História Troca de Olhares. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gabriel "MrPoladoful", Igor Cavalari (Igão Underground), Matheus MoriMura Jordão, Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange
Personagens Gabriel Tenório Dantas, Igor Cavalari, Matheus MoriMura Jordão, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Exibições 12
Palavras 2.923
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Sósias.



POV Autora.

Assim que Samy recebeu alta, foram para casa. A médica, antes deles irem embora, os avisou: "Olhem, essa Amnésia pode ser curta. Caso ela recupere a memória, a levem de imediato para a prisão!"

Todos concordaram, mas claro que não iam fazer isso, né? Afinal, ela era amiga deles. Mas... ela matou vidas inocentes! Torturou pessoas, fez um atentado. Como a própria médica disse: "Você é o demônio em pessoa!"

Samy nem ligava, sempre adorou ser chamada assim... Sempre?

.......................................................


Eles foram a uma pizzaria. Todos estavam calmos, por incrível que pareça. 

Um grupo de 9 pessoas entram. Quem liderava o grupo? Nada mais, nada menos do que Fabiana!

O grupo tinham os mesmos traços que o "original":

Uma era baixa, branca como a neve, loira, olhos verdes, e usava um óculos.

A outra tinha cabelo azul, usava óculos também, era alta, branca, olho azul.

A outra também de cabelo azul, piercings na boca, branca, olho azul.

Fabi provavelmente tinha feito bronzeamento, tinha um boné e usava roupas justas.

O grupo se sentou na mesa de trás.


POV Ana

Como assim? Fala sério, ela copiou a gente? Hahaha tá bom, mas não chega nem perto do original, somos melhores...

Estava falando sobre com Guilherme e ele concordava quando eu ouvi Fabi falar:

-Fabi:E aí Ana?

Eu me virei correndo, pensando que era eu, mas ela se dirigiu a minha "sósia" eu levantei e gritei:

-Ana: Você é invejosa assim mesmo ou faz Cosplay???

Nala levanta também:

-Nala: O que foi Ana?

-Ana: Tá vendo os amiguinhos dessa doente?

Ela olha e diz:

-Nala: O que tem?

-Guilherme: Elas são idênticas a vocês! Não de rosto, mas fala sério, até o cabelo!

Nala olha e vai até Fabi, pegando sua camiseta e chegando perto:

-EU AVISEI!!!

Ela estava com o punho levantado pra bater nela, e todos a olhavam quando um segurança chegou e a deteu:

-Com licença, mas vou ter que expulsa - los daqui, as duas mesas! Vocês estão incomodado os clientes!

Nala solta ela empurrando com força. Nos levantamos e saimos.

Assim que pusemos o pé pra fora, na praça, Nala voou pra cima da "outra" Ana gritando:

-Nala: VOU TE ARREBENTAR! PRA APRENDER A PARAR DE COPIAR MINHA AMIGA!!

Igor segura Nala, e a acalma, e então Talita diz apontando pra garota que parecia com Samy:

-Talita:E você também se chama Samy?? Tem uma Talita aqui???

-Fabi: Eu não copiei vocês! Eu fiz melhor...

Nala se solta, e parte pra cima de Fabi. Haviam mais jovens na praça que foram se agrupando, Nala socava a cara dela, gritando:

-VAI COPIAR OUTRA!!!!!!

Enquanto todos gritavam "briga! briga! briga"

A outra Ana pulou em cima de Nala ajudando Fabi, eu gritei:

-ISSO AQUI É X1 SUA IDIOTA!!!

E puxei o cabelo dela a soltando de Nala, ela gritou e puxou o meu, só que eu não gritei, eu nem senti dor, Guilherme veio separar, ele me segurou, mas não havia ninguém segurando Talita, já que Mori era uma vareta de bambu, ela puxou Nala, e eu vi, pela 2° vez, Fabi toda ensanguentada no chão, e Nala com as mãos ensanguentadas, Guilherme viu que eu estava mais calma e me soltou, Fabi se arrastava no chão se afastando, sendo levantada pela sósia da Samy, a garota diz:

-Não tem uma Samy! Mas tem uma Sam (lê-se Sam)!!

