História Touchdown - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Dahyun, Momo, Sana, Tzuyu
Tags Dahmo
Visualizações 207
Palavras 1.322
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, como estão nenéns?
Nem vou pedir desculpa pela demora, porque não adianta mesmo, vou permanecer no erro ÇSKDSA
Enfim, boa leitura e enjoy ♥

Capítulo 10 - Angel


Momo esperava Dahyun na porta do shopping, essa que vinha sorrindo em sua direção, sorriso esse que aumentou quando esteve próxima da loira.

— Desculpa o atraso. – pediu levemente ofegante.

— Não se atrasou – a japonesa sorriu e olhou direito para a menor. — Você está bonita!

Dahyun olhou pra si mesma rapidamente, usava o de sempre, jeans, mas naquele dia ensolarado optou pelo short, camiseta e tênis. Mas tinha tentado caprichar mais, estava com a roupa em tons claros, o cabelo bem penteado e a maquiagem mais aparente.

— Você está bonita também!

Como sempre – emendou em pensamento.

Dahyun amava quando Momo usava vestido. Ainda mais com tênis branquinhos como os daquele dia, estava tão fofa.

— Obrigada! – deu de ombros sem jeito, o que a deixou ainda mais linda. Dahyun amava quando Momo ficava sem graça. Ela quase conseguia esquecer o que vira na noite anterior. — O que tá a fim de ver? 

— Qualquer coisa que tenha ação ou que seja animação. – respondeu sem nem pensar, era o que mais gostava de ver.

— Ótimo, eu também. – a Hirai sorriu encolhendo os ombros feliz por terem um gosto parecido.

Dahyun se animou ainda mais pelo mesmo motivo, segurou o punho de Momo e a puxou delicadamente para dentro do shopping. Foi a primeira vez que ela iniciou um toque, era sempre Momo que a abraçava, beijava ou a tocava. Por vezes a japonesa achou que a menor não gostava de tais atitudes, mas era de forma inconsciente que agia daquele jeito, muitas vezes se repreendia, por isso ficou feliz quando a menor a conduziu. Puxou o punho vagarosamente pra Kim não achar que estava recusando o toque, na verdade fez aquilo pra segurar a mão de Dahyun, toque claro, não podia ter feito a menor mais feliz.

Por sorte a fila não estava grande, nem pra comprar os ingressos ou a pipoca, mas elas estavam tão entretidas conversando e escolhendo o que veriam que nem notariam se o lugar estivesse cheio. Chegaram na sala e nem os trailers haviam começado. Momo impediu de Dahyun comer a pipoca antes de o filme começar, o que a deixou emburrada feito uma criança, a japonesa teve que lhe dar um pedaço de chocolate, causando alegria na menor que disse estar com fome. E Momo comprovou isso pela forma rápida com que a pipoca tamanho grande de Dahyun acabou.

O filme empolgou as duas, saíram da sala de cinema eufóricas comentando as cenas e o enredo. Descobriram mais sobre os gostos cinematográficos uma da outra enquanto lanchavam na praça de alimentação.

Dahyun apesar da noite anterior estava feliz por passar mais tempo com Momo sem ser estudando, estava a conhecendo de verdade. Não tinha dito a Sana sobre o encontro, sabia que a amiga iria reprovar achando que não seria bom ter aquela aproximação com Hirai, mas a Kim gostava da companhia de Momo e tinha se comprometido em ajudá–la com algumas matérias, não podia se afastar mesmo sabendo que seria o melhor. Ainda mais depois de ver como tudo o que vivia com Momo, lembrava o começo da amizade com a pessoa que Dahyun gostou no passado. Mas não repetiria o mesmo erro, seus sentimentos e seu segredo ficariam guardados. Iria se proteger dessa vez, protegeria quem ela era.

Ou melhor, esconderia.

Ela havia se tornado covarde admitia isso, mas não se via sofrendo novamente.

— Porque está sempre olhando pro nada? – a voz de Momo a despertou? 

— Desculpa, acho que acabo deixando os pensamentos mais alto do que deveria.. – riu sem jeito, aquilo devia estar ficando chato.

— E no que estava pensando? – a japonesa perguntou apoiando um cotovelo na mesa e o rosto na mão, num gesto tão fofo que Dahyun se conteve pra não lhe apertar a bochecha.

— Em nada importante. – maneou a cabeça e sorriu.

— Parecia ser importante, tinha até uma ruguinha aqui. – Momo tocou o cenho da Kim com o indicador, e a garota pode sentir o perfume floral que aquele movimento levou até seu nariz.

