História Treat You Better - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Scream (Série)
Personagens Audrey Jensen, Brooke Maddox, Emma Duval, Gustavo "Stavo" Acosta, Kieran Wilcox, Margaret "Maggie" Duval, Noah Foster
Tags Drama, Emrey, Romance, Scream
Exibições 52
Palavras 3.229
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá lindas!!!! Como vocês estão?
Entaaao, desculpa por ficar um mês sem postar, mas é que na minha escola tinha começado as provas trimestrais então ficou muito difícil escrever. Espero que entendam, mas graças a Deus já acabou então prometo que vou tentar escrever um capítulo toda a semana.
Agora sem mais delongas, boa leitura.

Capítulo 5 - Feelings


Fanfic / Fanfiction Treat You Better - Capítulo 5 - Feelings

Era, no mínimo, a décima vez que Emma revirava os olhos naquela noite. Audrey e Gina não paravam de rir do filme e cochichar entre elas. A loira olhava para tela com uma raiva tremenda, sentia suas mãos suando e mordia seu lábio inferior completamente irritada.

- Vocês podem, por favor, ficar em silêncio? – A loira falou com uma voz grossa fazendo as duas olharem para ela – Muito obrigada. – Disse ironicamente.

Emma tentou se concentrar na tela a sua frente e tentou ignorar o olhar da morena em sua pele. Não queria olhar em sua cara, estava brava demais para isso, ela havia proposto esse encontro com apenas amigos para depois simplesmente convidar uma desconhecida e ficar toda boba com ela? A loira não gostava de se sentir trocada, nem ameaçada. Ela gostava da atenção de Audrey só par ela, apenas para ela. Os pensamentos da loira estavam voltados em como Audrey nem tinha reparado nela naquele dia, nem falou com ela direito, só dava atenção para a tal de Gina. Quando tentou prestar atenção no filme a sua frente, ouviu risadas e aquilo fora a gota da água.

- Vou ir pegar mais refrigerante, o meu acabou. – Falou para Kieran, olhado para a morena que estava ocupada demais com a outra, então se levantou e saiu da sessão.

Audrey se encontrava rindo mais uma vez com a guria que acabara de conhecer, ela a achava engraçada e muito bonita, não tanto quanto Emma, mas bonita. A morena pensava que talvez fosse uma boa hora de tentar parar o sentimento que sentia por Emma, até porque tudo indicava que a loira amava mesmo o namorado, se não, por que ela aguentava tudo o que ele fazia? Gina parecia uma alternativa de tentar encerrar esse amor, mas não deixava de ficar triste porque a pessoa que ela mais queria era a loira.

Emma entrou no banheiro vazio e se apoiou na pia. Mas que merda, pensou ela. Não conseguia entender o sentimento que se encontrava em seu peito, ela só sabia que queria voltar naquela sala, pegar Audrey pelos cabelos e levar ela para longe dali e aproveitar para dar alguns tapas na cara da ruiva. Quem ela pensava que era? Mal a conhecia e já achava que tinha direito de nos acompanhar no cinema, ficar falando com a sua amiga o filme inteiro? Alguém precisava falar umas verdades na cara dela e Emma realmente queria ser essa pessoa.

O peito da loira queimava e sentia-se irritada como nunca na vida. Precisava se acalmar. Colocou seus cabelos para o lado e molhou seu rosto com água, sentindo- se um pouco mais calma. Enquanto secava seu rosto, com os pensamentos a mil, a porta do banheiro se abre.

- Emma? – A loira ignorou e revirou os olhos, agora ela aparecia e falava com ela?

A morena chegou perto da loira que a encarava chegar perto dela pelo reflexo do espelho. Audrey notou que a loira estava com uma cara fechada, conhecia ela o bastante para saber que ela estava brava, bem brava.

- O que foi?

Silêncio.

A morena a encarou e a loira, finalmente, a olhou nos olhos. Emma quase riu na cara da amiga, mas se controlou para que não passasse a imagem de descontrolada.

- Nada. – Ela disse friamente.

- O que foi? – Perguntou novamente.

