História Trancados na escola - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amigos, Amores, Bebidas, Brigas, Dramas, Escola, Festas, Paixões, Romance, Tragedias, Uniam
Exibições 21
Palavras 752
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi amores... aqui estou eu de novo com mais um capítulo eeeeee...
Obrigado pelos comentários e favoritos amo vocês demais <3

Bom fiquem com o capítulo boa leitura pra vocês...

Capítulo 17 - Nos vemos no intervalo


P. O. V Lola


Voltar pra escola....
Depois de quase dois dias, voltar pra escola parecia uma condenação.
Sim eu fiquei dois dias sem ir a escola, dois dias ótimos diga-se de passagem, realmente foi muito legal passar o dia fazendo compras sem precisar estudar.

Mas agora eu teria que ir infelizmente, descobrir isso enquanto eu estava tendo um belo sonho e a voz da minha empregada me chamando me acordou, eu fiquei com muita raiva e me deu vontade de socar a cara de alguém, fui pro banheiro lavei o rosto, escovei os dentes e desci para tomar café, a cara da minha mãe não estava nada boa ela me olhava como se fosse me enforcar, ela odiava que eu não fosse a aula e eu ao contrário amava, me sentei na cadeira ao lado do meu padrasto que sorria gentil pra mim, nenhum de nos falava nada, o que já era costume nas refeições de casa, eram só alguns raros momentos que a gente conversava, dávamos risada e brincávamos enfrente a mesa.
Assim que terminamos a refeição meu padrasto falou que iria me levar pra escola, não comtestei fui para o meu quarto peguei minha mochila e desci, Beto não tinha acordado ainda pois hoje era seu dia de folga, entrei no carro com um ânimo falso, não queria ir para escola, não queria encontrar Nicolas, eu não sabia mais se a gente ainda tinha um relacionamento, pois depois da briga que nós tivemos não nos falamos mais, mas já estava na hora de acertar as coisas, se a gente terminar ele que vai sair perdendo mesmo, ninguém vai querer ele depois de saber o garoto problemático que ele é, tudo bem que ele é  gostozinho e tem uma pegada... que prefiro nem comentar, " nossa esse carro ficou mais quente ou é impressão minha? " , mas voltando ao assunto não me importa se a gente terminar já cansei desse relacionamento mesmo.

Cheguei na escola me despedi do meu padrasto e fui andando bem devagar, até que avistei a Estefânia e suas amigas, tentei me esconder mas elas me viram e vinheram correndo atrás de mim.

-Lolinha querida que saudade- falou Estefânia com aquela voz irritantemente fina

- Oi Fani tudo bem?- falei com um sorriso mais falso possível

-Tudo sim Loli, mas o que aconteceu com você amiga andou tão sumida ultimamente

- Ah é que eu fiquei doente  sabe peguei uma doença  daquelas bem contagiosas, inclusive quem fica perto de mim pode pegar-  minto, o que faz ela se afastar bastante de mim


-Você ainda tá com essa doença? Eu posso pegar essa coisa? - ela fala com cara de nojo

-Sim, sim, recomendo que você e suas amigas fiquem bem longe de mim para não pegar essa "doença" grave- rio baixinho da expressão estranha que ela faz

-Tá mas então me desculpe mas até você se curar eu ficarei bem longe de você-

-Que pena!- falo e faço uma cara triste e quando ela se afasta o suficiente eu começo a dar risada.

Estefânia e suas amigas são como uma pedra no meu sapato, desde que eu me tornei a menina mais popular da escola, elas começaram a querer "andar" comigo para serem populares também, mas elas me irritam muito com aquelas vozes insuportáveis e com as fofocas que elas fazem toda hora, além disso elas me sufocam não deixam eu ficar sozinha um minuto, e ainda falam de mim pelas costas e acham que eu não sei, elas são simplesmente ridículas.

Entrei na minha sala com pouca paciência, e vi Nicolas sentado na frente de cabeça baixa, desde quando ele senta na frente?, passei empurrando ele com o ombro e ele olhou com uma cara não muito boa, mas quando ele viu que era eu sua expressão suavizou e eu fiz sinal para a gente conversar mais tarde e ele assentiu, fui para o meu lugar esperar os outros chegarem, chequei meu celular e tinha uma mensagem do Nicolas.

      Mensagem on:


Nico: Nos encontramos no intervalo no mesmo local de sempre ok?

Eu: Sim, precisamos esclarecer as coisas :-)


         Mensagem off:

Então encontrarei ele no intervalo, espero que dê tudo certo pois eu tenho alguns planos para serem executados e para isso eu tenho que está solteira então...

Que chegue o intervalo...





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...