História Traçando Minha Própria História (ShikaTema) - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kushina Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikaku Nara, Shikamaru Nara, Shisui Uchiha, Tayuya, Toneri Otsutsuki, Tsunade Senju
Tags Naruhina, Sasusaku, Shikatema
Exibições 167
Palavras 2.961
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiee 💙💙

BOM, SIM SAIU MAIS CEDO!

INHAAAA

EU MEIO QUE ME EMPOLGUEI E COMECEI A ESCREVER LOUCAMENTE. Peço perdão desde já. Já que irão acontecer muitas coisas com a Temari. Não me Matem!

BOM ,O QUE IMPORTA É O AGORA, ENTÃO :

Sem mais delongas (não tenho mais nada para falar )

&

Boa leitura

+++Ignora os erros otográficos e não desistam de mim+++


❤❤❤

Capítulo 25 - Reencontros


Fanfic / Fanfiction Traçando Minha Própria História (ShikaTema) - Capítulo 25 - Reencontros

[…]

Não entendi a reação dela, mas assim que cheguei mais próximo da porta vi Itachi abraçado com Izumi. Puxo Temari para entrarmos por outra porta, nos fomos para o quarto. Eu não atrapalhar eles e eu  sempre soube que Izumi gostava dele e disconfiava que ele sentia algo por ela. Mas ele era difícil de decifrar,mesmo sempre alegre e espontâneo ele sabia esconder seus sentimentos muito bem. Assim que fechamos a porta eu vi um sorriso de satisfação no rosto da Temari que se virou para mim sorrindo.

— O que foi? — Disse pegando meu celular é vendo as horas. Eram dez da noite. O dia passou voando.

— Itachi deve ter falado pra Izumi o que sentia — Disse encostada na porta e colocando o cabelo para trás dos ombros. Seu cabelo estava maior que o normal, batendo um pouco abaixo dos ombros. Me lembro que quando ela chegou, eles eram pouco acima dos ombros.

— O Itachi gosta dela?

— Gosta? Ele tem uma puta paixão platônica por ela. Eu percebi naquela festa que teve na Elite. Ele estava sempre olhando para ela, sempre vigiando-a. Quando o Obito chegou perto dela e deu um abraço nela, só faltava ele ter umao convulsão, mas ele ficou na dele e sorriu. Ignorando. — Ela começou s andar e se sentou no meu lado na cama.

— Izume sempre gostou dele, todo mundo sabe. Mas ele, ninguém nunca soube dizer ao certo. Ele era impossível de transparecer se gostava ou não. 

— Ninguém é impossível de transparecer sentimentos. Depende do ângulo que você olha — Disse sorrindo para mim. Ah cara... Minha sanidade deve tá fazendo as malas pra ir embora porque não tá indo bem no trabalho. Ela se esticou e pegou meu celular. Peguei a outra mão dela e comecei a morder os dedos dela de leve, enquanto ela mexia no meu celular com a outra. Os dedos dela eram finos e pequenos perto dos meus. As unhas que ela passou a fazer depois que chegou em Konoha sempre pintadas de preto. Quem via nem imagina que dança McLivinho, um cantor de funk brasileiro.

Temari era como um furacão, que sempre que aparecia agitava as coisas e mudava tudo. Deitei no colo dela e comecei a brincar com as mãos dela. Ela sorriu tirando a atenção do celular e olhou pra mim

— Você parece uma criança, sabia?

— As vezes sou — Disse olhando para ela — O que tava fazendo?

— Lendo capítulo de uma fanfic enquanto você mordia meu dedo — Disse rindo sarcástica e logo mordendo o canto da boca. Ela tinha pego essa mania e minha santa avó que mantém o juízo na minha cabeça. Aquilo era tentador. Dava vontade de morder os lábios dela.

— Vamos sair para comer, ou vai querer comer algo que já tem aí?

— Posso ir dirigindo?

Ela dirigia parecendo competir com si mesma, ou seja ela rasgava a pista. Antes de eu debater e dizer que não ela fala com a voz mais manhosa do mundo.

— Prometo não correr — Eu olhei pra ela. Olhei no fundo da alma dela e sabia que ela estava blefando. Eu sabia que em um piscar de olhos, já estaria a 170km/h com um sorriso macabro no rosto. Ela percebeu o meu olhar e abaixou a cabeça vindo em minha direção e me deu um beijo. Um beijo finalizado de uma mordida no meu lábio com um sussuro "Por favor". Odiei ela ter descoberto que tem poder sobre mim, isso é problemático. As mulheres movem o mundo com o que tem entre as pernas e o carinho que elas dão. Podem começar uma guerra e terminar outra só fazendo isso com os caras. Revirei os olhos e ela sorriu.

