História Trouble Maker (Imagine Incesto Baekhyun - EXO) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Personagens Originais, Xiumin
Tags Byun Baekhyun, Imagine, Você
Exibições 248
Palavras 1.960
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Pois é, chegou-se ao fim :c
MAS eu pretendo postar outra com um tema parecido, porém não sei quando :s
Espero que gostem e é isso ai ><
Boa leitura <3

Capítulo 3 - Adventure Time (Epílogo)


Fanfic / Fanfiction Trouble Maker (Imagine Incesto Baekhyun - EXO) - Capítulo 3 - Adventure Time (Epílogo)

"Todo dia

O tempo gasto

Ganha experiência do jogo

Implementa a ideia de herói

Assumindo um risco

É um pouco violento

Esperando ganhar um pouco de compreendimento

Todos os sonhos de tornarão verdade

As chamas inflamadas pela magica são um pouco quente"

— Adventure Time (LuHan)

***

— Você me deixa tão fora de mim... — segurou meu pescoço e fez com que tombasse a cabeça para trás. — Você me deixa tão empolgado, (seu nome)... — sussurrou ao pé do meu ouvido, causando arrepios involuntários pelo meu corpo. Eu, com toda certeza do mundo, estava tão empolgada quanto Baekhyun.

O moreno tomou minha boca com urgente e precisão e eu apenas retribuí tentando acompanhá-lo. Baekhyun estava ansioso e afoito e não estava diferente dele. Sua língua batalhava junto a minha a busca de comando total e acabou por conseguir aquilo que tanto ansiava. 

Pressionou-me na parede e quando fui tocá-lo a nuca, segurou ambas minhas mãos e colocou acima de minha cabeça. Cortou o beijo afoito e permaneci de olhos fechados, tentando controlar minha respiração acelerada. 

— Vamos subir? — sugeriu Baekhyun. Abri meus olhos e o fitei sem saber o que falar. — Vou te levar em meus braços, tudo bem? 

— Baek... — ele calou minha boca com uma de suas mãos.

— Não aceito "não" como resposta. — sorriu e me pegou com facilidade no colo. Com impulso segurei fortemente o terno preto de risca cinza de Baekhyun. Ele apenas me lançou outro sorriso me passando segurança. Com isso apenas deixei que ele me guia-se para a parte de cima do apartamento. 

Andamos pelo pequeno do corredor da casa e entramos no quarto de Baekhyun. Ele me fitou brevemente com lindo sorriso dele ainda estampado no rosto. Não lhe neguei um sorriso de volta e entramos no cômodo e ele rapidamente fechou a porta com o pé. 

Comigo ainda em seu colo, colocou-me no chão e sorriu ternamente e depositou um selinho demorado em minha boca. Como eu não estava satisfeita com apenas aquilo, segurei o ombro de Byun, apertando-o levemente. Mordeu meu lábio inferior e o puxou entre os dentes. Não pude controlar um pequeno arfar da minha parte.

Oppa... — disse baixo assim que Baek soltou minha boca. Abri meus olhos aos poucos e fitei Byun me olhando com os olhos brilhando.

— Essa é a primeira vez que você me chama assim. — sorriu.

— Não tive outras oportunidades. — confessei.

— Pode deixar que hoje você terá várias oportunidades de me chamar de Oppa. — sorriu travesso. — Começando por agora. 

Tomou minha boca com um beijo afoito e pediu passagem com a língua e apenas correspondi. Pressionou-me na parede do quarto, gemi baixinho entre o beijo, sentindo a mão de Baekhyun apertar levemente minha cintura, puxando-me mais para ele, querendo que nossos corpos se tornassem logo um só.

Quebrou o beijo e começou a descer o zíper do meu vestido vinho. Assim que terminou de desce-lo, fez com que o mesmo ficasse folgado em meu corpo, fazendo assim cair sobre o chão, deixando-me parcialmente exposta à ele. Corei fortemente com aquilo. Fitei-o sem saber como reagir. 

