História Três Desejos - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Baekxing, Chanbaek, Chanyeol, Chenbaek, Comedia, Junmyeon, Lay, Luhan, Pussyixing, Suho, Yixing
Exibições 186
Palavras 2.744
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quantos anos faz que eu não atualizo?
Já faz 84 anos...
MAS ENFIM NÃO TENHO NEM O QUE DIZER, SÓ QUERO DEIXAR O MEU GRANDE ''VSF'' PARA ESSE LINDO BLOQUEIO QUE ME ATAZANOU POR ESSE TEMPO.
Boa leitura <333

Capítulo 3 - CAPÍTULO DOIS.


★☆★

 

 

Meu pai segurou em meu braço e sem dizer nada me guiou até o sofá. Eu me sentei antes dele e ele permaneceu de pé e colocou a mão na cabeça, tenho certeza que era visível o ponto de interrogação em cima da minha cabeça.

 

“Deixa pra lá...” — Ele disse e eu revirei os olhos, meu pai está cheio de segredos esses dias, ele sempre chega um pouco atrasado em casa e sempre é o mesmo motivo, “Tive uma reunião” e pronto. Jantava, dormia e no dia seguinte tudo se repetia.

 

E como eu não estava com nenhum pingo de vontade de discutir com meu pai sobre a vida pessoa dele e sobre as merdas que ele faz fora de casa, dei de ombros e subi para meu quarto após ver que ele não diria nada.

 

E como o belo viciado que era, fui direto para o meu computador. Como sempre, lá estava a minha caixa de mensagens com diversas mensagens não lidas, e diversas notificações de curtidas em fotos que eu havia postado a certo tempo e muitos pedidos de amizade.

 

Antigamente eu achava legal quando me elogiavam ou me chamavam sem motivo nenhum nas redes sociais, eu realmente não fazia nada para receber alguma atenção, mas mesmo assim recebia. É um pouco estranho pois apesar de eu ter diversas pessoas para conversar, as vezes eu me sinto vazio. Mas só as vezes mesmo.

 

Na linha do tempo, a primeira foto era de YiXing. Ele estava ao lado de um garoto e ambos sorriam, o chinês tinha um braço ao redor dos ombros do outro e dava uma piscadela para a câmera, já o garoto ao seu lado só sorria. Não posso negar que aquele rapaz é bonito, confesso até que senti um ciúme pois eram raras as vezes que eu tirava foto com YiXing, talvez seja porque me irrito com os comentários das pessoas cobiçando o chinês.

 

E como YiXing era maravilhoso, ele tinha vários comentários ressaltando sua beleza e logo fui eu comentar logo em seguida.

 

“Que lindo o meu homem.”

 

Joguei a bomba e saí. Logo embaixo tinha um status de uma certa pessoa, e era engraçado como ChanYeol falava da sua vida como se alguém se importasse, no final ele usava a rede social como um diário pessoal que na verdade era um livro aberto para todo mundo ver.

 

Mas era um simples status com três letras.

 

“ily.”

 

E foi o suficiente para chover perguntas de boa parte dos alunos da nossa escola, e eu nem me preocupei em comentar ou me questionar de quem aquele poste com orelhas estava falando. No final, não importava mesmo.

 

Mas um barulho de uma mensagem nova, se fez presente e eu corri meus olhos para aquela pequena aba de conversa.

 

“Kim JongDae

 

Oi (:”

 

E eu me segurei para não surtar um pouco, mentira, eu surtei mesmo. Me levantei e coloquei a mão na frente da boca, soltando um grito esganiçado. JongDae era simplesmente maravilhoso, ele tinha um caso ‘’escondido’’ com MinSeok mas de qualquer forma, era solteiro. E ele é lindíssimo, tem um corpo maravilhoso e o seu sorriso é lindo demais, confesso que sempre tive uma queda por ele, por mais que ele não fosse tão alto assim, se fosse, seria mais perfeito do que já é.

 

E eu tendo o ótimo cérebro de uma garotinha adolescente que acabou de menstruar e está com os hormônios a flor da pele, fiquei pensando em como responder. Um ‘’Oi’’ com muitos i’s poderia demonstrar que eu estava interessado demais, com poucos poderia dizer que eu não queria conversar com ele.

 

“Olá (:”

 

Fui no mesmo esquema de mandar um emoji, eu vi em um site de fofocas que a forma que você conversa com o ‘’boymagia’’ pode ajudar na hora de conquista-lo. Mas se eu quero conquistar JongDae? Pode-se dizer que se eu conseguir seria um bônus.