- Nada, Audrey. É só que estou um pouco decepcionada, apenas isso. – Emma falou enquanto molhava suas mãos, tentando se controlar.

- Decepcionada? Não entendi. – Disse Audrey, confusa com a situação.

- Hoje de manhã você nos convidou para vir aqui no cinema, pensei que seria um programa legal de amigos, mas vejo que me enganei.

A morena franziu as sobrancelhas, não entendendo. Isso tudo tinha a ver com Gina?

- Espere. Você ficou incomodada com a Gina?

A loira fechou os olhos e teve que contar até cem, nunca se encontrara nesse estado antes. E odiava admitir para si mesma, nem entendia o porquê, mas sim. Ela ficou muito incomodada com a ruiva.

- Não! Eu estou brava porque tu disse que seria só amigos e ainda ficou cheia de papinho com ela durante o filme, eu não consegui ouvir nada!

- Ah, quer dizer que agora tudo bem tu ficar rindo e se agarrando com seu namoradinho e quando eu acho alguém do meu interesse eu não posso nem ficar com ela? Isso é ridículo, Emma. – A morena disse começando a ficar irritada.

Aquilo acertou o peito da loira em cheio e a mesma deu alguns passos para trás, como se tivesse levado um soco. Uma dor desconhecida passou pelo seu coração e ela sentiu seus olhos marejarem, mas não se permitiu chorar.

- Emma? – A loira perguntou preocupada percebendo que a amiga iria chorar.

- Quer dizer que tu sente vontade de ficar com ela? – A loira disse forçando o sorriso e a morena se confundiu ainda mais. Audrey reconhecia todas as cores de Emma, ela sabia que a amiga não estava bem naquele momento e não conseguia entender o que a deixara daquele jeito.

- Eu... Ela é bonita – A morena sentiu como se estivesse traindo a loira naquele momento e odiava isso. Emma nem era dela. – Mas o que tem? Qual o problema?

Emma respirou fundo tentando controlar as lágrimas que queriam cair de seus olhos.

- N-nada! – A loira disse com a voz trêmula. – Acho... Eu...Vou voltar.

Emma começou a caminhar para fora do banheiro, sentindo que iria desabar, mas Audrey segurou seu braço a impedindo. A morena não estava entendendo nada do que estava acontecendo, por que ela estaria quase chorando? E por que ela estava tão brava por ter levado outra menina junto ao cinema?

- Para! Você vai chorar? – Emma abaixou a cabeça, tentando se esconder e ficando ainda mais brava pelo fato da morena a conhecer tão bem. Por que ela simplesmente não deixava para lá? – O que foi?

- Nada, Audrey.

- Emma! Eu te conheço minha vida inteira, pode falar para mim.

- Audrey, não é nada.

- Caramba, tu nunca me escondeu nada, vai começar com isso agora?

E por alguma razão, algo explodiu dentro de Emma. Ela tinha que colocar para fora.

- QUE PORRA, AUDREY! – A Morena deu um passo para trás porque levou um susto e Emma passou a mão pelo cabelo nervosamente. – Você quer saber? Eu falo. Eu não gostei que tu trouxe outra garota para o cinema com a gente, principalmente uma garota que tu sente interesse, porque eu não consigo e nem quero te imaginar com nenhuma outra garota a não ser eu. Eu sei que isso pode soar egoísta, mas essa é a verdade. Pronto! Feliz agora? – A loira deu as costas e saiu apressadamente do banheiro deixando a morena assustada e surpresa para trás.

 

 

Era cerca de quatro e meia da manhã e Audrey ainda não conseguira pegar no sono. As palavras da loira não paravam de rondar sua cabeça, criando mil perguntas e diversos sentimentos. Emma sentia ciúmes dela, porém seria um ciúmes de amiga? Mas a frase que mais a confundia era “porque eu não consigo e nem quero te imaginar com nenhuma outra garota a não ser eu”. Deus, Emma. Por que ela confundia tanto sua cabeça? Será que Emma estaria começando a sentir algo por ela? Será que isso seria possível?