— Essa ruguinha aparece até quando eu penso muito profundamente no jantar. – Dahyun tentou parecer descontraída e mudar de assunto.

— Ela é fofa. – a japonesa disse baixo e de modo carinhoso.

— É uma ruga, como pode acha-la fofa? – indagou rindo tentando esconder a timidez.

— Não sei, mas é bonitinha, a sua expressão fica entre o engraçado e o adorável.. É fofo.

— Você é estranha. – Dahyun coçou a nuca sem graça e desviou os olhos, Momo riu ao perceber a falta de jeito da menor.

— Olha quem fala, você que vive no mundo da lua. – ela riu fazendo Dahyun relaxar e revirar os olhos.

— Mudando de assunto, já decidiu se vai querer continuar as aulas nas férias? – a pergunta causou um sorriso na Hirai, lembrou que nem tinham chegado num acordo na noite anterior, e ainda nem tinha pensado sobre isso, o fato de ter chateado Dahyun acabou a deixando preocupada demais pra pensar em outra coisa, por isso pensou rapidamente sobre aquilo antes de responder.

           — Vou sim, acho que vai ser bom manter o ritmo, porque se eu ficar com preguiça, vai ser difícil voltar com a mesma disposição. Mas se você não quiser tudo bem. – tagarelou um pouco seria.

— Não, por mim tudo bem, é até bom que podemos adiantar bastante coisa e revisar tudo o que foi dado até agora. Assim acho que podemos te livrar do reforço depois das férias.. Dependendo do seu resultado, o que acha? – sugeriu mantendo a seriedade na voz.

— Acho bom e ruim ao mesmo tempo, eu gosto das suas aulas, até demais, eu realmente entendo, mas essa rotina de escola, ensaio e estudo tem me cansado tanto. – ela suspirou, Momo era tão animada que Dahyun nem se quer percebeu o cansaço da loira.

— Eu te entendo, te sobrecarregar também não é bom. Podemos ficar de férias também, na última semana suspendemos as nossas aulas, assim você descansa pra quando voltarmos, o que acha?

— Acho que você é meu anjo. – Momo disse baixo e sorriu fazendo a Kim disfarçar a vergonha maneando a cabeça.

— Quer ir embora já? – perguntou voltando a fita-la quando o rosto voltou a cor normal.

— Claro, pode ser. – concordou simplista.

As duas jogaram as coisas fora e devolveram as bandejas no lugar certo antes de deixar a praça de alimentação.

— Você realmente não se chateou por ontem? – Momo perguntou cautelosa andando ao lado de Dahyun.

— Não, não tem porque eu ter me chateado, relaxa. Você não fez nada. – Dahyun suspirou, não queria começar aquela conversa.

A única coisa que Momo havia feito foi beijar alguém e isso não era errado. E mesmo não sendo errado chateou Dahyun, mas ela não podia descontar o ciúme que sentiu na japonesa. Afinal elas não tinham nada, nem dos sentimentos da Kim, Momo sabia.

— As pessoas da festa gostaram de você, sei que conversou pouco com eles, mas gostaram. O Jimin e Kook ficaram realmente animados com você e com a Sana.. Você parecia estar curtindo e de repente foi embora, Jimin disse que você parecia um pouco abatida. – ela falava em tom baixo e com calma, não queria que aqueles comentários chateassem Dahyun.

— Eu gostei de todos também, me diverti muito vendo aquela bagunça. Adorei poder conversar mais com o Jungkook e com o Jimin, só fui embora por já estar cansada.. E sonolenta. – Dahyun a fitou e sorriu pra tranquiliza-la, não mentiu, só omitiu o fato de ter visto o beijo de Momo e ter ficado com ciúmes por estar completamente apaixonada por ela, mas era apenas uma pequena informação.

Elas se separaram quando chegou o momento de cada uma ir pra um lado. 

          — Obrigada pelo cinema Tofu, até amanhã. – disse apertando a mão de Dahyun.

— Eu que agradeço pelo convite, até amanhã, Momore. – retribuiu o aperto e mostrou um sorriso fofo.

Momo surpreendeu Dahyun com um abraço e um beijo estalado e demorado, que causou formigamentos na menor. Cada dia que passava se tornava mais complicado ser apaixonada pela japonesa. 


Notas Finais


Tão fofinhas, até parece que namoram ÇKASO
Espero que tenham gostado e tentarei não demorar com o próximo, tá? Então tá ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...