Samy, que até agora permanecia calma olhou baixo pra Sam, e andou com passos firmes até ela, dizendo baixo:

-Eu nunca uso as mãos, até porque se não fica cheiro de bosta, mas...

Ela deu um soco na garota, que a fez cair desmaiada, Talita e eu corremos e seguramos Samy, mas ela estava descontrolada e se soltou, ela ia puxar algo do bolso, mas seu canivete havia sido apreendido, ela diz:

-Droga!... Escuta aqui, você esqueceu do Y sua vadia, assim como seus pais esqueceram de fazer seu cérebro! TODAS VOCÊS, SUAS COPIAS RETARDADAS, SABEM COM QUEM COMEÇARAM BRIGA? EU POSSO MUITO BEM ME SOLTAR AGORA E MATAR TODAS VOCÊS, MAS TEREI ESSA COMPAIXÃO, SE DESPEÇAM DE SEUS PARENTES O QUANTO ANTES, PORQUE EU VOU ENCONTRAR VOCÊS E MATA-LOS BEM LENTAMENTE, PROCURO VOCÊS ATÉ NO INFERNO MAS ACHO!

Ela virou as costas e saiu, indo em direção ao carro, eu ia atrás dela, mas Nala me segurou:

-Você sabe o temperamento dela, é melhor deixar!

Eu assenti, Alice estava travada, olhando aquela cena, ela nunca viu nenhuma de nós brigarmos daquele jeito, nem Samy gritando tão furiosa. Rafael a abraçou, e ela fechou os olhos.

Eu estava odiando aquela garota, Nala chegou perto da menina caida e a olhou, dizendo pra Fabi:

-Eu ia te matar não é? Mas acho que prefiro ver você viver com o peso de ter deixado essa aí morrer.

Ela olha levantando:

-Fabi: Ela não está morta

-Nala: Ainda... O soco da Samy causa danos, eu se fosse vocês chamava uma ambulância... Se ela não morrer vai ficar com sequelas...

Nala vira as costas e vai em direção a Igor, dizendo:

-Vamos embora daqui...

Fomos mesmo embora, e quando chegamos no carro, Samy estava com uma pedra na mão batendo em um cara morto no chão, com uma lata de spray na mão, no carro estava pixado "Nós morremos, lembranças não"

Quando vimos Samy naquele estado, levantamos ela e tiramos a pedra de sua mão, ela riu, e disse:

-Que saudade, eu tenho certeza que já fiz isso antes...

Nós olhamos e colocamos ela no carro jogando o corpo num beco.

Estava um silêncio, até que Gabriel o quebra:

-Gabriel: E agora Igor? O que fazemos com seu carro?

Samy fala baixo:

-Samy: A tinta sai com água... Já pixei a escola...

-Talita: Você lembra??

-Samy: Do que?

-Talita: De pixar a escola comigo e com o Helton...

-Samy: O que? Não! 


POV Samy


A voz me disse que já pixei a escola! E eu apenas falei de volta, era verdade! Então ela sempre esteve ali! Eu não lembrava de nada, mas eu sabia que era bom matar, acho que já matei muito antes, mas não me lembro, então eu pergunto:

-Samy: Eu já matei antes? Digo, antes de eu perder a memória. 

Eles não respondem e ficam se olhando, mas Nala responde:

-Nala: Sim...

-Samy: Quantos? 

-Ana: Ninguém sabe... 

-Samy: Muitos ou poucos?

-Talita: Muitos Samy...

-Samy: Eu já tentei machucar vocês? 

Eu digo olhando pra Alice, tinha certeza de que eu não gostava dela...

-Ana: Nunca... Não que eu saiba...

Eu começo a olhar pela janela e vejo uma ambulância, com certeza da menina que eu bati, acho que eu a matei... Que bom! 


~No outro dia...


POV Nala


Acordei animada, fui comer algo ao chegar, vi todos comendo torradas. Me juntei a eles.

Mura se engasga e Talita bate em suas costas, o fazendo cuspir o resto de comida. Todos ameaçaram vomitar, menos Samy, que disse:

-Parem de ser manicas!

Ela sai.

Sento no colo de Igor (Sem malícia) e como uma maçã. 


POV Autora. 

