História Triângulo Da Psicopatia - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Ficção, Mais, Novela, Policial, Psicopata, Psicótico, Revelaçoes, Romance
Exibições 18
Palavras 1.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Mistério, Policial, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Acabei eeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Capítulo 29 - Não adianta brigarmos. Temporada 1


Fanfic / Fanfiction Triângulo Da Psicopatia - Capítulo 29 - Não adianta brigarmos. Temporada 1

Quarta- feira, dia da resposta do juiz.     

~~ Nathaniel ~~
              Acorda, Nathizinho.

Esse peguiçoso não vai acordar.
             Ele está nós ignorando.
             Nathaniel - Pelo amor de Deus da pra calarem a boca, eu só quero dormir.
             Esse tocarmos algum instrumento para irrita-lo.
             Nathaniel - Não tem instrumento nenhum a qui, como é que va...- Antes que pudesse terminar de falar um deles aparecem com pratos e o outro um trompete e começam a tocar bem alto e sem ritmo, se minha cabeça estava explodindo só de escutar eles conversando imagina agora. Juro que se isso continuar por muito tempo irei me matar.

    ~~ Bellamy ~~

Me levantei e fui direto para o banheiro, tomei um banho como sempre frio, depois fui arrumar a casa, passar pano, lavar roupa, coisas que geralmente mulheres fariam mas não me importo com isso, desda morte de minha mãe tive que cuidar da casa e do meu irmão então acho que peguei esse costume.
              Após terminar me joguei no sofá e fui jogar GTA, um tempinho depois Kate acorda e também foi tomar banho, quando acabou comeu seu café da manha e se sentou comigo para jogar vídeo game, ainda é possível ver as marcas que eu deixei em si, o que me deixa incomodado. Bruce não parava de encarar Kate que estava um pouco receosa de que ele pulasse nela.

Bellamy - Acho que ele gosta de você. - Não contive uma gargalhada quando ela me encarou.
             Kate - Se é assim que ele me trata porque gosta de min não consigo imaginar se ele não gostasse. - Rimos e jogamos por 2 ou 3 horas até que meu celular toca e eu atendo.
                *****

