História Traveling to You - Capítulo 26


Escrita por: ~

Visualizações 57
Palavras 1.911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O cap tá pequeno pq vou recompensar com o Lemon do próximo 😶

Capítulo 26 - Sorry for hurt you


Fanfic / Fanfiction Traveling to You - Capítulo 26 - Sorry for hurt you

Taehyung Pov

 

Depois de acordar sozinho na cama, tomei um banho e fui a procura de Jungkook. O procurei por todos os cômodos até sobrar apenas um, a sala de treinamento. E foi para lá que eu fui. Assim que me abro a bendita porta, dou de cara com um Jungkook sem camisa. Suor escorre pelo seu corpo, enquanto o mesmo faz movimentos de luta com uma faca. Fixo meus olhos em seu peitoral e mantenho minha atenção em cada movimento de sua respiração.

 

- Vai ficar quanto tempo me secando com os olhos? - ele diz sem me olhar e sorri

 

- Eu queria secar com outra coisa – digo irônico

 

Ele para o que está fazendo e anda lentamente em minha direção. Sem tirar seus olhos dos meus. Sinto seu rosto molhado assim que ele encosta sua testa na minha. Seu cheiro é tão bom que eu poderia ficar cheirando ele pra sempre. Sinto suas mãos levantando a minha camisa e automaticamente eu cedo a sua vontade. Ele a tira e passa seus lábios molhados em meu pescoço, mordendo de leve logo em seguida. Meu membro já dá sinais de vida e sinto que o dele também. Fecho meus olhos para me deixar levar pelos seus toques, até que ele me joga um balde de água fria.

 

- Vamos treinar – ele sussurra em meu ouvido e se vira indo em direção a estante de facas e espadas no canto da enorme sala

 

Vontade de te matar Jungkook!

 

- Sei que quer me matar – ele ri alto – Então escolha sua arma e o faça – ele pega uma katana prateada e passa sua língua na ponta da mesma

 

- Você lê pensamentos é? - ando até ele e pego uma faca média

 

- Não é necessário quando você já demonstra tudo por expressões faciais, V – ele se direciona ao outro lado da sala

 

- Troxa – reviro os olhos

 

- Olha – ele ri – Cadê meu anjo docinho? - ele me encara com seus olhos transbordando luxúria

 

- Tá aqui, só botar a boca – aponto para o meu pênis ainda ereto

 

- Estou adorando esse seu lado – ele morde o lábio inferior

 

- Tenho um trato a fazer – digo brincando com a faca em minhas mãos – Se eu conseguir te cortar, eu vou foder você hoje – o olho e sorrio de lado

 

- Aceito… até porque você não vai conseguir mesmo – dou de ombros

 

Não me subestime Jungkook, não sou mais o mesmo.

 

Jk se transporta para a minha frente e iniciamos uma batalha corpo a corpo. Ele sumia e aparecia ao redor de mim, em todos os lados na mesma hora, fazendo com que eu tenha que prestar bastante atenção nele e não nos meus golpes. Consegui prever todos os seus passos. Foi dificil de primeira, mas ele não tinha para onde ficar se transportando a não ser ao meu redor. Assim que some e aparece ao meu lado, batemos contra nossas próprias armas, uma na outra em rápidos movimentos que um ser humano não conseguiria enxergar. Finalmente consigo jogar sua katana para longe, mas já sabendo que ele se transportaria para lá e a pegaria, voltando a mim em seguida. Então assim que a jogo longe, o chuto fortemente na altura do peito, o fazendo acertar a parede em cheio com suas costas. Sinto um calor de ódio tomar conta de mim por imaginar que ele está pegando leve.

