História Transcendentes da Alma - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Aldebaran de Touro, Apolo, Ártemis, Camus de Aquário, Dohko de Libra, Fudou de Virgem, Hades, Hyoga de Cisne, June de Camaleão, Kanon de Gêmeos, Kiki de Áries, Kouga de Pégaso, Marin de Águia, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Mu de Áries, Paradox de Gêmeos, Personagens Originais, Poseidon, Saga de Gêmeos, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shaina de Cobra, Shaka de Virgem, Shion de Áries, Shun de Andrômeda, Shura de Capricórnio, Thetis de Sereia
Exibições 22
Palavras 2.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá leitores? Como vão vocês? Espero que bem. Para o capítulo de hoje temos a viajem de aniversário de Sati, o que será que vai acontecer? :3 Boa leitura.

Capítulo 44 - Capítulo 44 - Alianças e Promessas.


Alguns dias haviam se passado e era chegada a hora em que o trio de amigos finalmente iriam para Atenas. De todos, quem mais estava empolgada era Sati; a aniversariante. Luthien como sempre mantinha seu comportamento neutro sobre a viajem, afinal estava fazendo um mimo para a prima em acompanha-la e também queria aproveitar para ver como era o ambiente em que seu pai Mu e seu irmão viveram quando eram Cavaleiros de Áries, patente ocupada por Raki recentemente. Sati também queria ir conhecer a casa de Virgem que diziam ser uma das mais belas assim como a de Áries. As garotas estavam com seus respectivos pais e avós no portal que Ártemis havia criado com as duas deusas, Adrian estava esperando que as princesas se despedissem de seus familiares, por sorte seus pertences foram mandados antes por elfos da guarda real. Era um tanto óbvio que Shaka eram que estava mais receoso do que os outros, pois saberia que a ida de sua filha para Atenas, no dia em que estava completando 15 anos significava.

- Sati... Se cuide, por favor, não faça nada de errado. – recomendou Shaka ao abraça-la.

- Não se preocupe pai, eu tenho Adrian e a Luthien pra cuidar de mim. – desatou o abraço e sorriu inclinando a cabeça para o lado.

- Eu sei que tem, mas mesmo assim se cuide. – disse dando um beijo em sua testa sentindo um aperto no peito.

- Pode deixar tio, não vou desgrudar dela! – disse colocando o braço por sobre o ombro de Sati. – Sossegue seu coração! – disse piscando um olho e sorrindo.

- Tá certo! – deu meio sorriso e fez um sinal com a mão para que fossem logo.

Adrian se juntou as princesas esperando que as mesmas passassem primeiro, indo logo em seguida. As princesas ao estarem do outro lado não puderam evitar a expressão de surpresa, tudo era novo e extremamente belo, diferente do que imaginavam. Os templos eram enormes e pareciam formigas ao se aproximarem das ruínas do jardim de Atena. O jardim era coberto por vários tipos de flores, de diferente cores e formatos e ao subir aquela colina viam do alto a casa onde Atena morava com Seiya de Pégasus e indo para baixo se via sobre um pátio o seu templo cheio de colunas com o formato da deusa que o contornava, uma sala ampla com portas douradas estava em seu interior. Antes que as princesas pudessem conhecer todas as casas Adrian as levou até a casa onde Atena ficava. Subiram a colina pela escadaria de pedra e viram a deusa esperando na porta.

- Que bom que chegaram! Sejam bem vindas meninas! – disse a deusa indo até as princesas e as abraçando.

- Obrigada tia! –disseram em uníssono, cada uma dando um abraço em retribuição.

- Ah sim feliz aniversário Sati, espero que goste do seu presente. – disse erguendo as mãos, dando um outro abraço.

- Obrigada! – disse sem graça. – Com certeza irei!

- Vamos entrando! Fiz um lanche para vocês. – deu passagem para os visitantes e entrou em seguida. – Fiquem a vontade, Seiya foi buscar mais limão pra fazer uma limonada, logo ele chega! – disse indo para a cozinha dando toques finais nos lanches que havia preparado.

