História Traçando Minha Própria História (ShikaTema) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kushina Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikaku Nara, Shikamaru Nara, Shisui Uchiha, Tayuya, Toneri Otsutsuki, Tsunade Senju
Tags Naruhina, Sasusaku, Shikatema
Exibições 263
Palavras 2.778
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tô com sono, tô queimada, achei que não podia piorar, mas de morena fui pra preta e de preta pra vermelha. Tô muito ferrada.

Não me julguem se tiver erro de português, sou linda mas não perfeita (ainda) bom

BOA LEITURA ❤

VOU PENSAR EM UM NOME MELHOR PARA O CAPÍTULO, DESCULPEM DESDE JÁ

Capítulo 18 - Vou Ser Direta: Beijo


Fanfic / Fanfiction Traçando Minha Própria História (ShikaTema) - Capítulo 18 - Vou Ser Direta: Beijo

[…] " Apenas concordei e me afundando mais em seu abraço "

Ouvi um "Click" e abri os olhos. Olhei para Shikamaru e ele apenas sorriu. Em um ato involuntário eu virei meu corpo e  subi minha cabeça,eu estava praticamente deitado em seu peitoral, e subi as minhas mãos ao rosto dele, que apenas envolveu minha cintura e me olhou assustado. Eu estava praticamente sentado no colo dele, era um cena engraçada como de filmes,me aproximei do rosto dele e pude sentir sua respiração, eu ia beijá-lo e não entendia o motivo. Eu não estava sã. Aproximei meus lábios dos dele, e ele correspondeu a aproximação, eu não sabia o que estava fazendo,até  ouvir "Chop Suey!"  começar a tocar, e vi que era meu celular. Me assustei me afastando um pouco do Shika e deitando em seu peito. Eu ri de vergonha e ele riu junto comigo.

— Desculpe...  Eu, eu não sei o que me deu... Eu.. - Meu Celular já tinha começado a tocar a guitarra da música e vi que a pessoa precisava mesmo de mim. Eu me estiquei e peguei o celular que estava debaixo da mesa. Vi que era Gaara e tinha que atender. Quando notei que ainda estava sentada em cima de Shikamaru,me envergonhei e sai rápido. Virei o celular mostrando a foto do Gaara e ele tirou os braços da minha cintura e apontou a varanda. Atendi a ligação e fui andando para varanda.

— Mochi-Moch...

— COMO ASSIM TEM MERCENÁRIOS ATRÁS DE VOCÊ, VOCÊ ESTA MORANDO COM SHIKAMARU A MESES E EU SÓ SEI DISSO AGORA?

— Estou bem graças ao nosso Kami-Sama,obrigada.

— Se explique ou vou para Konoha hoje ainda.

  Ele estava irritado com raiva e desconfiança. Não ia dar para fazer nada, ele viria para Konoha de qualquer forma.

— A história é longa e não se preocupe estou bem, pelo menos agora.

— Como assim Temari? Por quê escondeu isso de mim?

— Porque você é ciumento e eu não queria te preocupar. Ele é um cara legal, não se preocupe. Ele respeita meu espaço e os pais dele estão me ajudando com isso. Um mercenário me atacou ontem mas consegui revidar e os pais dele estão resolvendo as coisas do cara  que me atacou. Não precisa se preocupar. Eu quase morri,na moral.

— Como assim ele é um cara legal?

— Você ouviu que eu quase morri?

– Temari você está gostando desse cara? - Fiquei em silêncio e ele parecia esperar uma resposta

— Não acredito que não liga para o fato de eu quase ter morrido mas liga para o fato de eu estar morando com ele.

— Não mude de assunto.

—TÁ,E SE TALVEZ EU GOSTAR, O QUÊ VAI FAZER?? - Ele ficou em silêncio, e notei que tinha falado isso alto demais e Shikamaru estava sentado na outra ponta da passarela fumando. Ele apenas riu olhando para frente e me senti muito envergonhada.

— Tá, Matsuri me explicou a situação, só queria saber se gostava dele. Eu já sei sobre o mercenário de ontem a Matsuri recebeu uma mensagem e me falou. Eu estava perto dela e ela me mostrou. Que bom que está bem, não sei porque confio nesse cara. Mas não quero você dando mole pra ele, não quero você dormindo perto dele ou algo do tipo. Temari eu te amo acima de tudo, mas não namore. Por favor, você é minha irmã e… - ouvi a voz de Kankuro atrás "Já deu Gaara, desliga". Gaara bufa e continua - desculpa. Se precisar de dinheiro liga, e se puder mudar de cas… "GAARA CARALHO DESLIGA VIADO,PARA DE SHOW UMA HORA ELA IA ARRANJAR ALGUÉM PARA DAR, ELA NÃO PODE SE CASAR COM VOCÊ DEIXA ELA SER FELIZ. PUTA MERDA?"  Gaara respondeu no mesmo tom "Eu já falei da forma que você pediu. Fica quieto, é difícil fazer isso sabia? "eu apenas sorri e revirei os olhos, ainda eram os mesmos. — Tá Temari,vou desligar eu vou sair a negócios - ouvi um grito lá de trás "Mentira ele vai sair com a Matsuri, eles tão ficando" "CARA SE VOCÊ FALAR MAIS ALGUMA COISA EU TE MATO"  eu ri da situação, que bom que Mitsuri conseguiu.

