História Tragédia - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai, Personagens Originais
Tags Abo, Kaisoo
Exibições 421
Palavras 1.302
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Demorei não foi? Não está grande, é apenas um restinho para não acharem ela tão triste assim bsusjej

Boa leitura e desculpem os erros.b

Capítulo 2 - Bônus



Depois que conheci KyungSoo no berçário do hospital, nos aproximamos, eu não tinha a mínima ideia de como cuidar de um recém nascido e como eu deveria fazer no decorrer do dia e da noite, por isso ao ver o meu desespero o médico que cuidou de JongUp disse que se KyungSoo quisesse ele poderia me ajudar nos primeiros meses e não perderia seu emprego no hospital, o mais engraçado que antes que eu pedisse ele respondeu sim e olhou para mim e JongUp, não sei se foi alí que o meu novo sopro de vida começou.

No começo foi muito difícil, nada é fácil mesmo nessa vida, não é? Eu não conseguia me acostumar a morar naquela casa com JongUp, por isso quando ele fez dois meses eu - com a ajuda de KyungSoo e uns amigos-, me mudei para uma outra casa em outro bairro, sei que poderia muito bem ir para um apartamento, mas JongUp merecia crescer em uma casa que pudesse correr e se divertir.

Os meses foram passando e KyungSoo me ajudando em tudo, ele me ajudou até os 5 meses porque segundo ele; eu poderia me acostumar, e até que me acostumei, JongUp puxou totalmente a mim e isso chegava a me assustar as vezes e também a me deixar admirado, KyungSoo vinha sempre nos fins de semana ver o meu filhote e foi assim que nos aproximamos bem mais.

Certo dia com JongUp para completar um ano, ele tentou andar, KyungSoo estava ao meu lado quando o meu filhote deu 5 passinhos e caiu no chão sorrindo, eu fiz algo que não me arrependo, olhei para KyungSoo e acabei o puxando para um beijo rápido que o deixou corado, e logo após corremos para JongUp quando ele ameaçou ficar de pé e tentar andar outra vez.

Quando eu digo que KyungSoo é meu anjo, pode ter a certeza que eu não brinco ao falar isso.

JongUp fez um ano, eu e KyungSoo fizemos uma festinha só nossa na realidade, eu não queria comemoração grande até porque fazia um ano desde a morte dele, KyungSoo entendeu e deu a idade de fazermos um bolo e encher a casa de balões para o meu filho, JongUp distribuía sorrisos e KyungSoo fotos, foi mais um dos meus chamados começos, porque era assim que eu me sentia, começando algo novo, mesmo que eu já tivesse feito algo, com KyungSoo e JongUp parecia que era a primeira vez.

Ficar íntimo de KyungSoo demorou, eu ainda não conseguia o tocar nem nada além de o beijar, mas ele entendeu, ele sempre entende mesmo, KyungSoo é paciente, ele me escutou e me aturou quando as vezes eu choramingava por algo, me dizia palavras bonitas, me fazia seguir.
Certo dia eu o convidei para morar comigo e ele sorriu fazendo seus lábios formarem aquele coração que eu tanto gostava e JongUp contornava com os dedinhos quando o ômega sorria perto dele.

Prestes a completar 6 anos, JongUp recebeu uma ligação de seus avós por parte de Omma, KyungSoo quem atendeu e não foi trato muito bem quando se apresentou como meu noivo - até porque para os pais dele, eu estava seguindo em frente muito rápido, mas havia passado 6 anos, o que eu teria que fazer? O que eu teria que esperar para seguir em frente?-, KyungSoo não os respondeu de forma grosseira, foi muito educado por sinal depois apenas me chamou e me entregou o telefone, eles queriam ver o meu filho, e eu perguntei a JongUp como sempre o que ele queria porque ele já tinha idade suficiente para decidir,  no primeiro instante ele negou, sabia da história toda e sabia que nunca teve nenhum contato com os mais velhos depois da morte dele, KyungSoo conversou com JongUp fazendo o menino mudar de ideia, JongUp obedecia mais KyungSoo do que a mim, e eu não sentia nada além de felicidade por isso.

