História Traveling - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Hot, Londres, Romance, Sexo, Viagem
Exibições 32
Palavras 1.876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Faz muito tempo que não escrevo fanfics (u.u) e estou um pouco enferrujada, então me desculpem qualquer erro de escrita ou algo sem noção, mas vou tentar melhorar com o tempo. Espero que vocês gostem da história (:

Capítulo 1 - Arrival


O avião acabava de pousar em Londres, o clima estava aparentemente agradável, nem muito frio, nem muito quente. O céu estava limpo, com poucas nuvens, e o sol não muito forte.  Confesso que tenho um pouco de medo de aviões, e pousos realmente não são as partes mais felizes das minhas viagens, mas tudo vale a pena no final.  

- Calma, Lis, o avião já parou, não precisa ficar tão nervosa. - Victória, minha amiga, falou. Percebi que eu apertava a mão dela com força, e soltei imediatamente. Voos realmente me assustam. 

- Desculpa. - Falei e ela sorriu para mim, compreensiva como sempre. 

Nós estávamos fazendo uma espécie de intercâmbio. Ficaríamos cerca de 60 dias viajando, fazendo um curso de inglês e claro, conhecendo a cidade e passeando. Eu estava muito animada com essa oportunidade, principalmente porque os custos estavam sendo praticamente pagos pela faculdade, e foi uma surpresa, tanto para mim como para Victória, conseguirmos essa vaga mesmo disputando com alunos mais avançados e mais preparados que nós duas. 

As pessoas começaram a sair de seus assentos e pegar suas malas e eu me levantei rapidamente. Estava na cadeira da janela e fui a última a sair da fila, obviamente. Minha amiga me ajudou a pegar nossas bagagens de mão e bolsas e nós ficamos esperando naquela fila para sair da aeronave, que sinceramente, é uma parte muito chata. Porque não podemos simplesmente sair sem ter que ficar em pé esperando? Pois é, já deu para perceber que eu não tenho muita paciência. 

Passamos mais uns 45 minutos esperando todas as nossas malas, que não eram poucas, afinal, dois meses não são duas semanas, e quando saímos um transporte disponibilizado por nossa universidade estava prontamente nos esperando para nos levar para o apartamento onde passaríamos essa temporada. Eram umas 14 horas e sol favorecia a vista da cidade, me deixando cada vez mais encantada com a beleza urbana. Dava vontade de ficar lá para sempre. Enfim, fomos o caminho todo em silêncio, e demorou um pouco, afinal, o aeroporto era um pouco distante do centro da cidade e consequentemente do nosso lar temporário, que era perto do curso que nós faríamos e perto de muitos pontos turísticos e cantos legais para ser visitados.  

- Lis, essa cidade é maravilhosa, eu não quero ir embora nunca. - Victória falou para mim e eu concordei. 

O motorista nos deixou em casa e nos ajudou a levar as malas. O nosso andar era o décimo e lá tinham vários outros apartamentos. Eram pequenos, tinham dois quartos, um banheiro, uma sala minúscula e uma cozinha. Era tudo mobiliado, arrumado e limpinho. Eu escolhi meu quarto e Victória o dela e eu acabei tirando um cochilo, já que o voo foi muito cansativo...

Acordei com minha amiga falando comigo, empolgadíssima, jogando todos os travesseiros da cama em cima de mim. Me virei tentando esquivar do ataque, naquela altura eu só queria hibernar até o dia em que as aulas fossem começar. 

- Diz logo o que você quer, criatura. - Falei abrindo os olhos levemente e observando que já era noite. 

- Eu postei no Facebook que tinha acabado de chegar aqui e um amigo meu super antigo viu, ele falou que estava morando aqui a uns dois anos. A gente começou a conversar e ele chamou nós duas para uma festa supostamente maravilhosa. Vamos? - Ela perguntou animadíssima, e eu só querendo dormir. 

- Oi? É muita coisa para processar querida, eu cheguei aqui a menos de 10 horas e você já está me chamando para ir para uma festa? Vamos com calma.. - Falei pensativa. Fico um pouco lerda quando estou com sono, aliás, acho que todo mundo normal fica. 

