História Trouble - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Fifth Harmony, Joe Jonas, Wilmer Valderrama
Personagens Demi Lovato, Joe Jonas, Lauren Jauregui, Personagens Originais, Wilmer Valderrama
Tags Demi Lovato, Dilmer, Drama, Romance, Wilmer Valderrama
Exibições 84
Palavras 1.803
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 40 - Epílogo


Um ano depois.

A vida podia mudar com mais facilidade do que eles imaginavam. Eles conseguiram começar de novo e conseguiram encontrar a felicidade naquilo. Eles se mudaram para Ontário, no Canadá e alugaram um apartamento no centro da cidade. Demi e Wilmer dividiam um apartamento, enquanto Anthony morava no apartamento ao lado. Daquela forma eles ficavam próximos e mantinham sua privacidade.

Wilmer ainda era advogado, é claro, mas aquela não era mais sua principal profissão. Ele, Demi, Anthony e Lauren abriram uma cafeteria onde encontraram sua principal fonte de renda.

Lauren também estava lá, como ela havia prometido que faria. Ela encerrou o caso em Nova York mostrando para o promotor Lance Fein que ele havia a subestimado. Ela ainda atuava como advogada, mas gostava de ajudar na cafeteria quando era necessário.

Joe continuou em Nova York. Sua profissão deslanchava cada vez mais e ele acabou se tornando um policial importante naquela região. Talvez ele tivesse o sangue mais frio do que imaginavam... Mas, Demi esperava do fundo do seu coração que ele não se perdesse como seu pai, que aliás, estava preso cumprindo pena por todos os seus crimes.

Eric e os outros capangas também estavam cumprindo pena. Lauren e Joe conseguiram provas o suficiente para mostrar que aqueles homens também estavam envolvidos.

Christopher se mudou para Los Angeles, Norma, Brutus e é claro, CJ, também foram. Ele e Brutus abriram uma companhia de segurança, onde Brutus era um dos seguranças a se oferecer. Eles estavam bem, Norma mantinha contato com Anthony e Christopher nunca mais se meteu com coisas erradas.

O Lovato Lake finalmente pode ser vendido. Um empresário rico queria montar um clube de férias no local e tudo o que havia lá, havia sido destruído e desaparecido junto do passado cruel.

Realmente era um recomeço para todos.

Em uma tarde chuvosa – quando a cafeteria ficava ainda mais movimentada – Wilmer estava com aquilo na cabeça. Ele precisava conversar com Demi sobre algo que estava pendente há anos.

Ele se aproximou de Anthony que estava no escritório, cuidando da gerência da cafeteria. O homem o olhou, percebendo que algo precisava ser dito.

— Algum problema, Wilmer? — Ele indagou.

Wilmer não respondeu de imeditado e fechou a porta atrás de si, deixando o som do movimento da cafeteria do lado de fora.

— Eu quero te fazer uma pergunta. — Wilmer disse sem sair do lugar.

Anthony assentiu.

— Algum problema na cafeteria? — Ele indagou curioso. — É algum funcionário que está causando problemas?

Wilmer moveu a cabeça negativamente e hesitou.

— Não tem nada a ver com isso. — Ele respondeu. — É sobre Demi e eu.

Anthony franziu o cenho curioso.

— Sim? — Ele indagou.

Wilmer umedeceu os lábios e tentou manter os olhos no sogro. Ele queria tanto falar sobre aquilo, mas ao mesmo tempo, parecia difícil.

— Você sabe quem matou Nicholas Jonas? — Wilmer indagou.

Anthony o olhou ainda mais curioso.

— Do que você está falando?

— Sobre o assassinato do Nick. — Wilmer respondeu. — Você sabe quem realmente o matou?

Foi a vez de Anthony hesitar. Ele engoliu em seco e se ajeitou em sua cadeira.

— Você não sabe? — Anthony retrucou.

— Eu quero saber. — Wilmer respondeu.

— Demi. — Ele respondeu. — Demi fez aquilo. Ela mesma me disse.

Wilmer abriu a boca, mas não conseguiu dizer nada. Ele sentiu seu corpo congelar.

— Ela nunca te contou? — Anthony indagou. — As coisas que aconteceram depois, a forma como eu topei seguir o plano de Joe... Foi  tudo porque eu queria protege-la. Mas, por quê está me perguntando isso agora?

Wilmer suspirou longamente.

— É essa a questão. — Ele disse. — Não foi ela quem fez aquilo... Eu fiz.

— Agora eu estou confuso. — Anthony disse enquanto tentava analisar a situação.