— Já entendi Gaara, até mais. Preciso ir tenho aula hoje ainda. Ja ne

— Ja Ne - ele diz e ouvi lá de trás " TEMA, TOMA PILULA DO DIA SEGUINTE SÓ PRA TER CERTEZA DE NÃO TER FILHO CEDO, FILHO CEDO ATRAPALHA O SEXO"

— Kankurou se você falar mais alguma coisa, vou te matar. Eu não saio dando para qualquer um.

— Nem vai Temari, nem vai. Beijos - e desligou. Eu ri e observei a vista que estava a minha frente. Parecia uma floresta pelo jeito, mas era bem cuidada.

A casa dos pais dele parecia uma cabana em uma floresta. Era linda a vista. Levantei e fui andando até perto do Shikamaru. Sentei do lado dele e ele me entregou um cigarro e um isqueiro. Eu apenas sorri e peguei. Quando coloquei o cigarro na boca vi um vulto passar no meio das folhagens e comecei a prestar atenção.

— Shika, tem algo ali...- disse apontado para uma moita

— Não, aquilo é um cervo. Sinta-se especial ele não aparece para estranhos. - E tragou mais um pouco.

— Onde estão seus pais? - Ele apenas apontou para a floresta que estava a nossa frente.

— Namorando. Só tem idade como título, parecem um casal adolescente apaixonado. - Eu apenas sorri e ele terminou o cigarro e o queimou no cinzeiro. Ele apontou para a minha coxa e eu apenas assenti e ele se deitou na minha perna e começou a olhar para as árvores que estavam a nossa frente. O vento passava entre as folha reproduzindo um som bom e aconchegante.

— Shikamaru a gente tem que ir.

— Mas tá tão bom...

— Shika...

— Seu irmão já vai mandar o exército atrás de mim ou vai ser na próxima? - Diz brincalhão

— Idiota. Talvez na próxima...  - disse no mesmo tom de voz "brincalhona".

— Eu não quero ir para faculdade...

— Admito que nem eu...-disse me encostando na viga de madeira ao meu lado e mexendo no cabelo dele.

—Tema... Sobre mais cedo... - Eu corei muito Hard

— N-Não,vamos esquecer isso. Não foi nada demais.

— Não quero esquecer -ouvi ele resmugar

— Como assim,Shika?

— Fala Shika assim de novo.

— Como assim Shikama... – ele levantou em um movimento brusco e me jogou para o chão ficando em cima de mim,me prendendo pelos pulsos ,que estavam acima de minha cabeça e minha cintura entre suas pernas

— Assim - ele sem cerimônia me beijou. Eu me assustei e tentei sair mas logo cedi. Sua língua nem pediu passagem, ela saiu arrombando tudo que via pela frente. Era uma sensação estranha eu não sabia o que estava fazendo então deixei com que ele controlasse. Ele parecia explorar cada canto da minha boca, e eu da dele. Senti um calor subindo de dentro do meu corpo, senti o ar começar a me faltar mas não queria parar aquilo. Ele tirou as mãos dos meus pulsos, que eu logo as subi para o seu cabelo. Fui sentindo o ar sumir de mim, mas era um turbilhão de sensações que não percebi.

— Oxi...gênio... - disse entre os beijos, ele riu e parou. Ele se afastou mas ainda estava em cima de mim, eu estava ofegante e ele também. Minha mão que estava em seu cabelo deslizou para o seu rosto ele sorriu com meu toque e eu sorri de volta, estávamos na primavera então uma brisa suave passou entre nós. Ele saiu de cima de mim e se deitou do meu lado. Só daí vi a marca em meus pulsos e vi como meus pulsos eram delicados nas mãos dele, estavam vermelhos e com as marcas de suas mãos. Ele viu o que tinha feito

— Desculpe... - Disse pegando meu braço e logo passando os dedos onde estava avermelhado. - Não sei porque fiz isso, desculpa...

— Tudo bem, eu não posso reclamar mesmo. - Ele levantou a cabeça e sorriu para mim é eu fiquei envergonhada com aquele sorriso, mas logo o devolvi.