 

E no final, passou-se cerca de quinze minutos e eu estava encarando a tela do computador, ele simplesmente não respondeu e muito menos visualizou, mas amanhã, quem sabe eu converse com ele.

 

E aquilo me estressou, é irritante ser ignorado. E para variar, YiXing não estava online e pelo visto não iria entrar tão cedo, devia estar comendo o rabo do menino com quem tirou a foto ou com o menino que ele iria se encontrar ou quem sabe estava dando, afinal YiXing era completamente versátil.

 

Mas ao invés de ficar pensando e remoendo sobre o que meu amigo colorido fazia na cama, eu fui para a minha própria cama, a internet havia se tornado um lugar entediante. As pessoas só postavam as mesmas coisas ou quase sempre era indireta para alguém. Arrisco dizer que se tornou um lugar tóxico, mas eu vivo rodeado de pessoas tóxicas e posso até ser considerada uma, então não é muita novidade.

 

E deixando meus pensamentos que repudiam os seres humanos de lado, eu me deitei na cama e coloquei meus fones de ouvido. Era a minha forma de relaxar e conseguir dormir mais rápido. E em relação a isso eu me sinto de certa forma masoquista, pois eu deixo no aleatório mesmo sabendo que eu vou chorar com músicas tristes.

 

E foi dessa forma que eu dormi, chorando enquanto escutava ‘’I Will Always Love You” da Whitney Houston.

 

[...]

 

Mais um dia eu acordei sozinho em casa, meu pai não deixava bilhete, não deixava nenhuma comida pronta e nem nada do gênero, ele sempre comia fora de casa com algum colega do serviço, sem contar que na frente da empresa que ele trabalha tem uma lanchonete, e para variar ele agora está pegando diversos casos para trabalhar em conjunto com um colega.

 

E ele começou a ganhar menos por causa disso, mas ele mesmo assim ele continuava trabalhando com essa pessoa que eu não faço ideia de quem seja, mas no final não importa.

 

“Os impostos estão cada vez mais altos e o desemprego está aumentando também, seria um começo de uma crise econômica ou algo passageiro?”

 

Somente mais uma notícia sensacionalista, uma pessoa é despedida e já é considerado que o desemprego está em alta. Eu desliguei a televisão sem me preocupar com o resto da notícia e terminei de beber o pouco café que restava dentro da xícara, coloquei os pratos na pia e deixei um bilhete para meu pai.

 

“Lave a louça, beijos.”

 

E pode ser considerado desrespeito, mas eu tinha intimidade o suficiente com meu querido pai para poder pedir esse tipo de favor, e como ele sempre chega antes de mim, poderia no mínimo lavar as poucas louças que tinha na pia.

 

Peguei a minha mochila e joguei em cima do ombro esquerdo, mexendo um pouco no meu cabelo para conferir se meu topete ainda estava de pé. Eu costumava usar a franja jogada de lado, mas parecia uma tijelinha e começaram a me chamar de cabeça de piroca, sim é um apelido bem nojento e por isso decidi mudar. E quem será que me chamava dessa forma? ChanYeol.

 

Mas ignorando a vasta lista de apelidos nojentos que o Park fazia questão de me chamar, eu chequei se estava cheiroso e no final eu estava. Eu não usava perfume, preferia usar loção corporal pois deixava um cheiro mais fraco, mas mesmo assim bom, não era algo forçado e muito forte e eu era um pouco sensível em relação a cheiros. Um pouco fresco, YiXing diz que é só um detalhe fresco de um gay fresco. E eu particularmente discordo, só porque sou gay tenho que ser fresco?

 

Saí de casa e suspirei fundo ao ver que estava um dia ensolarado, não estava um calor escaldante e tinha um certo vento que agitava as flores que ficavam nas varandas das casas vizinhas, eu me sentia estranhamente feliz, mesmo sem saber o real motivo.

 

E assim caminhei até a escola, eu sentia a comida dando uma festa na minha barriga e ela se mexia de forma estranha, me causando uma sensação desconfortável. Eu queria ir ao banheiro e agradecia pelo banheiro estar próximo pois eu estava chegando na escola.

 

“Baekkie!” — Ouvi uma certa pessoa gritando e senti meu corpo travar de surpresa, lá estava ele, o grandão de pernas tortas correndo em minha direção e sacudindo o braço em um aceno. Eu me dei um tapa na testa mentalmente por ver aquele ser totalmente desengonçado correndo de forma totalmente atrapalhada.

