História Três destinos diferentes - Capítulo 44


Escrita por: ~, ~biah_gomes e ~UpsLovelly

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Iris, Kentin, Kim, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Visualizações 28
Palavras 1.539
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Meu Deus gente... Já se fazem 84 anos!
Desculpa pela demora! Mas enfim, aqui estou com mais um cap depois de séculos!

Capítulo 44 - Isso vai dar certo...?


Fanfic / Fanfiction Três destinos diferentes - Capítulo 44 - Isso vai dar certo...?

~Mel on~

— O QUEEEE?! — eu e minhas irmãs gritamos em uníssono.

— Não creio! Por que elas? — perguntei indignada.

— Eu também não queria pôr aquelas duas! Mas a diretora disse que se quisessem dançar, teriam que aceitar — Rosa falou.

— Droga... e quando vai ser esse concurso? — Melanie perguntou.

— Ainda faltam três semanas, temos essa semana de provas e mais duas — Alexy falou.

— Okay, não vamos poder ensaiar direito nesta semana por conta das provas, mas a partir desta sexta, vamos botar para quebrar! — Melanie falou.

— Literalmente… com a Ambre e a Debrah no nosso grupo… — falei e eles riram.

[…]

A semana de provas se passou, eu me esforcei bastante e acho que consegui na maioria. Quando foi sexta, eu e Melissa fomos falar (ou tentar, melhor dizendo) com Ambre e Debrah sobre o concurso. Melanie achou melhor não ir, pois acabaria perdendo a paciência em algum momento.

Achamos as duas perto do banco do pátio da escola, nos aproximamos como quem não quer nada e fomos diretas.

— Vocês estão no nosso grupo de dança para o concurso — Melissa falou.

— Já sabemos queridas, e infelizmente não há nada que podemos fazer para tirar vocês do grupo — Ambre falou, sem tirar o olho de sua unha.

— Melhor ensaiarmos quando acabarmos a última prova, assim montamos logo uma coreografia, Rosa já disse a vocês que dançaremos Swalla, não é? — falei.

Debrah descruzou as pernas e se levantou do banco.

— Vocês são umas lerdas. Nós é que temos que fazer tudo neste grupo Ambre — ela me encarou — Já montamos uma coreografia queridas.

— Tudo bem, vocês nos monstram a coreografia de vocês e nós vamos ver se concordamos — falei a encarando de volta.

— Ha! Essa é boa, nossa coreografia está magnífica. E vocês, nem montaram nada e acham que podem dar palpites na nossa! — Debrah falou.

— Querida, não é uma dupla, é um grupo. E não são vocês que decidem tudo! — Melissa se manifestou.

— Nós pelo menos já montamos uma base, deveriam agradecer, não entendo como a diretora nos colocou neste grupinho com essas idiotas — Ambre e Debrah saíram de lá rebolando.

— Que ódio! Que castigo é esse, senhor? — falei.

— Ninguém merece ficar no grupo delas, elas vão querer fazer tudo!

— Mas nós não vamos deixar — falei firme.

[…]

Quando finalmente acabou a prova, todos já estavam glorificando. Contamos a Melanie toda conversa e como esperado, ela ficou indignada.

Fomos até o Ginásio, onde seria o local dos ensaios.

— Oii — Rosa chegou junto com Alexy.

— Fala ae gatas.

— Oie — dissemos em uníssono.

— Vão começar a ensaiar? — Rosa perguntou.

— Sim, e—

Melanie se interrompeu e olhou para a porta, aonde vinham Debrah e Ambre. Eu ainda não consigo crer que vamos dançar com elas!

Melissa emburrou a cara. Elas se aproximaram. Rosa e Alexy saíram de fininho.

— Pois bem, vamos começar. Eu e a Debrah vamos passar a coreografia. Acompanhem se conseguirem — elas riram e foram rebolando pegar o som.

— Se elas rebolarem desse jeito na dança, estaremos perdidas — Melanie falou e eu não pude deixar de rir.

Elas pegaram o som e colocaram a música. A base até era boa, porém havia algumas partes que estavam meio emboladas. No finalzinho, uma parte não seguia o ritmo. Tenho que dizer, elas dançam bem, mas não tão incríveis assim.

Swalla era uma música com um bom ritmo para dançar, mesmo que algumas partes sejam um pouco complicadas, mas tinha um ritmo legal. Pena que não posso dizer o mesmo da tradução.

— Eu acho que poderia mudar o refrão, pode ser assim — Melanie colocou a música no refrão e mudou um pouco.

— Concordo, e poderíamos mudar o finalzinho que tá meio sem pé nem cabeça — falei e Debrah me olhou torto.

— Você chama isso de dançar, Melaniezinha? Eu não acredito que temos que dançar com essas otárias — Ambre falou e revirou os olhos.

— Pelo menos sabemos dançar no ritmo — retrucou Melissa.

E assim seguiu a briga. Por que elas não podiam simplesmente aceitar? Céus, é tão difícil assim?

[…]

Conseguimos entrar em um pequeno acordo até a metade da coreografia. Estávamos indo bem até Debrah dar seu terceiro chilique.

Ela parou a música e começou a gritar.

— Não ta dando certo! É melhor a gente fazer como eu havia decidido!

— Não, não. Concordo que não está dando, mas vamos fazer como eu havia decidido — Ambre entrou na briga.