Wilmer se aproximou da mesa e coçou a cabeça.

— Eu nunca consegui contá-la. — Wilmer disse. — Eu fiz aquilo para protege-la também e me sinto culpado por nunca ter dito nada. Todas as confusões que nos metemos depois, tudo o que aconteceu...

— Não diga mais nada. — Anthony o interrompeu. — Nunca é tarde para dizer a verdade, rapaz. Eu acho que você deveria conversar com ela. Por mais que seja doloroso desenterrar o passado, principalmente o nosso passado,  a melhor coisa que você faz é lhe contar a verdade.

Wilmer assentiu. Ele realmente concordava com Anthony, aquilo não poderia ficar mais escondido. Depois de tudo o que eles passaram, Demi merecia saber da verdade plena.

Demi ainda não estava trabalhando na cafeteria todos os dias, pois ficava em casa cuidando da pequena Marissa e cuidava das finanças de modo online.

No fim do dia, quando eles se deitaram para dormir, Wilmer a olhou ao seu lado. Na pouca luz do quarto, ele a observou e por algum motivo, se lembrou da noite no lago. Se lembrou da forma como ela ria e se movimentava na água, o provocando de forma apaixonante. Se lembrou de como ansiou para lhe contar a verdade e decidiu que lhe falaria naquela noite... O que nunca aconteceu.

Como se percebesse que ele a olhava, ela rolou na cama e se virou para ele.

— Precisamos conversar. — Ele murmurou.

— Não há necessidade. — Ela respondeu, como se estivesse lendo seus pensamentos.

— Esse negócio de guardar segredos não funciona conosco. Foi o que causou aquela confusão toda. Se eu nunca tivesse escondido nada de você... —  Wilmer disse e em seguida se interrompeu.

Demi assentiu, como se ela soubesse e sempre soubera.

— Seu pai,  — Wilmer continuou — ele sempre achou que foi você quem matou Nicholas Jonas.

— Foi o que eu disse a ele. — Ela respondeu no mesmo tom que ele.

— Por que? — Ele indagou.

— Porque eu queria te proteger. — Ela respondeu.

Eles ficaram em silêncio por alguns segundos.

— Mas você acreditou que seu pai foi assassinado. — Ele disse. — Você sofreu todo esse tempo por minha culpa.

Ela não respondeu. Seus olhos se encontraram. Mesmo com pouca claridade, Wilmer conseguia ver os olhos de Demi.

— E não me arrependo. — Ela acrescentou.

— Você sabia. — Ele murmurou. — Desde o início, você sempre soube...

Ela o calou colocando seus dedos nos lábios dele.

— Shh... — Ela fez. — Está tudo bem.

— Você se afastou de mim, pediu divórcio... — Ele continuou. — Tudo isso para não deixar evidências de que eu era o culpado?

— Eu quis proteger você. — Ela respondeu. — Assim como você me protegeu.

Ela colocou os braços envolta do pescoço dele e o puxou para perto de si, como se fosse para acalmá-lo.

Wilmer não gostava de se lembrar daquela noite, mas naquele momento, tudo se encaixava. Ele descobriu o que Nick havia feito com Demi e não queria deixar aquilo se prolongar. Ele arranjou uma arma sem registro comprada no subúrbio e esperou o momento certo para fazer aquilo.

Naquela época, o seu sangue estava fervendo de raiva. Ele tinha raiva de Nick por ter feito aquilo com Demi e tinha raiva de Demi por ser capaz de esconder aquilo do próprio marido. Mas ele não poderia deixar barato, não poderia deixar Nick continuar. Se ele não o fizesse, Nick seria capaz de matar Demi, não é mesmo?

Wilmer mentiu, dizendo que estaria em Chicago à trabalho mais uma vez. Mas vasculhou nas coisas de Demi e descobriu a agenda de Nick. Com aquilo, ele pôde escolher a noite perfeita para o crime.

Apesar de sua mentira ser muito bem armada, ele não tinha orgulho daquilo. Ele não gostava de se lembrar do toque frio da arma em sua mão e do seu peso na hora do disparo.

Nick caminhava distraidamente pelo estacionamento quando Wilmer o atacou. Para se parecer ainda mais com um assalto, Wilmer escondeu seu rosto e pediu para que  Nick passasse todos os seus pertences. Nick o fez. Mesmo sendo quem era, ele não reagiu ao suposto assalto e Wilmer quase desistiu da ideia. Mas raiva e o medo eram maior e então, ele fez o disparo.

Ele escondeu a arma em um monte de lixo e fugiu. Ele precisava contar aquilo para alguém, mas não poderia ser para Demi. Ela poderia acabar querendo se sacrificar por ele e confessar um crime que não fosse dela.

