História Treat You Better - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Tags Fanfiction, Mendes Army, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 476
Palavras 2.040
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DEPOIS DE MUITAS AMEAÇAS, AQUI ESTOU EU
sim, tenho leitoras loucas que me ameaçam diariamente
mas eu amo vocês
*leiam as notas finais*

Capítulo 29 - There's no one standing in your way


Fanfic / Fanfiction Treat You Better - Capítulo 29 - There's no one standing in your way

— Chegamos, senhorita. — A policial falou.

Eu estava dentro de uma viatura que tinha me levado até a casa da Abigail. Sim, agora aquela casa era apenas dela. Durante todo o percurso eu fui com a cabeça apoiada nos joelhos e as pernas encolhidas no banco. Três policiais me levaram e durante o caminho fizeram algumas perguntas sobre o que tinha acontecido na casa de Roan durante o tempo que eu fiquei lá. Eu contei tudo nos mínimos detalhes e pedi para não ser levada para depor, eu não tinha emocional pra isso.

Desci da viatura e fui acompanhada por dois policiais até a porta da casa. Toquei a campainha e esperei até alguém atender.

— JÁ VOU! — Escutei a voz da Abigail e aquilo me deixou mais aliviada.

Depois de curtos minutos ela abriu a porta e ficou boquiaberta quando me viu ali acompanhada de policiais.

— No que posso ajudar? — Ela falou com a voz trêmula.

— Acho que sua amiga pode explicar tudo pra você. Só viemos acompanha-la. — A policial falou e voltou para a viatura.

Observei a viatura indo embora e senti os braços da Abigail me puxando delicadamente para entrar na casa. Ela me fez sentar no sofá e foi até a cozinha. Dei uma breve olhada ao redor da casa e estava tudo exatamente do mesmo jeito.

— Você quer me contar agora o que aconteceu? — Abigail perguntou me entregando uma xícara com chá e puxando uma cadeira para sentar na minha frente.

— Cadê o Trevor? — Perguntei enquanto tomava o chá todo em praticamente um gole.

— Ele foi pra casa há uma hora mais ou menos. — Ela respondeu.

— Vocês ainda estão noivos? — Perguntei a observando.

— Sim. Você saberia se não tivesse sumido. — Ela falou num tom irônico.

— Não foi culpa minha. — Falei cabisbaixa.

— Então o que aconteceu? — Ela perguntou confusa.

— Roan. — Respondi sem conseguir encará-la.

— O que tem o Roan? — Ela perguntou e eu voltei a encará-la.

— Ele me ameaçou para acabar com o Shawn e sumir da vida de todos vocês. — Falei com os olhos marejados.

— Ele te ameaçou? — Ela perguntou assustada.

— Ele falou que se eu não acabasse com o Shawn e fosse embora com ele, todos vocês sofreriam pelos meus atos. — Falei deixando algumas lágrimas escorrerem.

— O Roan te obrigou a passar esses meses com ele? Por que você não tentou se comunicar com a gente? — Ela perguntou controlando as lágrimas.

— Ele me deixou sem celular. A primeira oportunidade que eu tive de pegar um celular foi ontem e liguei logo para a polícia. — Falei.

— O que aconteceu com você lá? — Ela perguntou receosa.

— Nos primeiros meses Roan me obrigou a ter relações com ele ou eu apanhava. — Falei soluçando.

— O QUÊ? ­— Ela gritou.

— Todas as vezes que eu tentava negociar pra sair de lá ele me batia e me trancava num porão escuro. — Falei.

— QUE DESGRAÇADO! — Ela gritou sem conseguir se controlar.

— Eles tinham drogas e armas na casa para vender. Eles viviam disso. ­— Falei.

— VOCÊ ESTAVA NUMA CASA CHEIA DE LOUCOS QUE TE BATIAM E ERAM TRAFICANTES? — Ela perguntou e eu assenti.

Abigail afundou a cabeça entre as mãos e chorou. Chorou muito por longos minutos. Ela soluçava e eu podia ver suas mãos trêmulas. Estiquei meu braço e a toquei delicadamente.

— Não precisa se sentir mal por isso, eu já estou aqui. — Falei.

— Você passou esses meses sendo torturada por esses idiotas e eu estava sendo egoísta. Eu só pensava sobre como você tinha ido embora sem falar direito comigo, como você tinha deixado todo mundo mal e não estava ligando para isso. Eu fui estúpida. Como eu não poderia ter pensado que você não estava bem? — Ela falou chorando mais ainda.

— A culpa não é sua, Abby. Eu imaginava que todos iriam pensar exatamente isso. — Falei forçando um sorriso.

— Não adianta falar isso, eu continuo me sentindo um lixo. — Ela falou limpando o rosto.

