História Treze de Abril - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amizade, Bangtan Boys, Bts, Drama, Hoseok, Imagine, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Rapmonster, Romance, Seokjin, Suga, Taehyung, Universidade, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 3
Palavras 2.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Harem, Josei, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Com a faculdade, eu esqueci completamente da fic, mas nas férias resolvi escrever alguma coisinha!
Tomara que vocês vejam que a fic foi atualizada!

Espero que gostem <3

Capítulo 3 - Um pacto arriscado


Depois do tombo, os outros veteranos também dispararam a rir, e alguns vieram falar conosco, principalmente zoando o tal Park Jimin. O primeiro a chegar ao lado dele tinha cabelos longos presos em um rabo de cavalo baixo. Bagunçou os cabelos loiro-escuros do Jimin sunbae e fez uma falsa cara de espanto maravilhosa, dizendo:

– Chimchim, já atacando os hoobaes? Pensei que você fosse esperar até a festa de recepção para mostrar seu lado selvagem!

 – E o que aconteceu com o “esse semestre vou me comportar e achar um boy ou uma girl pra dormir de conchinha e assistir dorama juntinhos no frio”? – uma garota de cabelo verde-menta entoou, imitando perfeitamente a voz do loiro-escuro. Não que eu tivesse percebido naquele momento, claro. Mas, com a convivência, descobri que a garota era a melhor imitadora de Chimchim que já existiu.

Isso fez o garoto ficou vermelho até as orelhas, enquanto tentava calar a boca de todo mundo.

– Ei, ei, parem com isso ou nenhum dos dois vai me respeitar nenhum pouco! O que eles vão pensar de mim com isso?

Com isso, eu e Yoongi nos juntamos aos veteranos, fingindo estarmos chocados com o que ele tinha feito conosco, exigindo indenizações e rejeitando, bastante ofendidos, falsas ofertas para ver doramas de conchinha, o que fez Jimin sunbae gritar, tentando parecer sério e bravo, mas falhando miseravelmente:

– Ya! Vocês me respeitem que eu sou mais velho!

– Não quero – declaramos juntos, e quando percebemos nossa sincronia, demos um high five tão swag que eu teria me apaixonado por nós dois se eu tivesse nos visto.

Toda a zoação atingiu o seu pico e logo começou e virar uma conversa mais calma. Houve uma roda de apresentações, e, enquanto a conversa tomava outros rumos, percebi, pelo canto de olho, a garota baixinha que estava sendo cercada quando cheguei se despedindo de um grupo de veteranos ao lado e entrando na sala. De primeira percebi porque todo mundo estava vidrado na pequena.

Ela era... maravilhosa. Seu rosto era fofo, mas seus cabelos tinham um corte que lhe dava uma imagem forte e imponente – e a impressão que ficava era essa. Ela devia ter um metro e meio de altura, e era claramente japonesa. Andava e se vestia de um jeito que gritava girl crush, e eu imaginava que era isso mesmo que ela virava em todo lugar pelo qual passava: a crush de todo mundo, gostasse você de garotas ou não.

Assim que a garota japonesa saiu da minha linha de visão, uma outra veterana chegou na rodinha e falou com os três mais velhos:

– Pessoal, faltam cinco minutos para nossa aula. Vamos indo?

Os três concordaram. O garoto de cabelos longos, cujo nome era Chin-mae, deu um largo sorriso para seus dois hoobaes

– Vocês dois foram bem legais de conhecer! Espero ver vocês de novo – começou a virar, mas antes ergueu a mão em um joinha, olhou para mim e completou – seu coreano é maravilhoso! Continue praticando bem!

Yang Mi, a garota de cabelos coloridos, concordou com a primeira parte, sorrindo. Quando o garoto elogiou meu coreano, soltou um “aigoo, seja mais discreto”, que iniciou uma discussão entre os dois. Eu achei graça, e não fiz nenhum esforço para rebater a fala de Mae.

Enquanto os dois começavam a andar, Jimin passou a mão pela cabeça, meio envergonhado, claramente procurando a melhor maneira de dizer algo. Chin-mae o chamou, e então o mais baixo simplesmente suspirou, deu um sorriso e entoou um encantador “vejo vocês mais tarde!” antes de disparar atrás dos amigos.

Enquanto andávamos em direção à porta, eu e Yoongi olhamos um para o outro, mas antes que pudéssemos comentar melhor a cena, percebemos que a pessoa entrando na sala atrás de nós era o professor, e corremos para dois assentos livres ao fundo da sala.

O professor era novo no Departamento de Música, e havia sido cedido ao Departamento de Aesthetics para lecionar nossa disciplina. Chegava com ideias frescas, subversivas e não-tradicionais e uma enorme vontade de ensinar.

Ou pelo menos foi exatamente assim como ele se apresentou. Ele nos prometeu que sua aula seria a mais interessante de todo o semestre, e cumpriu muito bem com sua palavra, desde o primeiro segundo.