  - Alô ? - Perguntei curioso, não tinha esse número nós meus contatos.
               - Bellamy, sou eu James.
              - Meus Deus você ainda esta vivo. - Zombei pois ele não atendia e nem retornava as minhas mensagens por 4 dias. - Poderia ter me ligado de volta.
                - É mas não liguei porque estava cuidando do meu pai, que por acaso quase morreu por sua causa, então acho que a culpa de eu não te responder é só sua.
                - Estou me matando de curiosidade a qui, porque me ligou ? E esse numero novo ?
               - Guilherme falou para eu te ligar porque ele não tem seu número, ele me disse que já tem a resposta do juiz, só que quer falar o resultado pessoalmente, liguei do celular dele para ficar marcado em sua agenda.
               - Cara será que o juiz não aprovou ?
               - Eu não sei Bellamy, ele falou que queria seu endereço e eu passei, acho que ele chagará ai em 1 hora.
              - Obrigado por avisar. Amm que tal se nós jantarmos a qui em casa para resolver esse clima tenso ? - Não gosto de ficar brigado com James, não poder ver e sentir ele, ou pelo menos passarmos um tempo juntos, se olhando e fazendo piadas idiotas.
               - Acho melhor não. - Disse seco.
               - A vai James, não vou fazer nada que você não queira, será só um jantar com meu namorado e minha filha. - Escutei um bufar de respiração pesada, ele demorou para responder.
                - Tá, só iremos jantar.
                - Nada mais.
                - Então estarei ai as 20:00.
                - Tá bem, até.
                - Até.
                Desliguei sorrindo de felicidade pelo menos ele vem jantar. Kate me olhava curiosa e sorridente.
                Bellamy - Eu e James vamos nos acertar. - Kate sabia do ocorrido da ultima vez que fui na casa dele, ela ficou sem reação quando contei, depois ela xingou tanto palavrão que acho que ela já tem um lugar no inferno e de camarote.
                Kate - Que bom que vocês estão se falando.
                Bellamy - Ele vem jantar aqui, e Guilherme já tem a resposta do juiz.
                Kate - Bom com isso acho que vou vestir uma roupa que não os façam me confundirem com você, e procurar algo que cubra meu pescoço.
                Bellamy - Guilherme vai vir da qui a uma hora. - Ela se apressou e foi se arrumar, uma hora depois ouço um batido na porta e fui abri-la, era Guilherme com seu típico terno marrom e sua maleta, comprimento-o e ele entra.
              Guilherme - Onde está Kate ? - Perguntou sério se sentando no sofá enquanto encarava Bruce Dickinson lhe encara de volta.
               Bellamy - Ela deve estar em meu quarto.
               Guilherme - Ainda não comprou a cama dela ?
               Bellamy - Comprei, só vão entregar amanhã de manhã, vou chamá-la. - Antes que eu foçe, ela apareceu vestida com uma camiseta minha do Ramones, um cachecol preto, e uma calça sua preta e com rasgos deixando a mostra suas belas coxas brancas. Seus cabelos claros estão em um tom mais escuro por conta de estarem molhados, ela sorrio para min e para Guilherme que retribuio com um aceno de cabeça.
                Kate - Não precisa Bel.
                Nós sentámos, eu e ela no sofá grande, e Guilherme no pequeno, Bruce continuava a encarar Gui, que retribuía, Kate segurava para não rir da cena.
                Guilherme - E quem é esse a qui ?
                 Bellamy - Bruce Dickinson, meu cachorro.
                 Guilherme - Ele é vacinado ?
                 Bellamy - Sim.
                 Guilherme - Que bom, então Kate como foi ficar esses dias ?
                  Bellamy - Achei que já tinha terminado a carta.
                  Guilherme - E terminei, entreguei, recebi a respostas e os documentos, mas qualquer coizinha eu posso mudar tudo em questão de minutos.
                  Bellamy - Tudo bem não quero encrenca.
                  Guilherme - Você sabe que vai ter que colocar Kate em uma escola para que complete os estudos né ?
                  Bellamy - Claro, eu já estava pensando em uma que tem a qui perto.
                  Kate ficou jogando enquanto eu e Guilherme conversámos sobre a papelada para passar o nome da mãe como a responsável para min, isso saio meio estranho, não que eu vá ser a mãe. Ele me pediu mara lhe mostrar o que eu dou de alimento para ela e onde ela dorme, pelo visto ele aprovou.
                  Guilherme - Então, parece que meu trabalho a qui acabou, até Kate, Bellamy. - Ele foi em bora.
                  Minutos depois um James de terno chega.
                  Bellamy - Lindooo, você veio. - Sei que pareci muito gay agora mas faço qualquer coisa para James se sentir melhor.
                   James - Então... Cade à Kate ? - Perguntou fingindo que não tinha escultado minhas palavras.
                    Kate - Estou a qui James. - Disse Kate sentada no sofá jogando.
                  James foi até ela e a comprimentou, se sentou ao seu lado, me ignorou completamente. Fui para a cozinha terminar a lasanha que estava fazendo. Logo estávamos sentados na mesa comendo uma deliciosa lasanha, estava um silencio desconfortável, então dicedi dizer algo, ou melhor algo que deveria ter dito a uns dias.
                   Bellamy - James. - Ele me olhou serio, e Kate observava a sena com as bochechas cheias. - Eu não espero que você me desculpe por eu ter dado uma surra em seu pai, eu não me arrependo pois não suporto pessoas que tratam outras dessa maneira, eu só quero voltar a falar com você, e resolver esse clima idiota entre nós. Você mesmo tinha dito que se eu não estivesse lá seria você
 que daria a surra nele.                             
                       James - Tudo bem Bel, é que foi muito difícil para min ver meu namorado quase matar meu pai, parecia que você realmente não iria parar.

          Bellamy - Isso quer dizer que estamos de boa ?
                        James - Acho que sim. - Ficamos nos olhando e sorrindo um para o outro, mas isso não durou muito.
                       Kate - Porque vocês não se beijam logo ?
                      James sorrio para Kate e como ele está sentado ao meu lado eu o puxei para mais perto e demos aquele beijo, logo ele retribui passando a suas mãos em meu rosto e em minhas costas, me alisando fazendo com que eu sentisse aquele friozinho na barriga, e como eu sou mais safado minha mão foi parar em um lugar especialmente grande.
                       Kate - Caralho eu falei que era para dar um beijo não se comerem na minha frente.
                       James e eu nos soltamos com o coração bem acelerado, nós rimos, e por fim ele foi pra casa feliz e eu para meu sofá vitorioso. Senti tanta falta de sua presença e seus lábios.

             

                                         
 

 

     



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...