História Toy - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Lemon, Romance, Yaoi
Exibições 68
Palavras 1.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Tia Lysandrete: HELLOU, LINDEZAS FOFAS DA TIA! <3
SEJAM MUITO BEM-VINDAS (OS) A MAIS UM CAP.!
DESSA VEZ, COMO PROMETIDO, ESSE ESTÁ MAIORZINHO! (E deu trabalho pra fazer, hein o.o')

BOM, ESPERO QUE CURTAM, BOA LEITURA E ATÉ LÁ EMBAIXO (*-*)~

Capítulo 15 - Capítulo 13 - parte 1


*3 ANOS ATRÁS*

*AARON*

O jovem estagiário aguardava do lado de fora da sala de  aula, recostado em uma das paredes.

Seu coração estava acelerado e seu estomago, embrulhado.

Ele suava frio, apesar do semblante despreocupado (para o caso de que alguém passasse e o visse).

‘’ Calma,Aaron...Calma!” – Ele pensou. – ‘’ Você só vai se apresentar e assistir à aula...Só isso!”

Suspirando, ele ajeitou os óculos sobre o rosto.

“São só crianças...SÓ crianças, Aaron.’’ – O rapaz disse a si mesmo, antes de ouvir a porta ao seu lado abrir-se em um empurrão.

Aaron imediatamente arrumou a postura, ficando ereto em frente à entrada.Nela, surgiu um senhor já de idade, de cabelos grisalhos mas semblante jovial: era o professor de história da escola.

Sorrindo levemente ao vê-lo, o homem estendeu a mão para o jovem.

- Ora! Prazer em revê-lo, Aaron! – Os dois se cumprimentaram com um aperto de mão.

- O prazer é meu. – O rapaz, meio nervoso, tentou sorrir.

O mais velho riu um pouco.                                                               

- Bom, vamos entrando? – Convidou, adentrando novamente a sala.Aaron o seguiu, meio receoso pelo que encontraria pela frente.

(...)

*YURI*

O garoto estava quieto; calado, isolado (TIA LYSANDRETE ON: ISOLADOOOS) como sempre em sua carteira, em meio às conversas, gritos e gargalhadas de seus colegas de classe.

Suspirando de tempos em tempos, tudo o que Yuri, o pequeno menino estrangeiro de 15 anos de idade, fazia para se distrair era rabiscar no próprio caderno.

Essa era a rotina diária do menino; entrar mudo e sair calado da sala de aula.

Desde o primeiro dia em que ele chegara naquela escola havia sido assim; as pessoas ou o ignoravam ou não notavam sua presença...Até mesmo os professores pulavam seu nome na hora da chamada.

Yuri não entendia o porquê disso; ele era estranho?Não.Era diferente?Também não; então o que poderia ser?Ele não via um defeito...”RELEVANTE” em si que pudesse...

- Turma! – A voz do professor interrompeu os pensamentos embaralhados do pequeno que levantou a cabeça em direção ao superior...Que, por algum motivo, estava acompanhado de um rapaz mais jovem que ele.

Toda a conversa e barulheira da sala dissipou-se aos poucos com o chamado do professor de história, ficando apenas os olhares curiosos dos estudantes a observar o homem desconhecido parado de frente para a sala.

Algumas crianças cochichavam entre si, a maioria meninas comentando sobre o quanto o jovem era bonito, mesmo sem nem conhecê-lo.

Yuri também direcionou o olhar ao rapaz, analisando-o de cima a baixo.

De fato; ele era mesmo muito bonito e charmoso.

Os olhos azuis, a postura firme e responsável...O sorriso, ao mesmo tempo tímido e calmo, estampado em seu rosto e...

“O que?!” – Yuri gritou internamente, quase batendo em si mesmo no meio da sala.

Ele, um garoto...Ou melhor, quase um homem...Pensando aquilo de um outro homem?!E ainda pior...Um homem que ele nem ao menos CONHECIA ou sabia algo a respeito?!

“Yuri, seu idiota...” – Yuri xingou-se, afundando-se ainda mais em sua cadeira, antes de  o professor continuar:

- Bom, pessoal. – O velho senhor pousou a mão sobre o ombro do desconhecido ao seu lado. – Gostaria de lhes apresentar o Aaron.

A sala toda voltou a cochichar novamente.

- Ele é estagiário e estuda história na universidade aqui mesmo na cidade. – O professor parecia animado com as próprias palavras.- Mas, antes de se formar, precisa assistir a algumas aulas para aprender a como da-las quando for professor (quem sabe um dia aqui mesmo nesta escola?).Por isso, ele ficará conosco por algumas semanas, até quando for necessário, tudo bem?

A turma começou a conversar alto de novo; as meninas deram pequenos gritinhos de animação com a noticia , enquanto os meninos simplesmente davam de ombros com a situação.

Já Yuri, estava diferente; estava se sentindo estranho, por algum motivo que ele não sabia ao certo.

Por alguma razão, ele estava animado; não tinha ideia do porquê, mas estava.

Seu coração estava acelerado, suas bochechas estavam coradas...Ainda mais depois do que o professor disse e seguida:

- Seja bem-vindo, Aaron.Pode se sentar ao lado do...Yuri; ali, na última carteira.

(...)

*AARON*

Os olhos de Aaron demoraram para achar o tal de Yuri no meio de tantas crianças.