***

Espreguicei lentamente quando o professor anunciou o fim de minha última aula do dia. Olhei para o lado e Min Yoongi, com quem acabei passando o resto do dia, também dava uma esticada antes de levantar. Sorri para ele, e quando estava prestes a perguntar como ele iria embora para casa, ouvi o professor rir e falar para a sala:

– Boa sorte, calourinhos.

Olhei para a porta e lá estavam os veteranos de mais cedo, cedendo passagem ao professor, mas bloqueando um calouro de sair da sala. Engoli em seco, tranquei o cu, e soltei um palavrão. Puta merda, é sério que ia ter trote? Coreia tem trote? Ai meu Deus, meus amigos brasileiros tavam me falando disso esses dias. Eu vou ser pintada, sujada, vou ter que pedir dinheiro no sol? Quer dizer, no frio, né, que estamos em março e o inverno ainda não quer ir embora.

Por fora, claro, eu estava super calma. Olhei para Yoongi com uma cara de “é sério, isso?”, enquanto os sunbaes enchiam a parte da frente da sala. Dessa vez eram mais, talvez quase toda a classe deles estivesse lá. Vi Jimin junto aos seus amigos de mais cedo e ele deu um tchauzinho com um sorriso que escondia os olhos. Ah, se todos os sundaes forem maravilhosos como ele, eu não me importaria de me trancarem nessa sala.

Quando eu pensei isso, realmente nos trancaram no recinto. Uma sunbae de cabelos pintados de loiro foi até a porta e ouvimos um som de “clic”.

– Ei, que porra é essa? Virou cativeiro agora? – um garoto mais na frente da sala falou o que todos pensamos quando a menina nos trancou.

 

Uma mini briga começou a se espalhar. Sunbaes brigavam com sunbaes, hoobaes com sunbaes, e hoobaes com hoobaes. Eu fiquei desesperada, e quando vi, já estava falando, bem alto:

– Ei, para com isso, todo mundo! Vamos ouvir o que eles tâm a dizer, quanto mais rápido eles falarem, mais rápido saímos. E vocês, sunbaes, se tivessem só fechado a porta teriam nosso apoio e nossos ouvidos muito mais rápido e sem problema algum – parei para respirar pude sentir o peso todos os olhares da sala em mim.

– Então se vocês destrancarem a porta, nós prometemos ficar na sala enquanto vocês explicam por que merda nos trancaram aqui – Yoongi completou, com uma voz forte igual a minha.

 A maioria se acalmou. Percebi Jimin sunbae nos encarando. A garota loira destrancou a porta e pediu desculpas. Disse que a maioria da turma deles na verdade não queria trancar a sala, mas como era uma tradição ela roubou a chave e blá blá blá. Por muito tempo essa garota foi odiada por nós, hoobaes, até que um paramos para conversar direitinho com ela, e, surpresa!, ela não era tão ridícula assim.

Chin-mae, o garoto de cabelos longos (que agora estavam soltos), foi até a frente. Sorriu, e disse:

– Bom, desculpa por isso pessoal. Eu sou Chin-mae, e fui o encarregado por essa atividade de boas vindas! Então, a gente normalmente prepara alguns momentos de integração entre hoobaes e sunbaes, para que vocês se conheçam, nos conheçam, e conheçam a universidade o curso de Música. Fazemos uma ou duas atividades por semana, durante o primeiro mês de aulas.

Chin-mae continuou sua explicação: nós teríamos mil e uma atividades nesse primeiro mês de faculdade. Atividades de integração promovidas pelos sunbaes diretos, explicações sobre o curso organizadas pelos professores, explicações sobre o curso organizadas pelo Centro Acadêmico, palestras, workshops, encontros com pessoas já formadas em Música, apresentações dos clubes, processo seletivo dos projetos de extensão e clubes de atividades, tanta coisa que minha cabeça começou a doer.

Enquanto o garoto falava, e alguns outros veteranos complementavam o que ele ia esquecendo, Yang Mi desenhava um calendário e ia adicionando as várias coisas que todos iam comentando. Quando o calendário ficou pronto, a grande surpresa foi revelada pela garota:

– Além disso tudo, nós também sempre fazemos uma festa de boas-vindas! Ela começa umas duas horas da tarde e vai até meia noite, é sempre em uma mansão de Gangnam, tem ônibus que leva todo mundo para lá, é feita para suportar umas 500 pessoas, tem piscina, é open bar, e, o melhor de tudo... calouro não paga!

CA-RAM-BA. Se não foi pra isso que entrei na Universidade, nem sei pra que foi.

– Quando vai ser? – A pergunta que não quer se calar é feita.

– Segredo – é tudo que Yang Mi responde.

A sala é tomada por sussurros, que logo viram vozes cada vez mais altas e animadas com tudo. Até que Chin-mae consegue se fazer ouvir no meio de aquilo tudo.