Um som começa de um dos quartos de hóspedes, onde Samy estava. Os presentes subiram e, sem fazer nenhum ruído, abriram a porta e viram uma cena muito, mas muito, comovente: Samy sorrindo, dançando/pulando. Ao começar uma música sombria, ela para de pular, mas seu sorriso não some. 

Os que a observavam sairam dali, indo para fora de casa.

-Vamos limpar o carro!

Ana sugere. Eles pegam os produtos e começam.

Talita sente água gelada bater em suas costas, ao se virar, viu Samy sorridente com um balde na mão.

Todos pegam baldes cheios de água e jogam uns nos outros. Era risada pra cá, risada pra lá. Tudo perfeito. Até um balde muito gélido atingir Samy, que começou a rir igual louca, sua risada podia ser ouvida a uma quadra de distância. Todos se juntaram a ela. Os que passavam na rua, os chamavam de idiotas. 

Eles, ao acabar a brincadeira, voltam para dentro. Tomam banho e se sentam na sala, com um enorme balde de pipoca. Dia perfeito, talvez? Não. A calmaria passou quando um carro, com um barulho enorme, passou e quase todos ignoraram, menos Samy. Que explodiu em raiva. Bipolaridade.

Ao anoitecer, o mesmo carro passou. Quase todos ignoraram de novo.

No outro dia, tudo estava bem, todos conversavam. 

-Gente, vamos pra algum lugar? Tô com tédio.

Alice reclama. Samy a olha e responde:

-Foda-se.

Ela levanta e sai. Minutos depois um barulho não muito grande é ouvido, quando foram ver, viram o celular de Samy no chão, quebrado em mil pedaços. 


POV Samy.


Fui para o meu quarto, peguei meu celular. Tinha uma mensagem. 

"Não quer me ver? Voltar aos velhos tempos?"

Merda. Jogo o celular no chão com toda a minha força, o quebrando e pedaços. As pessoas entram no quarto me perguntando o que aconteceu.

-NÃO ACONTECEU NADA! SAIAM DAQUI AGORA!

Eu parei e respirei, todos estavam indo em bora quando eu falo:

-Nala! Pode ficar!

Ela para e fecha a porta, e fala:

-O que foi? O que aconteceu?

-Nada... Mas... Você tem moral de matar aquele grupo??

-Não... Mas eu tenho de matar a Fabi, ela já roubou meu namorado.

-Tá mas isso é pessoal, ela me copiou, copiou meus amigos! 

-Eu sei, eu pareço não ligar, mas vocês são as coisas mais importantes pra mim...

-Tenho que matar!!

Eu dou um soco na escrivaninha deixando cair um copo de água, que quebra, e continuo:

-Vamos agora!

-Não, Samy!

-VAMOS!

Ela concorda, eu pego o meu canivete novo, a polícia havia apreendido o outro, ela pega uma faca, ela parecia assustada estava tremendo muito. Elas nos levou até a casa de Fabi, e com um grito ela saiu da casa, perguntando:

-FabiO que querem? Vão em bora...

-Nala: Olha só ela tá com medo! Mas na hora de fazer merda não tem né?!

-Fabi: Desculpa!

-Nala: VOCÊ JÁ DISSE MIL VEZES!! E TODAS ERAM MENTIRA!

Eu apenas olhava pro meu canivete, girando ele verticalmente nos dedos, me cortando levemente, me distrai quando Nala segurou Fabi em socos e tapas, eu fiz um sinal pra Nala para que ela arrastasse Fabi, fomos pra um beco sem saída, com umas latas de lixo, eu me aproximei, e disse sorrindo:

-Pense bem... um dia, nos vamos morrer... só que o "grupo original" vai viver mais. Mercadorias piratas quebram mais rapido!

Ela nos interrompe:

- Não! Por favor!

Nala continua por mim:

-Silêncio! Pelo menos tenha uma morte em paz... Agora... Go to sleep...

Nala crava a faca em seu peito, fazendo ela agonizar, e finalmente a faz dormir. Ela me olha e sorri tremendo, eu digo:

-Vá! Eu cuido dos outros, mas não vá pra casa, eles podem desconfiar...

-Não! Eu...

Eu a interrompo:

-Vá logo! Já me levaram pra matar... E olha no que eu me tornei!

