História Toxic - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 202
Palavras 1.754
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLLAAAAAA

Capítulo 1 - Tóxico - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Toxic - Capítulo 1 - Tóxico - Capítulo Único

 

Se alguém me perguntasse, eu não saberia como responder.

Não sei ao certo como tudo isso começou entre nós, mas em uma hora estávamos conversando e nos divertindo, e na outra... Você estava se enterrando em mim fazendo a cabeceira de minha cama bater ruidosamente na parede de meu quarto.

Ah... Aquela noite foi um erro. Um grande e grave erro.

Dês daquele prazeroso acontecimento, acabamos por manter uma rotina rígida e intensa de sexo todos os dias, sei que você não queria nada além de fuder, sei que era apenas transas casuais, sei que não deveria envolver sentimentos...

Mas eu fiz o contrário.

Foi em meio a mais uma de nossas diversas noites quentes, quando você estava em cima de mim, quando nossos corpos se moviam juntos, quando chegamos ao clímax juntos que eu percebi...

Eu havia me apaixonado por você.

Era estranho, pois somos – ou melhor, éramos – melhores amigos e agora, você está agarrando minha cintura fortemente, dando investidas rápidas e precisas no meu interior.

Amigos não fazem essas coisas.

Você sempre sussurrava palavras sujas para mim durante nossos atos, você sempre me dava palmadas e mordidas dolorosas, você sempre deixava marcas em meu corpo, alegando que eu era seu e somente seu.

E você? É somente meu?

E o que eu fazia em troca? Eu implorava por mais, empinava para você, gemia manhoso que nem uma vadia, como você gostava de dizer. Parecíamos dois adolescentes com os hormônios a flor da pele.

Talvez eu seja uma vadia mesmo.

“T3ddy, a que ponto chegamos?”

Há alguns dias atrás, eu passei a fazer essa pergunta a você. Você apenas me ignorava enquanto vestia suas calças e saia apressado de meu apartamento. Talvez... Ter me mudado para São Paulo tenha sido outro erro, mudado para perto de você, um erro ainda maior.

Depois de algumas semanas que mantivemos nossas noites intensas e um calor avassalador nos consumindo, você começou a me contar mentiras.

Sim, mentiras.

Você diz que eu sou único para você, você diz que nunca irá me deixar, você diz que sou o único que lhe satisfaz, você diz me amar...

Mentiroso.

Então porque está beijando esta desconhecida na minha frente? Porque esta a levando para seu quarto, e me deixando sozinho aqui na sua sala? Porque ainda acredito em suas palavras?

O primeiro “Eu te amo” veio da sua parte, então porque naquele vídeo você disse que o primeiro foi eu que disse? Pensei que você realmente gostava de mim, que o que tivemos era verdadeiro ou que tivesse algum significado para si.

Oh, meu querido amante mentiroso. Não me toque desta forma, não me olhe desta forma, não depois de ter se deitado com aquela fã...

Eu pensei que você tivesse me chamado para a sua casa pra nos divertimos, deixar de pensar um pouco sobre o tesão que sentimos um pelo outro, deixar de lado o fato de conhecermos o corpo um do outro como a palma de nossas mãos, mas, eu me enganei.

Acho que você ficou assustado com a quantidade de seus fãs que alegavam que você era gay, e que isso era verdade por que agora eu estou morando em São Paulo e nossas visitas regulares um na casa do outro era deveras suspeita. A ideia de ser julgado te assustava, não é?

Então foi por isso que me chamou até a sua casa, depois a campainha tocou revelando uma mulher bonita – que mais tarde descobrir ser uma fã sua – para ela me ver em seu apartamento e você ir dormir com ela depois, só para provar sua heterossexualidade? Só para mostrar que os boatos sobre nós estavam “errados”?

Você é ridículo e eu... Um ingênuo.

Não existe um nós, não existirá um nós, nunca existiu um nós.

Eu sabia que você só queria me usar assim como também te usei, mas porque isso está me ferindo tanto? Porque eu queria que um “nós” realmente existisse?

Oh, meu querido amante, não se aproxime de mim. Seu amor é tóxico e radioativo como uma Bomba Atômica. Suas palavras me ferem, seus toques me queimam e seus lábios são ácidos.

Depois que ela foi embora, você ainda queria transar comigo?! Inacreditável!

Mas, como a carne é fraca e eu ainda mais, me entreguei novamente a você.

Novamente, me deixei ser manipulado por você, pelos seus toques, pelas suas palavras, pelo seu doce joguinho de sedução. Eu coloquei a culpa na excitação do momento, coloquei a culpa no calor do momento.

Mas lá no fundo eu sei que a verdadeira culpada é minha fraqueza e paixão por você.

Eu sinceramente não consigo entender. Aquele papo todo de “Sou hétero” e agora estar ajoelhado na minha frente, mordendo minhas coxas com um sorriso safado, chupando minha glande enquanto murmura que sou delicioso, me enlouquecendo com sua boca...

Você está longe de ser heterossexual, Olioti.

“Luba, entenda: Eu sou hétero.”

E de novo, você repetia essa frase irritante para mim. 

“Oh, não me faça rir, Lucas!”

E de novo, estávamos discutindo.

“O que temos é apenas sexo!”

E de novo, você estava sendo frio comigo.

“Me comer não te fará menos gay.”

E de novo... Eu me rebaixava ao seu nível.  Estou me decepcionando cada vez mais com você, T3ddy.

Sei que é difícil  se assumir a si mesmo que também gosta de pessoas do mesmo sexo, afinal, eu também passei por isso, Lucas. Sei mais do que ninguém o quanto se assumir é difícil, mas continuar tentando se convencer do contrário não irá leva-lo a lugar algum.