– Maaas, isso é assunto pra mais tarde. Hoje a gente veio aqui pra outra coisa. Hoje a gente queria passar umas dicas gerais do curso e depois fazer uma roda de apresentações. Não vai ter aula agora aqui nessa sala, então temos até as seis da tarde. Se alguém quiser ir embora agora, ou a qualquer momento até as seis, tranquilo, mas a gente super recomenda que vocês fiquem aqui.

E rapidinho começaram as apresentações. Quase cem pessoas se apresentando. Não dá pra lembrar de todo mundo. E, sinceramente, eu não lembro das apresentações de pessoas que hoje são muito importantes para mim, e me lembro de pontos chave de apresentações de pessoas que nem são próximas. Ou que eu nem gosto.

Bom, eu tenho que apresentar os personagens principais dessa história. O elenco fixo dessa série, digamos. Mas vou fazer isso durante a história mesmo. Por que, então, contar isso tudo sobre a roda de apresentações? Porque essa história fala dos meus conflitos e reflexões sobre a minha vida na Universidade. E porque Chin-mae foi o primeiro a se apresentar, e já chegou chocando a família tradicional coreana.

– Oi, eu sou Chin-mae, tenho 19 anos, e sou gay.

Os homofóbicos todos quase morreram – ou seja 90% das pessoas naquela sala. Acharam aquilo desnecessário, nojento. A comunidade LGBT dali – composta de exatamente sete pessoas – ficou muito feliz. E todas as sete pessoas fizeram questão de se declararem gays, bis, lésbicas.

Apresento-lhes aqui a comunidade LGBT das duas turmas (o elenco fixo conta com pessoas héteras, mas elas ficam para depois, já que não quero que o capítulo fique tão grande): Chin-mae, gay. Yang Mi, lésbica. Park Jimin, bissexual. Sakurai Akira, lésbica. Min Yoongi, bi. Pessoa número 6, importante demais para a história para ser apresentado assim, gay.

E eu, que, sem perceber ou sem saber, soltei um “acho que sou bi, mas nunca beijei meninas”.

E, é claro, isso tudo gerou um certo estigma com as pessoas não-héteras, mas também levantou uma discussão que não é feita na sociedade coreana, e que eu descobri ser levemente mais aberta dentro de alguns poucos cursos da Universidade.

Eu gostava daquele lugar cada vez mais.

***

– Hmmm... Desculpa por aquilo mais cedo. Fui só falar com vocês, dando um tapinha de leve para chamar atenção, mas o botão da minha manga enganchou na sua blusa, Shaira, e acabei puxando sem querer. – Após a roda de apresentações, algumas pessoas estavam conversando, marcando rolês e combinando bondes para voltarem para casa juntos. E Jimin chamou Yoongi e eu para pedir desculpas.

– Aah, então foi isso? Sem problemas! – falei, tentando parecer o mais sincera o possível ao falar que estava tudo bem.

Yoongi falou um simples “de boas”, e fez um sinal de paz com os dedos.

Jimin continuou meio sem graça. Primeiramente achei que ainda estava mal pela queda, mas depois percebi que ele ainda tinha algo a dizer.

– Será que vocês poderiam me passar seus números?

Eu e Yoongi simplesmente retiramos nossos celulares de nossos bolsos, e tentamos entrega-los para Jimin ao mesmo tempo. O garoto de cabelos loiros também tirou o celular ao mesmo tempo, e, por um segundo, nós três ficamos com os celulares em rodinha.

– Passamos o celular para a pessoa a direita? – sugeriu Yoongi.

Eu e Jimin concordamos e nós três trocamos nossos números. Quando cada um estava com seu próprio celular de volta, nos despedimos.

Sabe, durante a roda de apresentações, todos os hoobaes tinham passado o número para Chin-mae, que estava criando um grupo no Kakao com todos nós. E uma menina de nossa turma aproveitou para criar um grupo só de nossa turma. Ou seja, Jimin tinha nossos números. O que ele queria era uma autorização para usá-los para se aproximar de nós dois.

Depois da troca de números, eu e o garoto com um sorriso de açúcar nos juntamos a um bonde que ia jantar junto, e depois do jantar fomos com um segundo bonde, menor, de pessoas que moravam para o mesmo lado. Nós morávamos na mesma rua, na mesma quadra, separados por dois prédios.

Assim que sobramos só nós dois no bonde da volta para casa, conversamos sobre a dádiva dos deuses que era Jimin sunbae. Como ele era sexy e fofo, e, mais importantemente, como ele era bi. E, naquela noite, fizemos um pacto que ditaria vários prazeres e conflitos nos próximos meses de nossas vidas: nós dois beijaríamos Park Jimin.

Yoongi e eu tínhamos passado somente um dia juntos e eu já via uma grande amizade crescer.


Notas Finais


O que acharam?
Ai, eu tô muito insegura com esse capítulo, ele tá muito sem graçaaaa.

Beijocas e obrigada por lerem a fic <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...