História Treat You Better - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Tags Fanfiction, Mendes Army, Romance, Shawn Mendes
Exibições 171
Palavras 2.414
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


CHEGOU QUEM FOI BASTANTE AMEAÇADA DEPOIS DO ÚLTIMO CAPÍTULO
KKKKKKKKKKKKKKKKK SÓ FIZ RIR
Leiam esse capítulo lindo (ou não) e cheiroso!!!
Ps: nas notas finais tem o link de uma música pra vocês escutarem enquanto leem!

Capítulo 28 - No air waiting to come back


Fanfic / Fanfiction Treat You Better - Capítulo 28 - No air waiting to come back

Seis meses depois...

Esses foram os meses mais demorados da minha vida, pareceu uma eternidade. Nunca me senti mais sozinha e sem ânimo em todos esses anos. Foi uma amostra grátis do inferno, com direito até a um diabo em carne e osso.

No dia que eu tive que falar aquelas coisas horríveis para o Shawn, o Roan fez com que eu dissesse para os meus amigos e familiares que precisava de um tempo longe de todos para superar o fim do meu relacionamento com o Shawn. Ele se desfez do meu celular e me obrigou a morar com ele em Quebec. Quando Abigail e Trevor voltaram de viagem eu não estava mais em casa. Eu já tinha falado com eles por telefone, avisando que passaria algum tempo longe. Eles acreditaram nas coisas que eu falei. Liguei para os meus pais e falei que iria passar algum tempo viajando sem nenhum tipo de comunicação. Eles acharam loucura, mas depois acabaram cedendo. Me destruía ter que mentir para as pessoas que eu mais amava, mas era para a proteção de todos eles. Só eu sabia do que o Roan seria capaz de fazer. E eu preferia ter que sofrer sozinha a colocar todos eles em risco.

Roan me levou pra morar na sua nova casa na província de Quebec. Ele morava com três amigos numa casa um pouco afastada dos bairros mais movimentados. Nos primeiros dias eu ficava o dia todo trancada num quarto sozinha, sem a mínima vontade de sair para fazer nada. Eu nunca ficava sozinha na casa, sempre estava algum dos amigos do Roan. Eu me sentia num cativeiro humano. Eles estavam sempre embriagados e fumando maconha ou usando qualquer outra droga. Às vezes eu escutava algumas conversas deles e ficava realmente assustada. Eles faziam parte de algum tráfico de drogas e humano. Cada dia que passava eu tinha mais medo de estar ali, mas tinha mais medo ainda de fugir e colocar as pessoas que eu amo em risco.

Nos três primeiros meses Roan me obrigava a ter relações sexuais com ele, de uma forma muito pior e violenta do que na época que éramos namorados. Eu não tinha escolha. Ele estava sempre sob efeito de drogas e me agredia se eu tentasse recusar. Nos três últimos meses ele andava ocupado com seus negócios e me deixou de lado. Eu tentei algumas vezes negociar minha saída dali, mas acabava trancada no porão.

Eu não tinha acesso a celular ou internet, então minha única distração era televisão. Mas até aquilo estava me deixando mal. Eu assistia todas as notícias sobre o Shawn e aquilo acabava comigo. Ele passou por tanta coisa nos últimos meses e eu não estava ao seu lado. E o pior de tudo era que ele não sabia o que estava acontecendo comigo e, provavelmente, estava me odiando. Se pelo menos ele soubesse que eu estava fazendo aquilo para o bem dele...

Nas primeiras semanas as únicas notícias que eu tinha sobre ele eram algumas fotos que saíam dele. E em todas as fotos ele estava triste, com o olhar vazio. Nos shows ele não estava mais tão feliz e nas fotos do Meet ele sempre saía com a mesma expressão: vazia. As fãs estavam preocupadas com ele e sempre subiam tags no twitter para ele, mas ele não respondia. Aquilo cortava o meu coração de uma forma inexplicável. Ele nunca tratou mal os fãs e aquilo era culpa minha. Eu sabia disso. Os fãs começaram a me culpar por o ídolo deles estar mal. E eu sabia que, de certa forma, era verdade.