Vários outros pensamentos vinham na cabeça da morena, mas ela sentia medo. Medo de que tudo não passasse de uma mal interpretação. Medo de que Emma não queria dizer o que pareceu. Medo de que seus pensamentos a tivessem enganando. Ela não queria se machucar de novo, nem queria deixar que uma hipótese atrapalhasse algo que poderia ser para valer, mas o que ela sentia pela loira era mais forte do que absolutamente tudo.

A morena olhou para o relógio, mais uma vez, e pensou que deveria ir dormir porque amanhã levantaria com uma cara de acabada e queria estar pelo menos apresentável para encarar Emma amanhã. Por isso, trocou de posição, pela milésima vez, e tentou dormir. O que deu errado. De novo. Entretanto ela não era a única com dificuldades para dormir naquela noite. Do outro lado da cidade, a loira encarava a janela do seu quarto com os pensamentos voando. Só conseguia pensar em como iria encarar a morena nos olhos no dia seguinte. Ela tinha inventado uma desculpa e disse que não iria conseguir terminar de ver o filme porque não estava se sentindo bem. O Kieran ficou no cinema, nem ao menos a levou para casa, o que foi bom já que ela não queria que ele a enchesse de perguntas, mas a decepcionou porque uma porcaria de filme era mais importante que ela.

O que estaria acontecendo? O que seria todo aquele ciúme? Olhá-la com outra garota fora torturante. Não reconhecia o sentimento que estava em seu coração, só sabia que doía e a deixava extremamente confusa. As lágrimas escorriam pelo seu rosto e ela simplesmente ignorava. Apenas uma pergunta ficava em sua mente; estaria ela começando a se apaixonar por Audrey?

           

No dia seguinte, Emma levantou mais cedo que o despertador porque queria chegar ao colégio e não ter que encontrar rostos conhecidos. Principalmente com o rosto de Audrey. Ela foi direito para o banheiro e tomou um banho bem relaxante, colocou um short rasgado cinza jeans, uma regata azul marinho e colocou um tênis branco. Desceu para pegar uma maça e saiu pela porta da frente, mandou uma mensagem para o Kieran dizendo que iria de a pé para a escola e seguiu seu caminho.

Enquanto pegava suas coisas no armário apressadamente, a loira nem notou uma presença em seu lado. Uma presença baixinha e irritada.

- Emma, eu preciso falar contigo – Brooke falou brevemente com a loira e a mesma agradeceu aos céus por não ser a morena.

- O que foi?

- O que aconteceu? Por que saiu mais cedo do cinema ontem? Tu nunca desaparece desse jeito sem ter um motivo – Ela disse cruzando os braços. Dava para ver que estava curiosa e do jeito que Emma a conhecia, sabia que não iria deixa-la em paz até saber tudo o que ela queria.

- Não foi nada, Brooke – Ela falou tão baixo, que nem ela mesma acreditou no que havia dito.

- Duval, pelo amor de Deus. Não fala como se eu não te conhecesse, sei quando tem algo de errado.

A loira suspirou bem fundo e, quando ela ia responder, a porta do corredor abre e Audrey aparece com um uma calça preta, uma bota e uma regata branca com uma flanela fazendo o coração da mesma parar. A loira se assustou profundamente com isso e sabia que seria melhor para ela ficar longe dela naquela manhã, estava extremamente confusa com seus sentimentos e vê-la sempre tão linda, a fazia mais perdida ainda. Precisava de um tempo sozinha.

- Eu tenho que ir. – Emma disse de olhos arregalados olhando para a morena do outro lado do corredor e virou as costas saindo praticamente correndo para a sala de aula.

Brooke olhou aquela cena sem entender absolutamente nada, não conseguia entender por que a amiga agira desse jeito e resolveu seguir o olhar para Jensen que caminhava agora com um olhar totalmente esquisito na sua direção. Estranhando a reação dela, a loira resolveu se aproximar mais para perguntar sobre sua amiga que acabara de sair correndo.

