História Trevas e Luz - Apocalipse - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Anjos Caídos, Apocalipse, Demonios, Fim Do Mundo, Nefilin, Portões Do Inferno, Semana Sangrenta
Exibições 2
Palavras 3.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - O inimigo se apresenta


29 de janeiro de 2017 – Terceiro dia.

Gabriel POV
Passamos a manha sentados na base daquela arvore apenas olhando pro horizonte e quando percebemos já estava na hora do almoço porem eu não estava com o menor apetite.
Alice: anda levanta dai – dizia Alice tentando me convencer a levantar.
Gabriel: qual é aqui ta legal e alem disso não to com um pingo de fome – tentei me defender mais já me preparando para levantar.
Alice: só vou falar mais uma vez levanta dai – disse em um tom serio e eu me levantei.
Gabriel: ta mais só pra você não me encher o saco mais – falei seguindo em frente.
Andamos ate eu avistar onde estava a barraca da minha irmã e como eu esperava estavam ela, Daniel, minha mãe e meu pai, o Josh, a Gisele e a puta da Lindsay que foi só me ver e abriu um sorriso sínico.
Gabriel: oi – disse ainda de pé olhando o circulo de pessoas a minha frente.
Bia: mano – disse se levantando e praticamente pulando encima de mim – não sabe o quanto me preocupei com você, e ai deu tudo certo? Conseguiu o que foi procurar? E quem é essa garota?
Gabriel: calma, uma pergunta de cada vez assim você ferra o meu cérebro – falei a encarando sorrindo – senta lá no seu lugar que antes de responder as perguntas de cada um de vocês eu vou contar uma historia que aconteceu há muito tempo atrás – assim como falei ela se sentou e abriram um espaço para sentarmos eu sentei ao lado da Bia e a Alice entre eu e Daniel.
Lindsay: ok qual é a historinha de ninar que você vai contar? – ok essa puta quer morrer hoje.
Gabriel: a historia de como você virou uma puta que não é – falei sorrindo sarcástico e ela calou a boca – escutem bem o que vou dizer aqui não pode ser espalhado até que eu mesmo diga – suspirei e depois comecei a contar a historia.
Historia on
- Há muito tempo, antes dos humanos dominarem o planeta terra, existia um sistema que era comandado por as cinco grandes facções, os cinco poderes supremos esses eram os Humanos, a facção mais fraca e menos desenvolvida das cinco eram bárbaros que só se preocupavam em acumular riquezas – fiz uma pausa e logo continuei – os Demônios, segunda facção mais fraca mais a que estavam em maior numero dominavam o submundo e sempre influenciavam os Humanos para que esses cometessem atrocidades e guerras, os Anjos-Caidos ou Anjos Renegados, eles conviviam lado a lado com os Humanos porem não eram percebidos por não quererem ser percebidos – novamente fiz uma pausa e olhei em volta e a maioria dos rostos era de surpresa, talvez por um vagabundo como eu saber de tudo aquilo.
Josh: você tem uma enciclopédia na cabeça ou o que? – ignorei a pergunta soltando uma risada pelo nariz e continuei a historia.
- continuando, depois dos Anjos-Caidos vinham os Anjos, Segunda facção mais forte, tinham um incrível poder próprio mais mesmo assim ainda trabalhavam para o líder da primeira facção que eram os Deuses, ou melhor, Deus, o poder supremo que comandava o plano Divino e garantia a vida de todas as outras facções até mesmo dos demônios – fiz outra pausa – o sistema de facções funcionava muito bem e quase não avia regras para que ele desse certo já que era uma democracia, porem entre as poucas regras que existiam uma era a que mais garantia a estabilidade do sistema, o Daniel deve saber muito bem o que estou falando – olhei para ele que perece que estava percebendo o rumo da historia.
Daniel: para que o sistema desse certo era preciso que nenhuma das facções de relacionassem entre si de uma forma amorosa estou certo? Caso contrario poderiam ocorrer revoltas assim como aconteceu com meus pais, Ramon e Helena – perguntou me encarando.
- exatamente, nenhuma das facções poderia se relacionar entre si com esses interesses, porem quando se trata de amor não comandamos em nada apenas somos guiados, assim como aconteceu com Ramon e Helena, Sebastian um Anjo que era braço direito do Anjo mestre Miguel, se apaixonou por uma Demônio que ate hoje não se sabe o nome, porem como já disse as regras do sistema não permitia que eles ficassem juntos, então eles resolveram fugirem e se refugiarem na terra, mais precisamente no reino humano de Irios, um majestoso reino com o qual Sebastian tinha relações já que era amigo do rei de Irios, com a fuga dos dois ouve um abalo entre os Anjos e os Demônios, como os Demônios já tinham um plano de “dominação” preparado decidiram que esse seria o momento perfeito para pôr-lo em pratica – parei mais uma vez – ai da para arrumar uma garrafa de água já to com a garganta seca – perguntei e vi metade das pessoas do circulo cair para trás.
