História Touch Me - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 472
Palavras 1.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 35 - PsicoSakura


Fanfic / Fanfiction Touch Me - Capítulo 35 - PsicoSakura

Sakura pov’s

 

 

Eu já estava indo para a casa onde os outros estavam quando ouvi Tsunade gritar, confesso que estava me sentindo muito bem com os gritos dela, parei de caminhar e fiquei ali apenas ouvidos ela gritar  por um momento, os gritos dela me lembraram aos meus gritos quando Naruto estava a me estuprar.... Mais isso não era algo que eu quisesse me lembrar nesse momento.

Quando os gritos dela cessaram, eu voltei a caminhar mais antes que eu pudesse chegar a casa, ouvi meu pai me chamar.

 

-Sakura!

 

Me virei e pude ver ele correndo em minha direção, quando ele parou na minha frente me olhou atentamente e então pude ver que havia sangue em sua blusa.

 

- Corra e faça um curativo em Tsunade ou ela irá sangrar até morrer e não queremos que ela morra ainda não e mesmo? Disse ele.

 

-Claro que não queremos que isso aconteça. Disse isso dando um breve sorriso. -Mais onde você vai?

 

-Vou comprar peixe.

 

-Peixe? Pra que?

 

Ele se aproximou de mim, tocou meu queixo e então disse: - Para que a dor seja maior.

 

O olhei sem compreender nada, como um peixe faria a dor dela ser maior?

 

-Você vai bater nela com o peixe?

 

Ele sorrio quase de imediato e então soltou meu queixo.

 

-Claro que não, logo você saberá.... Mais não demore ou ela morrerá.

 

Acenei com a cabeça e em seguida sai correndo em direção a casa, afinal a vadia não poderia morrer agora. Entrei na casa correndo e fui direto para a cozinha, peguei uma panela dentro do armário, peguei o saleiro, o isqueiro, e uma colher e uma faca em seguida enchi a panela de agua.

 

-O que vai fazer com isso? Perguntou Sasuke ao entrar na cozinha.

 

-Vou ajudar Tsunade. Disse isso ao pegar uma sacola.

 

-Ah! Quer ajuda?

 

-Não é necessário amor. Disse isso colocando as coisas dentro da sacola.

 

Coloquei a sacola sobre o meu braço e em seguida peguei a panela e fui saindo da cozinha calmamente para que a agua que estava na panela não caísse, me aproximei de Sasuke lhe dei um breve selinho e logo em seguida sai da casa. Desci em direção ao velho galpão o mais rápido que pude e com certa dificuldade abri a porta e entrei. Caminhei calmamente para dentro até me aproximar de Tsunade, meu pai havia cortado todo o seu cabelo e seus dedos, o chão estava cheio de sangue. Parei na frente dela e coloquei a panela no chão.

 

-Vim ajuda-la.

 

Ela me olhou, seus olhos estavam vermelhos aparentemente ela havia chorado mais também eu não esperaria menos . Me abaixei coloquei a sacola no chão e comecei a tirar tudo o que havia ali.

 

-Está tentando me punir pelo que fiz com você? Perguntou ela.

 

A olhei enquanto abria o saleiro. –Sim, irei fazer você pagar por cada lágrima que derramei. Disse isso dando um enorme sorriso de satisfação.

 

-Deus ira lhe castigar por fazer isso com a sua própria mãe.

 

Derramei todo o sal que havia no saleiro sobre a agua.

 

-Deus? Dei uma gargalhada. –Quem você pensa que é para falar de deus ou das punições que eu posso receber dele... De nos duas acho que deus ira punir mais você do que eu.

 

Tsunade começou a chorar.

