História Trilha dos Girassóis - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Gakupo Kamui, Gumi Megpoid, Kaito, Len Kagamine, Luka Megurine, Meiko, Miku Hatsune
Tags Clichê, Comedia, Fantasia, Ficção, Gablychan, Hatsune Miku, Kaito, Mikaito, Miku, Miku X Kaito, Romance, Shion Kaito, Troca De Corpos
Visualizações 93
Palavras 1.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Fantasia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


HEY! Mais capítulo Mikaito! :') <3
Queria postar ao menos até a troca de almas deles, agora, eu irei passar para uma outra fanfic minha do shipp! :D
Espero que gostem do capítulo!
Eu ia postar ontem (tanto que ele é pequeno, estava meio pronto), mas minha mãe comeu algo salgado na noite retrasada e acordou passando muito mal, nem conseguia levantar uma garrafa de água (ela tem problemas seríssimos com pressão alta D:). Aí, eu não tive como! Tive cuidar dela e da casa.
Mas vou ver se posto em fanfics Mikaito, ao invés de só até segunda, até terça. ^3^

Capítulo 5 - Troca


Fanfic / Fanfiction Trilha dos Girassóis - Capítulo 5 - Troca

5.  TROCA

 

Kaito acordou num susto, como se tivesse tido o pior pesadelo. Sentou-se rápido no futon que estava deitado. A primeira coisa que notou, foi o óbvio: ele não estava no quarto com seus colegas de time. Tomou um susto ainda maior quando notou Luka dormindo de um lado do futon e Gumi – de quem nem se lembrava (já que não conversava com ela no ensino médio) – dormindo do outro; a equipe da Megpoid também estava dormindo, em futons espalhados pelo quarto. “Estou no quarto da Megurine?”, se perguntou. “Quando foi que eu saí do campo?”, continuou a linha de raciocínio.

“C-Cadê a Hatsune?”, pensou enquanto olhava ao redor, mas não encontrou a garota. “Não”, cobriu a boca com uma mão, “deve ter uma explicação lógica para isso”. Com cuidado para não acordar ninguém, Kaito se levantou, porém, sentiu-se estranho. Olhou para baixo para ver as próprias pernas, e estava de saia. Uma saia rodada e branca.

“V-Vestido!”, pensou agarrando as laterais da saia. “Eu estou de vestido!”, quando voltou a pensar, reparou nas mãos. Estavam mais finas e as unhas grandes e bem feitas. “O-O quê?”, passou a mão pela cabeça, sentindo-a um pouco mais pesada que o comum. Seus dedos, agora, penteavam longos cabelos verdes azulados.

— P-Peruca? — puxou o cabelo, na esperança de que ele saísse, mas não. Isso o fez paralisar de medo. — Não... É... Peruca... 

Rapidamente, Kaito coloca a mão por baixo da saia, apertando entre suas pernas, na esperança de encontrar seu órgão genital masculino, mas, ao invés disso, não encontrou nada. Ficou parado um pouco naquela posição, acreditando fortemente que aquela doideira não passava de um pesadelo.

— Hum... — uma pessoa pelo quarto acordou: a assistente da noite passada, que entregou a água e a toalha à Miku. — Hatsune-chan — falou ainda deitada, olhando para Kaito com um sorriso gentil no rosto —, está se sentindo melhor?

— Hatsune! — Kaito respondeu, sem dizer nada para a mulher e correndo para fora do quarto. Nem mesmo deu cinco passos para fora:

“KYAAAAAAAAAAAH!”

Kaito parou de correr ao ouvir o berro; era a Hatsune, com certeza, apesar de ter ouvido sua própria voz. Ele olha para os lados, pensando em que lado tinha vindo o grito; não tinha ideia das horas, mas deduziu que ela só poderia estar em um lugar: no quarto dos seus colegas de time, visto que ele estava no quarto dela. “Eu não sei o que está acontecendo, mas”, ele pensava enquanto subia as escadas da pousada e virava um corredor, “definitivamente, eu não sou mais um homem”, concluiu, encontrando a porta do quarto certo e abrindo-a com força.

Os outros jogadores envolviam seu corpo, que estava sentado em posição fetal, cobrindo a cabeça com as mãos. As líderes – que pareciam ter saído correndo do quarto em que estavam para saber o motivo do grito de horror – também estavam encarando o “capitão”.

— Kaito, o que houve...? — Meiko saiu de perto das líderes, ajoelhando-se ao lado do homem de cabelos azulados, tocando nele.

— Hatsune! — Kaito berrou de onde estava e, rapidamente, seu corpo obedeceu, olhando para ele com os olhos cheios de lágrimas. “T-Trocamos de”, Kaito pensou ao fixar no rosto assustado, que deveria ser o seu.

As pessoas à volta o encaravam.

— Você é a garota maluca de ontem à noite! — Meiko se levantou, olhando para Kaito com raiva. — É por sua culpa que o Kaito está desse jeito.

O Shion não mediu palavras com a Sakine, apenas passou pelos colegas e líderes, segurando o braço de Miku – que antes era o seu – e puxando-a para fora do quarto. Miku ainda estava confusa, mas como era o corpo de uma garota e o seu corpo, não teve medo quando o homem a puxou à força.