Os anos foram passando, me casei com KyungSoo em uma cerimônia simples e pequena, apenas nossa, todos os anos eu e JongUp vamos ao cemitério deixar flores a Omma dele, com o tempo JongUp passou a chamar KyungSoo de Soo Omma, o que rendeu sorrisos e mais sorrisos de KyungSoo pela casa.

"Ei, o que fazes sentado aqui fora?"  me virei olhando para KyungSoo, ele estava tão lindo, ele é lindo e parecia não envelhecer mesmo com esses quase 16 anos já passados ao meu lado.

"Pensando no quanto minha vida mudou desde que você entrou nela."

" e isso é bom?" ele sorriu se aproximando. "me ajude a sentar."

"Oi garotinha. " beijei sua barriga, KyungSoo estava grávido de 7 meses. "E não, não é bom, é ótimo."

"JongIn, se naquele dia eu não estivesse ali e te ajudasse no berçário com o JongUp, não tivesse me aproximado, como seria sua vida?"

"A pior possível, eu iria ter JongUp e talvez colocasse a culpa de tudo nele, eu poderia estar bem na pior, acho que se hoje eu estou bem é por você e JongUp." admiti e ele sorriu. "Minha vida antes serviu como um ensinamento sabe? Acho que ele apareceu na minha vida para me ensinar a amar e saiu quando percebeu que eu alcancei isso."

"Pensamento triste, Nini." KyungSoo acariciou minha bochecha. "Mas talvez tenha sido isso, eu não sabia o que era amar até te conhecer, e você quem me ensinou a sentir isso, fico pensando, sabe? O que seria de mim sem você e o Jjong."

"Nada." ri baixinho escutando a voz de JongUp. "Omma, o HimChan vem jantar aqui, tudo bem?"

"Claro que sim, gosto dele." KyungSoo assumiu. " espero te ver casando com ele."

"Ele é apenas meu namorado não sonha tão longe. " ele riu. "Mas eu também quero me ver casando com ele."

"Então não é apenas um namorado." comentei rindo.

"Sobre o que estavam falando?" JongUp se sentou ao lado de KyungSoo no banco que temos no jardim.

"Minha vida com meus dois amores, opa, agora três porque em breve a pequena Eunji vai nascer." respondi a JongUp.

"Appa, se ele ainda estivesse vivo, acha que ele gostaria de me ter como filho? Digo, gostaria do meu jeito e do que eu sou?"

"Ele te amaria, na verdade ele te ama de onde quer que ele esteja. " KyungSoo respondeu por mim e eu sorri. "Agora se vocês garotões me ajudarem, eu tenho que alimentar essa pequena ômega morta de fome aqui." ele pôs a mão na barriga enquanto eu o ajudava a se levantar. "Não fiquem muito tempo aqui, logo mais o clima esfria e eu não quero nenhum dos dois doentes."

"ok Omma." JongUp respondeu rindo enquanto KyungSoo andava de volta para casa. "Parece um pinguim andando, não é Appa?"

"Nem ouse em concordar Kim JongIn! " KyungSoo gritou e eu ri baixinho só concordando com a cabeça. "Se você concordou eu te bato quando entrar em casa."

"Não concordei amor!" respondi e vi ele me olhar firme antes de entrar em casa. "Um pinguim raivoso."

"Appa, o que o senhor sente hoje por ele e pelo KyungSoo?"

"Eu ainda o amo, não como antes porque esse amor agora é do KyungSoo, o que eu sinto pelo KyungSoo não é igual, é maior até. " suspirei "Amo ele como se fosse uma das pessoas importantes da minha vida, e eu amo KyungSoo com minhas forças, não usei o Kyung para tapar ele, apenas amei o KyungSoo e segui em frente."

Na vida há tragédias de todos os tipos e tamanhos, das mais pequenas e leves as maiores e graves, mas basta você tentar seguir em frente, não usando pessoas ou se isolando, apenas seguindo, fazendo as pessoas a sua volta se orgulharem, porque assim como uma tragédia existe, um dia melhor no nascer do sol também.


Notas Finais


Obrigada a quem gostou, até mais 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...