- Lis, essa festa é única, esse meu amigo é ligado com a televisão daqui, a festa vai ser na casa de um diretor de que alguma coisa, pelo que ele me falou a festa vai ser ótima, sem contar que é um oportunidade para a nós conhecermos pessoas novas e termos novas chances... - Ela falou empolgada. 

- Tudo bem, você me convenceu. - Falei bocejando - Mas não vai se iludindo não amiga, que o máximo de oportunidade que nós vamos ter é de se agarrar com um inglês bonitinho. - Falei e ela riu. 

- Se aparecer, é uma oportunidade bem válida. - Foi minha vez de rir. 

- Safada, você quer ir na festa pra ficar com alguém... e eu acreditando no seu discurso de novas chances. - Nós duas rimos. 

- O que vier é lucro. - Ela falou e eu concordei. 

Eram umas 20 horas e a festa começaria umas 23. Eu estava com muita preguiça de me arrumar e tirar as coisas da mala, mas como era necessário foi o que eu fui fazer.  Tirei tudo e joguei no guarda roupa que tinha no quarto. Não deu pra organizar direito, mas pude separar as coisas que ia usar agora, alguns vestidos de festa, minhas maquiagens e as jóias. Foi um pouco difícil escolher o que usar, eu nunca fui para nenhuma festa desse estilo, com pessoas importantes porém num estilo informal, mas acabei escolhendo um vestido preto, que era soltinho, mas tinha um decote maravilhoso que realçava a área do busto. Antes de começar a me arrumar eu e Victoria saímos do apartamento e fomos em um fast food que tinha na esquina, pois não tinha nada em casa, e depois voltamos. Quando fui tomar banho eram umas 22 horas e fiquei um bom tempo em baixo da água quente, relaxando, mas logo Victória me apressou, pois nós dividíamos o banheiro e ela precisava se arrumar também. Primeiro eu arrumei meu cabelo, passando chapinha e fazendo cachos nas pontas. Depois fiz a maquiagem, suave, porém com a sombra bem marcada. Por fim, coloquei meu vestido e meu salto preto e me olhei no espelho gostando bastante do resultado final. Pelo menos eu não vou fazer feio. Olhei no relógio e eram 23:30. Fui no quarto da Vic e ela estava tirando fotos. 

- Você tá linda! - Falei sorrindo e observando. Seus cabelos castanhos estavam perfeitamente ondulados, seu vestido era branco com detalhes dourados, apertado mas nada vulgar e sua maquiagem era digna de um maquiador profissional. 

- Você também está. - Ela sorriu e se aproximou, tirando uma selfie comigo. - Posso avisar pro meu amigo que já estamos prontas? - Ela perguntou e eu assenti. Ela mandou uma mensagem para ele e eu fiquei falando com alguns amigos pelo celular. Tudo isso parecia um sonho.  Após uns 15 minutos o amigo dela chegou e nós entramos no carro dele. 

- Hey! - Victoria falou e eles se abraçaram. Eu apenas observava. - Meu Deus a quanto tempo.. David, essa aqui é minha amiga Lis. - Ela me apresentou e nós nos cumprimentamos. 

Nós começamos uma conversa sobre como a cidade era linda, organizada, limpinha, parecia outro mundo. David parecia muito feliz em ter nos encontrado, e contava sobre seu trabalho e como sempre estava ocupado. Ele era bastante simpático e educado, na verdade parecia até estar dando em cima da Vic, mas eu resolvi não comentar nada, afinal, eles eram amigos antigos. 

Demorou um pouco para chegarmos na festa, era quase meia noite e estava lotado, pelo menos no lado de fora tinham vários carros e pessoas chegando. Nós estávamos de táxi, então pagamos e entramos na festa, que era em uma casa, bem chique para falar a verdade. Tinham dezenas de pessoas, mas nada apertado, todas com taças de champanhe na mão e conversando, sorrindo. 

