História Translucent - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Fantasia, Fantasma, Harry Styles, One Direction, Revelaçoes, Romance, Suspence
Exibições 7
Palavras 1.809
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - 0.8 Biblioteca


-Oh meu deus...- Sussurro abismada enquanto observo a massa quase transparente a minha frente. Nunca poderia ter imaginado ver algo tão incrível como isso, sei que deveria está com medo, e talvez até esteja no fundo, mas isso é sem duvidas a coisa mais estranha e sensacional que eu já tenha botado os olhos encima.  Conseguia ver claramente seu formato, mas ao mesmo tempo era como se ele não estivesse lá e um grande pedaço de vidro fosco houvesse tomado seu lugar.

- Era assim que eu fazia para me esconder.-Murmura e meus olhos se arregalam, era tão estranho escutar sua voz rouca porém não consegui observar o movimento lento de seus lábios proferindo as palavras.- Me escondia em cantos escuros, onde ninguém conseguiria distingui meus contornos, e ficava lá, às vezes por horas fitando o movimento que não parecia ter fim.

-Como?- Questiono impressiona.- Como você descobriu que poderia ahm, ficar desse jeito?

-Não foi nada demais.  Bem,- Pausa rapidamente e eu o imagino franzindo a testa.- Eu apenas sabia que poderia fazer-lo.-  Termina e eu consigo ver ser corpo sendo jogado levemente para trás.- Mas essa não é a coisa realmente importante de fato.

-Como assim?- Olho confusa.

-Apenas veja.- Sussurra esticando sua mão em minha direção e como reflexo me encolho pensado em varias formas de consegui aumentar nossa distancia.- Calma, não vou te machucar. Somente.... somente erga sua mão também...- O olho hesitante e o mesmo bufa.- Eu prometo, não vai acontecer nada de mais.- Apreensiva levo minha mão esquerda ao encontro da sua parando pouco centímetros antes de toca-la totalmente.- Preparada?- Tento não pensar em quão louca é essa situação e só me deixo ser guiada naturalmente pelos meus instintos. Aceno lentamente e com a confirmação que precisava Harry gruda nossas mãos. 

No começo fecho meus olhos esperando que a dor me atinja como uma bala rapidamente, porém nada acontece, e então abro meus olhos novamente e reparo em nossas mãos interligadas. Eu não sentia nada. Quer dizer, eu conseguia apenas perceber um leve formigamento no local mostrando que a mesma estava lá.

-Oque é isso...- Murmuro para mim mesma quase esquecendo da presença do Harry.

-Nossa energia.- Me responde fazendo que alguns fios de meus braços se levantem com a pequena vibração.

-Oque...- Me interrompe antes que consiga terminar a frase.

-Você provavelmente já ouviu falar que nos somos feitos de energia, certo?- Apenas aceno sem condições de proferir algo.- Então, quando nos morremos e nos livramos de nossas cascas, viramos isso, no meu caso, é um pouco mais complexo, eu estou atualmente entre os dois planos, o dos vivos e o dos mortos, então logo não posso ser totalmente um quanto o outro, apenas metade  matéria e metade energia, podendo escolher qual face quero mostrar. E no caso prefiro ser o mais humano quanto possível.- Fala sem ainda desvincular nossa palmas.- E isso que você está sentindo agora, é apenas nossa troca de energia.

-Uau...- Murmuro sem conseguir evitar.- É incrível...-Começo porem uma duvida me vem a mente.- Como você sabe de tudo isso?- Questiono, entretanto o mesmo dá de ombros.

-Isso é história para outra hora.-Fala retirando sua mão da minha e seguro o sentimento frustado que me apodera.- Chega de perguntas hoje, acho que já foi o bastante para você assimilar em apenas um dia.- Aceno mesmo sabendo que ele havia se esquivado da minha pergunta, não queria mais dor de cabeça por agora. Observo quando ele se torna visível novamente imersa em meus pensamentos antes de ser desviada deles por sua voz rouca.- Então o que gostaria de fazer agora?- Dou de ombros sem saber o que responder.