— Vamos temos que ir assistir aula... - Disse se sentando na passarela e logo me puxando.

— Mas eu não queroooo... - Falei igual una criança de sete anos fazendo pirraça.

— Problemática anda logo, se meus pais chegarem e virem a gente aqui vai dar ruim. – ele apenas levantou, me puxou pelo braços e me deu um selinho. – Podemos ir agora? – apenas sorri perversamente, um sorriso que nem eu conhecia direito. Ele levantou a sobrancelhas e a boca em sinal de "O" e riu. — Temari, foi seu primeiro beijo?  - ele disse entrando para dentro de casa e eu logo atrás, fiquei envergonhada mas fui atrás

— Foi...

— Uau, imagine quando for melhor então... - Olhei para ele e ele riu malicioso, eu fiquei bem corada sério muito mesmo. - MEO KAMI-SAMA eu consegui ver você corada, que bonitinho.

— Idiota - disse dando um soco no braço dele. Ele riu e os pais dele chegaram, ele não deixou que nos vissem e saímos pela porta dos fundo, subimos na moto e fomos para a universidade. Ele me deixou no estacionamento e pediu que eu o esperasse caso saísse primeiro, não era pra eu ir para casa sozinha. Eu apenas concordei e fui para a aula onde assistimos uma palestra sobre direito civil e trabalhista. Eu fiz o trabalho ali mesmo e entreguei. Professora Kurenai era muito boa, ela sempre me elogiava e disse que dessa forma acabaria o curso em três anos no máximo. Eu ficava feliz com aquilo. No fim das aulas eu terminei e fui para o estacionamento quando meu celular tocou era Naruto, tínhamos virado amigos muito próximos. Eu me aproximei até de Sasuke se é que isso é possível.

— Mochi-Mochi?

— Gatinha loira do meu coração, preciso de você. Pode me ajudar?

— Diga meu bem, do que precisa?

— Amanhã é sexta, você tem quantos horários?

— Acho que eu venho as nove da manhã e saiu até as três e meia da tarde, por quê?

— Okay, te pego na universidade as três e trinta e dois. Preciso da sua ajuda. E outra - ele deu uma pausa parecendo se afastar de algum lugar - você foi atacada por mercenários ontem?

— Ah... Sim, nada demais. Já estou bem, Shikamaru chegou a tempo. Fique tranquilo Naruto.

— Foi por isso que você foi morar com ele não é? Para não me deixar em risco, não foi?

— Foi para o seu bem Naruto, não queria meter você e Hinata nisso. Espero que uma hora entenda...

— É ridículo você pensar assim, Tema você é a irmã que eu nunca tive. Eu amo muito você mulher!  Nunca mais me esconda algo assim. Só não te amo mais que a Hinata,aí é outra história... Eu já fui da elite, nada de mal ia acontecer

— Eu sei mas você está afastado para não deixar a Hinata em perigo e eu entro na sua vida e mudo isso, melhor não. Shikamaru está envolvido de qualquer forma mesmo.

— Ele se abriu pra você? 

— Como assim?

— Falar o que pensa, discutir as coisas com você esse tipo de coisa. - Fiquei pensativa

— Ué, ele não fazia isso com você? 

— Ele parava no meio das discussões, eram muito complexa as explicações e a maioria das pessoas, até Sasuke demorava um pouco para entender

— Discutir é nossa especialidade.

— Que bom Tema... - Ouvi um sorriso abafado

— Bom a gente brigar? "Comassim?"

— Não sua idiota, a deixa. Uma hora você entende. Aposto que se a Ino não contou pra você, vai contar.

—Sobre a Tayuya? Eu já sei...- disse me encostando no poste com a luz debaixo de mim. Eu vi o reflexo do Shikamaru atrás de mim me espantei

— Que bom, bom apenas use preservativo, não quero Gaara caindo em cima de mim depois. Ja Ne

—Seu idiota… - ele desligou

Shikamaru apenas chegou atrás de sorriu fraco me entregando o capacete e colocando o dele. Presumi que tivesse ouvido que eu sabia sobre Tayuya.

— Você vem problemática? - Disse me puxando para cima da moto.

— Claro senhor abacaxi... - Disse sorrindo e montando na moto.

Fomos de moto, não muito rápido. Paramos para jantar no Ichikaru Lamem, e o velho olhou para gente como se já soubesse do nosso beijo. Fiquei tipo, taca sal que ele morre. Mas apenas sorri e Shikamaru me puxou pela mão e me fez sentar no balcão. Logo saímos de lá e fomos para casa. Quando chegamos, me sentei no sofá e ele na mesa de centro. Parecia fazer algum trabalho para faculdade.