— Eles estão presos e eu voltei pra casa, isso que importa. — Falei a puxando para um longo abraço.

Passamos algum tempo abraçadas e a porta da frente foi aberta.

— VOLTEI, AMOR! ­— Trevor gritou enquanto tirava os sapatos.

— Não foi só você que voltou. — Abigail falou sorrindo.

Trevor foi até a sala com as sobrancelhas franzidas e ficou surpreso ao me ver. Fiquei com medo que ele estivesse com raiva de mim ou algo do tipo, então fiquei parada esperando por sua próxima reação. Ele olhou para mim e depois para a Abigail. Depois de longos e torturantes segundos ele correu em minha direção e se jogou em cima de mim.

— Que saudade que eu estava de você! — Ele falou me abraçando e dando vários beijos na minha bochecha.

— Você não imagina o quanto eu estava sentindo falta de vocês. — Falei soltando uma gargalhada. A primeira em vários meses.

— O que aconteceu? — Ele perguntou percebendo que eu e Abigail estávamos chorando há pouco tempo.

— Vou fazer alguma coisa para comermos enquanto vocês conversam. — Abigail falou sorrindo enquanto levantava e ia para a cozinha.

Respirei fundo e contei toda aquela história de novo. Percebi que a cada minuto que se passava Trevor cerrava mais os punhos. A raiva era evidente no seu olhar.

— Não acredito que você passou por tudo isso sozinha. — Ele falou passando as mãos pelos cabelos num ato de nervosismo.

— Já passou. — Falei sorrindo para ele.

— Que vontade de socar a cara daquele idiota até ele morrer. — Ele falou soltando um longo suspiro.

— Vamos parar de pensar nele ou nessas coisas que já passaram, por favor. — Falei em tom de súplica.

— Só porque você está pedindo. Mas saiba que se esse idiota sair da cadeia eu mesmo mato ele. — Trevor falou sério.

Abigail voltou para a sala com três potes de salada de frutas e fizemos a refeição num silêncio agradável. Era bom estar de volta para a minha casa, ao lado dos meus melhores amigos.

— Você já falou com o Shawn? — Trevor perguntou depois de um longo tempo.

— Não e nem sei se ele vai querer falar comigo. — Falei cabisbaixa.

— Você sabe que amanhã é show dele no Madison Square Garden? — Ele perguntou.

— Ele vai fazer show no Madison Square Garden? — Perguntei surpresa. Imagino o quanto ele deve ter ficado feliz com aquilo.

— Os ingressos esgotaram em pouquíssimos minutos. — Ele respondeu.

— Sério? — Perguntei animada, mas com uma pontada de tristeza. Como eu queria estar do lado dele quando aquilo aconteceu.

— Cameron ligou ontem perguntando se iríamos, mas eu tenho que trabalhar amanhã. — Abigail falou.

— Faz tanto tempo que eu não falo com o Cameron... — Comentei num tom de voz triste.

— Ele me ligou algumas vezes e em todas as ligações perguntava por você. — Abigail falou abrindo um pequeno sorriso.

— Você deveria ligar pra ele. — Trevor falou me encarando.

— Você acha? — Perguntei insegura.

— Tenho certeza. — Ele respondeu sorrindo.

— Além de que ele está esperando você ligar a alguns minutos... — Abigail falou olhando rapidamente para o relógio.

— Como assim? — Perguntei confusa.

— Enquanto você estava conversando com o Trevor eu liguei para ele e contei o que aconteceu. — Ela falou.

— Sério? — Perguntei surpresa e ela concordou.

— Ele está esperando você ligar para ele. — Ela falou e me entregou o seu celular.

Peguei o celular de sua mão e fui até o meu quarto. Fechei a porta e passei algum tempo observando ao redor. Estava tudo exatamente do mesmo jeito que eu tinha deixado e alguém estava mantendo tudo limpo. Sorri com aquilo. Sentei na cama e desbloqueei o celular da Abigail. O papel de parede era uma foto dela com o Trevor recentemente. Procurei o nome do Cameron na lista telefônica e cliquei no botão para ligar.

— Alô? — Ele falou com uma voz de sono.

— Cam? — Perguntei insegura.

— GABE? — Ele deu um grito.

— Oi. — Falei rindo baixinho.

— QUE SAUDADE DE AO MENOS ESCUTAR A SUA VOZ! — Ele falou ainda gritando.

— Estou com tanta saudade de você, Cam. — Falei com a voz manhosa.

— Você já falou com o Shawn? — Ele perguntou.

— Não... — Respondi desanimada.

— Eu tive uma ideia... Falei para a Abigail e ela concordou que era uma ótima ideia. — Ele falou.

— Qual ideia? — Perguntei.