Só foram encontra-lo de verdade quando o professor apontou para o pequeno garoto sentado em uma das últimas carteiras no canto da sala.

- Ali, na última carteira. – O mais velho deu um tapinha no ombro de Aaron, que no mesmo instante, foi em direção à carteira vaga ao lado do menino.

Enquanto andava, fez questão de observar (mesmo que discretamente) o menor com o canto do olho, não se importando com os sussurros das meninas ou os resmungos dos garotos.

Yuri parecia ser uma pessoa bem quieta; era o único da classe que não estava conversando com alguém.Além do mais, a julgar pelo lugar onde sentava (o cantinho mais solitário, aparentemente, do lugar), parecia que ele não gostava muito de amigos ou companhia.

Mesmo assim, o mais velho ainda reparou uma coisa: ele parecia ser estrangeiro (ou descendente de algum, talvez); concluiu isso pelos cabelos negros e olhos puxados (que ele achou uma gracinha, aliás).

Entretanto, logo ele teve de parar com aquela observação rapidamente;  Yuri havia percebido o olhar de Aaron, corando no ato.

O estagiário fez o mesmo, envergonhado.

“Merda...Estou reparando mais nele do que na minha própria namorada!” – Ele pensou, desviando o olhar, enquanto sentava-se na carteira indicada.

O restante da aula correu tranquilo; o seu superior explicara o conteúdo, fizera esquemas na lousa, às vezes chamando Aaron para ajudá-lo, às vezes perguntando-lhe alguma coisa.

Tudo teria sido a mais perfeita maravilha de sua vida...Se não fosse pelo rapazinho sentado ao seu lado, o fitando o tempo inteiro.

(...)

*YURI*

O sinal da última aula havia finalmente tocado; Yuri deu graças a Deus por isso.

Não estava mais aguentando mais aquela sensação estranha dentro dele; uma sensação diferente, que ele nunca antes havia sentido...E que surgira justamente no momento em que ele vira o estagiário pela primeira vez.

Era engraçado...Ele já parecia ter ouvido falar daquilo em algum lugar; talvez em um livro que ele tivesse lido, que falava de pessoas que sentiam a mesma coisa que ele estava sentindo naquele momento: coração acelerado, calor, vergonha, uma vontade esquisita de não tirar os olhos de alguém...Como...Como era a palavra que definia aquilo mesmo no livro...?

“Amor a primeira vista?” – Uma voz pareceu sussurrar em seu ouvido, fazendo-o parar de arrumar seu material dentro da mochila.

A respiração de Yuri quase parou por um minuto.

“O...O que?”

Amor...

“O que?”

...A primeira vista?

“O QUE?!”

Agora sim ele tinha motivos de sobra para dar um soco em si mesmo.

AMOR A PRIMEIRA VISTA?! Ele havia ficado louco ou o quê?!

“Yuri, FALA SÉRIO!”

Primeiro: aquele negócio de “paixão logo de cara” era uma farsa completa; JAMAIS que alguém como ele iria acreditar ou SE APAIXONAR por alguém que nunca vira na frente!Só porque havia achado uma pessoa bonita não significava que estava gostando dela, ora!

E segundo: AQUELA PESSOA, EM SI, ERA UM H-O-M-E-M.Como um garoto de quinze anos como ele poderia ter algum desejo com alguém do mesmo sexo?E, ainda pior...Com alguém MAIS VELHO que ele?!

“Yuri...SEU IDIOTA!”

O rapaz sacudiu rapidamente a cabeça, tentando voltar a atenção para seus cadernos e livros.

Já estava na hora de ir para casa; de ir cuidar de sua mãe.

(...)

*AARON*

Aaron saiu da sala de aula o mais rápido que pôde, logo atrás dos alunos mais apressados; ele precisava de ar, precisava respirar.

Realmente, aquela aula, mesmo que normal, havia sido um tanto...Tensa para ele.

Afinal, quem ficaria tranquilo com um garoto olhando-o por 45 minutos?

“O que esse menino tem?” – Ele perguntou-se, enquanto saía da sala de aula e seguia, em meio à uma montoeira de estudantes, até a sala dos professores;ele havia esquecido um de seus cadernos de anotações lá, por isso, iria pegá-lo antes de ir embora.

Ao mesmo tempo em que caminhava, continuava pensando naquele aluno,mesmo que sem querer.

Por que ele ficava o encarando com tanta insistência?Será que Aaron era esquisito ao seus olhos?Ou...Será que ele estava invadindo o espaço do garoto quando olhou para ele, mesmo que uma vez apenas?

“Que carinha estranho...Não tenho nem ideia.” – Ele pensou rapidamente, antes de chegar até a porta da sala dos professores.

“E não quero nem ter.”


Notas Finais


Tia Lysandrete: SÓ UM PEQUENO AVISO, POVÃO LIENDO! *O*
ESSE CAP. SERÁ DIVIDIDO EM DUAS PARTES (COMO VCS PUDERAM PERCEBER PELO TÍTULO)!POR ISSO, A HISTÓRIA CONTINUARÁ A SE PASSAR TRÊS ANOS ATRÁS (NAS MEMÓRIAS DOS PERSONAGENS).

ENFIM...ESPERO MUITO MESMO QUE TENHAM GOSTADO E VEJO VOCÊS NA PARTE 2!!

Beijinhos de chocolate com morango pra todas (os) '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...