História Trevas e Luz - Apocalipse - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Anjos Caídos, Apocalipse, Demonios, Fim Do Mundo, Nefilin, Portões Do Inferno, Semana Sangrenta
Exibições 16
Palavras 2.745
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Primeiro de tudo, PRIMEIRA FIC POSTADA IEI kkkkkkkkkk, depois de tanto tempo finalmente criei coragem pra postar.
Demorei quase um ano produzindo a história e finalmente está aí pra vocês.
Bem por enquanto é isso é até as notas finais. ;-)

Capítulo 1 - O início do fim


27 de janeiro de 2017 – Primeiro Dia

Era uma linda manha naquele dia, nenhuma nuvem cobria o céu azul, mas mesmo assim o dia estava mais sombrio do que deveria.
Em uma linda cidade a beira de uma montanha não muito movimentada, mas também não tão parada um jovem de cabelos negros longos e olhos castanhos misteriosos seguia caminhando calmamente com sua mochila nas costas, olhando para o céu limpo, mas nebuloso que se estendia acima de sua cabeça, sem perceber outro jovem caminha em sua direção discretamente para não chamar a atenção do que ia mais a frente.
Jovem²: calma ai Gabriel, ta com pressa pra que? Você nunca foi de estudar mesmo, nem sei como chegou ao terceiro ano – comentou o jovem que ia mais atrás.
Gabriel: cala boca Josh, se eu cheguei ao terceiro ano é por que eu mereci ta – rebateu Gabriel enquanto continuava andando sem olhar para trás.
Josh: e nem pra ter esperado por mim né?
Gabriel: não vi motivos para te esperar, afinal você nem tem motivos para ir para a escola, espera tem sim, como é mesmo o nome dela? Gisele?
Josh: ha.ha.ha morri de rir.
Gabriel: ótimo por que daqui a uma quadra é o cemitério, deixa que eu te enterro.
Josh nem tinha percebido, mas já estavam próximos ao cemitério da cidade, um lugar cheio de mistérios e terrores que mesmo passando anos ainda assombra as pessoas que passam por esse local.
Gabriel: lembra daquele dia, no enterro daquele maluco que morava perto da sua casa, aquela pegadinha foi foda.
Josh: verdade foi foda, mas não terminou bem você lembra no fim nós fomos presos.
Gabriel: não to nem ai pra isso, só sei que foi foda.
Ambos os garotos continuaram a andar ate que chegaram a um prédio não muito grande mais não tão pequeno, um prédio que para uns escondia muitos segredos já para outros era apenas uma simples escola.
POV Gabriel
A que porra de tédio, e esse filho da mãe do Josh não cala a boca em pleno primeiro dia de aula e já começa assim não é para qualquer um, ou melhor, não é meu estilo.
A desculpem nem me apresentei, meu nome é Gabriel e tenho 16 anos faço 17 em março, espera o que eu to fazendo porra não sou assim caralho não sou bem educado e isso vocês vão ter que conviver, to nem ai.
Gabriel: ai Josh cala porra da boca só um momento, caralho velho e ainda diziam que eu que falava muito no 8° ano.
Josh: e, ta irritadinho ta, vai brigar com sua namoradinha não comigo, a e por falar nela olha ela ali tentando pagar um boquete para um dos novos alunos kkkkkk.
Não agüentei e desci o braço na cara dele, sim ele era meu amigo mais to nem ai pra isso, ele mexeu com o que não devia e recebeu com o exato preço que merecia. Já que eu era conhecido na escola e todos já sabiam como era meu comportamento com o Josh ninguém se importou, ate mesmo o diretor que passou aqui agora pouco me elogiou dizendo que foi um belo soco.