Depois que acabaram os shows que tinham na sua agenda, Shawn era visto apenas entrando e saindo do estúdio todos os dias. Os paparazzis acharam que seria interessante tirar fotos todos os dias dele no local. E os fãs começaram a aparecer para vê-lo. Ele parou algumas vezes e tirou algumas fotos com os fãs rapidamente, sem trocar muitas palavras. Com o passar do tempo ele foi voltando ao normal aos poucos. Nos últimos dias que ele apareceu no estúdio já estava sorrindo nas fotos e os fãs relataram que ele até conversou animado sobre os projetos futuros. Nas semanas seguintes ele fez algumas viagens e estava dando mais atenção aos fãs. Aquilo estava os deixando mais feliz e fez com que eles esquecessem de me odiar.

Durante as viagens ele foi visto com algumas mulheres. Aquilo tinha me feito chorar por várias noites, mas eu não podia ser egoísta ao ponto de querer que ele privasse sua vida só para me esperar. Nem eu sabia quando iria me livrar desse inferno. Além disso, eu não sabia se ele iria querer conversar comigo ou algo do tipo. Eu não conseguia esquecer a expressão que ele fez quando nos falamos pela última vez.

Shawn Mendes é visto saindo de premiação de mãos dadas com Camila Cabello.

Shawn Mendes e Hailee Steinfeld foram flagrados saindo juntos de restaurante.

Shawn Mendes é visto saindo de estúdio onde Astrid estava e foi vista saindo minutos depois.

Shawn Mendes é visto em aeroporto com amiga de infância.

Hailee Steinfeld fala sobre ter passado alguns dias conhecendo Toronto com Shawn Mendes.

Camila Cabello posta foto beijando a bochecha de Shawn Mendes.

Shawn Mendes é visto saindo de PUB em Los Angeles.

Shawn Mendes participa de festa privada em mansão no bairro de Calabasas.

Eu tinha assistido todas as notícias que saiam sobre ele, sem exceção. O fato de ele ter sido visto aparentemente mal por algum tempo fez a mídia focar nele para acompanharem seus próximos passos. O que a mídia realmente esperava que acontecesse com ele era envolvimento com drogas, bebedeiras e prostitutas. Mas fico feliz que ele tenha mostrado a todos que nem nos piores momentos ele se deixaria levar para esse caminho.

Há dois meses foi a festa de formatura da turma do colégio do Shawn. E ele chamou Lauren para ser a sua acompanhante. Vi várias fotos desse dia e chorei até não aguentar mais. Ele estava realmente feliz e dava claramente pra ver. Eu queria estar do lado dele naquele dia que foi um dos mais importantes da vida dele, eu queria ter comemorado com ele. Eu tentava ficar feliz por ele não ter se prendido a mim, mas a verdade era que eu sofria por nós dois.

Algum tempo depois da formatura, foi lançado o vídeo da música “Treat You Better”. Aquela música que Shawn tinha escrito pra mim. O vídeo contava a minha história com Roan e Shawn tentando me tirar daquilo com o seu amor. Se pelo menos ele soubesse que isso estava acontecendo agora mesmo... Eu assistia a aquele vídeo todos os dias e chorava. Queria falar com ele, dar um abraço, um beijo... Só queria ter ele perto de mim. E quando eu lembrava que não sabia se um dia iria vê-lo de novo me fazia chorar mais ainda. Queria ele do meu lado me dizendo que tudo vai ficar bem.