Os colegas de Kaito encaram aquilo embasbacados: seu colega, que normalmente era sério e cheio de postura, estava com uma expressão de medo – mais parecia um gatinho assustado com água fria –, e agora era levado por uma modelo baixinha, fofinha e com cara de soldado valente.

Meiko encarou aquilo mordendo o lábio superior, com raiva.

[...]

Pararam de andar quando chegaram nos fundos da pousada, onde Kaito explicou toda a loucura que estava acontecendo. Agora ele não estava mais no corpo de Shion Kaito e nem ela estava no de Hatsune Miku, estavam trocados. Miku parou, sentada em posição fetal no degrau dos fundos, vendo como as mãos estavam brutas e mais largas. Kaito continuou sentado ao seu lado, esperando que a garota tivesse alguma reação.

— E-Então... Nós dois... — Miku não conseguia completar a frase.

— Trocamos de corpos — Kaito responde. — Não sei como aconteceu, mas... Aconteceu.

— M-Mas como?! — Miku levanta o rosto para ele; Kaito nunca imaginou que veria uma expressão tão medrosa em seu próprio rosto. — Isso não faz nenhum sentido!

— Você está conversando com você mesma, está vendo algum sentido nisso? — ele, depois de não receber nenhuma resposta da Hatsune, olha para o campo. — Tudo começou lá... Naqueles girassóis. Você lembra de algo? — perguntou, olhando novamente para Miku.

Ela nega com a cabeça.

— Não.

— Eu lembro muito pouco... Estava chovendo... Você estava sentada no chão, cobrindo os olhos e chorando. E tinha mais alguém-

— Eu não quero saber! — Miku derrama lágrimas pelos olhos de Kaito. — Como eu vou fazer o meu álbum de cem fotos no corpo de um homem?!

— E você acha que eu não tenho problemas?! Tenho a final de um campeonato daqui há um mês! — reclamou com ela, que calou-se imediatamente, vendo que ambos tinham problemas ali.

Kaito e Miku pararam, pensativos, mas o tempo de silêncio durou pouco, já que Meiko finalmente tinha os encontrado. A Sakine vinha correndo, berrando o nome de Kaito. O Shion revira os olhos, estressado; já estava ficando de saco cheio. Miku, que ainda estava na mesma posição, repara isso:

— É sua namorada? — ela pergunta.

— Não, é só uma chata que não me deixa em paz. Segue o que eu fizer — Kaito pediu e Miku o fitou, confusa sobre o que ele faria.

No momento em que Kaito – que diante dos olhos de Meiko, era Hatsune – virou-se, a Sakine parou, olhando-o com uma expressão de desdém.

— Saia da minha frente! — Meiko o segura pelo braço e o empurra para o lado, indo até Miku. — Tiger, o que tá acontecendo, hein? Por que você está seguindo essa fedelha maluca?

— F-Fedelha? — Miku perguntou, boba.

— Isso mesmo! — Meiko a segura pelo braço, levantando-a do degrau em que estava sentada e agarrando-se ao seu braço. — Vamos voltar para o quarto, eu relaxo você.

— Espera aí, Sakine! — Kaito entra no meio. — Estamos conversando!

A Líder se recusa a soltar a Hatsune, que olhava ainda confusa para Kaito. Meiko faz questão de mostrar uma cara bem feia, pensando que isso afastaria Miku – que na verdade, era o Shion – de perto deles.

— Não pense que só porque você é modelinho, pode fazer o que quiser. Eu vi esse primeiro! — a Sakine diz como se fosse dona de um brinquedo.

Kaito mostra um sorriso travesso com os lábios de Miku.

— Bom — ele anda até as duas, tomando o braço dele (agora, da Miku) de Meiko, que se assusta com a atitude ousada —, não sei se você reparou, mas estamos juntos agora, então para de encher!

Meiko mostra uma expressão indignada.

— Né, Kaito? — agarrando o braço de Miku (imitava Meiko), Kaito olha para ela, sorrindo. Nunca tinha sido tão baixinho, por isso era estranho ter que olhar para cima. Mais estranho ainda olhar para o próprio corpo e dizer que está com ele.

Miku não responde, confusa.

Né, Kaito?Kaito insiste, mostrando uma feição impaciente para a Hatsune.

— S-Sim.

Com isso, Kaito devolve o sorriso à Meiko.

— Está vendo? — ele pergunta. — Agora nos deixe em paz!

Kaito sai puxando Miku para outro lado, onde poderiam conversar em paz. Meiko continuou estatelada no mesmo lugar, surpresa. Por tanto tempo esteve se atirando no capitão, esperando que ele pudesse ceder a qualquer momento. Mas o que acabou acontecendo é que ele preferiu uma garota “com menos seios”, “baixinha” e com “cara de criancinha” (como a Sakine pensava).

A Líder cerra os punhos:

— Mas isso não vai ficar assim! Não vai mesmo!


Notas Finais


Inté o próximo capítulo! >///< <3

KISSUZÃO!!!

(Agradeço a todos os comentários e bem-vindos, novos leitores! :3)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...