Josh: puta merda tinha que ser tão forte assim? – disse ainda sentado no chão.
Gabriel: se não fosse eu ficaria te devendo e eu não gosto de dividas – falei caminhando em direção da sala do 3° ano.
Como sempre os alunos eram todos veteranos ou na minha língua um bando de vagabundos que não tem nada melhor pra fazer, só tinha uma pequena diferença, rosto novo na área, um cara com uma calca jeans escura e com uma jaqueta vermelha com o capuz cobrindo o rosto, ou seja, um novo vagabundo para fazer parte do time.
Fiquei na porta só observando por um instante, uma garota loira com grandes seios apertados em uma curta blusa e uma saia bem “discreta” se é que me entendem, levantou e veio em minha direção.
Garota: nossa Gabriel, continua marrento como sempre, nem da bom dia ou cumprimenta os “amigos”.
Gabriel: claro Gisele, afinal você sabe que não sou muito “amigável” durante a manha, principalmente quando venho com o babaca do Josh para esse inferno que chamam de escola.
Josh: o soco ate que eu aceito, mas me chamar de babaca ai passa dos limites, e sai logo da frente – disse o otario aparecendo atrás de mim na porta e me empurrando.
Gabriel: aposto que empurrou assim a sua avó quando ela caiu da escada né?
Josh: vai tomar no cú – disse ela indo em direção a uma cadeira na frente da de Gisele.
Como não tinha mais lugares vagos, fui para um dos meus lugares favoritos o fundão, só não gostei de sentar perto do maluco do casaco vermelho, sei lá ele de certa forma me da arrepios, sua aura é diferente das outras, mais assassina.
Um dos filo da puta dos professores nem demoraram a chegar e ainda mais tinha que ser aula de matemática logo no primeiro horário amei isso amei tanto que quase perguntei se o doido do casaco vermelho não tinha um cano pra eu fuder o filo da puta do professor.
Ok deixando isso de lado ate que a porra que chamam de aula foi normal e ate demais, a sala toda em silencio prestando atenção ate que estranhei isso.
Só agora o professor notou o mane de casaco e pediu para ele se apresentar, e olha que o cara é calado pra porra nem respondeu só levantou e foi pra frente da sala.
???: meu nome é Daniel, tenho 19 anos – disse o tal Daniel tirando o capuz, seus cabelos eram ruivos e curtos e seus olhos um verde claro.
Meia dúzia de putas já estavam babando no maluco feito cachorro encima do bife e alguns moleques já estavam preparando um plano surrar o coitado, ate o babaca do Josh já tava entrando na onda.
Josh: e ai Gabriel, borá dar as boas vindas ao otario depois da aula.
Gabriel: não valeu tenho coisa melhor pra fazer – ok eu tava a fim de surrar ele mais tinha coisas mais importantes que tinha que fazer hoje.
Josh: você que sabe, a e ate sua namoradinha ta dando encima delo olha lá.
Só respondi com uma cara feia e ela deu de ombros e caiu fora. Ok agora vou explicar para vocês queridos leitores o por que dessa historia de namorada, ano passado eu comecei a sair com uma garota que era a puta da escola, Lindsay, pra resumir a historia e eu não to afim de contar ela me boto chifre e eu dei um coro bem dado nela.