— Shika - disse me espreguiçando no sofá e deitando, logo olhando para ele - O que tá fazendo?

— Preparando um seminário sobre "Psicologia e Globalização "

— Aaaah... Eu manjo um pouquinho, já "estudei" psicologia. - Disse levantando indo para a cozinha e voltando com uma garrafinha de água. Ele me olhou de forma espantada, e levanto a sobrancelhas. – que foi?

— Temari, sério você é perfeita garota. -

— Eu sei, eu sei. Se precisar de ajuda eu te ajudo, na boa.

— Não queria ser intrometer na sua vida, mas não dá. Então, por que estudou psicologia?

— Meu irmão, sofre de depressão...

— Uh, desculpa eu não sabia.

— Não, de boa tipo ele vive de boa hoje. Só que na época eu...  Eu o abandonei, sabe? As pessoas falavam para eu ficar longe dele por ele ser violento pelo fato de ser solitário e eu só obedecia quem estava em volta, sabe? Quando me toquei que ele precisava de mim eu comecei a estudar tudo o que pude. Me afundei nos estudos porque queria salvá-lo, entende?

— Aquele dia,na casa do Naruto que você acordou gritando. Tinha sonhado com ele, né?

— Me assombra até hoje. Me sinto culpada,me sinto um lixo. Minha mãe deve sentir raiva de mim. Fui uma péssima filha, eu...  Era para eu ter o protegido Shika. Eu devia - ele levantou e puxou minhas mãos e me mostrou sangue escorrendo. Vi que estava apertando muito as mãos, e eu não estava acostumada com unhas grandes. Apenas parei de forçar os dedos e senti a unha saindo da minha pele,que ardia. Eu realmente tinha apertado com muita força e não percebi. Ele levantou, e pegou o kit primeiro socorros e enfaixou minha mão, logo ajeitou de um jeito para não cair ou incomodar. Guardou o "kit" e se sentou na mesa, agora do meu lado. Pegou minha cabeça com as mãos e a deitou no meu ombro, eu apenas me aconcheguei e ele sorriu.

— Não precisa falar coisas, se são muito difíceis para você. - Ele sussurrou em meu ouvido, e eu me arrepiei com sua voz tão próxima de mim.

— Desculpe, não queria te preocupar...

— Não Tema, de boa. Fica aqui se precisar de algo peço sua ajuda. Se eu dormir me acorda, quero terminar isso o mais rápido possível.

— Claro, Shika. - Disse me acomodando em seu braço e ele relaxou.

  Fiquei ali observando ele escrever e ler. Me perguntava algumas coisas, mas sempre que perguntávamos tínhamos uma discussão para entender a questão.  Era engraçado, discutíamos mas sempre chegávamos a um ponto. Eu gostava disso nele, ele me despertava outros olhares. Eu observava as coisas de outros ângulos. Eu amava isso. Quando deu três da manhã eu senti que ele estava começando a dormir. A maior parte do tempo eu fiquei cantando, mas prestando atenção em tudo o que ele fazia ou escrevia

  — Shika… - disse puxando as bochechas dele, ele apenas respondeu com um gemido tipo "ahmn" - acorda, vai para sua cama, é melhor que dormi aqui... Vem bicho preguiça.

— A não... Na minha cama ninguém fica cantando Charlie Brown Jr.

— Idiota… - eu sorri e levantei - vem Shika, eu não te aguento e você já tá grandinho para ser levado para cama - eu o puxei pelo braço, mas ele era mais forte e me puxou me dando um beijo, eu me sentei no colo dele dando continuidade ao beijo, era como se nossas línguas lutassem esgrima, era engraçado. Ele parou e me olhou sorrindo

— Já despertei Tema, não precisa ficar aqui se estiver com sono.

— É melhor você ir deitar... - Disse meio sonolenta e manhosa

— Tema, a última coisa que queria pedir é isso mas, não se mexa muito quando estiver nessa posição.

— Ahh - me lembrei da posição que estava - desculpe, eu já estou saindo. - Dei um último beijo nele, que não se prolongou porque separei-nos. Me levantei e fui rumo ao meu quarto. - AAAA Shika, amanhã vou sair com Naruto, tá?

— Ué, por quê?

— Ele não me disse, só ligou pedindo a companhia. E eu vou. Ei vê se não demora para dormir

— Sim, mamãe. - Disse sarcástico

— Idiota... Boa noite...





 

 


Notas Finais


Eu ia revisar pra vê se tem erro mas tô com muito sono e amanhã cedo tenho que acordar então... Perdoem os erros de português e não desistam de mim ❤







CONTINUA……


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...