— Deixe que eu a ajude, sim? — disse gentil. Apenas assenti e ele segurou minha mão me levando em direção a cama de casal que ficava no quarto dele.

Caminhei atrás de Baek e o mesmo sentou-se na cama. Tirou ambos os sapatos sociais com o pé mesmo e os deixou no canto, perto da cama. Me puxou para si com a outra mão, fazendo com que caísse sobre ele e por consequência, deitando-o na cama, comigo em seu colo. 

Começou outro beijo, passeando ambas as mãos em meu corpo. Uma apertava minha cintura e a outra estava pousada nas minha costas. Subiu a mão que estava nas minhas costas e tateou até que achasse o feixo do meu sutiã, desabotoando em seguida. Fez-me livrar-me daquela pequena peça e pôde dedilhar com mais facilidade por minha costa. 

Sentou-se na cama e fez com que eu ficasse em seu colo com ambas as pernas de cada lado de sua cintura. Trilhou beijos por meu pescoço, sempre acompanhados de chupões e pequenas mordidas. Mordi meu lábio inferior quando Baekhyun deu uma mordida mais forte e deu um chupão em seguida, fazendo com que eu soltasse um gemido rente ao seu ouvido. Baek sorriu soprado e fez a mesma coisa pela segunda vez.

— Baek... Você vai me deixar marcada... — falei baixo. 

— Essa é a intenção, (seu nome). — sorriu para mim e pude notar pela milésima vez o quanto seu sorriso era lindo e que o motivo dele era eu e não outra garota.

Gemi baixo assim que sua boca desceu rente ao meu seio esquerdo e o abocanhou, circulando o mamilo com a língua. Apertei-lhe os ombros ainda coberto pelo terno de risca e Baekhyun apenas mudou de seio, fazendo os mesmos movimentos com a boca. 

— Baek Oppa... — gemi e Baekhyun pareceu feliz com aquilo. 

Abandonou meus seios e me virou fazendo com que ficasse deitada na cama de casal. Distribuiu vários selares por minha barriga e parou apenas quando chegou na barra da minha calcinha. Quando Baekhyun iria tirá-la, segurei sua mão e ele me fitou confuso.

— O que houve, (seu nome)? 

— Você está com muita roupa, Oppa. — ele riu de lado com aquilo e não pude negar, ele ficava realmente sexy sorrindo daquela maneira.

— Quer tirá-las para mim? — pude captar a onda de malíca que aquilo soou aos meus ouvidos. Sorri e me levantei, ficando de joelhos na cama e ficando de frente para Baekhyun que ficou em pé em instantes.

Desabotoei o terno e o tirei, fazendo com que encontrasse o chão rapidamente. Desapertei a gravata preta e joguei no chão, perto aos pés de Byun. Passei minha mão na camisa social branca de Baekhyun e não pude deixar de sorri. A desabotoei em seguida, mas não a tirei de seu corpo. Desafivelei o cinto preto da calça social escura de Baek e quando fui desabotoar a calça, ele me impediu, segurando meu pulso. O fitei totalmente confusa.

— Não ouse. — sua voz soara grossa aos meus ouvidos e aquilo apenas me deixou mais animada com a situação em que estava junto à ele.

— Por quê, Oppa? — passei minhas unhas curtas pelo abdômen de Baekhyun e ele apenas segurou um gemido. — Eu quero ouvi-lo, Oppa... — disse manhosa. 

— Vai ouvir, mas por hora... — abaixou-se e pegou a gravata que estava próximo ao seu pé. — Deite-se na cama. — com relutância e medo fiquei onde estava. — Você vai gostar, (seu nome). Vamos, deite-se. 

Fiz o que Baekhyun pediu e o mesmo ficou por cima de mim em instantes. Colocou meus braços acima da minha cabeça  e colocou a gravata envolta deles, prendendo ambos meus pulsos.