- Ah não precisava se incomodar tia! – disse Luthien entrando na casa e olhando ao redor, achando a casa muito bonita e aconchegante.

- Tia você tem vídeo game! – disse Sati sentando-se no sofá.

- Tenho sim, se quiserem jogar podem ligar ai, só não sei se o Seiya salvou o jogo dele. – disse saindo da cozinha e servindo a mesa, com bolos, tortas e sanduíches.

- Alguém disse jogo? – disse Seiya entrando com uma sacola cheia de limões. – Ah vocês já chegaram! E ai Adrian como vai? – disse cumprimentando o cavaleiro com aquele sorriso de moleque de sempre.

- Ah estou bem Seiya e você? – disse fazendo o mesmo, dando um sorriso gentil.

- Está tudo ótimo, e essas são as suas sobrinhas Saori? Sejam bem vindas! Ah feliz aniversário Sati. – disse olhando para as garotas, deu um sorriso ao olhar para Sati. – Me sinto um pouco velho agora! – disse rindo e entregando a sacola para Saori.

- Obrigada! –disseram ao mesmo tempo acenando. – Obrigada! – respondeu Sati com um sorriso pelas felicitações.

- Amor a Sati quer jogar eu acho, você salvou seu jogo? – disse pegando a sacola, voltando para a cozinha.

- Salvei sim! Ah Sati pode jogar se quiser! – disse dando um sorriso e indo para a cozinha. – Deixa que eu faço isso. – disse pegando uma jarra da dispensa.

- Tá bom! – deu um selinho no marido e saiu indo para a sala. – Sentem-se, por favor.

Ambos sentaram-se e começaram uma conversa animada com Atena, enquanto Seiya fazia limonada. Sati com a ajuda de Atena ligou o vídeo game, iniciando o jogo.  Seiya logo chegou com uma bandeja, então todos  se serviram com os lanches que Atena havia preparado e tomaram quase toda limonada que Seiya havia feito, tudo estava em harmonia. Atena depois mostrou o quarto que preparou para as princesas. Haviam duas camas uma do lado da outra com lençóis de linho azul com travesseiros fofinhos e gostosos de dormir, havia uma cômoda para que colocassem seus pertences e um criado mudo com um abajur no meio das camas. Tudo simples, mas de muito bom gosto, no quarto também havia uma porta de vidro que davam para a varanda. Atena havia recebido os pertences das princesas dias antes então deixou as malas num canto do quarto. Adrian decidiu leva-las até o seu pai, o Patriarca antes que ficasse muito tarde.

Adrian despediu-se dos anfitriões da casa e levou as garotas pela escada de onde vieram, ao chegarem no pátio onde era o Templo de Atena, os guardas ao verem que era o cavaleiro acompanhado das princesas abriram as portas e ao entrarem tudo era escuro exceto no centro onde havia uma plataforma de madeira trabalhada em filamentos coberta por um tapete, naquele ponto central emanava um cosmo muito poderoso que pareciam ter se fundido a não muito tempo atrás, as princesas reconheceram apenas três cosmos daquela união, mas não conseguiu identificar o quarto cosmo, mas ao se lembrarem da história souberam que era de Afrodite. Naquele centro podia-se ver os cosmos em filamentos de luzes de várias cores, ás vezes branco, outras dourado, azul ou róseo. Atravessaram o salão saindo por outra porta dourada e as estátuas da deusa que cercavam o templo, ao descerem as escadas do templo um pátio enorme se relevou e a estátua da deusa Atena, sua divindade completava a beleza daquele templo.