 

- Tá muito fácil Jungkoozinho – faço sinal de negação com a cabeça – Eu nem precisei sair do lugar – sorrio sádico

 

- Agora – ele se levanta – Eu não vou ter – ele me olha – Piedade – ele desfaz o sorriso, sua íris muda para o tom vermelho e suas presas saem de sua boca

 

- Apelão – sorrio – Se quer assim, tudo bem

 

Pulo pro primeiro estágio da minha transformação, assim como ele fez. Porém, como sou impuro, toda vez que faço isso enquanto sinto raiva, tendo a cair para o outro lado. Sendo assim, perco o controle. Antigamente quem perdia o controle era ele, e eu o ajudava.

 

Como o munda dá voltas.

 

Então ele vem com tudo. Sem piedade. Solto a faca que eu segurava e me posiciono para o ataque. Agora será mano a mano. Socos e chutes mais rápidos que a velocidade dá luz. Desvio, ele desvia, ataco e ele ataca. Longos minutos se passaram. Posso ouvir meu outro eu clamando para sair, mas tenho medo de machucar ele. Enquanto retenho esse lado meu, a dor só aumenta. É como se fosse o parto, enquanto você não der a luz, continua sentindo dor. Se eu continuar me segurando, vou acabar machucando a mim mesmo. A mão de Jungkook em meu pescoço enquanto me ergue do chão, faz com que eu saia de meus pensamentos. Ele passa sua língua em suas presas e sorri para mim. Mas suas mãos não fazem um mínimo de esforço para me machucar.

 

Ainda está pegando leve hun?!

 

E novamente parece que ele leu meus pensamentos, pois me jogou com tudo contra o chão. Era isso o que eu queria, uma luta de verdade. Ele para por uns segundos por ter se arrependido do que fez e aproveito para lhe dar uma rasteira. Subi em cima dele e a lembrança da morte de Hoseok e Jimin voltaram a tona. Balancei a cabeça para tentar afastar essas lembranças e logo em seguida sou jogado contra o teto e caio no chão. Um ataque forte de Jungkook enquanto eu estava distraído. Me apoio em minha mão ao mesmo tempo que tento me erguer. Mas a sala se torna aquele campo de guerra e vejo Jungkook como se fosse o Destiny. Foi o estopim do que veio a seguir. Não preciso me olhar no espelho para saber que me tornei meu outro eu. O lado totalmente impuro. Meus olhos negros, sem um pingo de cor aparente. Apenas não abri minhas asas. Jungkook inclina sua cabeça para o lado direito e sorri. Esse costuma ser o momento que ele perde a cabeça também. Novamente o campo de guerra retorna e vejo o destino. E a batalha recomeça.

 

[…]

 

- Eu te amo – sussurra em meu ouvido

 

Sinto minhas mãos molhadas e minha visão turva. Tento focar na pessoa que está em baixo de mim, passando a mão em meu rosto. Balanço a cabeça para ver se minha visão melhora e assim que volto minha íris ao normal, vejo um Jungkook ensanguentado em baixo de mim, enquanto minha mão perfura seu estômago.

 

- Jungkook… eu – olho para minhas mãos cheias de sangue e volto meu olhar a ele – Me perdoa – lágrimas descem de meus olhos

 

- Eu não vou morrer Tae, não se preocupe – ele acaricia meu rosto e sorri

 

- Mas- Mas eu podia ter te matado – me levanto rapidamente e ele faz o mesmo – Se acertasse… se acertasse seu coração – soluço – Eu estava vendo o destino e -

 

- Eu te entendo – ele me abraça forte – Sempre entenderei – ele beija minha bochecha e me olha nos olhos

 

- ME SOLTA! - grito e o empurro – VOCÊ É DOIDO OU O QUE? - puxo meu cabelo e ando de um lado para o outro – EU PODIA TER TE MATADO E… E EU IRIA FICAR SEM VOCÊ DE NOVO, DROGA!