Um mês atrás foi o aniversário de dezoito anos do Shawn. Ele comemorou com sua família e amigos em Toronto. Essa foi a última vez que eu vi fotos da Karen, Manuel e Aaliyah... Eu estava com muita saudade deles. Principalmente da Aaliyah. Eu nem consegui falar com ela antes de desaparecer da vida deles. A última vez que tínhamos conversado e passado algum tempo juntas tinha sido no dia que eu fui busca-la na escola. No mesmo dia que eu vi Roan espionando a gente. No mesmo dia que eu terminei meu relacionamento com Shawn. Eu queria ter conversado com ela, ter explicado que não a estava abandonando. No momento que ela mais confiou em mim e contava com a minha companhia, eu simplesmente desapareci da sua vida. Eu esperava que ela não me odiasse.

Nas últimas semanas tiveram algumas festas dos amigos do Shawn. A maior parte deles foi para a faculdade e estavam comemorando com aquelas festas estilo de fraternidade. Vi algumas fotos de Shawn com eles e algumas garotas. Eu tentava controlar meus ciúmes, mas era inevitavelmente pensar que ele poderia ter ficado com qualquer uma daquelas mulheres. Eu não aguentava pensar nisso.

Minha cabeça começou a latejar de tanto lembrar de como a minha vida tinha se tornado uma merda nos últimos seis meses. Mas eu estava fazendo aquilo pelas pessoas que eu amo. Eu não estava sendo uma pessoa ruim por isso.

Abri a porta do quarto lentamente e coloquei apenas a cabeça para fora, verificando se o caminho até a cozinha estava vazio. Não escutei nenhum barulho, então fui silenciosamente até o armário da cozinha, procurando algum analgésico.

Enquanto tomava o remédio, escutei a voz de um dos amigos do Roan vinda da sala.

— Cadê o Hector e o Roan que ainda não voltaram?  Foram vender aquele saco de pó ou comer algumas prostitutas? — Escutei James falando e fiz uma careta de nojo. Esses homens me davam vontade de vomitar.

— Só espero que eles não façam merda porque o dinheiro que estamos ganhando com pó duplicou esse mês. — Escutei a voz do Rick.

— Acho que são eles vindo ali. — Escutei James falando.

Subi em cima da bancada da cozinha e pude ver pela janela mais alta James e Rick sentados no banco que ficava na frente da casa. Eles estavam fumando maconha e James apontava pra um carro que estava se aproximando da casa.

— JAMES E RICK, CORRAM AQUI. — Roan gritou parando o carro na frente da entrada da garagem.

— QUAL FOI A MERDA QUE VOCÊ FEZ DESSA VEZ? — Rick gritou indo em sua direção.

— Matei a merda de um cara que eu achava que era o Maicon, aquele que estava nos devendo duzentos dólares daquela arremessa de cocaína. — Roan falou enquanto abria o porta-malas e eu não consegui ver o corpo do homem.

— VOCÊ É UM FODIDO, ROAN. PUTA QUE PARIU. — James gritava descontroladamente enquanto Roan passava as mãos no cabelo num ato de nervosismo.

— Temos que dar um jeito de nos livrar da porra desse corpo. — Hector falou e os quatro tiraram o corpo de dentro do porta-malas.

Observei enquanto eles levavam o corpo até a calçada de frente da casa do Roan, onde tinha um terreno abandonado e era cercado de árvores e plantas altas. Eles iam gritando e xingando um ao outro. Abaixei o olhar e vi que James tinha deixado seu celular embaixo do banco no qual estava sentado. Não pensei duas vezes e desci da bancada da cozinha num pulo. Corri até o lado de fora, peguei o celular e voltei correndo para o meu quarto.

Arrastei o armário para prender a porta, já que eu não tinha chaves. Tranquei as janelas e fechei as cortinas rapidamente. Peguei o celular com as mãos trêmulas. Eu tinha que pensar rápido no que eu faria com aquilo, eu provavelmente só teria uma chance e não poderia vacilar. Em pouco tempo eles voltariam e o James iria notar que o seu celular tinha desaparecido. Num ato rápido disquei para a polícia e em dois toques alguém atendeu.

— Disque denúncia. — Escutei uma voz feminina.

