História Traga-me para a vida - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Jiraiya, Kurenai Yuuhi, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shino Aburame, Shion, Tsunade Senju
Tags Drama, Hinata, Naruhina, Natuto, Romance
Exibições 272
Palavras 3.519
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


AEEEEEEEH, PORRAAAAAA! O/
Olha quem ressurge das cinzas? Isto memso, eu, a desaparecida!
Gente, antes de me desculpar eu gostaria de agradecer o imenso carinho que vocês tiveram comigo no capítulo de esclarecimento - que a propósito, acabo de apagar, mas que o carinho não sairá do meu coração nunca. De verdade, vocês são demais! Obrigada por compreenderem a situação e para quem não viu e já acrescentando novas coisas: é aquela e velha temida fase de bloquei somado a problemas pessoais com muitas coisas acumuladas na faculdade. Aí vocês me perguntam: então é um volta definitiva? NÃO! Estou vindo aqui devido a demora em atualizar e pelo fato de não estar conseguindo estudar para a prova, então, como me sobrou um tempinho nessa tarde, cá estou eu com o capítulo atualizado. Não irei me estender muito, mais espero vocês nas notas finais e boa leitura, certo?
<3 <3 <3

Capítulo 9 - Capítulo 8 - Acredite, estarei aqui por você ou o encontro


Capítulo 8 – Acredite, estarei aqui por você ou o encontro

Por: AlimacSeug

 

Enfim o tão aguardado dia chegara. Poderiam dizer sobre sua ansiedade e a mútua felicidade que possuíam tomando conta de seu ser. Olhariam a janela e se deparariam com um belo sol animando ainda mais aquela tarde tão esperada. Hinata, por exemplo, poderia se colocar no lugar da Branca de Neve, com passarinhos lhe trazendo um belo vestido para o agradável encontro que teria com seu mais recente amigo. Poderia cantarolar por todo o seu quarto, sabendo que não seria ouvida e passaria a contemplar o belo jardim enquanto suspirava e ansiava o momento de rumar para o café e de encontra-lo. Tinha a felicidade de seu pai estar em viagem e a possibilidade de tudo ocorrer como gostaria e sair despreocupada sem ser questionada sobre nada. Entretanto, a vida não é como um conto de fada, certo? E justamente por isso, estava frio. Muito, muito frio. O frio estava tão intenso que não se julgava capaz de levantar da sua cama para se arrumar e encontrá-lo. Suspirou pesadamente, enrolando-se ainda mais em seus cobertores. A vida poderia ser mais simples, não? Definitivamente não desgostava do tempo, mas gostaria de vê-lo em um dia ensolarado, para que pudesse comparar o tom de seus olhos com o do céu, já que para ela, eram tão intensos quanto.

Já para Naruto, o tempo estar assim fora uma surpresa. Quando saiu de sua casa para o consultório estava um pouco frio, mas nada que se comparasse com o ar gelado daquela tarde. Sua madrinha sempre chamou sua  atenção por nunca se informar a respeito das mudanças climáticas e consequentemente ver-se surpreendido com a “inesperada” alteração de temperatura ou até mesmo a forte chuva. Um dia, talvez, se lembraria de entrar no aplicativo meteorológico de seu celular para evitar surpresas desagradáveis. Por sorte, sempre mantinha um casaco e um par de luvas guardados em sua sala devido a seu descuido. Olhou para o relógio na parede e constatou que ainda tinha tempo sobrando e ligou para Shion, questionando se ela havia reagendado as duas consultas que estavam marcadas para o momento de seu encontro.

- Como não desmarcou? Pensei ter sido claro na segunda-feira. – Falou, tentando não parecer ríspido, tendo a ciência de que todo seu esforço para isso fora inútil. – Eu não estava brincando, Shion. Eu realmente tenho um compromisso para daqui alguns minutos, então peço que, por favor, desmarque com os pacientes antes que eles cheguem, ok?

