História Treat You Better - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Jackson Whittemore, Kira Yukimura, Lydia Martin, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Personagens Originais, Scott McCall
Tags Scira, Stydia
Visualizações 130
Palavras 910
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente volteiiii
Sentiram minha falta né?
Demorei um tantinho, eu sei, mas foi por dois motivos razoáveis:
Estudos, que estão a acabando comigo (e tomando todo meu tempo) e também falta de criatividade, não vou vir escrever qualquer merda pra vocês.
Vocês merecem o melhor que eu puder desenvolver.
Espero que gostem desse capítulo ❤
Beijos, AA.
LEIAM AS NOTAS FINAIS

Capítulo 27 - Heavy


Aconteceu muito rápido. 

Um policial havia entrado pela cozinha, de frente para as costas de Stiles, de frente para Jackson. 

O primeiro disparo, acertou as costas de Stiles, o fazendo tombar para mais perto de Jackson, o segundo disparo, apertou em cheio a cabeça do homem que tentou acabar com a minha vida de todas as formas possíveis. 

Meu coração parou quando dois corpos caíram no chão, Stiles gemia de dor e a mão cheia de sangue tremia. Seu rosto estava coberto com sangue de Jackson. Ele parecia em choque. 

Minha respiração começou a ficar acelerada, mas eu precisei me manter firme por ele, Stiles precisava de mim, e eu, precisava que ele ficasse vivo. 

Vou correndo até ele, mas quando olho para o lado, Jackson tinha um buraco na cabeça e sangue vazava por sua boca. Eu quis chorar. Não era ruim o suficiente por me alegrar por sua morte, nunca sequer havia visto uma pessoa morta. Respiro fundo e continuo meu trajeto até Stiles. 

-Stiles, vai ficar tudo bem. Eu prometo, você vai ficar bem. -Passo a mão no rosto dele e ele aperta ela. 

-Eu te amo. -Ele fala tossindo sangue. 

-Não me diz isso agora, Stiles. Você não vai morrer, está me ouvindo? Você não vai morrer. -Minhas lágrimas tornavam difícil de enxergar. Mas podia ver que ele está a chorando também. 

-Por que diabos você atirou nele? Qual é o seu problema? -Grito com o policial. 

-Foi o jeito que encontrei de tirar seu marido da frente. A senhora precisa entender que ele iria levar um tiro na cabeça desse homem se eu não tivesse atirado nas costas dele. 

-Lydia, está tudo bem... Diz ao Noah que eu o amo, todos os dias... Por favor, não esquece. -Ele cuspia sangue e eu olhava desesperada para o policial. 

-A ambulância está a caminho. -Era só o que eles diziam. 

-Eu não vou dizer nada, você vai. Você vai dizer isso a ele, Stiles, por favor... Não morre. -Coloco a cabeça em seu peito. -Noah precisava de você, ele precisa do pai. Stiles, eu preciso de você. Não me deixa, por favor. 

-Eu não vou te deixar... Nunca. -Ele sorri de leve e eu sinto que ele está indo embora. 

-Stiles não dorme. Não dorme, não pode dormir. -Sussurro. -Onde estão a droga dos médicos? -Grito olhando para o policial. 

Escuto o barulho da sirene e suspiro. Em alguns minutos, eles entram e colocam Stiles na maca, com uma espécie de máscara de oxigênio em seu rosto. Não entendia absolutamente nada dessas coisas. 

Eu fui com eles, segurando a mão dele na parte de trás da ambulância. Se não fosse pelo leve levantar da barriga dele, eu acharia que estava morto. Seu rosto, corpo, nada mais tinha cor. Estava cinza. 

-Ele vai ficar bem, não vai? -Pergunto ao medico que estava sentado ali também. 

-Ele está instável, precisamos tirar a bala daí e ver o quanto de estrago ela fez. -Ele me olha com pesar. -O estado dele pode ser crítico. Tem alguém para quem queira ligar? Você é a esposa? 

-Namorada. Temos um filho juntos. -Suspiro. Achei que acrescentar Noah iria mudar algo no fato de que aquele título, namorada, não valia de nada, legalmente, eu era ninguém. -Eu vou fazer a ligação quando chegarmos ao hospital. 

Quando chegamos, eles o levaram para longe e uma enfermeira me convidou a me retirar dali, me levando até a sala de espera. Mas eu não podia esperar ali sozinha. Não podia ficar sozinha. Não queria ficar sozinha. 

Decido ligar para Kira. Conto sem muitos detalhes o que havia acontecido e tento me manter calma, para que ela também ficasse. Ela avisa que estava a caminho com Scott, que deixaria Noah com Mel. Depois disso, ligo para Allison, era a única parente que eu conhecia de Stiles. Ela também estava vindo com Isaac. 

Eu não sei quanto tempo passou, mas uma mulher, doutora Bennett, veio até mim. Todos já estavam ali. Scott com as mãos na cabeça, desolado, e Kira ao seu lado, segurando seu braço. Allison estava quebrada, seus olhos vermelhos e fundos, Isaac também ao seu lado, a consolando. 

Quando a médica chega, todos levantamos e ela se assusta um pouco. Eu estava esperançosa, precisava de esperança para sobreviver a mais um dia. Precisava manter o pensamento mais positivo possível, de que ele estava bem e que o tiro havia sido superficial. 

Mas era impossível pensar assim uma vez que vi Stiles cuspindo sangue nos meus braços. 

-Stiles está vivo? -Pergunto agoniada. 

-Sim, ele está. -Sorrio aliviada mas seu rosto continuava sério, não era só isso. 

-Ele está bem? Vai sobreviver? -Allison questiona. 

-Está instável. Vamos deixa que se recupere na UTI, ele ficará em observação por vinte e quatro horas. Se melhorar, ele deve ficar mais uns dois dias só por precaução, mas se piorar, vamos operar de novo. 

-Podemos vê-lo? -Scott pergunta e ela assente. 

-Vocês são muitos, então sugiro que se dividam em duas visitas. Quem vai primeiro? -Pergunta. 

-Lydia, você vai primeiro. -Allison segura minha mão com força e me abraça. -Eu vou depois com Scott. 

A médica chama uma enfermeira para me acompanhar até o quarto dele. Me aproximo da cama e sorrio um pouco. A visão era medonha, mas ele respirava, aquilo já era o suficiente para me fazer sorrir. 

Eu acreditava na melhora dele. Sento do seu lado e seguro sua mão com força. 

-Não me deixe, por favor. -Sussurro.


Notas Finais


Continuo??

Gente, vamos lá, preciso de toda ajuda das cabecinhas de vocês agora. Me digam uma coisa que vocês iriam gostar muito para o fim da fanfic?

Ela não está nos últimos caps, mas eu acho que já está quase lá. Então, aproveitem cada momento como eu estou aproveitando. Esse momento, o final, é o mais emotivo e bonito de toda história. Quero que seja perfeito!

~*~
TENHO UMA FANFIC NOVA, FICARIA MUITO FELIZ SE PUDESSEM PASSAR POR LÁ. CHAMA BAD LIAR.
~*~

Até a próxima ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...