 

E eu senti o impacto. Literalmente. O Park veio de forma violenta e me deu um abraço que esmagou os ossos do meu peitoral, eu resmunguei em meio a gemidos de sofrimento e logo que senti meus pés no chão o empurrei para longe de meu corpo.

 

“Sem contato físico, seu imbecil.” — Falei entredentes e ele revirou os olhos ameaçando se aproximar, mas eu dei um passo para trás. — “Qual seu problema? Não me toque.”

 

“Ah me descul—“ — Eu interrompi o garoto estendendo minha mão no ar, deixando-a espalmada na frente de seu rosto.

 

“Tá, não precisa se desculpar. Tchau.” — Falei saindo da frente daquele garoto chato e rumando em direção ao banheiro, eu precisava tirar essa comida de dentro de mim por algum lugar, se não seria pelo vômito, seria de outra forma...

 

“Byun!” — Ouvi aquela voz que eu tanto conhecia me chamando e eu resmunguei baixo, era só o que me faltava. Todo mundo decidiu interromper o meu momento de paz, é isso?

 

“Oh meu jesus, o que foi YiXing?” — Perguntei esbanjando a minha enorme paciência e bom humor para conversar com qualquer pessoa, eu só não esmurrava a cara bonita do YiXing porque ele aparentava estar feliz demais.

 

“Eu vim te chamar para conhecer aquele cara lá, ele veio fazer a matrícula na nossa escola.” — O chinês disse.

 

“Fazer matrícula quase no final do ano? Sério isso?” — Falei cruzando os braços e o chinês assentiu rapidamente e eu suspirei olhando para cima, visivelmente entediado. — “Depois eu vejo ele, eu tenho algo pra fazer agora.”

 

“Ah vamos fazer juntos...” — O outro disse prendendo seu braço no meu e eu arregalei os olhos de imediato, olhando assustado pro garoto.

 

“Ah e você vai cagar junto comigo, por algum acaso?” — Falei com minha sinceridade maravilhosa e pude ouvir a gargalhada de YiXing inundar meus ouvidos. O garoto continuou com o braço preso ao meu e eu guiei ele até o banheiro, se ele se oferecia pra me acompanhar, agora nós iríamos até o final.

 

“Pensando bem, não sei se quero continuar com isso.” — O outro disse.

 

“Ah, isso é problema seu. Ninguém te chamou aqui e agora você só sai comigo.” — Falei arrastando YiXing para dentro da cabine do banheiro e ele revirou os olhos enquanto eu me sentava no ‘’troninho’’.

 

[...]

 

E na sala de aula, YiXing me mostrou o garoto que havia acabado de se transferir. E sim, era o mesmo rapaz da foto que eu vi na linha do tempo. Era um rapaz simples e com o cabelo com os fios escurecidos.

 

Ele tinha um sorriso lindo, tão lindo quanto ele. Mas eu não posso ficar cobiçando porque eu não duvido nada que o YiXing já está de olho nele, não é à toa que os dois ficam trocando alguns olhares discretos, mas o garoto não pôde ficar para as aulas pois a matrícula foi feita recentemente, provavelmente no dia seguinte ele já estaria aqui como um aluno.

 

“E então, Xing...” — Falei me virando para YiXing, apoiando meu queixo em cima de minhas mãos e ele me encarou também. — “Quem é o passivo?”

 

Sim, eu não era nada discreto. Mas eu e YiXing já tínhamos intimidade o suficiente para falarmos de coisas do gênero e assuntos até piores.

 

“Não seja idiota, nem fizemos isso ainda.” — O outro disse e eu curvei os lábios em um sorriso que transparecia toda a malícia que pairava em meus pensamentos.

 

“Como não? Você nunca demorou tanto pra agir.” — Falei dando um leve empurrão no ombro dele e ele encarou a madeira da mesa, evitando me encarar.

 

“Ah, mas é que o Jun é especial.” — Ele disse falando o apelido do seu ‘’ficante’’ da forma mais fofa do mundo, meu garotinho chinês estava crescendo e provavelmente se apaixonando.

 

“Sei. Só não me abandona.” — Falei e ele sorriu antes de assentir em um breve aceno de cabeça.

 

Meus olhos percorreram toda aquela classe que estava com algumas cadeiras preenchidas, faltava poucos alunos e o professor ainda não havia chegado. Em uma das últimas, estava o ChanYeol um pouco cabisbaixo, encarando o caderno e o lápis batucava contra a madeira da mesa.