- P-perdão, eu realmente pensei que fosse uma brincadeira. É que o senhor nunca tinha feito isso, então pensei que fosse piada. – Conseguiu perceber o nevorsismo na voz da mulher enquanto se explicava. – Caso os pacientes perguntarem o porquê, o que devo viver? – Perguntou e ele desconfiou do intuito daquele questionamento. Não era simples? No fundo ele sabia que era mais interesse dele, mas não falaria nada sobre isso.

- Apenas diga que eu tenho um compromisso e diga que peço desculpa, mas que é importante. – Ditou de forma séria, enquanto lia as mensagens que tinha recebido dela e não pôde conter um risinho que não passou despercebido.

- Tudo bem, farei isso. Mais uma vez, peço perdão. – A linha ficou muda.

Respirou fundo, tentando deixar esse assunto de lado e focando no que era mais importante no momento. Portanto, tratou de lhe escrever uma mensagem:

“Você já está pronta?” – Certo, parecia que estava lhe fazendo um ultimato, contudo, estava extremamente ansioso e sua pergunta tinha as melhores as intenções, apenas tinha pressa. Bem, pressa não era a melhor palavra, eufórico cabia melhor para a situação. Apenas esperava que não a chateasse.

“Ooooh, me parece que alguém aqui está ansioso... hahaha” – E com a constatação exata da outra sobre si, ficou um tanto quanto envergonhado. Estava prestes a responder quando ela enviou a continuação: “vou ser bem sincera, eu ainda estou deitada, mas prometo que assim que me levantar, irei me trocar super rápido!” – A sensação de ter se comportado como uma criança que queria muito um determinado presente ainda não havia sido superada. O fato dela ter levado a situação com bom humor ajudava muito, e claro, porém não seria isso que retiraria de si a ideia de ter sido... tolo. E ainda que fosse um tolo, admitia que isso era culpa dela, uma vez que sua tolice só era despertada quando se tratava da morena. Sorriu mais uma vez e respondeu a jovem, terminando de organizar sua sala e ir para o local do encontro.

Tentava de todas as formas não ficar nervoso, o que parecia impossível devido ao fato de que a hora para o encontro estava se aproximando. Ao menos, tinha a gentileza da jovem, que mesmo por mensagens, o fazia ter sensações ambíguas de ansiedade e em outros momentos – sendo estes mais breves – de calma. Talvez fosse isso de que precisasse para si, um pouco mais de agitação em sua vida, e a morena parecia lhe dar isso e talvez, um pouco mais.

 

 

(...)

 

 

Certo, estava aguardando no café há cerca de 20 minutos e as garotas ali dentro olhando para ele e sorrindo timidamente não estava contribuindo para que se sentisse mais calmo. Os murmúrios de que talvez a possível companhia dele não viesse também não o ajudavam. De fato, estava ali há um tempo, porém, ele que tinha chegado antes que o combinado. Não aguentava mais ter de ficar em sua sala aguardando o horário, portanto decidiu ir para o local de encontro, ainda que antes, mas ao menos se sentiria mais livre. Olhou mais uma vez o cardápio e tentou desviar sua atenção para qualquer coisa para além daquela situação constrangedora na qual estava envolto. Certamente seria mais fácil se a morena respondesse sua mensagem. Respirou fundo e tentou se acalmar. “É apenas um encontro entre amigos não é como se você nunca tivesse feito isto antes...” – explicou para si, tentando relaxar com este pensamento.

- Naruto-kun! – Chamou animada, sorrindo para ele da porta de entrada. Rumou até a mesa onde o loiro estava.

- Hinata! – Sorriu abertamente, sentindo toda a ansiedade dispersar-se e a calma tomando conta de si. Estava nervoso ainda, isso não passaria tão já, contudo, não ficar enjoado já o ajudava muito.

- Você chegou cedo aqui! Achei que chegaria antes de você, queria te esperar aqui, entretanto já estava me aguardando. Não pense que estou reclamando, não é isso. Na verdade, fico feliz por isso, por saber que não apenas eu ansiava para esse momento. – Sim, ele concordava com ela, pois suas palavras o faziam crer que não estava sendo tão tolo assim. Ou se essa atitude estava sendo tola, estavam sendo tolos juntos.