Quebra de tempo
Finalmente já esta na ultima merda de aula, to quase dormindo com a explicação do professor sobre as regiões geográficas do mundo, ate que o dia correu bem e só pra saberem eu tenho aulas em período integral, ou seja, uma merda pura.
POV Gabriel off
Estava escurecendo rápido naquele fim de tarde, rápido ate demais, nos céus nuvens de tempestades já se formavam e se mostravam muito carregadas eletricamente.
Porem parecia passar despercebido por todos, ninguém notava que o céu estava prestes a cair sobre suas cabeças, quer dizer quase ninguém, naquela sala de aula Gabriel já percebia a total mudança, ele olhou ao redor mais ninguém tinha percebido.
Gabriel: ai Josh, percebeu a mudança na atmosfera?
Josh: como é? Não percebi nada não mano, ta doidão é?
Gabriel: vai se fuder.
Realmente não tinha percebido nada do que estava acontecendo somente ele?
Mais distante dali no topo da montanha da cidade dois homens conversavam um com um terno aparentando ser um grande empresário e outro segurando uma katana em sua mão direita e vestido com uma camisa azul e uma calca jeans escura
???: Anton está tudo pronto, pode abrir o portal.
Anton: não fale assim comigo Tanos, afinal sem a chave que possuo você não seria nada – disse e foi em direção a uma caverna se cobrindo em trevas
Tanos: abri logo isso nefilin de merda – disse se certificando que seu “parceiro” estava longe para não ouvir.
Não demorou muito após a entrada do portador da katana entrar na caverna, um brilho vermelho intenso foi lançado do cume da montanha em direção ao céu o tornado totalmente vermelho, ondas e ondas de energia eram lançadas do cume da montanha ate que acima da cidade começou a se formar um vórtice e começou a descer de encontro ao chão.
POV Gabriel
Tava tudo de boa só faltavam alguns minutos para terminar a porra da aula nada poderia atrapalhar a não ser uma porra de explosão ou sei lá o que.
Professor: mais o que foi isso – dizia saindo da sala para verificar o que tinha acontecido, nem pra morrer.
E foi exatamente o que aconteceu no segundo que ele pisou fora da sala ele queimou vivo, e como de imaginar nessas situações só via puta gritar que nem doida e alguns Nerds se mijarem de medo.
Me levantei e fui em direção a porta da sala tranquilamente, as puta já gritavam dizendo para eu não ir e eu não tava nem ai pra isso, tinha algo me chamando.
Caminhai lentamente ate a porta de dei um passo a para fora não senti nada de anormal, ainda, continuei caminhando pelos corredores e por onde passava só achava sangue e pedaços de corpos por tudo que é lado, ótimo ataque de zumbis, andei ate o pátio tinha um grupo de moleques do 1° ano olhando pro céu que estava vermelho cor de sangue.
Gabriel: o que aconteceu por aqui? – perguntei chegando perto deles.
Garoto: não sabemos, só sei que de repente metade da sala tinha virado cinzas, nós somos o que restou do 1° ano.
O moleque explicou e quando ia falar mais alguma coisa dá um grito e é estraçalhado como um pedaço de papel fazendo sangue jorrar por minha camisa, porra era nova, os outro moleques se desesperam só que são estraçalhados do mesmo modo por um monstro estranho ele não tinha cabeça, seus olhos são no tronco e também não tem boca, tinha longas garras nas mãos tipo Wolverine, o filo do capiroto correu ate mim e só fiquei parado, ouvi um tiro e logo depois o monstro caiu no chão.
Olho para trás e vejo o aluno novo o tal de Daniel com duas pistolas cromadas uma em cada mão apontando na direção que estava o monstro.
Daniel: deve tomar mais cuidado ao se lidar com demônios garoto.
Gabriel: primeiro, tecnicamente você é um ano mais velho que eu então não me chame de garoto e segundo, como assim demônios?
Daniel: eu não tenho 19 anos, na verdade tenho 27 e eu sou o que chamam de caçador de demônios.
Gabriel: a vá, e eu sou um nefilin.
Daniel: acredite no que quiser, estou em missão e não tenho tempo para discutir com você.
Gabriel: beleza, ate mais – disse entrando de volta na escola e indo em direção a diretoria.
No meio do caminho achei a chave da sala dos seguranças, ótimo poderia pegar uma arma, afinal se esses “demônios” me atacarem terei como me proteger, passei por uma encruzilhada de corredores no meio do caminho, parei olhando em volta e tenho certeza que vi uma garota ruiva ao lado esquerdo, tentei a chamar mais ela se virou e entrou em uma porta, não sei porque mais a segui, andei ate a porta e tentei abrir e estava trancada, me afastei e meti o pé, a porta bateu na parede, pude observar era uma escada descendo, o interessante é que nunca ouvi dizer que na escola tinha um porão.