-O quê você sugere? Vive aqui a mais tempo que eu.- Fala cinicamente, no entanto o mesmo não se importa quando dá um sorriso com direito a covinhas me surpreendendo por sua mudança tão rápida de humor, porém sei que já deveria está acostumada com isso.- Conheço esse sorriso, o que está planejando?- Questiono mordendo o interior da minha bochecha.

- Você vai ver. Agora me siga Mister Watson.- Abro minha minha boca para pergunta como sabe meu sobrenome porém a fecho logo de seguida lembrando-me que não é nada importante, imaginando que Judith o já tinha informado sobre toda minha vida.

-Espera.- Chamo quando o mesmo se levanta.- Posso te perguntar algo? Juro que vai ser a ultima por hoje.- O mesmo revira os olhos porém dá de ombros em seguida e eu tomo isso como uma oportunidade.- Por que só tem cereais aqui?- Harry ri assim que termino de falar e me olha divertido.

-Essa é mesmo sua pergunta?- Questiona assim que vê minha expressão seria. 

-Por que a diversão? Eu quero mesmo saber!- Grunho cruzando os braços fazendo o mesmo rir novamente.

-Você é inacreditável.- Fala e eu o olho irritada.- Mas eu vou te responder. Eu preciso de comida como qualquer ser vivo mas não para todas aquelas proteínas que geralmente vocês humanos precisam, mas sim para energia, porém como tenho limitações não consigo sentir o gosto da comida.- Da de ombros e penso que deve ser um tique porquê o mesmo não para de o fazer.- Apenas gosto do barulho engraçado que ele faz quando os mordo, nada de sobrenatural como você pensa.-Me encara.- Decepcionada?

-Um pouco.- Murmuro, no entanto, realmente esperava algo mais emocionante.

~

-Uma biblioteca?-O encaro.- Isso é seu divertimento?

-Não me culpe se você não sabe apreciar uma bela história.-Murmura correndo seus grandes dedos pela estante, tentando encontrar um livro de seu agrado.- Para além de que estou preso a essa casa quase todo minha existência, realmente não tinha algo melhor para fazer.

-Entendo...-Murmuro também procurando algum livro interessante.- Sabe, não é que eu não goste de ler. Eu adoro.- Divago distraída.- Apenas queria fazer algo diferente, a tanto tempo que eu somente ficava presa no meu quarto lendo ou escrevendo que não me lembro mais de como é a sensação de me divertir direito.

-O que você fazia para se divertir, antes da sua mãe...hum morrer?- Pergunta e eu paro o que estava fazendo para encara-lo.

-Judith também disse isso a você?- Ele acena e eu suspiro voltando aos livros.- Bem, eu costumava ir ao parque brincar com algumas amigas.-Sorrio me lembrando.- Mas o que eu mais amava era correr envolta do jardim enquanto minha mãe cuidava de suas flores.- A tempos me privava dessas recordações, com medo de desabar em lágrimas, mas não, a unica coisa que me atinge é um sentimento de paz inexplicável, talvez eu só precisasse conta isso a alguém. Mesmo Harry sendo um morto vivo ou sei lá, não posso negar o quão naturalmente as palavras saiam por minha boca nesse momento, nem se quer estava me importando se o mesmo poderia me fazer mal.- Uma vez liguei o regador sem querer, molhando nós duas. Você provavelmente pensa que ela ficou brava e me deixou de castigo, mas não.- O olho rapidamente o percebendo atento as minhas palavras.- Ela apenas riu e veio ao meu encontro começando uma dança maluca, enquanto cantava uma das velhas canções do Elvis Presley.- Fecho os olhos me lembrando da melodia.-Maybe I didn't treat you, quite as good as I should have... -Canto preguiçosamente.- Always On My Mind, sua música preferida...