- Realmente, estava bem ansioso, tenho que admitir. Obrigada por vir, Hinata! – Seu sorriso mais uma vez fez com que a outra se aquecesse. Sim, queria saber se ele tinha esse poder mesmo ou se era apenas uma impressão causada naquela foto.

- Você não tem que me agradecer... – falou baixinho, olhando para baixo, temendo que suas bochechas estivessem vermelhas.

Ficaram em silencia por um tempo; tempo este que nem fora tão longo assim, todavia, para quem esperava tanto por aquele momento, tal silencio era constrangedor e um possível balde de agua fria, uma vez que esperar tanto para depois não saber em qual momento encaixar as devidas falas eram um pouco decepcionante. A Hyuuga não pôde deixar de reparar que as garotas estavam sempre os olhando e comentando algo baixinho, o que não a ajudava muito. Estavam vendo-os como um aparente casal e comentando sobre a beleza que ele possuía. Sim, ela realmente tinha que admitir que ele era bonito, mas toda essa conversa acerca da beleza do outro a incomodava, ainda que desconhecesse o motivo para tal aborrecimento.

- Então, você vai pedir alguma coisa? – Perguntou, olhando-a diretamente nos olhos dela, em uma tentativa de chamar sua atenção. – Estou pensando em pedir uma torta de maçã e café e você? – Sorriu docemente, a fazendo sorrir com ele.

- Aaaah, eu não olhei o cardápio ainda... – comentou baixinho, pegando um para si observando atentamente cada item que constava ali. Não queria demorar muito, então decidiu pelo que estava mais acostumada. – Vou querer um cheesecake de morango. – Sorriu, vendo o loiro realizar o pedido dele e depois ela informar o dela.

Ficaram em silencio novamente, cada um em seu mundo particular, entre dúvidas e receios. Ambos não sabiam exatamente do que falar. Tinham coisas a serem ditas? Muitas, todavia a linha que separava a amizade entre a relação profissional entre eles era tênue, o que dificultava um pouco a conversa para o Uzumaki. Queria perguntar várias coisas, no entanto, havia o impasse até onde poderia ir sem ser intrometido ou passar dos limites? Suspirou derrotado, já com dor de cabeça de tanto pensar no que deveria fazer.

- Desculpe por isso... – falou, em um tom sério, mais do que o usual. – Não quero que pense que estou aqui por obrigação. Estou aqui porque quero te conhecer melhor, quero firmar nossa amizade, quero que você possa confiar em mim, e mesmo com todo esse desejo, não consigo desenvolver um diálogo minimamente interessante com você... – Parou um pouco de falar, observando o chão, evitando olhar para a jovem. – Apenas não sei por onde começar! – Disse por fim.

- Naruto... – A voz delicada fez com que olhasse para ela. O sorrio meigo que havia nos finos lábios o fez se concentrar unicamente nela. Ela era calma e compreensiva, as vezes parecia que nunca brigariam e que aquela certamente seria uma sólida amizade. – Não precisa se desculpar! Eu que o chamei para sair, e veja bem, o que disse até então? Não muita coisa. Praticamente nada! – Segurou uma das mãos dele e olhou diretamente para os olhos dele ainda com um sorriso no rosto. – Quero muito te conhecer melhor. E saiba que eu já confio muito em você. Te darei duas comprovações disto. Hoje eu gostaria que o dia estivesse ensolarado, e sabe porquê? Para que pudesse dizer que seus olhos são tão intensos quanto o azul do céu, e sem que isso parecesse ser tão aleatório como está sendo agora. Parece estranho, não é mesmo? Porém, não é algo que eu falaria para qualquer outra pessoa, digo isso a você pois confio em você. Não nos conhecemos há muito tempo, eu sei... apenas quero dizer que em tão pouco tempo, você já fez muito por mim, obrigada! A outra coisa é sobre o sonho. Lembra que eu comentaria, certo? Não irei dizer exatamente o que foi, mas de certa forma, você me libertou nele. Você me conduzia por todas as situações ruins que se apresentavam para mim. Foi como um herói! Saiba, portanto, que já confio em você e espero que o contrário também aconteça. Ainda não há motivos para que confie em mim, mas saiba que estarei sempre aqui para o que precisar! – Falou, confiante em tudo o que dizia para o Uzumaki, que por sua vez, estava boquiaberta com a sinceridade que ela apresentara para si. Sim, era disso que ele precisava, ser sincero com ela e consigo para que pudessem estreitar os laços já construídos. Apertou a pequena mão que se encontrava repousada na sua e sorriu.

