História Troca de personalidade - Eldarya e Amor Doce. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Eldarya, Mitologia Grega
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Ezarel, Iris, Jamon, Kentin, Keroshane, Leiftan, Li, Lysandre, Melody, Mery, Miiko, Nathaniel, Nevra, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Valkyon, Violette
Tags Amigos, Amor, Amor Doce, Aventura, Eldarya, Games, Romance
Visualizações 74
Palavras 1.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ahsahhas
esse capítulo promete, pelo menos no começo <3
boa leitura :3

Capítulo 4 - Sou o Jô Soares. ( Na verdade sou uma faxineira, mas okay. )


POV Armely

Saí da biblioteca e dou de cara com um Ezarel - mais conhecido como meu chefe super irritante e o elfo mais chato de Eldarya - mal humorado, de braços cruzados e com um livro nas mãos:

- Quem você pensa que é? - perguntou, arqueando as sobrancelhas, porém seu lábio inferior tremia de raiva.

- Jô. - respondo, uma ideia perfeita e idiota se formou em minha mente de criança.

- Quem? - o elfo me encarou, confuso e como se eu fosse uma problemática. Todos para ele devem ser problemáticos. Será que ele deve usar algum produto para o cabelo também? É tão perfeito. Obviamente ele não vai me deixar tocá-lo, então deixa para a próxima.

- Jô Soares, sua piranha! - digo, balançando meus braços na sua frente, e andando na direção da saída, porém ele me puxa pelo braço.

- Você acha que isso aqui é uma brincadeira? Tenho tarefas para te dar, e como eu já te avisei antes, quando você me chamou de sem.... você sabe, eu não irei pegar leve, então... boa sorte, escrava. - disse, me puxando para uma porta a qual nunca tinha visto. Talvez eu apenas não tenha percebido, sou meio distraída, sabe?

- Pode fazer o favor de soltar meu pulso? Afrouxe um pouco, pelo menos. - imploro, fazendo cara de cachorro pidão.

Ele me olha pelo canto dos olhos e aperta um pouco mais meu pulso.

O olho indignada e bufo, brava e nervosa, vejo um sorriso travesso escapar de seus lábios, porém ele continua sério.

Isso não vai ser nem um pouco fácil.

- Para onde estamos indo? - pergunto, vendo que não dará em nada se eu implorar mais e mais para ele soltar meu pulso, vai apenas piorar a minha situação, que não é a das melhores.

- Você não consegue ficar quieta? Não está vendo que não irei responder suas perguntas? - disse, me olhando com desdém e soltando meu braço. Ele empurrou a porta e vejo um enorme laboratório, sua coloração é azul e há várias poções, livros e essas coisas de alquimia:

- Uau! ESSE LUGAR É INCRÍVEL! - digo, curtindo a liberdade que o elfo me deu ao soltar meu pulso. Corro na direção dos livros que havia ali, era como se fosse... uma mini biblioteca. Eu sempre gostei de química, era zoada na escola - por Ambre e suas amigas - por isso, porém eu apenas ignorava.

Ezarel me olhou um pouco surpreso pelo meu repentino interesse em seus livros, poções e blá blá blá, logo percebe no que estava pensando e balança a cabeça.

Ele vem em minha direção, claramente bravo, seus pulsos estão cerrados e seus olhos transbordando de raiva. Me encolho perto da estante aonde eu estava. Má ideia, o elfo já é maior do que eu, agora eu pareço uma formiguinha comparada a ele:

- É SÉRIO? Eu tenho que te perguntar quem é o seu chefe? Não está claro o suficiente, que eu sou o obrigado a te suportar a sua trajetória que terá nesse mundo? EU TENHO QUE TE MOSTRAR QUE SOU SEU RESPONSÁVEL E QUE DEVE ME OBEDECER? - disse, ficando em minha frente, com os braços cruzados e a expressão muito, mas muito brava. Sua face estava até vermelha.

- ...

- Não vai comentar nada, não é? Humana inútil e incompetente. Não serve nem para colocar algo na cabeça, sua tarefa é arrumar todo esse laboratório, até 5:00, sem nem um minuto de atraso. A vassoura a as coisas que você necessita estão logo ali. - terminou sua fala, apontando o lugar aonde estavam as coisas e saindo do laboratório.

Ótimo. Estou sendo ameaçada de morte pelo meu chefe logo em meu primeiro dia. Interessante.

Solto a minha respiração, - que eu nem sabia que estava segurando, acho que agi por pânico mesmo - meus pulmões já estavam implorando por oxigênio novo, eu tenho que fazer o que eles mandam, ou eu morro, é justo, não é?

Pego o amarrador que sempre colocava em meu pulso, eu sabia que em alguma hora ele seria útil na minha vida, faço um rabo de cavalo bem mal feito e pego os utensílios para começar a arrumar o laboratório, que estava bem sujo por sinal. Tenho apenas 30 minutos, agora acho que aprendi a lição, porém nada vai me impedir de cometer o mesmo erro várias vezes, aliás, essa sou eu. 

Enfim, peguei a vassoura e varri por tudo, demorou uns 10 minutos, deixei a sujeira que tinha no local ao lado da porta, logo peguei o rodo com um pano e o mergulhei no balde com água que Ezarel deixou para mim, pelo menos algo ele fez. Passei por todo o laboratório, agora tenho apenas 5 minutos para deixar tudo no lugar, coloquei todos os livros em seus devidos lugares, ajeitei os copos de precipitações, os ingredientes para fazer as poções, etc., de repente ouço uma batida na porta, a pessoa é tão educada que entra sem autorização:

- Ezare... - comentou Ykhar, a garota coelha. Ela me olhou com a testa franzida, claramente eu estava parecendo uma faxineira.- O que está fazendo aqui?

- Oras, limpando, o que mais? Meu primeiro dia aqui nesse mundo e meu querido chefe já me deu uma tarefa, que eu tive que fazer em apenas 30 minutos, divertido, não é? 

Ykhar resmunga alguma coisa e sai do laboratório, deixando a porta aberta.

Ainda tenho alguns segundos antes do meu horário terminar. Pego a pazinha que o elfo me deixou e varro a sujeira que tinha deixado na porta. Coloco o resto no lixo e deixo o saco em cima do lugar aonde Ezarel me mandou colocar:

- Prontinho! - digo, dando uma volta no lugar, que estava com cheiro de lavanda graças ao pano que eu passei. 

- Até que você não é tão inútil assim, conseguiu arrumar tudo isso em 30 minutos. - disse um elfo, não tão mal humorado, ao meu lado.

- Vou aceitar isso como um elogio, obrigada, agora, se me dê licença, eu necessito ir falar com a Miiko, eu preciso dormir em algum lugar, não? - digo, dando um beijo em sua bochecha, em agradecimento. Rio ao ver sua face esquentar e ele pigarrear algo antes de sair do laboratório, com os punhos cerrados e as bochechas super vermelhas.

Até que não foi tão ruim assim.


Notas Finais


KE FOFU
Armely pode ser fofa quando quer, viram?
ahsahshas
comentem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...