Ela me da a faca e me ajuda a colocar o corpo numa lata de lixo, ela sorri e vai em bora falando:

-Te vejo no ponto de ônibus


POV Nala


Eu não gostava de matar, mas aliviava, estava com medo, matei, e fui cúmplice de assassinatos, eu ia ser presa logo logo.

Fiquei no ponto de ônibus. Não podia voltar pra casa. 


POV Ana


Estava fazendo vários nada, quando Guilherme me chama, eu sigo sua voz até o quarto onde estava a câmera que ela grava e minha luminária, ele diz:

-Vem falar oi pro pessoal!

-Tá gravando? 

-Tá! 

-Meu Deus, não... Eu tô desarrumada!

-Vem aqui!

-Que vídeo é? 

-Eu tô respondendo pergunta! E perguntaram se eu namoro! 

Eu estendo a mão no alcance da câmera acenando e falo:

-Oi gente, eu sou a namorada dele! Tchau! 

Ele puxa minha mão e eu caio em cima dele, a gente se encara e começa a rir, ele me abraça e me apresenta:

-Gente, essa é a Ana, a gente tá junto a... quanto tempo?

Ele me olha, e eu respondo:

-Um mês e algumas semanas, sei lá! 

Eu já estava saindo de seus braços pra fugir do vídeo mas ele me chama:

-Fica aqui comigo!

-Não... Olha meu estado!

-Tá linda!

Ele me puxa, eu ainda estava de roupa de dormir, não era pijama, mas era uma camiseta cinza claro cumprida, tipo as que a Samy usa, um short de moletom justo, e meu cabelo estava preso num coque bagunçado.

Acabamos de gravar, e eu disse:

-Nossa Guilherme! Olha meu estado! Tô horrível! 

-Você é linda de qualquer forma! 

Eu pego meu celular, e sinto ele ficar me olhando, eu ligo a câmera frontal, e chamo ele pra tirar uma foto, ele me diz:

-Você não tava feia?

-Ficar no meu celular é uma coisa, no YouTube pra 200.000 pessoas é outra!

Ele concorda e me abraça, me fazendo jogar o celular na cama, ele me beija, e eu retribuo, pondo a mão em sua nuca, Talita chega de surpresa:

-Nossa! Foi mal! 

Eu solto ele e falo:

-Tá de boa! Que foi?

-Pega as bolacha (biscoito é o caralho) lá em cima? 

-Só pra isso que eu sirvo nessa casa!

-Por isso que todo mundo gosta de você! 

Eu vou pegar a bolacha e deixo Guilherme no quarto. Eu chego na cozinha, e pego a porra da bolacha! e jogo em cima da mesa:

-DEIXA EM BAIXO! 

-Nossa! -Mori diz 

-Da próxima vez eu pego e como tudo!

Volto pro quarto e vejo Guilherme no notbook, sento em seu lado abraçando ele e falo:

-Posso editar?

Ele me olha sorrindo:

-Você sabe?

-Você dúvida? 

Ele me entrega o notbook, e eu começo, nem eu sabia que podia editar assim, nunca fiz aquilo, mas estava me saindo muito bem, Guilherme as vezes pegava de volta pra salvar alguma coisa pra colocar, mas fora isso, eu editei sozinha, quando terminei olhei pra traz, ele estava deitado mexendo no celular, eu coloquei o notbook do lado e deitei em cima dele (Sem malícia), ele pergunta:

-Já terminou? 

-Sim!

Ele me abraça e me beija, brincando com meu cabelo.


POV Talita


Eu estava comendo a bolacha, quando sinto Mori me abraçar por traz (Sem malícia) beijando meu pescoço, eu me viro, dando um beijo nele, ele ficava tirando o cabelo do olho, e eu disse:

-Porque você não corta?

-Ah não...

POV Autora.

Nala decide ir pra casa, afinal, o que ela fez não se compara nem um pouco com o que Samy fez.

Ao chegar, é recebida aos beijos por Igor. 


~Enquanto isso, no outro lado da cidade~


Samy bolava um plano para matar mais pessoas e aumentar sua ficha criminal. Ela vai até uma janela aberta, era a da garota que se passava por Ana.