Gisele: espera eu já volto – falou levantando e indo pegar a água.
Bia: ok mais como essa historia tem a ver com o que esta acontecendo e com você?
Gabriel: quando eu terminar você vai me entender – falei olhando para o chão.
Não demorou e Gisele já voltava com uma caixa térmica cheia de garrafas de água.
Gabriel: eu não bebo tanta água assim – falei pegando uma garrafa e abrindo já virando goela abaixo.
Gisele: pronto já tem a água agora continua – apressada essa garota.
- voltando a historia, o plano dos demônios consistirá em provocar uma guerra entre os Humanos e os Anjos para enfraquecer ambos os lados para que ficasse mais fácil se livrarem deles e assim poderem tomar o controle do planeta terra para eles, porem quando os Anjos descobriram tudo eles apenas transformaram Sebastian em um Anjo Caído e se mantiveram neutros por ordem de Deus os demônios mesmo não gostando também obedeceram à ordem de deus, os anos passaram e um menino nasceu do relacionamento de Sebastian e da demônio, o garoto recebeu o mesmo nome do pai, Willian o sucessor de Sebastian, no começo era apenas um garoto como qualquer outro mais com o tempo seus poderes começam a se manifestar e ele foi convocado para o exercito do reino de Irios, ate então os demônios nem suspeitavam da existência de Willian mais quando ele começou no exercito ele logo ficou famoso por sempre em batalhas demonstrar seus poderes, em uma comemoração depois de uma batalha Willian conheceu a filha do rei de Irios a princesa Rosely, logo se apaixonou pela princesa e começaram um relacionamento e meses depois anunciaram o casamento, um demônio que guardava rancor de Sebastian por batalhas antigas soube do casamento e decidiu atacar nesse momento, o nome do demônio era Adelaar – fiz outra pausa e dei um gole na água – Daniel sabe muito bem desse momento já que o pai dele foi um dos demônios que ajudou Adelaar durante a rebelião dos demônios, durante o casamento quando todos os Humanos estavam distraídos Adelaar decidiu influenciar um dos guardas a abrir os portões do inferno, que por acaso ficava no centro do reino de Irios, causando assim um pandemônio total e iniciando uma rebelião demoníaca além de causar a morte de Willian e seus pais e a sua noiva a princesa Rosely – respirei por fim já cansado de tanto falar.
Historia off
Todos estavam um pouco descrentes da historia mesmo que eles já tenham visto o que está acontecendo parece que não acreditaram nessa historia que eu contei.
Bia: ok se isso aconteceu mesmo como você esta dizendo o que isso tem a ver com você? – todos direcionaram o olhar para mim com curiosidade.
Daniel: não está obvio, alem do mais ele mesmo já disse o que é vocês que não escutaram – disse encarando o chão.
Gabriel: fiz esse arroteio todo só para dizer o que realmente sou, ou melhor, o que meu ancestral era – os olhares de curiosidade só aumentavam.
Josh: como assim ancestral, não entendi ainda.
Gabriel: a verdade é que eu sou a reencarnação de Willian Sarus, filho do anjo Sebastian – os olhares mudaram de curiosos para surpresos afinal não é todo dia que se conhece um nefilin.
Bia: como assim você é a reencarnação desse tal de Willian, isso é impossível – disse me olhando com um pouco de descrença.
Alice: então foi por isso que sua aparência mudou? – disse em um tom baixo mais eu consegui ouvir.
Gabriel: como assim minha aparência mudou?
Alice: na luta que você teve com aquele demônio, sua aparência mudou, seus cabelos ficaram brancos e seus olhos azuis, alem de uma aura azulada percorrer sua espada – ok me surpreendi afinal não sabia que minha aparência mudava conforme eu liberasse meus poderes.
Gabriel: não tinha percebido que minha aparência tinha mudado mais tudo bem – falei me levantando – a Bia espero que tenha preparado as barracas que eu pedi.
Bia: bem infelizmente eu só consegui uma barraca – disse com uma cara de culpa – desculpa.
Gabriel: tudo bem não tem problema, eu e a Alice podemos dividir a barraca – todos me encararam com uma cara de surpresa e depois encararam a Alice esperando uma resposta.
