História Três anos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Colegial, Comedia, Drama, Três
Exibições 18
Palavras 1.045
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem, a fic vai ser dividida em três anos e cada ano será narrada por um personagem principal. Esse primeiro ano será narrado pelo lindo do Log. Boa leitura!

Capítulo 1 - Primeiro ano


​                                                                 *****Primeiro ano*****             

                                                                       Log(Lorran)

- Você sabe que ja são 4:00 da manhã, né?

- Não sei mais de nada, acho que estou bêbado.

Eu sou Lorran mais conhecido como Log e nesse exato momento eu estou bêbado  em cima de uma ponte olhando para o rio que passava por baixo, conversando com minha melhor amiga, Marcela.

- Se você não tivesse me dito eu nem perceberia, teus pais vão te matar!

- Que nada! Eles nem sabem que eu sai, pulei a janela do meu quarto, quase quebrei a perna!- Marcela começa a rir sem parar e dá o ultimo gole que tinha na garrafa de cerveja.

- Tá rindo de quê?

- Só imaginando a cena- eu começo a rir junto, acabo me distraindo com o reflexo de nós dois. Eu um menino magro de 16 anos, negro, cabelo encaracolado e olhos castanhos, já Marcela uma menina branca com a mesma idade que eu, com cabelos preto amarrados em uma rabo de cavalo e olhos castanhos também. Marcela pega a garrafa e atira bem em nossos reflexos me tirando de minha distração.

***

- PORRA MARCELA SAÍ DESSES ARBUSTOS E VEM ME AJUDAR A SUBIR NESSA JANELA!- estávamos eu e Marcela em minha casa, eu tentando subir na janela(bêbado) e Marcela escondida nos arbustos filmando tudo.

- Nem por 100 reais, tá maluco? Com esse escândalo que tu tá fazendo é provável dos vizinhos chamarem a policia

- TU PENSA QUE EU TÔ ME IMPORTANDO COM ESSES VIZINHOS BABACAS? ISSO MESMOOO VIZINHOS BABACAS!- Marcela se escondia cada vez mais, eu mesmo só tava enxergando um arbusto filmando um garoto trepado numa parede.

- Cara eu não me importo muito com fama, mas eu tenho que postar esse vídeo a humanidade deve ver isso e compartilhar para o resto dos milênios.

- EU VOU PEGAR ESSE VÍDEO ENFIAR NO SEU... ATÉ OS RESTOS DO MILÊNIOS- ela continua rindo enquanto eu tentava não escorregar pela parede e meter a bunda no chão.

- Se tu puder ir para esquerda ia ficar melhor no vídeo

- MARCELA EU SINTO INFORMAR QUE VOCÊ ESTÁ CAINDO GRADATIVAMENTE NO MEU QUADRO DE MELHORES AMIGOS!

- Vem Marcela, me ajuda, eu tô bêbado com sono e ainda tem escola amanhã!- eu digo quase chorando, Marcela finalmente tem coragem de sair das profundezas do arbusto e vem tentar me ajudar.

- Como eu vou te ajudar?

- Me dá impulso que o resto a gravidade faz- eu digo e ela me olho com um olhar de repreensão

- Cê sabe que a gravidade nos puxa para baixo, não é?

- Foda-se, tenho cara de físico?- ela apenas me ignora e dá o impulso que eu pedi, pra quê? Para eu me estatelar no chão, eu até tentei me segurar na janela, mas foi algo em vão, me senti na cena do rei leão quando o Mufasa morre. Marcela de desloca para o lada só para ter a certeza de que eu não irei cair em cima dela.

- Log? Cê tá bem? - ela pergunta entre os risos

- Eu pareço bem, Marcela?- ela não consegue parar de rir

- Como eu vou entrar em casa agora?- eu pergunto ainda no chão, parecia um cadaver.

- Que tal tocar a campainha?- Marcela diz me olhando com uma cara de se fodeu seu burro

- Preferi morrer de formas menos dolorosas, você poderia por favor me matar rapidamente?

- Como é dramático!- ela diz e vem me ajudar a levantar, eu fico sentado na grama pensando em que fazer

- Me leva pra tua casa?- peço com cara de pidão

- Não!

- Pelo seu melhor amigo!- continuo com a cara de pidão

***

- Deita nesse chão e vê se não ronca!- Marcela diz jogando um lençol e um travesseiro no chão para mim. E lá estava eu dormindo no chão do quarto da minha melhor amiga torcendo para que meus pais não me matassem amanhã quando eu fosse me arrumar em casa para ir pra escola.

- Já dormiu?- pergunto para Marcela, ela fica em silêncio por um instante e diz:

- Não, acho que não adianta mais, já são 5:30!

- Acho que eles não me amam mais!

- Seus pais?- ela pergunta entre um bocejo

- É, eles me olham com decepção

- Log, eles te amam, só não se acostumaram- ela diz com uma voz consoladora

- Não sei se são capazes de se acostumar

- Você sempre terá a mim e ao meu chão frio nos momentos complicados, viu?- ela diz, umas lagrimas descem pelo meu rosto e eu fico calado por um instante.

- Juro que poderia te abraçar agora!- digo chorando e rindo

- Não ultrapassa o espaço pessoal!

- Nossa Marcela você quebra todo clima que estávamos tendo aqui!- digo e ela rir

- Exatamente, não te trouxe para o meu quarto para transar contigo!

- Sério? Merda, tirei conclusões precipitadas!- nós dois começamos a rir sem parar

***

Lá estava eu na porta de casa sendo encarado por meus pais e minha irmã mais nova, era hoje que eu ia sofrer.

- Oi família!- digo com um sorriso forçado

- Vai se arrumar para o colégio, já, já conversamos!- Minha mãe diz com o satanás nos olhos. Ok, respiro fundo e me arrumo, vou até a sala onde todos se encontram.

- VOCÊ ESTÁ ULTRAPASSANDO TODOS OS LIMITES LORRAN!- Minha mãe grita, respiro fundo e tento não gritar também

- Eu sei que estou errado, não deveria ter dormido fora sem avisar vocês, desculpa!

- Não é só por isso filho, essas coisas que você vem dizendo e até mesmo fazendo elas não estão certas!- meu pai diz pondo as mãos em meu ombro

- Vocês estão falando de quê?

- VOCÊ SABE MUITO BEM DO QUE ESTAMOS FALANDO LORRAN!- minha mãe grita, ela tinha razão eu sabia bem o que eles estavam falando.

- É PARA GRITRAR, VAMOS GRITAR! É POR EU SER GAY? SE FOR POR ISSO É MELHOR VOCÊ PARAREM FE TENTAR ME MUDAR, EU VOU CONTINUAR SENDO GAY QUEIRA VOCÊS OU NÃO, INFELIZMENTE EU NÃO ESCOLHI ISSO, MAS SE PUDESSE EU ESCOLHERIA!- saiu de casa e fecho a porta com tudo, esse seria o primeiro ano de tudo.

 

 


Notas Finais


Gostaram? Comentem e é isso s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...