História Tramas de um crime - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Crimes, Romance, Trama
Exibições 6
Palavras 798
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - A ultima taça


O sol iluminava as janelas dos hotéis de New York, os pombos voavam dos tetos das casas. Emma acorda com a luz do sol em seu rosto, ela se levanta e vai até o banheiro, escova os dentes, lava o rosto e toma um banho quente. Ao sair do banheiro de roupão, Emma pega o telefone do hotel e liga para Estevão
-Como foi à viagem?

-Cansativa, oito horas de viajem, imagine quando for viajar para ir atrás dos outros em variados países

-Você consegue, tenho certeza

-Estevão, preciso ir, te ligo mais tarde- Emma desliga o telefone

Emma pega um táxi e desce em uma cafeteria, o garçom dá-lhe o cardápio e Emma escolhe uma xicara de café e uma fatia de torta de cereja. Após tomar café, Emma entra em uma biblioteca e pega um livro, ao sair de um corredor de prateleiras, ela esbarra com um homem de terno, alto e olhos verdes
-Desculpe, senhorita- Diz ele

-Não se preocupe, eu estou bem- Diz ela se levantando e saindo sem olhar o rosto do rapaz

-Hey, espere, deixou cair o seu colar- Diz ele dando nas mãos dela o colar de brilhantes

-Oh, muito obrigada, ele é meu preferido- Diz ela sorrindo – Pode me ajudar á colocar? – Pergunta levantando os cabelos deixando o pescoço exposto, o rapaz coloca o colar e observa o pescoço delicado de Emma
-Qual o seu nome?- Pergunta ele

-Emma, Emma Grace Taylor, e você é?

-Richards, Richards Robert- Diz ele apertando a mão de Emma

-Você vem sempre aqui?

-Ah por favor, sem cantadas – Emma disse revirando os olhos e se tirando do lugar

-Mas que convencida- Diz ele sorrindo e olhando-a  sair

Emma volta para o hotel, deita-se na cama e lê o livro, depois de cinco longas horas, ela termina o livro, era um livro fino de romance.

Às nove da noite...
Emma escolhia um vestido que usaria para ir atrás de sua primeira parte da vingança, por fim Emma escolhe um vestido vermelho muito justo, seus cabelos estavam presos deixando apenas uns fios caídos.
Ao chegar na discoteca, Emma começa á dançar entre as pessoas musicas da época, após avista Peter no bar, ela vai até ele com um olhar tentador
- Um whisky por favor- Diz ela para o barman , que á serve

-O que um homem como você faz aqui sozinho?- Diz Emma para Peter que sentava ao lado

- Pois é, também quero saber- Responde o enorme homem peludo, careca e gordo

-Sabe, acho que precisa beber mais um pouco- Diz ela acendendo um cigarro

-Acho que devo aceitar- Diz ele sorrindo o que fez Emma quase vomitar

-Garçom, mais uma pro meu amigo aqui- Diz ela gritando

Após varias dozes de bebidas...
-Acho que não vou poder voltar para casa, minha família vai me matar – Ria Emma fingindo embriaguez

-Venha para minha casa, passe a noite lá- Diz ele bêbado

-Claro- Diz ela se levantando – Ótimo – Pensa Emma fazendo um sorriso sinistro e macabro

Ao chegarem no apartamento de Peter, Emma manda-o ir para o quarto, que ela iria fazer uma “surpresa” para ele
Emma acha champanhe na geladeira, ela enche duas taças, Emma pega da bolsa um pacote e despeja o pó que havia nele e mistura.
-Olá, olha so o que achei- Diz ela entrando no quarto mas não o encontra – Onde esta você?

-Estou aqui- Diz ele saindo do banheiro de cueca apenas fazendo com que Emma quase tivesse um ataque de risos, mas ao mesmo tempo ela queria vomitar

-Aqui, beba- Ela entrega a taça e ele á bebe toda

-Estou com f-falta de a-ar
 

- É claro que esta queridinho, se não esse veneno que coloquei em sua taça seria inútil – diz ela irônica observando o corpo dele cair no chão

-Mas q-quem é você?

-Eu sou a vadia que vai levar você pro inferno- Emma fala dando uma gargalhada

O corpo de Peter começa á soltar espuma pela boca e depois ele revira os olhos, enfim ele para de respirar.

-Patético- Diz ela fechando a porta do apartamento .
Emma risca o nome de Peter de sua lista enquanto caminha para pegar um taxi

-Parte da vingança já foi, mas ainda não me sinto vingada, o próximo Willy Bell , Londres- Diz pra si mesma

No dia seguinte
A morte de Peter é noticia do jornal. Em um escritório de uma delegacia...

-Emma Grace Taylor, essa foi a identidade da ultima pessoa que viu Peter Monter vivo segundo as pessoas que estavam na discoteca. Descobrimos que ela esta indo para Londres, va atrás dela e á investigue Detetive Richards Robert- Diz um policial

-Pode deixar comigo que irei atrás dela e irei investiga-la- Diz Richards, o mesmo homem que esbarrou com Emma no dia passado

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...