Alice: tudo bem eu também não me importo – todos agora tinham uma cara chocada, eu apenas sorri.
Josh: nem pra eu ter uma sorte dessas, vai dormir com uma gos – antes de ele terminar a frase eu Ra estava com uma das .40 apontada para cabeça dele.
Gabriel: continue a frase vamos – minha voz saiu tão fria que ate mesmo eu me impressionei.
Josh: c-calma era só, só brincadeira – achei engraçado o Josh se tremendo todo, geralmente isso não acontece com freqüência.
Gabriel: não repita isso nem brincando se não da próxima eu não vou brincar como agora, vamos Alice – guardei a arma e fui em direção ao refeitório acompanhado pela Alice.
Alice: pegou um pouco pesado com seu amigo – comentou andando do meu lado.
Gabriel: ainda acho que peguei leve, deveria ter pelo menos dado um soco na cara dele para ele aprender – simplesmente respondi sem a fintar.
Alice: está me protegendo demais para quem não me conhece – parei de andar e fintei o chão, ela parou a poucos metros a minha frente.
Gabriel: é realmente eu não te conheço, não faço a menor idéia de quem você é e ainda me vem à cabeça se eu não deveria ter te deixado na cidade para ser morta por demônios, mais não fiz isso, e alem disso mesmo que eu não te conheça vou continuar te protegendo por que sinto que estava predestinado de nos conhecermos, mesmo eu não acreditando em destino – levantei a cabeça para fintá-la e ela me olhava tristemente.
Alice: desculpe-me não queria falar aquilo, eu realmente estou muito grata quanto ao que está fazendo por mim, alem disso eu também acho que eu estava predestinada a encontrar você, sinto que meu futuro estará ligado a você de alguma maneira – ma aproximei dela e a abracei.
Gabriel: não se preocupe, vou te proteger para que possamos descobrir o que vai acontecer no futuro que envolve nós dois – me separei dela e sorri – agora vamos começou a bater uma fome.
Alice: vamos também deu fome – ela segurou minha mão e começou a me puxar em direção ao prédio que era o refeitório.
Gabriel off
Não muito longe da base militar estava Anton observando atentamente a movimentação dos soldados para tentar invadir a base para atacar Daniel.
Anton: isso vai ser difícil, acho que vou ter que fazer do modo antigo entrar batendo em todos – disse ele pulando da arvore que estava.
Pouco antes na base, depois que Gabriel tinha deixado o circulo onde estavam seus amigos.
Josh: o que ouve com ele, sabia que ele era marrento e estressado mais tudo isso só por que eu ia elogiar a garota, eu em – dizia o garoto enquanto tentava se recuperar do susto.
Daniel: deveria ter visto o que ele fez quando eu falei o mesmo, ele quase quebrou minha cara com um soco, não sei o houve com seu amiguinho mais ele não agüenta que falem assim dessa garota – respondeu também se levantando encarando a direção em que Gabriel e Alice tinham ido.
Bia: eu sei por que meu irmão ta assim – falou sorrindo – “ele finalmente achou a garota que ele sempre procurou finalmente irmão você encontrou o seu verdadeiro amor” – pensava com um sorriso no rosto – bem vou indo para o refeitório também.
Aos poucos todos foram se retirando só restando Daniel no local, que alegava não estar com fome já que tinha comido demais na casa de Gabriel a noite passada, ele estava distraído quando seu celular começa a tocar.
Daniel: finalmente ligou, já estava achando que tinha esquecido – falou impaciente ao celular.
???: Daniel, Daniel sempre impaciente – falava uma voz feminina do outro lado da linha – já pensou em tomar um calmante ou um suco de maracujá isso ajuda sabia.
Daniel: mesmo eu gostando de brincadeiras essa não é à hora Lucy anda diz logo o que descobriu sobre o que ta acontecendo.
Lucy: ok, bem parece que um homem que eu não descobri o nome esta tentando abrir os portões do inferno para criar um novo mundo para os demônios e se tornar o novo rei dos demônios, e pelo que descobri ele não está sozinho, tem um meio humano meio anjo que está trabalhando com ele, e esse nefilin não sei como esta com a espada do seu maldito pai – a cara de Daniel mudou para uma cara de raiva – isso foi o que eu descobri.
Daniel: tudo bem, obrigado isso já ajuda – falou desligando o celular – “meu pai não iria confiar sua espada a qualquer um, afinal ela é o seu maior trunfo, se isso for verdade meu pai irá aparecer uma hora ou outra e quando aparecer ele vai pagar pelo que fez a minha mãe e a mim” – pensava se encaminhando refeitório.