— Tá, pode ser — Ela logo sorriu abertamente e eu que nem um idiota sorri de volta. Entrei para o banheiro e dei graças ao Naruto por ter me apresentado calças de moleton largas. Caso contrário ficaria constrangido pela Temari. Tomei um banho frio e sai do banheiro só com a toalha na cintura e Temari passava na frente na hora e ficou corada.

— Vo-você tem gominhos — Disse tentando disfarçar que estava envergonhada. Eu como adoro provocar essa mulher em um movimento rápido, peguei sua mão e coloquei na minja barriga.

— Sim eu tenho gominhos — Ela ficou como um tomate e abaixou a cabeça, mas não tirou a mão da minha barriga. Sorri comigo mesmo e lhe dei um beijo — Tem uma toalha para você em cima do balcão da pia — Ela apenas concordou tirou a mão do meu abdômen e entrou no banheiro. Ouvi um leve "idiota" sendo sussurado e sorri. Coloquei uma calça e blusa de frio. Estava um clima fresco mas eu não gosto de andar de regata ou coisas do tipo então sempre que possível uso roupas de frio. Comecei a mexer no meu celular é vi que saiu no jornal de Konoha " Vazamento de gás em apartamento Universitário" ri comigo mesmo. Meu pai era muito bom e persuasão. Por falar no meu pai,  ele havia saído cedo e não voltado até agora. Mandei uma mensagem para ele por precaução. Temari saiu do com uma blusa e uma calça com um olhar bravo.

— Shikamaru Nara — Senti um pingo de medo na voz dela.

— Pois não, senhora Sabaku.

— Minha coxa está roxa e com marcas de mão. Não posso usar mais short em público por um tempo, se sente bem?

— Lógico, a única pessoa que deve ver essas coxas sou eu.

— Meu amor, se eu quiser eu saiu de calcinha na rua — Disse em tom de desafio. Tinha me esquecido que ela é uma "mulher independente"  segundo ela. Eu achava graça.

— Só estava marcando território — disse me levantando e pegando a única blusa de frio grossa que sobrou.

— E eu por acaso sou um objeto para ser sua? — Disse chegando mais perto e olhando nos meus olhos.

— Não é um objeto mais é minha. Sua coisa problemática — Dei-lhe um beijo rápido e logo ouvimos batidas na porta. Temari revirou os olhos pra mim e atendeu. Itachi apareceu ali e deu um sorriso

— Vão jantar fora?

— Vamos. Querem ir junto? — Ela respondeu enquanto eu procurava a blusa de frio que eu jurava que estava dentro da mala que tinha trazido.

— Vamo,claro. Vão de moto ou carro?

— Moto — Disse ela sem rodízio — Achou, Shikamaru?

— Não. Desculpa, deve ter sido impressão minha.

— Que problemático — Ela sussurrou se encostando na parede perto da porta. Levantei a sobrancelhas.

— Essa fala é minha.

— Convivência... Socorro, daqui a pouco vou virar sedentária.

— Não sou sedentário, que rude. 

 — Essa fala é minha, Shikamaru. Pode parar —Apenas revirei os olhos.

— Toma uma minha — Disse jogando um suéter de lá grosso verde escuro, que era meu preferido, e ela sem nenhuma objeção vestiu. Ficou como um vestido para ela, indo até a metade da coxa. Por cima de uma calça jeans e um all-star. Estava típica de garota desejada por garotos nerd's, otakus, rockeiros. Olhei para a porta e lá já estava Izumi e Itachi. Ela sorriu pra mim e logo fomos para a garagem para sairmos. Temari sentou na moto, que era própria para velocidade e ela pareceu perceber e gostar disso.

— Itachi, deixa eu pilotar!

— Izumi... É melhor eu...

— Itchi, deixa ela pilotar... — Disse Temari sarcástica colocando o capacete. Itachi olhou pra ela e logo olhou pra mim como se o cérebro dele tivesse falhado. Como se tivesse dado erro. Apenas sorri. Já me falaram que ela dirige bem carros, mas moto não sabia. Ele se deu por vencido e entregou as chaves — Izumi, quem chegar por último paga a conta — Disse com um sorriso mais macabro que o normal. Admito que fiquei com medo pra caralho. Minha coragem não estava no meu brioco, porque o mesmo se encontrava na minha mão.

— Temari, você disse que não... — Fui interrompido.

— Desculpa, Shika. Só...segura. Quando chegar na pista, encosta sua cabeça nas minhas costas e se abaixa.

— TEMARI, NÃO OUS... — Ela ligou a moto acelerando até o final é Izumi sorriu mostrando todos os dentes. Itachi olhou pra mim assustado e eu devolvi o olhar. Antes de qualquer objeção ela já tinham começado a andar. Senti um frio na barriga.