Foi então que Wilmer se lembrou de Joe. Apesar de ser da polícia e ter uma confiança duvidosa, Wilmer o procurou e contou a verdade. Joe o ajudou e fez o crime parecer como um assalto... Mas aquilo não foi o suficiente para Paul Jonas. Paul ainda acreditava que o assassino era Anthony ou alguém de sua família e queria vingança. Foi aí que Joe aumentou o plano, Anthony “morreu” e tudo virou uma tremenda confusão.

— Pensei que você me odiaria quando soubesse da verdade. — Ele murmurou enquanto a abraçava de volta.

— Eu sempre soube e nunca te odiei. — Ela respondeu.

— Mas se eu tivesse te contado desde o começo, tudo seria diferente. Se eu tivesse...

— Shh... — Ela o interrompeu mais uma vez. — Tudo o que tinha acontecer aconteceu. Agora estamos bem, meu pai está bem e estamos aqui, juntos. Nós temos uma vida nova e uma filha linda. Nada vai mudar isso.

Ele sorriu, se sentindo mais leve por ter, finalmente, contado a verdade.

— Eu fiquei com medo de te perder. — Ele confessou.

— Você não me perderá. — Ela sussurrou perto do seu ouvido. — Nunca, meu amor.

— Eu amo você, hermosa. — Ele disse.

— Eu amo você. — Ela respondeu.

Demi também teve medo de perder Wilmer por várias vezes. Ela tinha medo de que um dia ele simplesmente confessasse o seu crime. Ou que a família de Nick descobrisse a verdade e acabasse com ele.

Não que ela fosse dependente do seu amor e de sua presença, mas ele a completava. Depois de tantos anos e tantas tentativas, ela não poderia contestar. E mesmo depois de tanto tempo, era difícil acreditar que eles estavam juntos. Eles estavam ali, na mesma cama, dividindo a mesma vida e tinham um filha juntos.

Seu pai estava no apartamento ao lado. Ele era avô e compartilhava uma vida com eles. Ela também não o tinha perdido como temeu muitas vezes e ele ainda tinha muito o que viver junto dela. Toda aquela jornada, todo aquele sofrimento para encontrá-lo, tinha valido à pena.

Ela tinha uma família, ela estava feliz depois de tantos medos e tantas tristezas. Tudo parecia completo. E ela tinha certeza de que aquilo era tudo o que ela precisava.

 

. . .

 

Você mentiria para mim? Cruzaria seu coração arrependido e esperaria morrer por mim? Você me prenderia a uma parede? Você imploraria ou rastejaria? Você enfiaria uma agulha em seus olhos famintos por mim?

Vamos causar um pouco de problema. Você me deixa tão fraca... Aposto que você beijou suas juntas antes de elas tocarem em meu rosto.

E eu tenho a minha opinião formada agora porque há uma ameaça em minha cama. Você consegue ver a sua silhueta? E eu tenho a minha opinião formada agora. Vá em frente e acenda um cigarro, incendeie a minha mente esta noite.

(...)

Trouble — Halsey.


Notas Finais


Bom, chegamos ao fim de mais uma fanfic. Eu sempre fico triste e feliz com esse momento, mas é uma sensação boa conseguir terminar algo. Eu tive muito trabalho escrevendo Trouble - provavelmente a minha fanfic mais trabalhosa - porque muitas vezes eu não gostei do eu escrevi e várias vezes pensei em desistir da fanfic. Mas, fico feliz por ter terminado e por saber que eu tive algumas pessoas me acompanhando em mais uma fanfic.
Eu quero agradecer à todos que leram, todos que favoritam e todos que fizeram parte dessa fanfic de alguma forma. Apesar de tudo, Trouble é especial para mim e foi muito diferente escrever algo baseado em um livro. Aliás, quem quiser ler o livro o nome é "não conte à ninguém" e é muito interessante, por isso eu quis me basear nessa história.
Enfim, obrigada por tudo e eu espero que vocês tenham gostado dessa fanfic assim como eu gostei de escrever. Não se esqueçam desses personagens, não se esqueçam do amor da Demi e do Wilmer nessa jornada. Não esqueçam de comentar e me dizer o que acharam de tudo, eu vou estar lendo e respondendo tudinho. Leiam e releiam, mostrem a história para os amigos, não se esqueçam dela... Eu nunca me esquecerei de vocês.
Eu fico mais no meu twitter, quem quiser me procurar lá é @liorheart.

Obrigada por tudo e até mais! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...