- Sim, eu confio. Você foi a primeira paciente que consigo e quero realmente criar uma amizade verdadeira. Tudo, porque sinto que posso confiar, e esse é o passo mais importante para qualquer tipo de ralação, certo? – Estava animado, isso ninguém poderia negar. Toda a insegurança estava, aos poucos, sendo posta de lado em prol de algo muito maior. Eles. Em seguida, a moça trouxe os pedidos. Agradeceram e ele continuou: – Obrigada por estar aqui por mim, digo o mesmo! – Sorriu, enfim soltando a jovem para que pudessem comer, recebendo um sorriso em resposta.

Trocaram suas sobremesas para que ambos pudessem experimentar, trocaram uma palavra ou outra e desta vez, o silêncio não estava sendo desconfortável, apenas não haviam o que ficar falando o tempo todo.

- Está pronta para as perguntas aleatórias de Uzumaki Naruto? – Perguntou, mais animado que o habitual, chamando a atenção da perolada para si. – Não se preocupe, são coisas simples para nos conhecermos melhor e que você pode perguntar o mesmo para mim! – Explicou ao notar que ela parecia confusa. – Você aceita? – A viu assentir e prosseguiu? – O que você gosta de fazer em seu tempo livre?

- Bem, eu costumo ler e escrever. Ah, e também desenho as vezes... – O desenho... o home havia esquecido completamente deste detalhe, ao menos, ela tocou no assunto!

- Verdade! Aquela imagem de perfil, é um autorretrato feito por você? – Questionou, sem rodeio. Ela apenas confirmou. – Você desenha muito bem! Gostei da perspectiva de mudança nele... com as borboletas azuis... é isso que deseja? Uma metamorfose?

- Obrigada! Eu quero mudar... bom, me encontrar se encaixa melhor. Nomes e datas não define quem somos, ainda que nos dá informações sobre uma determinada pessoa. Percebi isto apenas recentemente, mas pretendo mudar esta situação.

- Sim, isso é verdade. Eu concordo com a sua ideia, e sem querer contrariar, mas acrescentando a segunda parte do que você disse, quantos anos você tem? – Sorriu, vendo-a sorrir junto com ele.

- Eu gosto do seu jeito! – Comentou divertida. – Tenho 22 anos e você?

- 26! – Respondeu ainda sorrindo. – Assim, como você, não sei exatamente quem sou. Na verdade, sabermos exatamente quem somos é um pouco difícil. Eu deveria trabalhar melhor nisso, também. Não se sinta mal por não ter uma resposta definitiva. O fato de você estar em busca disto já é muito bom. Eu deveria ser mais como você e ir em busca disto. Talvez, possamos fazer isto juntos, o que você acha? Seria legal se nos descobrirmos como somos de fato. E bem, seria um jeito de nos vermos algumas vezes...

- Com toda certeza! – Concordou tão animada quanto o loiro. Tudo que envolvesse em mais tempo com ele, aceitaria imediatamente. Era a melhor companhia. – E você, o que gosta de fazer em seu tempo livre?

- Bom, não é muito diferente daquilo que você já sabe... eu fico na minha casa, sempre estou lendo. Algumas vezes, escrevo coisas aleatórias, nada muito digno de nota. Queria poder desenhar tão bem quanto você, mas não tenho essa habilidade e nem paciência para ficar tentando... sua técnica é sensacional, Hinata! – Falou, após bebericar o seu café, sorrindo docilmente. Sim, não tinha muito o que falar de si. Era quase uma receita de bolo para todos que questionasse sobre esse mesmo assunto. Ele lia, e a maioria das vezes, sobre assuntos relacionados ao seu trabalho. Precisava de uma constante atualização para que pudesse sempre avaliar se o seu método estava de acordo com a linha que seguia e como acreditava que deveria agir.