Quebra de tempo
A tarde passou rápido e estavam todos no mesmo lugar conversado calmamente ate que uma explosão acontece próximo ao portão, Daniel foi o primeiro a levantar e ir ver o que tinha acontecido.
Gabriel: aprecadinho – disse se levantando e seguindo calmamente para o portão que já era cercado por uma multidão.
Enquanto isso Daniel já lutava contra alguns demônios que tentavam passa para atacar as pessoas que observavam a luta.
Daniel: ai será que dava para me ajudar – perguntou observando Gabriel que caminhava calmamente de um lado para outro na frente das pessoas.
Gabriel: você foi o primeiro então acabe com eles sozinho – respondeu parando de andar olhando para as pessoas sem perceber um demônio se aproximar por trás.
Bia: Gabriel cuidado – gritou tentando avisar o irmão do ataque do demônio.
Gabriel apenas saltou para trás e puxou uma das pistolas atirando sem dó no demônio que foi de encontro ao chão.
Gabriel: hora de brincar – falou guardando a arma e caminhando calmamente ate onde estavam os demônios.
Bia: o que ele vai fazer – se perguntou vendo o irmão seguir na direção dos demônios – não ele vão ser atacado – tentou correr mais foi segurada por Alice.
Alice: sei qeu não me conhece direito mais eu peço que confie em Gabriel, ele é mais forte do que você penca – falou encarando a garota.
Enquanto isso Gabriel continuava a andar em direção aos demônios e a cada passo a sua aparência mudava, seus cabelos, que iam ate os ombros mudavam de negros para brancos seus olhos mudavam de castanhos para azuis e sua espada que ainda estava na bainha era envolta em um brilho azul claro.
Gabriel: adeus – falou juntando os braços em forma de X e depois de um tempo separando os fazendo raios saírem de suas mãos e acabarem com os demônios que estavam presentes – viu como é fácil – falou se virando para Daniel que estava atrais dele.
Daniel: claro você é meio anjo – disse tentando inventar uma desculpa.
Anton: muito bom – falou aparecendo do nada.
Gabriel: ora, ora a quem devo o prazer de sua presença de sua presença – perguntou fintando o homem a sua frente – alem do mais quem é você?
Anton: não devo explicações a você garoto, vim atrás do herdeiro de Ramon– disse encarando Daniel que parecia surpreso.
Gabriel: desculpe mais que tal outro meio demônio – assim que ele acabou de falar a aura que o rodava mudou assim como sua aparência, seus cabelos que eram brancos agora eram vermelhos como fogo assim como seus olhos e a aura se tornou carmesim – vamos ver se você é digno de lutar comigo, anjo.
Gabriel sacou a espada e partiu para cima de Anton, ele tentou um ataque horizontal da esquerda para direita que foi defendido, logo depois tentou um ataque vertical de baixo para cima, Anton saltou para trás e depois sacou a espada correndo em direção a Gabriel dando uma seqüência rápida de golpes.
Gabriel: “esse cara é muito rápido, tenho certeza que se não tivesse a segunda metade dos poderes do meu ancestral eu já teria morrido” – pesava ele enquanto tentava defender os golpes.
Gabriel saltou para trás e caiu apoiado com o joelho no chão respirando ofegante, já Anton continuava em pé o encarando.
Anton: e então cadê os poderes que você disse que tinha – perguntava sorrindo – não me diga que isso é tudo garoto.
Gabriel: muito bem, você quer ver do que sou capas vou mostrar – falou se levantando e encarando Anton – você vai se arrepender – ele posicionou a espada a direita e foi movimentando ate formar um circulo – lua sangrenta – apenas disse isso correndo contra Anton.
Anton: acha que isso é suficiente – falou também correndo contra Gabriel - Ascensão sagrada.
Gabriel desferiu um golpe da direita para esquerda enquanto Anton tentou um golpe da esquerda para direita, suas espadas se chocaram causando um clarão e logo depois uma explosão.
Bia: Gabriel, não – grito tentando correr mais foi segurada por Josh.
Daniel: “o garoto realmente é muito poderoso” – pensava olhando a poeira se esvair devagar revelando Gabriel de joelhos se apoiando na sua espada e Anton de pé de costas para Gabriel.
Anton: você é bem forte garoto conseguiu sobreviver a Ascensão sagrada – dizia olhando Gabriel por cima do ombro – meu nome é Anton, da próxima vez que nos encontrarmos acabamos com essa luta – disse sumindo em uma nuvem de fumaça.
Gabriel: até a próxima vez – disse antes de cair no chão.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...