História Touchdown - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Dahyun, Momo, Sana, Tzuyu
Tags Dahmo
Exibições 44
Palavras 867
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meus querubim ♥
Demorei pra voltar por pura preguiça, e porque não sei, tô achando esses capítulos tão pequenos e isso tá me dando uma certa agonia PSKDPO
Mas enfim, espero que gostem desse capitulo, mesmo pequeno ÇKSALÇ
Enjoy! ♥

Capítulo 3 - Teen Movie


Como pode alguém não acreditar no amor? Como pode achar que ele só existe nas histórias? Amor é o sentimento que move as pessoas, que as faz nascer, que as faz existir.

Como alguém desdenha de tal forma desse sentimento?

Dahyun estava com raiva de Momo.

— Essa ruguinha nessa testa e esse maxilar trincado são por aquilo ainda? – Sana perguntou ao fitar a expressão da amiga, que era a única que não estava se levantando pra sair pro intervalo.

Dahyun despertou de seus pensamentos, tinha perdido a aula de literatura, sua matéria preferida. E seu assunto preferido também: romance. Ela era uma romântica assumida e por isso a ideia de Momo não acreditar no amor era tão dolorosa.

— Como pode isso, Sana? – questionou ao se levantar, estava com uma expressão emburrada.

— Ela dizer que não acredita no amor, não quer dizer que ela realmente não acredite. – Sana respondeu recebendo um olhar confuso da Kim enquanto elas saiam da sala. — Não quer dizer que ela não acredite no amor maternal, fraternal e paternal, só não acredita no amor entre pessoas sem parentesco..

— Como alguém não acredita nesse amor? – Dahyun perguntou ainda incrédula — Dá no mesmo que não acreditar em nenhum! 

— Talvez ela tenha dito da boca pra fora, não tenha gostado de ninguém de verdade ainda pra saber o que ela sente.. Se acredita ou não – Sana explicou dando de ombros 

— Ou foi desiludida. – Dahyun murmurou e curvou os lábios tristonhos.

— É uma hipótese  – Sana suspirou e concordou dando de ombros.

          A menor continuou se queixando durante o caminho até o refeitório, mas se calou quando entrou na fila, Sana começou a questionar o cardápio.

— Sério, Romeu e Julieta? Quem passa esse livro pros alunos lerem? – Dahyun ouviu alguém reclamar, Sana também, porque se calou. — Eu não acredito em nada daquilo.. Shakespeare escreveu esse livro como sátira do amor e vocês acham que é o romance mais lindo que existe, por favor.

— Momo porque essa revolta? – alguma das garotas perguntou.

— Porque é ridículo, eu não quero apresentar e nem ler aquele livro.

— É capaz de você ser escolhida como a Julieta. – outra garota provocou.

— Quem sabe o Jimin não seja o seu Romeu.. – a primeira menina continuou aquela provocação, fazendo um rubro se instalar nas bochechas de Momo que riu enquanto negava com um aceno exagerado de cabeça.

Sana olhou para Dahyun que fingia estar alheia aquela conversa fitando o outro lado da cantina, um cartaz sobre algum concurso qualquer, era um cartaz de meses atrás.

Dahyun era orgulhosa, pelo que Sana ia descobrindo dela isso era o mais evidente na baixinha, ela não deixava seus sentimentos se sobrepor à ela, tinha um controle absurdo deles, pelo menos externo, e quando não se tratava de Momo. Mas internamente, Dahyun era um caos.

Depois de almoçarem e conversarem sobre qualquer coisa, sem mencionar Momo e aquela conversa que haviam escutado sem querer, as garotas se sentaram em um dos bancos do lado de fora pra respirar ar puro antes do sinal bater, e quando isso aconteceu elas caminharam tranquilamente de volta, Sana contava sobre um sonho estranho da noite passada e Dahyun ria.

— Dahyun! – alguém chamou, Momo vinha em sua direção sorrindo. — Olá Sana.

A garota bateu continência pra japonesa, algo que fez Dahyun franzir o cenho.

— Brotinho, te espero na sala. – ela disse fazendo Dahyun ficar ainda mais confusa, que apelido era aquele? 

             Momo riu e acenou para a loira que retribuiu o gesto e se afastou.

— Eu acho que as pessoas nesse colégio abusam de você.. – Momo disse ao voltar a sua atenção pra pequena a sua frente.

            — Porque? – ela franziu o cenho.

— A professora de matemática pediu pra eu falar com você depois de me mostrar todo o seu histórico escolar.. Aliás, achei estilosa as suas mechinhas coloridas, devia voltar com elas. - ela sorriu animada deixando Dahyun confusa e corada, nunca tinham elogiado seu cabelo colorido. — Enfim, ela disse pra eu te pedir ajuda com a matéria dela.. Mas acho que devia te pedir em tudo, sério mesmo, como você consegue ir bem em todas as matérias?

Dahyun queria dizer que gostava de estudar, de ler e tinha como opção de faculdade, medicina, então se ela queria passar no vestibular, tinha que estudar. Fora que os pais investiam mesmo nos estudos dela, até dois anos atrás eles pagavam aulas particulares pra ela reforçar o que tinha aprendido, mas se cansou daquilo.

— Eu só gosto de estudar – sorriu sem jeito e deu de ombros.  — E eu ajudo sim, claro.. No que precisar. – ela sorriu.

— Mesmo? – os olhos de Momo brilharam e ela abraçou Dahyun que correspondeu o contato rindo. — Obrigada.

— Por nada.. – disse envergonhada, depois de se afastarem. Foi o abraço mais rápido e mais gostoso que recebera. — Quer começar quando?

— Pode ser amanhã as cinco?

— Pode, claro, na minha casa ou na sua? – perguntou ansiosa, aquilo podia ser considerado um encontro, não?

— Tanto faz.. – Momo deu de ombros.

— Vamos revezar, começamos na minha, tudo bem?

— Claro! Me diz onde é e como eu chego.

A Kim explicou tudo à Momo e as duas seguiram direções opostas, assim que deixaram tudo acertado pro dia seguinte.

            Era bom quando a vida ficava clichê como um filme adolescente.


Notas Finais


Sei que não foi bom, mas foi necessário gente, tá meio que demorando pra desenrolar né?
Eu montei a estrutura da fic toda errada, desculpa e não desistam de mim! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...