- Oh, está me dizendo que não sai, não vai a festas e nem nada assim? – Questionou desconfiada acerca da veracidade do que o outro havia lhe dito. Para si não fazia o menor sentido que alguém, tão... assim, como ele passe todo o seu tempo livre em casa, atrás de livros.

- É exatamente isso! Já passei dessa fase de ir a festas e tudo mais. Não que eu ache algo ruim, cada um deve fazer o que acha melhor para si, contudo me é mais confortável, atualmente, ficar em casa. Talvez, eu possa, daqui a duas semanas sentir muita vontade de sair e ir à alguma festa. Coisa, que acredito que não acontecerá, mas caso ocorra, chamarei você para me acompanhar. – Permitiu-se rir da careta que a outra fez para si quando ouviu-o falar de a levar para uma festa com ele.

- Isso significa que você não tem uma namorada? – Quando havia finalizado a frase percebeu que era tarde demais para fingir não falar de tal assunto. Estava mesmo interessada em saber de uma possível relação amorosa que ele poderia ter com outra? Isso só poderia acontecer consigo...

- Não, eu não tenho uma namorada. E eu sei que você vai querer saber o porquê, então já vou adiantar... – Riu das bochechas coradas quando ele disse isso – Não namoro porque sei que isso seria ruim para ambos. O tempo livre que eu tenho é muito pouco, e fazer com que alguém fique ao meu lado sabendo que não darei a devida atenção só causaria sofrimento para a outra pessoa, portanto, acho melhor estar assim. Sozinho, mas tranquilo comigo mesmo, sabendo que não estou iludindo e nem causando sofrimento para ninguém... – É, ela concordava com o que ele pensava. Tinha dois pontos a pensar sobre isso. O primeiro, é o do alívio ao saber que ele não possuía uma namorada. Não que isso fosse fazer alguma diferença, mas foi bom saber disso. Talvez fosse um possível ciúme de amiga? E o segundo pondo era o da felicidade que sentiu a constatar a sensibilidade que o outro possuía em pôr a outra pessoa da relação acima de si e por um momento, desejar que se fosse para ficar com alguém em algum momento de sua vida, que fosse com alguém como o Naruto. Certamente, esse era o caminho!

- Isso é muito legal da sua parte. Não ser egoísta e reconhecer que um relacionamento nessa situação não seria saudável e principalmente por se preocupar com a outra pessoa... – Comentou, olhando para as próprias mãos. Achava que o melhor seria não pensar a respeito de seus próprios pensamentos e que não olhar para ele seria o melhor caminho para a solução.

- Sim, acho que é exatamente isso... – comentou mais para si do que para ela. – Você namora? – Questionou, repentinamente, com a voz um pouco mais alta do que gostaria.

- Também não. E não tenho interesse, acho que é só isso mesmo... – Falou desejando ao máximo que ele não fizesse quaisquer tipos de questionamentos a respeito.

- Entendo, há coisas mais importantes que isso... – Pareceu não ter diferença, não é mesmo? Mas com muito esforço, conseguiu manter-se neutro com as palavras dela, ainda que por dentro, sentia-se ferver com a informação. – E bom, você é formada ou ainda estuda? – Questionou, para mudar de assunto e evitar que falasse que não devia, entretanto, foi justamente isto que fez, ao notar que o rosto dele ficara pálido e o olhar focou em qualquer lugar distante de si.

- Não, eu nunca comecei uma graduação... espero um dia poder começar uma...

- Com certeza vai, Hina-chan! Eu acredito em você! – Repousou sua mão carinhosamente sobre a dela em menção de estar ali para o que precisasse, recebendo um aceno como resposta.