No início tava de boa. Ela chegou a 120km/h e estabilizou. Ela e Izumi lado a lado. Quando começou a dar para ver as luzes da cidade, vi um sorriso brotar no rosto dela. Ela colocou 180km/h estourado.

— SHIKAMARU, ABAIXA A CABEÇA — Gritou

Eu já iria fazer isso. Talvez porque o vento estivesse quase arrancando eu capacete? Não,magina... Abaixei a cabeça e quando chegamos na cidade pensei "Ela deve parar de correr agora, estamos em meio a civilização" MAS NÃO, EU ESQUECI QUE É A TEMARI. Ela só parou quando pegou um sinal vermelho em uma rodovia movimentada. Ela parou e a moto chegou a sair fumaça do motor. Ela chegou primeiro que a Izumi, que chegou segundos depois. As duas sorriram uma para a outra e eu não vi duas pessoas e sim dois demônios trocando risadas. O sinal abriu e não deu outra. Ela saiu acelerando e a rodovia falava "Máximo 90km" olhei o velocímetro e ele estava em 160km.

Quando chegamos na porta do Subway eu dei graças a Kami por ter chegado. Eu já estava meio acostumado com a Temari pilotando então desci normal e tirei o capacete. Quando olhei para o lado, vi Itachi encostado no muro. Cheguei perto dele

— Cara, você tá bem? — Ele levantou os olhos e olhou pra mim

— Já estive melhor.

— Vamos então — disse pegando o capacete da mão dele e indo andando. Vi Izumi e Temari conversando e super animadas falando sobre correr e motos. Chegamos lá e comemos o lanche. Ficamos conversando coisas aleatórias. Até que eu ouvi a palavra "Racha". 

— Temari,bora ir numa pista de racha?  — falou Izumi. Vi os olhos da Temari brilharem. Itachi olhou para mim com desespero nos olhos.

— É longe? — Perguntou Temari megs interessada e eu fiquei meio  "Por favor, não pense nisso"

— Temari... — Disse fazendo-a olhar para mim. Ela me olhou e seu sorriso desfez e aquilo mexeu comigo.

— A Shikamaru, deixa. Seu pai nem gosta de andar de moto. Nem sei pra que tem uma moto tão boa pra correr.

— Shikamaru, depois eu pago o conserto da moto. Pode ser?

— Não é a moto Temari. É você — Disse sem pensar. Temari ficou envergonhada e levou a mão na boca. Izumi e Itachi me mandaram um olhar transbordando de malícia — Tá, então vamos.

Temari olhou para mim é sorriu ainda meio envergonhada. Saímos do lugar e voltamos para a moto. Temari pilotando, mas dessa vez como uma pessoa civilizada. Izumi foi indicando o caminho. Nos chegamos em uma área que acreditava ser a mais distante e abandonada da cidade.

(Pequena narração, Temari  [❤] )

Izumi nos levou até um lugar mais abandonado da cidade. Achei tudo estranho até que vi algumas luzes fortes e quando chegamos mais perto senti uma felicidade inexplicável. Eram muita gente junto. Tinha um Dj fazendo um quase show de eletrônica. Paramos a moto do lado das outras. Senti uma presença família, mas ignorei.

— Izumi, isso é o paraíso? — Olhei para ela que também tinha um sorriso no rosto.

— Quase isso. Tem corrida de carro também. Geralmente é o que eu participo — Disse animada — Vem, vou te apresentar o pessoal

Olhei para Shikamaru que apenas suspirou e soltou um sorriso. Itachi pegou o celular e começou a mexer. Izumi saiu me puxando e me apresentando várias pessoas. Shikamaru e Itachi nos olhava de longe. Estava tudo bem até que vi uma cabeleira ruiva familiar. Pensei ser alucinação da minha da minha parte. O que ele estaria fazendo fora de Kaze? Quando ele virou os olhos e se encontraram com o meu tive certeza. Nos dois travamos olhando um para o outro e isso fez itachi logo brotar atrás de nós com o Shikamaru meio sério. Quando vi ele vinha na minha direção. Empurrando pessoas e pedindo desculpa. Quando chegou perto de mim

— Tema? — Ele diz e eu apenas assenti com a cabeça. Ele correu e me abraçou forte. Sim, eu sentia falta dele. Não sei se se encaixa na categoria grande amigo, mas ele sempre estava comigo quando precisava — Pera, esse é o Nara? — Diz desfazendo o abraço e apontando para o Shikamaru que estava com uma cara de poucos amigos. Ele apenas confirmou.