- Audrey! Você sabe o que aconteceu com Emma? Ela saiu mais cedo do cinema ontem e hoje ela estava completamente estranha.

- Como assim estranha? – Disse ela rapidamente. – Ela falou contigo? O que ela disse? Ela parecia como? Ela falou algo de mim? – A morena perguntou rapidamente querendo saber de tudo de uma vez. Brooke arregalou os olhos, sem entender mais ainda.

- Calma, eu mal consegui falar com ela. Cruzes, o que deu em vocês? Vocês andam tão estranhas... Ela parecia perturbada – A loira olhou para a morena, vendo as olheiras e sua cara angustiada – Meu Deus, tu também. O que está acontecendo com as pessoas? – Ela perguntou mais para si mesma do que para a amiga.

- Desculpa Brooke, mas preciso falar com a Emma.

E assim, mais uma saiu correndo.

Brooke olhou Audrey correndo e começou a pensar em como as duas agiram de maneira estranha essa manhã. E para pensar bem, Emma saiu exatamente depois que a morena fora no banheiro. O que será houve? A loira cerrou os olhos pensando em mil hipóteses do que poderia ter acontecido, mas seus pensamentos foram interrompidos quando Stavo apareceu a dando um beijo.

           

 

- Então, como vocês sabem todo o ano a escola organiza a festa de Halloween, como faltam apenas duas semanas, então o comitê de formatura pede ajuda de vocês para ajudar com a organização. Todo tipo de decoração de terror, faixas, luzes, é bem vinda. Não se esqueçam de que a festa é de vocês, então cabe a cada um aqui decidir se a festa vai ser boa ou não. – A professora continuava seu discurso do baile e os pensamentos de Audrey fecharam quando a mesma começou a pensar em que levaria de acompanhante.

Será que ela convidava Emma? Tudo bem que ela provavelmente iria com o Kieran, mas aquele discurso queria dizer algo, não é? Ou será que ela levava Gina.

- Então acho melhor arrumarem os acompanhantes logo, antes que outra pessoa pegue o seu par primeiro.

Ela precisava falar com a loira. Urgente. Quando a mesma correu atrás dela, não a conseguiu encontrar em lugar nenhum, ela já tinha sumido. Tentou mandar um monte de mensagens para a mesma, porém ela não respondeu. No intervalo, tinha a procurado em todos os lugares. Aquilo estava a matando, a esperança e a insegurança brigavam constantemente deixando-a extremamente nervosa.

- Terra chamando Audrey – Noah estralou os dedos na frente da amiga, tentando a acordar para a realidade, o que aconteceu.

- O que foi?

- Já tocou o sinal, a gente pode ir. – A morena estranhou, estava pensando tão alto, que nem escutou o sinal do fim da aula.

- Graças a Deus. – A morena disse alto, o que fez o melhor amigo rir.

Ela pegou suas coisas e os dois saíram da sala conversando sobre o tal baile de Halloween.

- Tu vai ir?

- Eu? Com certeza, até já encomendei minha fantasia. – Noah falou animado, o que fez a amiga rir.

- Qual vai ser esse ano? O detetive ou o batman? – Ela disse tentando adivinhar.

- Para sua informação, não é nenhum dos dois e eu não vou contar. Vai ter que esperar.

A amiga riu e balançou a cabeça negativamente pensando em como ele era demais.

- E tu? Vai levar quem? – Ele ouviu um longo suspiro e olhou para amiga, que olhava seus pés.

- Eu não sei, Noah.

- Por que não leva aquela menina do cinema? Vocês pareciam se entender bem e ela é bonita.

- Eu não sei, eu... Acho que estou esperando ir com outra pessoa,

- Emma? – Ele a interrompeu, pensando em voz alta.

- O que? – Audrey olhou assustada para o melhor amigo. Como...?

- Noah. – Lana disse correndo em direção do namorado, atraindo atenção dos dois. O sorriso que abriu no rosto do amigo o entregava, dava para ver de longe o quanto estava apaixonado.

- A gente se fala depois. – Só que Audrey já estava longe dali.