Conversaram aleatoriamente sobre coisas banais e algumas um pouco mais importantes, sobre passatempo, música, filmes e etc. A verdade é que aparentemente, as personalidades deles se assemelhavam de uma determinada forma, se assemelhavam entre si. A grande diferença estava em ele ser extrovertido e ela introvertida, o que era confortável para a morena, pois ele sempre a envolvia com seu entusiasmo e variados assuntos, fazendo-a sentir-se bem.

Já haviam saído do café e caminhavam lentamente pela rua. Ele conseguiu a convencer de que seria mais confortável levar ela até sua casa do que chamar um motorista, portanto, caminhavam sem pressa alguma pelas ruas, sem um rumo certo, apenas apreciando a companhia um do outro.

- Chá ou café? – Foi a vez de Hinata perguntar.

- Huuum... café!

- Chá! – Respondeu. – Despois dessa escolha estou avaliando sobre a nossa amizade...

- Ah, é? Deveria fazer o mesmo então, com você e sua escolha de chocolate branco ao invés de preto... – Comentou, fazendo-a rir.

- Pois é, ninguém é perfeito... – Continuava rindo. Desejava que todos os momentos com ele fossem divertidos como este estava sendo.

Andaram por mais um tempo até notar que o Uzumaki estava ficando rouco por não estar usando um cachecol. Soltou o seu e arrumou de modo que ambos pudessem usufruir da peça, aquecendo a ambos.

- Acho que isso resolve o nosso problema com sua voz, certo? – Perguntou, timidamente, notando que por dividirem o mesmo cachecol, teria de andar mais próxima dele.

- Sim, obrigada, Hina-chan! – Sorriu carinhosamente para ela.

- Se virarmos nessa próxima rua na direção esquerda, chegaremos a minha casa... – A voz saíra fraca. Realmente não queria que esse momento acabasse, contudo, não tinha muito o que fazer.

Seguiram em silêncio pelo caminho indicado. Naruto a segurava próxima de si, pois conseguia perceber que ela sentia bastante frio, ainda que estivesse mais agasalhada que ele. Ao passarem por um enorme portão, ela lhe disse que esta era sua casa e então, se separaram. A Hyuuga arrumou o cachecol somente para ele e abriu o portão.

- Muito obrigada por este dia, Naruto-Kun. – Disse com um enorme sorriso. – Foi um ótimo encontro.

- Sim, eu que agradeço. Te vejo na sexta, certo? – Questionou e ela assentiu. Se despediram educadamente e cada um seguiu seu caminho. Definitivamente tinha sido um maravilhoso encontro para ambos e que o mesmo, se repetisse mais vezes. Assim que entrou em sua casa, a perolada fez questão de enviar uma importante mensagem:

“Naruto-kun, certifique-se de que não irá ficar doente. Eu vi que gengibre com mel é bom...

Até mais!”


Notas Finais


ACIMA DE TUDO: PEÇO PERDÃO A TODOS OS QUE ACOMPANHAM DEVIDO A MINHA DEMORA! <3 <3
Espero que tenham gostado deste capítulo, eu gostei muito da forma que ele ficou. Tentei deixar divertido, porém, fail em minha tentativa né? kkkkkkkkkkkkk
A Hinata RAINHA do meu ser, porque olha, ela é demais! Quando crescer quero ter o mínimo de coragem que ela tem! :3
Agora vamos ao informativo:
- Gente, é assim, não irei postar mais todas as semanas. Não posso falar que farei isso novamente, ainda mais porque este semestre está corrido e nem férias terei, mas de boa, faz parte. Toda vez que sobrar um tempo extra, estarei tentando atualizar, por isso, de antemão, peço paciência, ok?
- Sobre o capítulo, eu pensei em informar mais coisas, porém, farei aos poucos, e o que eu iria informar serpa melhor em consulta do que em encontro. Se fosse no encontro, causaria uma impressão que não quero, portanto achei melhor deixar essa coisa divertidinha, ok?
- Reparem na Hina toda trabalhada na preocupação, heim? rsrsrsrsrs
Enfim, creio que seja isso, qualquer dúvida ou alguma utra coisa, podem deixar nos comentários, ok?
Bjsssss e mais uma vez, perdão e muito obrigada!!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...