Desci as escadas com cuidado tentando não cair já que tava escuro pra caralho vi uma luz mais a frente e desci o ultimo lance de escadas, me deparai com uma estranha esfera preta encima de uma mesa, sem pensar apenas caminhei ate ela e a toquei.
Tudo ficou preto, nada era isso que eu via. Flashes começaram a aparecer, era minha vida passando diante de meus olhos, cada momento que vivi cada sentimento, tudo diante de mim agora, eu morri? Não sabia responder. Novamente tudo preto e agora novos flashes do que dessa vez não eram da minha vida, eram batalhas sangrentas, guerras. Em um ultimo flash eu estava ajoelhado com uma espada fincada no chão a minha frente, ouvi um grito e desesperadamente levei minha face para onde vinha, era uma garota, ou melhor, uma mulher ruiva vestida com uma roupa de combate ou sei lá o que sendo atacada por um homem alto vestido em uma armadura.
???: Vê agora como é ver quem você ama sofrer Willian? Vê agora o que me fez passar? – dizia outro homem em pé a minha frente
Nem reparei no que ele dizia, nem olhei pra sua cara só olhava em direção de onde estava à ruiva, o homem de armadura apenas atravessou seu peito com uma espada, meu mundo caiu, foi o que passou pela minha cabeça estava sem norte, não conseguia pensar. Nos segundos seguintes só vi vultos, estava correndo em direção ao homem a minha frente, tentei acertá-lo com a espada, mas ele bloqueou e me acertou.
???: Isso é sua retribuição, nefilin.
Novamente tudo ficou preto clareando logo em seguida eu estava de volta a escola no mesmo quarto secreto só que não tinha nenhuma esfera encima da mesa.
???: muito bem estava esperando você despertar – disse uma voz vinda das sombras.
Gabriel: quem é que está ai?
???: não se preocupe não irei te machucar, meu nome é Azazel.
Gabriel: sei e eu sou um nefilin - falei debochado.
Azazel: não sabia que já tinha descoberto – um cara de quase dois metros saiu das sombras, ele usava uma saia de pele e estava sem camisa e pelo que parece tinha asas.
Gabriel: ok agora você me pegou, afinal que historia é essa de eu ser um nefilin?
Azazel: aquela esfera tinha todas as respostas sobre todo seu passado e de seu antecessor, esta tudo em sua mente.
Gabriel: então tudo aquilo foi real, e aquela garota ruiva ela morreu...
Azazel: sim ela morreu, em sua antiga encarnação ela era sua noiva, a filha de um rei mortal, o rei de Irios um reino grandioso e implacável.
Gabriel: ok, você disse que sou um nefilin, ou seja, filho de um humano com um anjo certo?
Azazel: na verdade não, você não é filho de um nefilin, seu antecessor era filho de um anjo e de um demônio e como você é a reencarnação dele recebeu seus mesmos dons se tornando assim um nefilin.
Gabriel: e o que está acontecendo lá encima está parecendo um inferno literalmente.
Azazel: infelizmente não posso lhe dizer muito, afinal também não sei o que está acontecendo, só posso dizer que estão tentando abrir os portões do inferno.
Gabriel: então vou ter que descobrir sozinho, ótimo – disse irônico já me virando e indo em direção as escadas.
Azazel: antes de ir leve isso – ele estendeu a mão e do nada surgiu uma espada – essa era a espada do seu antecessor, ela tem poder de usar energia maligna e também a energia sagrada, seu antecessor a criou quando descobriu que podia controlar os poderes tanto demoníacos quanto angelicais dentro dele canalizando pela lamina já que ele linha inimigos dos dois lados.
Gabriel: obrigado.
Peguei a espada e novamente flashes tomaram conta de minha mente, dessa vez não de lutas nem de matança mais sim de um homem calmo e feliz vivendo com sua noiva em uma linda casa de campo, de repente tudo foi se queimando como uma foto colocada encima de uma vela ate não sobrar nada.
Recompus-me e me prontifiquei a subir as escadas novamente, lentamente degrau por degrau ate chegar ao topo, sai no pequeno corredor e dei um passo a frente, senti um arrepio na espinha e olhei para trás só havia uma parede e nada de porta nem de escada, fintei minha mão e a espada ainda estava presente, verifiquei meu bolso e a chave da sala de segurança ainda estava lá.
Fui caminhando em passos lentos pensando em todas aquelas memórias, um homem gentil, simpático e feliz com sua noiva, isso não saiu de minha cabeça seria eu um cara arrogante e egoísta a reencarnação desse homem?


Notas Finais


Yo oi nós aqui...
Bem espero que tenham gostado, espero mesmo pois foi muito trabalho pra escrever essa história COMPLETA, isso mesmo tenho todos os capítulos prontos e postarei durante este mês.
Enfim até o próximo Cap.

A sim e comentem o que acharam blz, isso ajuda muito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...