Os passos da morena pelos corredores eram cada vez mais rápidos, será que Noah tinha descoberto sua paixão por Emma? O que seria dela? Sentia seu coração sair pela boca, não queria que ele soubesse. Não queria que ninguém soubesse.

- Emma, posso falar com você? – O nome fez Audrey parar de andar e olhar de onde vinha a voz, encontrando a loira com um olhar triste colocando as coisas no armário. O coração da morena logo se acelerou, queria ir até lá e falar com ela, porém recuou quando viu Kieran.

A loira encarou seu namorado sem animo. Não queria falar com ele, não queria falar com ninguém. Estava com medo do que estava sentindo e não queria que ninguém a perturbasse.

- Sim? – Ela disse parando de colocar as coisas no armário para olhá-lo.

- Tu vai querer ir ao baile comigo?

Naquele momento, o coração de Audrey começou a acelerar. Ela não poderia dizer sim. Uma parte já estava preparada a outra não queria que ela fosse com o imbecil, queria que fosse ao baile com ela. Se ela dissesse sim, acabaria com todas as chances vivas que cabiam dentro do seu coração. Depois de tudo o que Emma a disse, ela não podia simplesmente dizer sim.

O coração da loira também estava acelerado, não queria ir ao baile com ele. Não queria mais ir ao baile. Mas sabia que precisava ir afinal todo mundo desconfiaria dela se a mesma não fosse e não queria parecer que estava evitando Audrey. Ela queria ir ao baile com ela, mas esse sentimento a assustava. Ela não queria sentir isso pela sua melhor amiga, até porque a mesma tinha deixado bem claro que estava interessada em Gina. E Kieran era seu namorado, ela não podia simplesmente o dar as costas.

- Sim. – Ela disse, por fim, desanimada e triste. Seu coração murchou. Assim como o de Audrey.

 

 

 

As lágrimas caíam do rosto da morena, ela estava com raiva. Com raiva dela mesma por ter acreditado que Emma estaria mesmo começando a sentir algo por ela. Isso nunca iria acontecer. A loira amava Kieran, ela já deveria ter entendido o recado. Mas não. Seu coração insiste em iludi-la. Tudo o que ela queria era Emma, mas sabia que isso não era possível, então logo que ouviu o “sim” sair da boca da mesma. Ligou para Gina e a convidou para o baile.

Seu celular brilhou e apareceu uma mensagem de Emma, ela pegou o mesmo abrindo na conversa e viu que a loira finalmente tinha respondido uma das mensagens que ela tinha deixado. A pergunta era se o que ela tinha falado no cinema era mentira ou não. E a mensagem dizia.

“Oi, desculpe não responder. E para sua pergunta, não. Era tudo verdade. Eu não consigo evitar, mas me sinto desse jeito.”

Emma enviou a mensagem respirando fundo, não dava para enganar a si mesma em relação a isso. O que ela tinha tido para ela era verdade. Sempre fora honesta com a morena, ela morria de ciúmes de Audrey e tinha que falar isso para ela. Não queria se passar de ciumenta, mas era isso o que ela sentia. Ciúmes. Vai ver todo o sentimento que ela sentia, não passava disso. Talvez essa história de estar apaixonada, fora tudo uma ilusão. Era ciúmes. Tinha que ser, precisava ver.

Se fosse ciúmes, por que ela se sentia tão vazia quando a morena não estava por perto? Por que sentia como se faltasse algo em seu peito? Por que pensava nela o tempo inteiro? Por que sentia vontade de beijá-la? Por que seu coração sempre se acelerava quando a via?

Ela precisava parar de pensar sobre isso ou iria enlouquecer.

Emma resolveu descer e comer alguma coisa, antes que seus pensamentos a matassem, mas quando estava lá em baixo ouviu a campainha tocar, a mesma abriu e seu coração parou.

- Eu preciso falar contigo – A voz de Audrey saiu rouca e muito, muito irritada.

         


Notas Finais


Espero que tenham gostado!! Comentários são SEMPRE bem vindos, é isso que me motiva. Favoritem e divulguem! Obrigada por lerem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...