Logo em seguida estava o templo patriarcal, do qual visto de fora pareciam ter dois andares, embora não tivesse. Havia uma laje onde os pilares maiores eram sustentado e acima deste pilares menores e na fachada do templo havia um enorme dragão com uma caveira sob seus pés. Em seu interior também havia portas enormes de ouro, que ao se abrirem revelava um corredor amplo e cheio de luzeiros em forma de bandeja côncava suspenso por uma corrente de ouro. Passaram por aquele corredor e logo outro se revelou na transversal porém o corredor em que estavam ia mais adiante e ao que parecia era os fundos de um enorme salão. Haviam muitos cômodos na parte de trás da casa patriarcal onde o corredor em transversal revelava de ambos os lados. Seguiram pelo corredor transversal. Para aquele lado em que estavam indo havia uma biblioteca enorme, o quarto patriarcal e um escritório pequeno. Do outro lado havia três quartos, sendo um deles em anexo ao grande salão era o da deusa Atena, também havia uma cozinha e banheiros. As princesas seguiam o cavaleiro olhando admirando a beleza do templo e ao chegarem pararam quase trombando com o Adrian, fazendo com que dessem risada. O cavaleiro abriu a porta e encontrou seus pais sentados um do lado do outro e pelo que pode perceber estavam vendo fotografias. Saga e Anna ao verem as princesas levantaram imediatamente, indo recebê-las.

- Que bom que chegaram, pensei que Adrian não iria mais trazê-las! – disse Anna dando um abraço em cada uma. – Como cresceram, estão tão lindas. – disse olhando para as garotas admirada pela beleza que tinham.

- Obrigada – disseram Sati e Luthien, sem jeito pelo elogio.

- Eu na verdade iria fazer isso, mas achei melhor trazê-las. – dizia Adrian segurando na mão de Sati, levando-a até o sofá para que se sentasse. – Sente-se Luthien. –disse olhando para a garota.

- Obrigada Adrian. – disse a lemuriana se sentando ao lado da prima.

Depois que todos se sentaram, conversaram até noite adentro contando sobre o que tem acontecido em Menória e o que Mu e Shaka tem feito por lá, também souberam das descobertas sobre Atlantis e sobre os feitos de Shaka e Mu como conselheiros e como administradores do reino, Saga também contou o que tem acontecido em Atenas, os progressos com novos cavaleiros aspirantes e os antigos cavaleiros que se tornaram mestres ajudando Saga a organizar melhor os novos aspirantes que chegavam, também a maioria deles se tornaram professores da escola com tudo que tinham direito, com a nomeação de alguns novos cavaleiros de ouro, outros fizeram da vila das amazonas seu lar e assim realizaram a maior reforma do santuário, fazendo novas casas para as amazonas e também para os antigos cavaleiros de ouro e prata, reformaram a praça e a escola ampliando-a, além de terem feito uma quadra de esportes e outra de natação.

- Quantas novidades, quem diria Shaka e Mu como administradores, parece que eles se deram bem então! – dizia Saga maravilhado ajeitando-se no sofá.

- Pelo jeito, parece que sim. – disse a lemuriana rindo animadamente, olhando para o Patriarca.

- Desse jeito terei de ver isso de perto. – ergueu as mãos e desatou a rir junto com todos da sala.

- Vai deixá-los surpresos! – disse Luthien com um sorriso. – Bem acho melhor irmos, está bem tarde. – disse levantando-se, ajeitando o vestido que usava.

- É verdade, está bem tarde. – disse Sati fazendo o mesmo com uma carinha de sono.

- É, você está mesmo com sono Sati! – disse Anna olhando para a garota com um sorriso leve.

-Estou mesmo! – deu uma risada, erguendo os ombros timidamente.

- Eu vou levá-las pai. – disse ao levantar, segurando a mão de Sati.

- Tudo bem, eu vou dormir também está bem tarde, nos vemos amanhã certo? – disse sorrindo para as princesas.

- Claro! – disseram em uníssono.