 

-Sempre fui apenas uma vadia da qual você tirava proveito mais isso acabou de mudar não e mesmo? Bom eu poderia ser uma boa filha e solta-la nesse momento. Disse isso inclinando a cabeça um pouco para o lado enquanto um sorriso se formava no meu rosto. – Mais como você nunca foi uma boa mãe não serei a boa filha que você espera. Me levantei. –Eu poderia deixar você sangrar até a morte mais isso não seria justo, olha o que fizeram com você... Você que era tão cheia de si, a mulher que tinha as mãos perfeitas, agora não passa de uma pobre coitada.

 

-Sakura ?

 

Olhei para trás e pude ver Sasuke.

 

-Oi amor.

 

-Acho que irá precisar disso. Disse ele ao se aproximar.

 

Sasuke colocou um tubo de linha e uma agulha próximo a panela.

 

-Me ajude... Disse Tsunade a ele.

 

-Eu não sou ninguém para ajudá-la, você precisa pagar pelo que fez. Disse ele ao colocar suas mãos em seus bolsos.

 

Dei um breve sorriso e então Sasuke calmamente se retirou, assim que o ouvi fechar a porta, me abaixei peguei a panela e fui em direção a Tsunade, parei na frente dela e lentamente derramei a agua sobre suas mãos. Assim que a agua com sal caiu sobre suas mãos ela gritou, eu sabia o quanto aquilo era doloroso porque a muito tempo atrás ela havia feito exatamente o mesmo comigo depois que Naruto havia me batido.

 

-Essa agua com sal vai fazer o sangramento parar por um momento e a ferida logo cicatrizará.

 

Depois que derramei toda a agua em suas mãos, me virei caminhei até a onde estava as outras coisas, coloquei a panela no chão e então peguei o isqueiro.

 

-Isso só vai doer um pouco.

 

-Não, não faça isso....

 

Me aproximei dela novamente e me inclinei um pouco para que pudéssemos ficar cara a cara.

 

-Não faça isso? Isso não e nada em vista da dor que você me causou querida.

 

-Me perdoe, me perdoe minha filha por tudo....

 

-Não! Você deve pedir perdão a deus não a mim. Disse isso sorrindo. –Você deve ser uma menina corajosa se fizer tudo o que ele mandar ele retribuirá, basta ser carinhosa com ele....  Disse isso ao tocar seu rosto. –Ele e um homem carinhoso e lhe tratará bem, faça o que ele quer e teremos tudo. Disse isso ao acender o isqueiro na frente do rosto dela. – Acho que por sua culpa me tornei um pouco insana... Bom isso só vai doer um pouquinho, mentirinhaaaaaaa! Eu espero que doa muito.

 

Calmamente aproximei o isqueiro do que restou dos dedos dela e comecei a queima-la, confesso que os gritos dela me davam mais e mais energia para continuar torturando-a, o choro dela era como uma fonte de vida para mim e talvez se eu me banhasse em seu sangue me tornasse imortal. O fogo ia queimando cada toquinho de dedo que havia lhe restado, o cheiro de carne queimada era horrível, mais pelo menos o sangramento havia parado, mais o choro era livre. Naquele momento notei que Tsunade só era valente quando se aproveitava de alguém indefeso, agora olhe só para ela, tudo o que ela fazia era berrar, chorar e me pedir perdão, seu estado a cada hora se tornava mais deplorável, a cada segundo eu tinha mais nojo dela.

 

-Olhe, para a sua alegria o sangramento parou então você não morrerá, ainda!

 

-SAKURA, SAKURA MINHA FILHA, ME ESCUTE. Disse ela em meio ao choro.

 

-Se continuar com essa ladainha eu vou arrancar a sua língua.

 

Quando eu disse isso ela se calou quase de imediato, joguei o isqueiro em um lugar qualquer e em seguida peguei a faca que havia trago e cortei a blusa de Tsunade.

 

-Sakura ....

 

-Pare! Disse isso colocando a faca na frente de seu rosto. – Seu choro não me convence e não adianta pedir porque eu não vou parar... Disse isso passando a faca sobre o seu rosto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...