História Trade it all for love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, V
Tags Amizade Vkook, Amor Antigo, Jeon Jeongguk, Jikook, Jimin, Jungkook, Mais Songfic, Park Jimin, Rusherizando, Sou Loka, Tae Sendo Eu
Exibições 62
Palavras 1.377
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


>> Ah, não, Karla, você de novo, com outra SongFic?!
Isso mesmo manas, eu mesma Karla Mello, com mais uma SongFic, que na verdade estava escrita e guardada nos arquivos a um tempinho, e só agora resolvi tomar vergonha na cara e postar
Mas é aquele velho ditado,
Vamo fazer o quê?!
>> Ah, não esquecendo de pontuar e agradecer a delicinha da @Kiim_Haneul que fez essa sinopse lenda pra nós, e a @FilhaDeZiam14, outra diliça, que produziu essa capa maravilinda e o banner também, que eu ainda não tomei vergonha na cara, e não aprendi a usar o PicsArt até hoje, mas um dia sai
Amém
Já falei de mais

>>Vão ler seus delícias

Capítulo 1 - Trocaria tudo


Fanfic / Fanfiction Trade it all for love - Capítulo 1 - Trocaria tudo

Com um beijo forçado e uma batida nada educada na porta da frente, Jungkook sobe as escadas arrastando os pés, ouvindo o chamado de sua mãe na cozinha, provavelmente para perguntar como fora o encontro, mas como estava sem paciência pra nada, apenas ignorou e deixou-se cair na cama, com o corpo cansado.

Ouvi dizer que você tem alguém melhor

Que nunca te abandona e não te deixa só

 Que o cara é dedicado e sua mãe ‘tá adorando

 Já sei o que você anda pensando

Detestava a ideia de saber que seus pais gostavam mais do seu namorado do que si próprio.

Todos amavam Choi DongYoo, e com palavras de sua mãe: "Ele é um garoto tão amável, Jung, agora sim, você arrumou um homem de verdade", a sra. Jeon pôs tanta ênfase nas últimas palavras, que chegara a assustar Kyo, que saiu latindo e correndo pela casa.

Ela nunca gostara da ideia de ter um filho gay, pelos deuses, não poderiam, família tradicional coreana, de alta classe social, composta somente de advogados e médicos, um filho gay é a pior coisa que poderia acontecer.

É claro, se o namorado do filho fosse Park Jimin.

Jungkook às vezes pensava que o problema de seus pais não era o fato de ele ser gay, afinal seu primo também era, e eles lhe davam apoio, o problema mesmo era um certo ruivo, de vestes largas e palavreado nada apropriado ao meio em que a família Jeon vivia. Pois quando contou, em um almoço de família, que estava saindo com o mais velho dos Choi, por pouco sua mãe não soltou fogos.

Eles eram uma das famílias mais importantes de Seul, e como a ambição de seu pai não tinha limites, quase quiseram marcar o casamento já na hora.

O menino Jeon concluíra que o fato de não gostar tanto de seu namorado, era que seus pais o amavam até de mais. Na verdade não o amavam, amavam o crédito que a família Choi possuía, e sem dúvida, que eles possuiriam, se conseguissem juntar seu filho ao herdeiro destes.

O povo 'tá falando que você 'tá bem

 'Cê deve 'tá pensando isso de mim também

Mas sei de um detalhe que você nunca esquece

Que quando chega a noite, é que a saudade aparece

DongYoo, para todos, é o ser perfeito, vindo de uma família de políticos, candidato como o pai, honesto, ajudava a todos, era bonito, frequentava a igreja sempre; é, o filho e genro que toda mãe quer ter.

Hoje, eles tinham completado 3 meses juntos, e como todo garoto perfeitinho, Yoo o tinha levado a um caro e refinado restaurante, e antes de servirem a sobremesa, ele tinha pedido a atenção de todos e aos músicos que trocassem a música, pela a que estava passando quando foram apresentados.

Ao fundo de Someone like you, exageradamente ensaiado, o Choi se ajoelhou e ofereceu uma caixinha de veludo preto ao mais novo. A ficha de Jungkook, do que estava fazendo, só caiu quando ouviu sua voz rouca de surpresa, responder 'sim' ao pedido de casamento do outro.

E agora, deitado em sua cama, olhando o dedo anelar com a fina aliança de ouro branco, Jungkook pensava em como tinha ferrado com sua vida: Tinha apenas 20 anos, não estava nem no meio da faculdade, ainda morava com os pais, e já ia se casar. Sem sombra de dúvidas, seus pais adorariam a ideia, o sobrenome Jeon só cresceria, acompanhado do Choi, mas Jungkook sabia que realmente não queria isso.

Fez o que sempre fazia, quando acontecia alguma coisa, boa ou ruim, e no caso, quase péssima.

Ligou para seu melhor amigo.