O que foi? Por que está fazendo essa cara para mim? Você não sabia que eu escutava você do banheiro falando apara si mesmo que era hétero com toda a certeza do mundo? Desculpe, mas as paredes do seu quarto são finas.

Depois de mais uma vez você ter me tomado, discutido comigo e ter me rebaixado ao seu nível sujo, voltei para a minha casa magoado e arrependido. Você não se incomodou com o fato de eu ter saído de lá chorando, ou com raiva de você, você apenas... Não teve reação alguma, não se importou, é como se nossa amizade não existisse mais.

Isso me entristece, oh, e como me entristece.

Ficamos exatas três semanas sem nos falar ou vermos. Suas palavras rudes cercavam minha mente e estavam me deixando paranoico.

“Eu era mesmo uma pessoa horrível?”

“Eu era mesmo uma putinha?”

“Well tinha terminado comigo por que era muito possessivo?”

“Valeu a pena ter me envolvido com o T3ddy? O cara hétero e que sempre tive uma queda?”

Não, não valeu a pena.

Aqueles porquês e mais porquês estavam me deixando estressado e muito sobrecarregado, eu não tinha resposta para praticamente nada sobre meus erros ou ações.

 Eu sinto seu cheiro em todos os lugares, nos lençóis de minha cama, em minhas roupas, em mim. É como se você tivesse se impregnado em minha pele que nem com várias passadas de sabão durante meus banhos, te fizesse sair de mim. Será que estou ficando louco?

E foi então que o efeito dominó começou, primeiro foi minha saúde: Comecei a ficar doente constantemente e sem motivos aparentes. Segundo minha carreira: Parei de produzir vídeos com frequência e fiquei inativo no Youtube e outras redes sociais. Terceiro: Eu me deixei ser destroçado pelos hater’s e homofóbicos que sempre procuravam uma forma de me derrubar.

Na quarta semana a campainha tocou e quando abri a porta, foi uma mistura de sentimentos de raiva e surpresa.

Lá estava você, trajando suas roupas largas e casuais, com o cabelo desgrenhado, com profundas olheiras abaixo dos olhos negrumes e um semblante carregado de tristeza em sua face.

Você estava pior do que eu.

E mesmo assim, horrível, você consegue ser malditamente lindo.

“O que você quer?!”

“... Ainda está bravo comigo?”

Seu tom de voz e olhar... Acabaram comigo. Você estava tão mal. Mas você foi tão mau comigo, que não pude deixar de me sentir bem ao ver o quão acabado você estava.

“O que você quer, Olioti?”

“Sinto sua falta.”

Aah, aquela afirmação destruiu toda a minha estrutura, devo admitir, T3ddy: Você é o melhor mentiroso que eu já vi.

“Sinto falta do seu cheiro, dos seus toques, da sua voz... Sinto falta de você, Luba.”

E então você chorou, céus! Um ótimo ator, devo acrescentar.

Eu cai na sua lábia como uma mosca cai em uma teia. E você me envolveu com a sua linha, me fazendo mais uma vez sucumbir ao desejo errado que cresce cada vez mais entre nós.

Depois de um tempo nos vendo novamente, eu achei que você ia mudar, mas isso não aconteceu, você só pareceu piorar.

Postava fotos com várias garotas,  se envolvia com mulheres belas para seus inscritos ficarem sabendo, fazia questão de me menosprezar e depois bater em minha porta a procura do meu corpo contra o seu novamente.

T3ddy, eu não aguento mais isso. Não aguento mais esse mal costume que deixei você criar de me procurar apenas para sexo, de jogar em minha cara que o que tínhamos era nada sério, que meu relacionamento com Well havia acabado porque eu era uma putinha irritante e certinha demais.

Você está me machucando. Você está me matando aos poucos. Sabia disso?

Porque você é tóxico, porque você é uma droga viciosa e perigosa, porque você é um veneno que corre por minha corrente sanguínea.

Porque você é o homem errado, que meu estupido coração escolheu se apaixonar e amar...

E foi percebendo tudo isso que enfim desmoronei.

Minha tristeza voltou, minha depressão voltou, minha vontade de me isolar do mundo voltou. Era difícil, ver meus inscritos dizerem que eu era uma pessoa maravilhosa, que se espelhavam em mim, que deveria ter mais pessoas no mundo como eu.

Mas eu sou um ser desprezível que praticamente me vendo a outro Youtuber. Eu sou sujo e cheio de pecados, não quero ser esse tipo de influência para a minha querida Turma.

Por isso estou escrevendo tudo isso, para uma explicação á vocês familiares, fãs e Lucas Olioti.

Eu sou gay. Eu já me deitei com várias pessoas, mas Lucas foi a pior delas. Eu já cometi vários pecados e já estou condenado a queimar para a eternidade.

Mas é como se diz o ditado: “Tá no inferno? Abraça o capeta.” E é exatamente isso que irei fazer.

Por favor, não chorem por mim, não chorem pelo o que irá acontecer, não chorem pelo o que irei fazer comigo mesmo.

Eu já não aguento mais essa vida.

 

Adeus.”


Notas Finais


YYOOOOOOOOO PRIMEIRA FIC REAL OFICIAL TERMINADA, PRIMEIRA ONE SHOT, PRIMEIRA DEAD FIC [OU QUASE]

Eu não sei oq se passou por minha cabeça ao escrever essa fic, mas 'tamo indo né ashuash

E então? Luba se suicidou ou n? O que vocês acham? Devo fazer uma parte 2? E sim, essa Fanfic se passa no futuro. E sim, essa minha tentativa de fic dramática n deu muito certo ;-;

Meio pesada? Mas é claro! Me diz uma fanfic minha q n é pesada :v (É, eu fiz essa com uma escrita beem diferente das que costumo escrever)
~ Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...