 

- Se eu sentisse que você acertaria meu coração, eu não deixaria amor… se acalme – ele tenta se aproximar

 

- Eu te odeio! - saio correndo para o meu quarto e tranco a porta

 

Jungkook Pov

 

Vejo Tae sair correndo da sala de treinamento com muito ódio. Suspiro e olho para o machucado que ele fez. O mesmo começara a se curar. Sinto dor, claro, mas é suportável. Aproveito para arrumar as armas para que dê tempo dele se acalmar. Já terminado, vou para seu quarto mas a porta está trancada. O que me faz rir, ele esqueceu que eu me transporto. Então é o que eu faço em seguida.

 

- Tae… - me aproximo da cama onde ele está encolhido chorando

 

Não espero ele responder e me direciono ao banheiro para tomar um banho. Quando termino, me deito na cama ao seu lado, mas sem encostar nele. Já que ele está de baixo da coberta, apenas espero o momento que ele se sinta a vontade e queira falar comigo.

 

- Eu não sei viver sem você mais – ele sussurra de baixo da coberta – Eu não consigo me ver sem você – ele pega minha mão por de baixo da coberta e acaricia – Me desculpe por te machucar – ele beija minha mão

 

Levanto a coberta e o vejo encolhido com os olhos fechados. O puxo carinhosamente para perto de mim e o aperto em meus braços.

 

- Você não me machucou – pego sua mão e faço com que ele acaricie minha barriga – Viu? Já está curado – beijo sua testa – Eu te amo

 

- Posso manter minha mão na sua barriga? - ele sorri

 

- Se quiser pode colocar ela em qualquer lugar, sou todo seu – afago seu cabelo

 

- E aqui? - ele aperta meu pênis me fazendo arfar

 

- Não respondo pelos meus atos se você continuar – levanto seu rosto

 

- Eu te cortei – ele passa sua língua em meus lábios – Então eu te fodo hoje – e os mordendo

 

- Desculpa amor, mas eu gosto de comer e não de ser comido – passo a língua em seu pescoço

 

- Poxa – ele diz triste

 

- Não faz essa carinha de cachorro ferido Tae – reviro os olhos

 

- Mas – ele faz biquinho

 

- Poha! Tá bom! - o coloco em cima de mim – Faça seu melhor… mas se eu não gostar – mordo seus lábios – Eu te fodo durante dois dias sem parar – sussurro em seu ouvido

 

- Vou dar o meu pior então – nós rimos

 

- Eu to falando sério – ele diz deitando de volta ao meu lado – Prefiro os dois dias

 

- Cruz credo – solto uma gargalhada – O que aconteceu com o meu Taezinho? - subo em cima dele

 

- Taezinho? Eu só conheço o Taezão e ele tá bem aqui – ele segura no próprio pênis enquanto me olha e sorri de lado

 

Ah Tae! Se você soubesse os turbilhoes de pensamentos e sentimentos que você me causa, não agiria assim, teria medo de mim.

 

Você vai se arrepender disso – sussurro em seu ouvido e depois a mordo de leve

 

- ACORDA SEUS PUTOS! - Jin arromba a porta e entra gritando

 

Respiro fundo para não o matar e saio de cima de Tae.

 

- Ah, foi mal… não estavam dormindo né – ele ri

 

- Não, mas estou com uma tremenda vontade de fazer você dormir – me sento na cama e o encaro

 

- O que houve Jin – Tae pergunta indo em sua direção

 

- Bom… - ele fica sério – Precisamos voltar para a Wings, Yoongi perdeu o controle por causa da morte de Hoseok – ele abaixa a cabeça

 

Vejo Tae ficar estático como se todas as cenas estivessem voltando em sua mente. Me levanto e vou até ele. Seguro em seu rosto e o beijo. Um beijo calmo e carinhoso. O afasto e ele sorri. O sorriso que eu tanto queria ver.

 

- Se quiser ficar… - acaricio seu rosto

 

- Não, preciso rever meu irmão – ele segura em minha mão

 

- Foi a primeira vez que fiquei de vela na vida – Jin diz

 

- E o que achou? - Tae pergunta curioso

 

- Digamos que eu precise do Nam agora – ele ri alto e sai

 

E então nos dirigimos até Wings.

 

[…]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...