E aí você rola na cama tentando me encontrar

Abraça o travesseiro, pensando me abraçar

 E liga 'pra uma amiga pra poder desabafar

Reconhecendo que só 'tá tentando se enganar

As palavras meio sussurradas, meio choradas, são ouvidas calmamente por Taehyung enquanto o outro narrava o que tinha acontecido durante o dia, desde quando acordou com a mensagem do namorado, o convidando a passar um dia no parque, terminando com o jantar, e este deu um grito audível à quilômetros quando soube que o amigo estava noivo. E a partir daí, a conversa foi, basicamente, o loiro brigando e o xingando pela burrada que ele tinha feito, e o mais novo chorando baixo, sabendo que era tudo verdade. E como não podia faltar, Kim Taehyung gritou para o resto do mundo ouvir, o quanto Jungkook ainda amava Park Jimin, e que ainda era muito novo para se casar, e que esse 'cara que não deve ser tudo o que mostra 'pro mundo, porque ninguém é tão perfeitinho' não combinava em nada consigo.

É claro que ele sabia, e só tinha saído com o mais velho, por insistência do próprio Kim, dizendo - mais 'pra gritando - que não deveria ficar largado nos cantos por que tinha terminado com Jimin. E agora, esse mesmo Taehyung, brigava consigo por ter aceitado se casar. Jungkook entendia, mas ao mesmo tempo estranhava a atitude do amigo. Claro, era burrice se casar agora, mas também fora ele próprio quem tanto ficara no seu pé 'pra poder namorar novamente.

E Jungkook sabia, ninguém nunca seria igual à Jimin.

Nenhum relacionamento se compararia a intensidade do que tinha sentido com o ruivo. Desligando a ligação, com um suspiro, e uma promessa do loiro de que a conversa ainda não tinha terminado, o moreno joga a cabeça no travesseiro, e pega novamente o telefone, olhando o tão conhecido número brilhar na tela.

E aí você digita o meu número do celular

Prende a respiração, desliga antes de chamar

 Sabe que esse cara parece perfeito

Mas trocaria tudo pelos meus defeitos

E ficou nessa repetição de discar, desligar; discar, desligar, por pelo menos uns dez minutos, quando estava com o dedo em cima, para tocar no verde da tela, perdia toda a coragem, jogava o telefone na cama e gritava abafado contra o travesseiro, frustrado. Já estava a ponto de realmente desistir, e contar a sua mãe que iria se casar, quando se assusta com uma chamada. Seu susto só aumentou ao ver de quem era a foto que piscava na tela. Estava tão diferente nessa foto, sorriam verdadeiramente, abraçados e tinha sua bochecha beijada por Jimin, que tinha o mais belo dos sorrisos. Sorriu como bobo ao relembrar aquele dia, estavam fazendo seis meses de namoro, e Jimin o tinha levado ao parque, ficaram o dia todo deitados em baixo de uma das árvores, e sendo romântico como só, Jimin tinha esquecido a cesta de piquenique, então comeram dois cachorros-quentes cada um, com uns dois litros de Pepsi, e como sempre Jimin reclamava por estar engordando, mas também não parava de comer. Fora um dos melhores dias, tiraram tantas fotos, que perderam a conta. Quase brigaram para escolher quais colocariam no contato um do outro, ficou que Jungkook escolheria a foto do celular de Jimin, e este decidiria a do telefone do moreno.

Passou tanto tempo olhando a foto, e relembrando o dia, que a chamada caiu, e quase pegou o telefone para discar de volta, mas novamente a momentânea covardia o impediu. O telefone tocou novamente, antes sequer de pensar, já tinha atendido. Não falou nada, queria somente ouvir a voz do garoto.

Prendeu um gemido ao ouvir o outro sussurrar com falsa timidez um "Kookie" como faziam antigamente, e quando percebeu, já estava conversando com ele, como se o tempo não tivesse passado, como se não tivessem ficado esses quase dois sem se falar. E como antigamente, foram dormir quase com o dia amanhecendo, com Jungkook reclamando que que tinha aula de manhã.

Quando puderam ir, realmente dormir, o herdeiro dos Jeon já havia se decidido.

Não ligaria para o que seus pais achariam, ou o que a mídia falaria, muito menos pensou em qual seria a reação de DongYoo, só sabia que quanto o mais rápido possível, voltaria para Jimin.

Taehyung estava certo e errado o tempo todo.

Jungkook sempre pertenceu, e sempre pertenceria a Park Jimin. Assim como o ruivo tinha provado ainda pertencer a ele, quando passaram a noite no telefone. Tudo mudaria, Jungkook voltaria a ser quem ele realmente era, ao lado de quem ele realmente amava.

Park Jimin.


Notas Finais


>> Eae, tudo bom?
>> A leitura foi boa? valeu apena passar por mais uma SongFic desta doida aqui? Se sim, já sabe, aquele comentariozinho maroto para alegrar a vida desta que vos fala
>> Novamente, agradecendo as lindas das @Kiim_Haneul e a @FilhaDeZiam14, suas lindas
Te amo vocês
>> E até quando eu resolver escrever mais (provavelmente, outra SF, mas deixa)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...