Ela entra e põe a mão na boca da garota, a impedindo de gritar. Como estava sem um pingo de paciência, pegou a faca e cravou em sua garganta, a soltando morta no chão. "Fácil..." Ela pensa. Vai até a sala e vê que todos estavam lá. "DROGA!" Mas, ao olhar para outros lados, vê uma pistola, a pega e desce as escadas, atirando na cabeça de todos. Apenas a sósia de Alice permaneceu viva. Samy vai até lá, põe a mão em sua boca e sussurra no ouvido da "usurpadora" (Em breve, no SBT):

-Onde tá a garota que eu dei um soco?

-Mor...Morta...

Ela diz chorando. 

-Obrigada.

Samy agradece e dá um tiro na cabeça da garota. "Sem dó, nem piedade." Era seu lema.

Ela volta pra casa, já era tarde da noite. (E sim, ela pegou a pistola pra ela.)

Ao chegar, é entupida de perguntas. Como estava sem paciência, foi logo gritando:

-CALEM A BOCA, CARALHO!

Todos a olham assustada. Ela os ignora e sobe. Todos vão dormir. 


~Duas da manhã.~

Samy estava lá, na cozinha, sentada no chão, com as pernas abertas e um pote de cukkie enorme entre as pernas. Ela usava uma blusa enorme, com um short pequeno (Bipolaridade até no estilo, não?), um coque bagunçado e estava com seus óculos tortos, que deixava um pouco de seus grandes olhos verdes pra fora. Ela, pela primeira vez que todos vão ver, está desarmada, calma, brincando com os dedos enquanto come.

Rafael, que estava com muito sono, vai até a cozinha beber leite. Ao acender a luz, ele vê uma das cenas mais fofas de sua vida: Samy brincando com uma pequena borboleta azul que tinha entrado, pela janela aberta. Assim que o percebeu, ela se assustou e fez a borboleta voar, se levantou. Ela não era nem metade de Rafael, o que a deixava mais fofa ainda.

-Boa noite... Samara Morgan. 

-Boa noite, Tartaruga Rafael.

Ela ri. Rafael fica como? Surpreso. 

-Quero esse cukkie aí. 

-Vem pegar.

Ele se senta ao lado de Samy e pega um cukkie. Quando Samy põe um na boca, Rafael pega a outra metade de Samy e a beija, ela não recua, e também o beija, até que ela para e pergunta:

-Já fizemos isso?

-Não...

Ela se afasta um pouco e continua comendo, enquanto Rafael a olha, ele estava com uma camisa branca e com uma calça de moletom cinza, seu cabelo estava bagunçado, e isso deixava ele mais bonito que já era, ela o olha sorrindo, mas não era aquele sorriso psicodoido que ela dava quando queria matar, mas era um sorriso inocente de criança, um sorriso de felicidade. Ela pergunta:

-Você tem medo de mim?

Ele exita em responder, mas ela o olhava nos olhos, e ele responde:

-Não... Mas eu tinha...

-Eu tinha a impressão de que queria te partir em pedaços...

Fica um silêncio, ele levanta pega o copo de leite e vai pra cama, Samy fica lá por mais um tempo.


POV Nala


Não estava conseguindo dormir, estava tendo pesadelos, eu me mexia muito na cama, até que Igor fala:

-Tá tudo bem?

-Tá... Os sonhos não me deixam dormir...

Ele vira e me abraça, me acalmando, e dessa vez eu consigo dormir.


~No outro dia...


Eram 6:40 da manhã, quando escuto um grito grave, vindo do quarto de Ana, nessa hora eu pensei que fosse Ana, mas eu levantei levantei e corri até la, Ana estava pegando uma aranha tarântula, que estava na janela, e Guilherme estava desesperado, do outro lado da sala, eu fico séria, mas assim que Guilherme me olha eu começo a rir dele:

-Você não tem vergonha na cara? Olha o seu tamanho!

Eu estava rindo muito e ele estava vermelho, Ana se livrou da aranha, e Guilherme estava soando frio, Ana se aproxima e o abraça:

-Ana:Calma cara! É só uma aranha!

-Guilhetme: Só uma aranha? Você viu o tamanho dela?

-Nala: É só uma aranha! O máximo que ela vai fazer é entrar no seu ouvido e por ovos em seu cérebro! 

Ele fica meio aterrorizado, eu e Ana começamos a rir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...