-Poderíamos fazer isso...- Murmura me tirando do meu rápido desvaneio.

-O que?- O encaro e vejo o mesmo com um sorriso enorme no rosto.

-Correr no jardim ou até mesmo cantar essa musica.-Dá de ombros- Vamos passar algum tempo juntos aqui e acho que seria bom fazer isso. Pensei que gostaria.- Aceno concordando, no entanto o frio na barriga me incomoda quando penso que terei que viver com ele aqui. Eu ainda estou tentada a fugir a qualquer momento, porém quero esperar até ele me dizer o do porquê me mantem aqui, e essa resposta não pode passar de amanhã.

O silencio logo se apodera de todo nosso espaço, entretanto não me incomoda em nada. Acho melhor assim, sem questões difíceis de assimilar ou momentos tensos. Apenas o silencio e, bem minha respiração.

Observo como todos livros estão bem cuidados e sem poeira, penso que o Harry deve passar um grande tempo aqui, e não duvido se o mesmo já leu todos as histórias nessas estantes. Que vão desde William Shakespeare a Jane Austen.

Esse casaram é realmente grande,  nunca imaginaria que teria um lugar como este. Uma sala espaçosa perto das escadas, com mobilhas em carvalho e repleta de livros e mais livros, parecendo uma livraria completa. há também, algumas poltronas confortáveis, que invejariam qualquer dono de casa. Harry tinha sido mesmo de uma família bem rica, isso não pode se negar.

Em algum momento vejo um livro sem titulo, bem mais desgastado do que os que estão ao seu redor, mostrando que provavelmente já foi aberto diversas vezes. Levada pela curiosidade puxo ele em mãos para o observar atentamente. Em sua capa havia apenas um símbolo em forma de cruz com uma grande cobra a sua volta sem qualquer escritura. Mordo meu lábio franzido a testa em seguida. O que teria nele? 

Quando estava prestes a abrir ele sinto o mesmo sendo arrancado de minhas mãos com agressividade me deixando espantada.

-O que você pensa que está fazendo?- Harry grunhe. Posso ver seus olhos dilatados e suas veias saltando em raiva. Não entendo o que tenha levado-o a tal atitude.-Me responde!- De repente grita me assustando e eu o encaro perplexa.- Eu lembro-me de te dizer que não gosto quando as pessoas não me respondem.- Diz ameaçadoramente me fazendo engolir em seco. De onde isso veio?

-E-eu n-não....- Começo porém o mesmo me interrompe dando um um soco na estante mais próxima me deixando de boca aberta.

-Saia daqui!- Manda escondendo seu rosto em seu braço que ainda estava vincado no local onde bateu.- Não me ouviu? estou mandando você sair.

-O-oque?

-Vá para o seu quarto!- Grita novamente me encarando e eu não penso duas vezes antes de cumpri suas ordens.

E lá estava o medo de volta.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------

HELLO FLOWERS!!! GOSTARAM DO CAPÍTULO? espero que sim por que deu muito trabalhos para escreve-lo e eu bateria em vocês se dissessem que não haviam gostado jdjksdkde BRINKS EU AMO VOCÊS OKAY? OKAY!

Enfim, me desculpem por não ter postado antes, mas eu realmente estava com um bloqueio grande para escrever esse final, então demorei um pouco para conseguir concluir algo apresentável para todas vocês e até que ficou grandinho então relevem por favor. Só um recadinho antes de encerrar as notas, por que realmente não tenho muito o que dizer: ELA NÃO VAI BEIJAR O VENTO! NDKD TUDO VAI SE ESCLARECER MAIS PARA FRENTE COMO JÁ DISSO NO CAPITULO ANTERIOR, ENTÃO APENAS AQUIETEM SEUS CUS AI E TERMINEM DE LER A FIC KDDJK. Obrigada pela atenção. Até a próxima atualização. Bye.

Xoxo

- ☠F A Y E☠

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...