História Traumatized - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais
Tags Jungkook
Visualizações 16
Palavras 665
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Estupro, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Fim?


O tempo parece estar parado. Os dias passam, mas parece que eu ainda estou vivenciando aquele dia sempre.

Eu devia ter morrido.

 Ele iria me matar. 

Eu queria ter morrido.

Antes eu já não tinha motivos para viver, com meu pai me odiando mesmo sem eu nunca ter feito nada, com todos na escola me humilhando e me excluindo sem nenhuma explicação, agora parece que eu já morri, só esqueceram de me enterrar.

Hoje faz duas semanas que eu não saio desse quarto. Minha mãe tenta me animar, mas eu não tenho força, não tenho um porquê.Meu pai foi embora e me deixou como um fardo para ela.

 Seria tudo mais fácil se eu tivesse morrido.

Jungkook veio até aqui duas vezes. E foram essas poucas horas da visita dele que me fizeram esquecer a imagem que passava pela minha mente constantemente. Ele é como uma válvula de escape, mas não é o suficiente para me salvar.

Sinto muito, mãe. Mas eu não posso mais viver assim.

Eu estava decidida a por um fim em toda essa angústia, já tinha mentalizado mais de mil formas, só não tinha forças para fazer.

No dia que eu decidi fazer isso, eu peguei uma tesoura que ficava na minha escrivaninha e fui para o banheiro. Fiquei quase uma hora sentada no vaso criando coragem, mas não conseguia. Eu pensava na minha mãe. Todos os meus pensamentos iam parar nela.

Ela já havia sofrido muito com tudo isso e iria sofrer mais ainda com a minha morte. Ela não merecia isso.

Eu estava em uma luta interna quando escutei a porta do quarto sendo aberta. Não me importei e continuei na mesma posição com a tesoura no meu pulso esquerdo.

Não deve ser tão difícil. Só aperta e puxa.

Eu tinha escrito uma carta para minha mãe e deixado em cima da minha cama. A única pessoa na minha vida ela era e só ela iria sofrer com tudo isso.

Lágrimas começaram a sair dos meus olhos, embaçando minha visão e me impedindo de pensar direito.

Ela irá superar. O que importa agora é que eu não aguento mais.

Fechei os olhos com força e me preparei. Eu estava decidida.

Um.

Dois.

Alguém abriu a porta do banheiro com uma brutalidade que me fez abrir os olhos.

Jungkook estava na minha frente ofegante e tremendo. Ele veio até mim em um passo e arrancou a tesoura da minha mão.

Deixei a mão cair quando ele fez isso e fiquei olhando para ele. Às lágrimas continuaram descendo, então eu fechei os olhos e me encolhi em cima do vaso. Juntei as pernas, colocando os braços cruzados e abaixei minha cabeça.

Pela primeira vez comecei a chorar alto. Deixei todo o choro acumulado sair.

Jungkook continuou parado na minha frente alternando o olhar entre mim e a tesoura que permanecia na sua mão. Ele jogou a tesoura na pia e se ajoelhou na minha frente.

- Venha aqui - Ele falou com a voz falha e eu me joguei nos braços dele.

Não sabia mais o que estava fazendo e nem o que pensar. Só queria que toda dor fosse embora.

Comecei a tremer e me encolhi mais ainda. Eu não sentia meu corpo e não sentia nada no meu coração. Eu estava vazia, sem alma, sem nada.

Ele se limitou a passar a mão pelo meu cabelo e a me abraçar forte.

Ficamos assim por um tempo, até que ele levantou meu queixo e me fez olhar para ele. Esperei ele falar algo ou começar a brigar comigo, mas me surpreendi quando ele não fez o esperado.

Jungkook se aproximou lentamente e uniu nossos lábios. Ficamos com as bocas coladas por alguns segundos e não passou disso. Ele se afastou na mesma velocidade de antes e ficou me fitando.

Eu não conseguia desviar os olhos da boca dele, enquanto ele fazia carinho no meu queixo.

Ele me puxou para o peito dele novamente, me abraçando fortemente e eu comecei a chorar mais ainda.

Por que é tudo é tão difícil nessa vida? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...