VOCÊ OUSA ME CHAMAR DE VADIA SUA PIRANHA.

 

Rapidamente tirei a arma que estava na minha cintura, a arma que Kakashi havia me dado minutos antes de  Sasuke entrar no quarto.

 

-A PIRANHA AQUI ESTA ORDENANDO QUE VOCÊ SAIA DA PORRA DO MEU CARRO! Disse isso ao apontar a arma para ela. –SAI AGORA PORRA!

 

Ela calmamente abriu a porta do carro e saiu, eu sai no mesmo momento que ela.

 

-Querido leve o carro e chame meu pai.

 

-Claro! Disse Sasuke ao fechar a porta do carro.

 

Quando Sasuke finalmente saiu, lá estávamos só nos duas, cara a cara.

 

-Então esse era o seu plano criança? Que pai você vai chamar? Hein? Perguntou ela.

 

-Criança ainda me ver como tal? Para a sua informação eu não sou mais criança, eu sou uma mulher e logo irei me casar com um homem que me ama de verdade, alguém que não se importa se eu tenho dinheiro ou não. E referente ao meu pai, ele e o homem que você impediu que visse a sua filha, o homem que possivelmente teria impedido Naruto de me estuprar.

 

-Jiraya? Disse ela ao rir. –Tal inútil quando você, se você fosse uma boa filha estaríamos naquela casa teríamos tirado tudo de Naruto mais o que você é? UMA VADIA QUE NUNCA ME SERVIU PARA NADA, E NUNCA TERÁ CORAGEM DE ATIRAR EM MIM PORQUE VOCÊ E UMA INÚTIL, UMA IMPRESTÁVEL UMA....

 

Antes que ela pudesse terminar de falar dei o primeiro tiro que lhe acertou a perna. Um enorme sorriso apareceu no meu rosto, coloquei a arma novamente em minha cintura enquanto ela estava sobre o chão com a mão sobre a perna, me aproximei dela e assim que ela levantou a cabeça para me olhar lhe dei um chute na boca que fez seu sangue espirrar para todo lado, ela desmaiou quase de imediato, respirei fundo, e calmamente amarrei meus cabelos e quando olhei para frente e pude ver todos me olhando da varanda da casa.

 

-E hora do show.

 

Me abaixei, segurei nos cabelos de Tsunade e comecei a arrasta-la pela estrada enquanto cantarolava.

 

-A terrible mistake was made

(Um terrível erro foi feito)

The weight would break the backs

(O peso quebraria às costas)

Of ten strong horses tried to save

(De dez fortes cavalos tentou salvar)

Now dear mom

(Agora querida mamãe)

and its time to have a special death

(E a sua hora de ter uma morte especial)

La, la , la , la ,la♩ ♫ ♭ ♪



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...