Adrian e as princesas deixaram o local seguindo pelo mesmo lugar, Luthien foi indo na frente deixando o casal para trás de propósito, pois sabia que fazia um tempo Adrian queria ficar um tempo sozinho com Sati. O casal de mãos dadas subia as escadas que davam para a casa de Atena, porem o cavaleiro a levou para outro lugar pelo jardim, descendo a colina havia uma árvore de frente para a encosta do mar, o céu estava muito estrelado naquela noite e a luz da lua resplandecia sobre o mar que estava ao longe, pois a cidade de Atenas era em volta do santuário, que era protegido por muitas barreiras e aberto somente em época dos festivais. O casal sentou-se nos pés da árvore e ficaram por um tempo admirando a paisagem que se formava diante de seus olhos.

- Que lugar lindo Adrian! – dizia a princesa encostando a cabeça no ombro do cavaleiro, levou a mão a entrelaçar com a do outro. – Porque me trouxe aqui? E Luthien, porque não veio conosco? – perguntou olhando para o rapaz.

- É lindo sim minha princesa. – disse entrelaçando a mão na da outra e com a mão livre acariciou o rosto de Sati, olhando em seus olhos com meio sorriso. – Ah queria ficar um pouco mais com você e a Luthien eu não sei...

- Hum, sei! Vocês combinaram alguma coisa não foi? – disse desconfiada, erguendo a sobrancelha, dando beliscadas na lateral do dorso do rapaz.

- Hei, não faça isso! Não, não não – disse rindo e se contorcendo segurando as mãos da garota – Para.

- Hum... Deixa pra lá, uma hora eu descubro! – cruzou os braços e fechou os olhos.

- Estou dizendo... – disse sentando mais perto da princesa.

O cavaleiro levou a mão ao bolso da calça e tirou uma caixinha colocando no colo da garota que distraída estava olhando para a cidade que se projetava no horizonte. Como que saindo de seu transe olhou para a caixinha surpresa e a abriu, era um par de alianças douradas com desenhos de estrelas com pedra multicor que só existia em Menória. Surpresa olhava para as alianças e logo seu coração começou a pulsar forte, este era o presente de aniversário de Adrian. A princesa então ao olhar para o cavaleiro pegou a aliança colocando no dedo do cavaleiro e Adrian ao fazer o mesmo deu um selo demorado em sua noiva. Sati depois do selo abaixou a cabeça com as maças do rosto coradas. Adrian por sua vez segurou a noiva pela cintura e a puxou para o seu colo, aninhando-a em seus braços.

- Agora você é oficialmente minha! – disse num sussurro o cavaleiro fazendo um carinho em seu rosto, dando outro selo. – Quer ir pra casa de Atena descansar?

- É sim... – disse ao ouvir o cavaleiro sentindo um arrepio suave no corpo – Quero... – disse olhando nos olhos de Adrian.

O cavaleiro levantou-se com a garota em seus braços e foi indo pelo caminho que vieram, ao chegarem á casa de Atena tinha todas as luzes apagadas exceto do quarto das princesas, Adrian deu a volta e percebeu que a porta da varanda estava aberta, percebeu também que Luthien estava dormindo ou fingindo que estava dormindo. Adrian colocou Sati no chão e antes de se despedirem deu um abraço na noiva e outro selo, mas antes que pudessem desatar o abraço, Sati o puxou pelo braço. O cavaleiro a abraçou delicadamente de novo e aproximando-se da garota encostou seus lábios nos da outra iniciando um beijo tímido por parte da princesa, mas Adrian apertou o abraço levando a mão á nuca da princesa, deixando os cabelos da mesma cair entre os seus dedos, deixando o beijo mais intenso. Sati por sua vez segurava nos ombros do rapaz como se mostrasse alguma resistência, mas logo relaxou e aproveitou aquele momento. Momento que marcaria o início de um romance sagrado e perpétuo.


Notas Finais


Ouvi alguém suspirando ai? :3 Acho que sim :P Não deixem de conferir o próximo capítulo, aposto que vai arrancar algumas risadas de vocês! ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...