— Nossa Sasori, quanto tempo cara — Itachi da um passo a frente para quebra o clima o que deu certo.  Logo os dois estavam conversando distraídos. Izumi chega e me fala sobre a corrida que iria dar a largada meia noite e se eu quisesse participar, poderia me inscrever. Pedi para Shikamaru que fosse comigo até lá para eu me increver. Chegando lá, vi que poucas pessoas se inscreveram o que me deixou espantada e aliviada ao mesmo tempo. Quando nos encontramos com o pessoal de novo Sasori disfarçadamente chegou em mim

— Temari, o Nara tá solteiro ainda? — Ri disfarçadamente comigo mesma. Eu sabia que ele queria algo.

— Não, não é — Disse meio seca e rude, admito.

— QUEM É A VAGABUNDA? — gritou chamando atenção dos outros três que estavam do nosso lado agora prestando atenção na conversa. Cheguei no ouvido dele e sussurrei

— Eu sou a "VAGABUNDA" — Disse cínica e voltei com um sorriso bem forçado mas ao mesmo tempo involuntário. Ele caiu em si e olhou pra mim.

— Temari Sabaku, como conseguiu carne tão boa? 

— Tenho minhas formas — Disse piscando e me afastando.

— Maldita as mulheres e essa coisa carnuda que tem entre as penas — Disse em um tom brincalhão.

— Tenho minhas formas, não preciso me rebaixar tanto Saso — Disse me encostando no Shikamaru que abaixou. Sasori sorriu para mim

— Você da sorte porque é minha  amiga — disse piscando — Te vejo na pista, Tema.

— O que aconteceu? — a voz dele estava rouca e simplesmente me arrepiei por completa. Vejo Sasori se encontrar com alguns amigos no meio da multidão.

— Sasori é Bissexual,mas mais puxando para gay — percebi uma mudança de leve no rosto do Shikamaru — mas ele só gosta de homem. Não tenta ser feminino, sabe? — ele apenas concordou com a cabeça.

— Tá... O que isso tem haver com o grito dele.

— Ele perguntou se você era solteiro, daí eu disse que não. O resto você sabe — Senti uma pontada de vergonha falando isso. Ele apenas me abraçou por trás, mas não durou muito porque estávamos no meio de uma multidão e a corrida ia começar já já. Izumi me chamou e nos duas fomos pegar as motos e levar para a rua onde iria rolar a disputa. Não era nada profissional, cada um com a própria moto. Parei do lado e vi Sasori sorrir pra mim é logo piscar.

Quando começou me desliguei completamente dos problemas de fora. O percurso era simples. Iríamos até o shopping, que era próximo do centro, e teríamos de voltar na rua principal do bairro abandonado. Nos estávamos concentrados em um canto do bairro, longe da rua principal. Assim que deu a largada foi automático eu acelerar e assim que chegamos no retorno próximo ao shopping eu notei que só tinha eu e mais quatro na disputa ainda, sendo um deles Sasori.  Eu e ele andávamos lado-a-lado. Quando vi a rua principal o velocímetro marcava 170km/h. Sei que não deveria arriscar acelerar mais por estar perto da ponte e pelo fato do motor estar quase no limite, mas taquei o foda-se e quando vi estava em 203km/h. Eu passei Sasori e atravessei a linha de chegada e logo atrás e creio que foi por conta de milésimo, estava Sasori. Só consegui parar uns 400 metros de distância da linha de chegada. Parei e tirei o capacete. Vi muita gente abrir a boca quando viram que eu era uma mulher. Deslizei meu rosto pelas pessoas que estavam em volta e na minha direção vinha Sasori com uma cara de espanto.

— Quero revanche, essa não contou. O cara desequilibrou na minha frente e eu quase cai desviando — Disse cruzando os braços — Meu Kami, eu tô tão orgulhoso cara. Eu que te ensinei isso. Parabéns! — disse sorrindo e me puxando de cima da moto. Atrás dele estava Itachi aparentemente chocado, Izumi com o maior sorriso do mundo e um preguiçoso com um sorriso de lado. Eles vieram e junto com eles o pessoal que se responsabilizava em checar e arrumar a moto depois da corrida. Chegou uma mulher que eu acredito ser médica, perguntando se eu estava sentindo algo. Apenas neguei e Shikamaru me abraçou.

— Parabéns, problemática. Não que eu já não esperasse, mas não o primeiro lugar.

— Eu sou surpreendente, eu sei — Disse de forma brincalhona e ouvi ele bufa. Quando me desvinculei de seu abraço e olhei a multidão em volta, a maioria ainda chocado pelo fato de eu ser mulher.

Me assustei quando eu vi um rosto conhecido. Não, não podia ser ele. Dei um passo para trás encostando no Shikamaru. O homem do meio da multidão colocou o dedo na boca falando para eu fica quieta e soletrou com a boca:

           "Parabéns Meu Amor"


Notas Finais


CONTINUA...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...