 

Ele suspirava algumas vezes, provavelmente incomodado ou frustrado. Ele estava usando uma touca preta e um óculos que provavelmente servia para a leitura, pois quase nunca eu o via o utilizando. Ele logo levantou o olhar e me encarou diretamente, eu fiquei totalmente sem graça porque eu fui flagrado encarando o orelhudo, o garoto deixou uma piscadela para mim solta no ar e eu revirei os olhos antes de me endireitar na cadeira.

 

Me debrucei na cadeira, suspirando entediado. Eu me sentia de certa forma envergonhado por estar observando aquele imbecil, agora ele iria ficar se achando o gostoso por ter me visto o observando. Mas nada que uma pequena humilhação pública não resolva.

 

[...]

 

As aulas dessa escola são entediantes. Mas acho que de todas as escolas são, já começaram as benditas campanhas para o baile de formatura, eu confesso que estou ansioso mas falta muito tempo ainda. E eu sei que vou ser indicado para rei do baile, é algo meio que óbvio. E eu vou fazer de tudo para ganhar, nem que eu tenha que sair com a garota mais popular dessa escola e namorar com ela para isso.

 

Mas também é algo óbvio que MinSeok e todos os garotos da panelinha correm o risco de ser indicados, em especial MinSeok e JongIn pois são os mais amados dali. Os dois peidam e todo mundo acha que é uma arte contemporânea e inovadora.

 

Também tem o Park, mas eu arruíno com toda a sua popularidade e todo mundo vai pensar até nos ‘’nerds’’ para serem indicados, mas não pensariam nele.

 

Se fosse para estabelecer um padrão ‘’Meninas Malvadas’’ nessa escola, o MinSeok estava longe de ser a Regina, ele é o líder da panelinha, mas não age como uma Regina, ele é maldoso e calculista, sem contar o esnobismo, mas ele não é tão malvado quanto eu, só como um exemplo mesmo.

 

 

JongIn servia como a Gretchen, não tem explicação, ele só se encaixa na personagem por mais que ele seja um pouco menos esnobe que a garota.

 

E ChanYeol, ele não estava na panelinha, mas era a Karen, pois era tão burro quanto a mesma.

 

E eu fui deixar alguns livros em meu armário, eu precisava estudar sobre algumas coisas específicas para levar uma nota boa na prova que estava se aproximando, pois estávamos próximo do final do bimestre.

 

E lá dentro estava um papel dobrado e eu o peguei depois de deixar os livros apoiados na parede do armário.

 

“Você está lindo hoje. Assim como todos os outros dias.”

 

E eu confesso que ruborizei com aquela mensagem, os elogios sinceros eram coisas raras para mim. Eu não posso dizer se isso foi realmente um elogio sincero, mas eu prefiro acreditar que sim e me sinto de certa forma bem por tê-lo recebido.

 

E logo o ChanYeol passou, mas ao me ver o garoto parou e ficou me observando, ele deu um sorriso pequeno ao ver o bilhete em minhas mãos, mas logo um olhar cheio de sarcasmo invadiu suas órbitas e eu me senti furioso.

 

Ele se aproximou e eu recuei, logo dei as costas me afastando dele, mas o garoto permaneceu me seguindo, ele tinha um sorriso estranho no rosto e aquilo me incomodava, eu tentava me afastar e correr, mas não, não foi possível. Ele segurou meu braço e eu o puxei logo em seguida.

 

“O que você quer? Me encher a paciência novamente?” — Falei de forma raivosa e entredentes e ele se assustou com o tom que utilizei. — “Me deixe em paz, e enfie esses bilhetes ridículos no lugar que preferir.” — Disse rasgando o bilhete no meio e jogando os dois pedaços em sua direção, ChanYeol me encarava estupefato e as pessoas ao nosso redor nos encaravam confusas, eu me afastei do garoto e rumei com rapidez para o mais longe possível do mesmo.

 

Eu odeio aquele babaca. ChanYeol é a pessoa que eu mais odeio.

 

 

★☆★

 


Notas Finais


NADA A DECLARARRR!!!
Podem shippar chenbaek, chanbaek, baekxing e outros casais que possam existir nessa loucura toda.
Comentem o que acharam e aguardem a próxima atualização <333
Obrigado pelos favoritos e comentários, eu amo muuuuito vocês <333
ATE O PRÓXIMO ;3;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...