— Amanhã vai ser o show dele no Madison Square Garden, aqui em Nova Iorque. Ele convidou Nash, Johnson, Gilinsky e eu. Os Jacks estão viajando com a turnê, então não podem ir, e eu que fiquei com as credenciais deles. Você poderia vim pra cá e fazer uma surpresa pra ele. — Ele explicou.

— Só tem um problema. — Falei.

— Qual? Não vejo dificuldade nenhuma nessa minha ideia genial. — Ele falou.

— Eu não estou mais trabalhando e meus pais pararam de mandar dinheiro pra mim desde que eu comecei a trabalhar. Não tenho como bancar todos esses gastos. — Falei desanimada.

— Não tem problema. Eu vou arcar com todas as suas despesas. — Ele falou.

— Não, Cameron. Isso é demais. — Falei num tom de voz nervoso.

— Não estou pedindo sua permissão, Gabe. Já comprei a sua passagem e enviei para a Abigail. — Ele falou.

— Cameron... — Falei soltando um suspiro.

— Nada de fazer essa voz de desanimada. Não estou fazendo isso por obrigação, estou fazendo porque quero ver vocês juntos de novo. — Ele falou.

— Já falei que você é maravilhoso? — Perguntei rindo.

— Nem precisa porque eu sei que sou. — Ele falou e pude imaginar ele se exibindo.

— Convencido... — Comentei.

— Um convencido que não vê a hora de te encontrar amanhã. E você vai aproveitar o resto do dia hoje para fazer compras e descansar. Seu voo é amanhã bem cedo. — Ele explicou.

— Te amo muito, Cam. — Falei.

— Te amo mais, Gabe. Até amanhã! — Ele falou e eu desliguei a chamada.

Soltei um longo suspiro e fui até o banheiro tomar um banho quente e demorado. Depois de longos minutos no chuveiro, saí do banheiro e fui até o meu guarda-roupa. Parecia que tinham se passado anos desde a última vez que abri aquele guarda-roupa. Peguei uma calça jeans e uma blusa. Vesti-me e notei que as roupas estavam um pouco folgadas. Era de se esperar que eu estivesse mais magra, eu mal me alimentei durante esses meses. Tirei a blusa e optei por um moletom. Me olhei no espelho e vi que eu estava com a aparência péssima. Meu rosto e meus cabelos estavam descuidados. Minha silhueta estava mais fina e eu tinha perdido o pouco de barriga que eu tinha. Soltei um suspiro e fui até a sala.

— Esperava mesmo que o Cameron conseguisse te tirar de casa. — Abigail falou levantando do sofá.

Ela tinha tomado banho e trocado de roupa. Trevor nos levou até o shopping e falou que viria nos buscar mais tarde. Eu e Abigail passamos a tarde toda fazendo compras e conversando. Ela me contou que depois da viagem dela com Trevor, onde eles noivaram, eles passaram uns dias visitando os parentes de ambos para contar a novidade. Os familiares dos dois ficaram muito felizes e já estavam esperando o casamento. Ela contou também que não tinha marcado a data ainda porque não queria casar sem me ter como madrinha. Fiquei tão feliz com aquela confissão que não consegui controlar as lágrimas e a abracei completamente emocionada. Ela falou que já iria marcar a data, já que eu estava de volta. Estava tão feliz que meus melhores amigos iriam casar em breve.

Depois de longas horas fazendo compras e vários calos nos pés, resolvemos ir para um salão. Fiz as unhas, limpeza de pele, massagem e no final resolvi mudar um pouco o visual, cortando os cabelos um pouco abaixo dos ombros e pintando de loiro escuro. Os meus cabelos longos e pretos me traziam lembranças ruins e eu quis mudar para essa nova fase da minha vida.

Enquanto eu estava no salão, Abigail disse que iria resolver uns problemas pessoais. Quando ela voltou, eu já tinha acabado e fomos comer numa pizzaria. Enquanto comíamos, ela me entregou uma embalagem e disse que era um presente dela e do Trevor. Quando abri me deparei com um celular novo. Tentei recusar, mas ela disse que se eu recusasse não seria madrinha do casamento dela.

Passamos mais algum tempo conversando na pizzaria e logo Trevor foi nos buscar. Quando voltamos para casa, fui descansar porque já estava tarde e eu teria que acordar cedo no dia seguinte para viajar. Se ao menos eu conseguisse conter a ansiedade e pregar os olhos durante a noite.


Notas Finais


E AGORA? SOCORRO
ESSA VIAGEM VAI SER A VIAGEM, HEIN
Comentem o que estão achando, meus amores! Amo ler cada comentário. Fico tão feliz que vocês não fazem ideia.
Pra quem não sabe, eu criei um grupo no whatsapp para a fanfic! Quem quiser entrar me manda o número com DDD por mensagem aqui no spirit.
Playlist no Spotify (user: camilla.rolim): Treat You Better


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...