— Mas elas não estavam amiguinhas? — Melissa sussurou.

— A vontade de mandar é tanta, que não há amigos! Mas, puta que pariu, acho que nunca vamos conseguir terminar a coreografia. Não desse jeito! — Melanie falou.

Mais uma rodada de bate boca se seguiu. Quando deu cinco horas da tarde, já não aguentavamos mais aquilo.

— Vai ser impossível ensaiar assim! — Melissa disse.

— Concordo, aquelas duas piranhas não querem aceitar nossas sugestões — Melanie disse.

— O que vamos fazer? Odeio pensar assim mas: se elas não progredirem, nós também não iremos progredir — falei a verdade.

— Sim. Eu vou falar com a Rosa para convencermos a diretora — Melissa falou.

O que, definitivamente, não deu certo. Na segunda, Melissa e Rosa tentaram inúmeras vezes convencer a diretora. Mas a diretora continuava a insistir nesse grupo idiota.

Eu já estava quase desistindo, por que sinceramente, os ensaios com Debrah e Ambre só davam em discórdia. Não íamos para frente. Já era quarta e não tínhamos um acordo. Melanie só faltava dar um tiro nelas. Até que em um ensaio, enquanto Melanie, Debrah e Ambre discutiam sobre o refrão, eu estava assistindo a um vídeo do concurso do ano passado. Que dois grupos dançavam a mesma música, mas como se fosse uma batalha. Em uma parte da música, era um grupo, e na outra parte, o outro, com coreografias diferentes, tentando um superar o outro. No final, o grupo The Sexy Girls venceram. E foi aí que tive uma ideia. Reuni todas e falei:

— Podemos seguir esse exemplo! — mostrei o vídeo a elas.

— Mas somos um grupo — Debrah fez uma careta — Não podemos batalhar uma contra a outra.

— Sim, mas escute o que eu tenho a dizer primeiro, sua desmiolada — falei — É simples, vocês duas querem fazer de um jeito, e nós de outro. Podemos fazer dos dois jeitos sem ter que escolher um!

Todas me olharam se entender.

— O que quer dizer com isso Mel? Temos que escolher um! — Melissa falou.

— E que tal, se montássemos uma coreografia assim: quando uma começa a dançar, a outra para. Exemplo, Debrah e Ambre, comecem a primeira estrofe.

Elas colocaram o som e começaram a dançar. Quando foi o deslocamento da primeira estrofe para a segunda, eu comecei a dançar a coreografia que Melissa fez, enquanto Ambre e Debrah ficavam paradas me olhando.

— Tipo assim, e sempre que o grupo termina de dançar, os jurados perguntam o por que da coreografia ou da música. Já até teríamos uma resposta perfeita: Não há só um jeito de dançar, não há só um estilo de música para se escutar, não precisamos seguir o padrão, precisamos inovar. Que tal? — sorri.

— Parece uma boa ideia, como se fosse uma batalha interna, que só nós soubéssemos que está acontecendo — Debrah falou.

— Eu não acredito no que vou dizer: mas eu concordo — Ambre me surpreendeu.

— Ha! Aí sim Mel, colocou a cabeça para funcionar! — Melanie riu.

E assim fizemos. Geralmente na parte da Debrah e da Ambre, elas dançavam nos provocando, o que realmente deu um ar de batalha, que ficou bom. Começávamos como no vídeo, uma provocando a outra e dançando com nossas coreografias. Mas no final da música , fizemos um pequeno acordo e nos juntamos para dançar igual. Ficou bem criativo, como se no começo fosse realmente uma batalha, mas no final, que deixamos tudo de lado e nos unimos.

— Refazendo a resposta: Não há só um jeito de dançar, não há só um estilo de música para se escutar, não precisamos seguir o padrão, precisamos inovar. E no fim, não precisamos brigar ou desrespeitar a cultura dos outros, e sim aceitar que somos seres diferentes com pensamentos diferentes — Melanie disse.

Eu e Melissa batemos palmas, enquanto Debrah e Ambre diziam que aquilo era "tão careta". No fim, chamamos Alexy e Rosa para ver se estava legal. Colocamos a música e seguimos dançando como o combinado.

Havia uma parte que eu e Debrah nos juntávamos para fazer uma parte que antecedia o refrão, e posso dizer que estava desconfortável com isso. Pois ela sempre entrava na minha frente roubando a cena, mas por mais louco que seja isso, ela simplesmente não o fez. Dançamos em sincronia e demos espaço para Ambre, Melanie e Melissa fazerem o refrão. É, eu acho que isso realmente pode dar certo.

No final, Alexy e Rosa se levantaram e aplaudiram.

— Incrível! Meninas, que criativo! — Rosa falou.

— Concordo gata, vocês vão ganhar com certeza! — Alexy falou.

— Claro, comigo no grupo — Ambre jogou seu cabelo para trás.

— Vai com calma Ambre, ainda temos que dar uns ajustes! — revirei os olhos.

— Melhor darem logo esses ajustes, o concurso está próximo! — Rosa disse.

— Pode deixar Rosa, a gente vai arrebentar! — falei e sorri.

Bem, eu realmente espero que a gente arrase.


Continua…


Notas Finais


Foi isso gente! Me perdoem pelos erros, até o próximo cap! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...