- Venham, quero apresentar alguns amigos para vocês. - David disse sorrindo. Nós o seguimos até um grupinho de pessoas. - Oi. - Ele disse sorrindo e cumprimentando seus amigos. - Essas aqui são Victoria e Lis. - Ele disse. - Essa é a Louise. - Apontou para uma loira simpática. - Esse é o Rafael. - Apontou para um moreno, com aparência de latino. - E esse é o Henrique. - Apontou para um homem alto, com cabelos escuros e bem arrumados. O mais bonito que estava por perto, arrisco dizer. Fiquei um pouco envergonhada quando vi seu olhar demorando um pouco em mim, nossos olhos se encontraram e ficamos nos encarando por alguns segundo, ele olhou meu decote e pareceu gostar do que viu.

David começou a contar para eles que nós estávamos lá para fazer um curso e tudo mais. Nós duas éramos bem mais novas ali, eu tenho 21 anos e Vic tem 22. Os outros estavam entre 25 e 28 anos, mas nada que nos atrapalhasse, nós seis passamos longos minutos conversando agradavelmente, e todos pareciam ser muito legais, mas ainda não sei nada sobre a vida de ninguém. Depois de quase uma hora, Louise saiu para conversar com outras amigas, David puxou Victoria para apresentar uns amigos deles e pude perceber Henrique fazendo um sinal para que Rafael nos deixasse a sós, o que eu gostei bastante. 

- Quer dizer que está aqui estudando? - Ele perguntou erguendo as sobrancelhas e me deixando encantada com sua beleza. 

- Sim... não podia perder essa oportunidade.  

- Com certeza... quantos anos você tem? - Ele perguntou sorrindo. 

- Vinte e um.. e você? 

- Vinte e sete. - Ele sorriu. Eu estava ficando um pouco alta, já era minha terceira taça de champanhe e segunda de vinho. Eu e Henrique conversávamos animadamente sobre viagens e estudos, e acabei descobrindo que ele era dono de uma empresa. Fiquei bastante surpresa, afinal ele era bem novo. Continuamos conversando e bebendo por horas, e eu já estava me perguntando por que ele não tinha me beijado ou algo do tipo, e se ele não fizesse logo, provavelmente eu ia fazer depois de mais algumas taças de bebida. 

Fomos andando até uma varanda da casa, mais reservada, e ficamos olhando o céu e as estrelas. Estava tudo muito bonito nessa noite. 

- Você é linda. - Ele falou me puxando pela cintura para mais perto. Pegou no meu cabelo e passou um dedo pelo meu lábio. 

- Você é lindo. - Sorri e coloquei meus braços envolta de seu pescoço. Nós dois sorrimos um para o outro e ele rapidamente prensou seu corpo contra o meu e me beijou, deixando-me sem fôlego. Sua mão foi descendo até minha bunda e apertando levemente, enquanto ele alternava entre beijar minha boca e beijar meu pescoço. 

- Seu cheiro é maravilhoso. - Ele falou com a voz rouca e deu uma mordidinha na minha orelha. Eu já estava começando a ficar excitada com aqueles beijos e pude perceber que ele também. - Queria te levar para conhecer minha casa. - Ele falou sorrindo e me abraçando. Vamos? 

- Não sei, Henrique. - Falei meio hesitante. 

- Relaxa, a gente não vai fazer nada demais, a gente podia só ficar no jardim ou assistir alguma coisa. Eu tô um pouco cansado dessa festa, nada emocionante acontece. - Ele falou e eu ri. 

- É verdade... mas você me deixa em casa cedo? Eu cheguei de viagem hoje e ainda estou cansada. 

- Deixo sim. - Ele falou me dando vários selinhos. 

- Então vamos. - Sorri, ele pegou minha mão e me guiou até seu carro..


Notas Finais


Espero que tenham gostado.. eu ia escrever um capitulo maior com a parte da Lis e do Henrique, mas senti que o capitulo ficou grande e to tão fora de forma que fiquei cansada, mas enfim, comentem aqui ideias, criticas, sugestões, elogios (:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...