— Eu... Eu queria denuncia quatro homens que traficam drogas e mataram um homem inocente. Eles estão nesse momento tentando esconder o corpo num terreno abandonado. — Falei com a voz trêmula de nervosismo.

— A senhora poderia me passar o endereço? — A mulher falou e pude escutar barulhos de sirene.

Enquanto tentava explicar o endereço, pude escutar a porta da frente da casa batendo com força.

— GABRIELA, CADÊ A PORRA DO CELULAR DO JAMES? — Roan gritava enquanto derrubava várias coisas pelo caminho.

— Está tudo bem, senhora? Já mandei três viaturas até o endereço. — A mulher falou tentando chamar a minha atenção.

— Eles precisam chegar logo ou eu posso morrer. — Falei chorando e a ligação caiu.

— GABRIELA, ABRE ESSA PORTA. FILHA DA PUTA! — Roan estava esmurrando a porta e tentando abrir de todas as formas, inclusive com chutes.

Eu tentava controlar as lágrimas, mas estava nervosa demais para isso. Roan gritava todos os tipos de xingamentos e palavrões enquanto tentava derrubar a porta. Eu sentei na cama rezava para que a polícia chegasse logo e eu pudesse sair daquele inferno.

Escutei um barulho de vidro e quando virei a cabeça vi que Roan tinha quebrado uma janela e estava dentro do quarto. Seu olhar era assustador e transbordava ódio. Corri até a porta e arrastei o armário com todas as minhas forças, abrindo a porta e correndo o mais rápido que pude até o lado de fora da casa.

Não se teria sido pior: ter ficado dentro da casa com Roan ou sair e me deparar com aqueles três amigos dele. Eles me cercaram e não me deixaram passar de jeito nenhum. Olhei para trás e Roan estava vindo em minha direção com um sorriso vitorioso.

— Você achou que iria conseguir se livrar de mim? Sua puta. — Ele falou vindo em minha direção e dando uma tapa forte no meu rosto.

Meu rosto latejava e eu controlei as lágrimas. Não queria e não iria chorar na frente daqueles quatro homens repugnantes. Senti duas pessoas segurando os meus braços com força e me arrastando para dentro da casa.

Enquanto passava pela porta de entrada, escutei alguns carros parando na frente da casa. Rezei mentalmente para serem os policiais.

— SOLTEM A GAROTA E LEVANTEM OS BRAÇOS. — Um policial gritou.

— AGORA! — Escutei outro gritando mais alto.

Senti meus braços livres e me virei em direção aos policiais. Tinham três viaturas paradas na frente da casa e mais de dez policiais ao redor da casa com armas apontadas para Roan e seus amigos.

— Garota, pode vim pra cá. — Um dos policiais falou e estendeu o braço.

— E VOCÊS NÃO SE MEXAM. — Outro policial gritou enquanto eu corria em direção a eles.

Observei enquanto quatro policiais se aproximavam da casa e algemavam aqueles homens com que tive que conviver nos últimos meses um verdadeiro inferno. Eles foram algemados e colocados no porta-malas de duas viaturas. Logo as duas viaturas foram embora e os policiais que ainda estavam ali entraram na casa e passaram alguns minutos revistando cada canto da casa.

— Encontramos algumas drogas e armas que serão levadas até a delegacia. — Um policial saiu da casa com algumas sacolas.

— A senhorita quer pegar alguma coisa na casa antes de ir embora? — A única policial mulher dali perguntou perto de mim.

— Não, eu só quero sair daqui o mais rápido possível e voltar para a minha casa. — Falei soltando um longo suspiro, seguido por várias lágrimas.


Notas Finais


Música do capítulo: https://www.youtube.com/watch?v=Riu68sYRzMg
ROAN É O MAIOR ÓDIO DA VIDA.
Massssss
FREE GABRIELA
E AGORA??????
Me contem nos comentários o que estão achando! Amo vocês, coisas lindas!!!
Playlist no Spotify (user: camilla.rolim): Treat You Better


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...