— Não fique com medo, okay? — disse tentando me passar segurança.

— Okay... — respondi baixo. Ainda estava temerosa.

— Você vai gostar. — limitei-me apenas em assentir.

O moreno dedilhou minha barriga e chegou a barra da minha peça íntima e a tirou em seguida. Mordeu o lábio inferior ao percebe o quanto estava molhada com tão pouco. Insinuou que me penetraria com um dedo e quando eu menos esperava, Baekhyun me penetrou com um dedo. Me contorci com a investida inesperada de Byun.

— A machuquei? — perguntou um tanto preocupado.

— Está tudo bem. — sorri tentando tranquilizá-lo. Ele retribuiu o sorriso. Começou a massagear meu clitóris com apenas um dígito e aquilo estava a deixar-me totalmente fora de mim, fazendo com que soltasse vários gemidos que estavam reprimidos. — O-Oppa... 

— Não sabe o quanto estou me segurando para não torná-la minha neste exato momento. — sussurrou Baekhyun. 

— O q-que te impede, O-Oppa? — perguntei entre gemidos.

— Só não quero machucá-la, okay? — disse tocando meu rosto rubro com a outra mão, enquanto a outra continuava a me acariciar. Limitei-me apenas a assentir.

Tentei a todo custo fechar minhas pernas, mas Baekhyun apertou uma das minhas coxa enquanto dois de seus dedos começava a me preparar devidamente. Não aguentei quando ele estocou-me fundo com os dedos, acabei por desmanchar-me em seus dedos. Byun apenas sorriu vitorioso.

— A primeira parte está feita. — disse fitando seus dedos, olhando uma parte de meu líquido escorrer por eles. — Vamos ao que interessa? 

Não sabia o que responder ao meu irmão mais velho. Estava tão cansada por conta do meu primeiro ápice ter sido atingido com tão pouco. 

— Deveria fazer você sentir seu gosto? — fiquei muda. Realmente não sabia o que responder. 

— B-Baekhyun...

Em um pedido mudo pediu para que eu ficasse quieta. Apenas o fiz e ele aproximou sua mão de minha boca. Os acariciou de leve e aos poucos abri minha boca e assim ele fez com que eu chupasse seus dedos que continham meu gosto até que estivessem 'limpos'. 

— Sem mais delongas, vamos ao que interessa, sim? 

Apenas o observei se livrar da calça social e em seguida da cueca box escura, que estava com um volume um tanto avantajado. Não tive tempo de admirá-lo daquela forma desnuda a minha frente que logo Baekhyun ficou por cima de mim e segurou minha pernas.

— Caso a incomodar, me avise, tudo bem? 

— Okay. — murmurei baixo. 

Beijou-me a boca pela trigésima vez na noite e antes mesmo que eu conseguisse raciocinar, Baekhyun me penetrou fazendo com que eu arranhasse suas costas que estavam cobertas pela camisa social branca. Seus movimentos eram lentos e ao mesmo tempo precisos. Não senti tanta dor como acharia que sentiria. Estava sendo prazeroso tanto para mim quanto para Byun. Éramos 'denunciados' por nossos gemidos baixos que escapavam. 

O-Oppa... — gemi manhosa ao Baekhyun acertar meu ponto G com uma estocada funda. 

(Seu nome)... — gemeu rente ao meu ouvido. 

A-Ahn Baekhyun... — apertei-lhe as costas quando estocou-me novamente fundo. — E-Eu... A-Ahn! — gemi alto no ouvido de Baek quando ele fez com que chegasse ao ápice pela segunda vez na noite. 

Continuou com as investidas rápidas e fundas em meu interior e mais gemidos foram ouvidos de minha parte. Não demorou para que Baekhyun chegasse ao seu orgasmo e me preenchesse totalmente com o seu prazer. 

Caiu ao meu lado e me puxou para ele, fazendo com que ficasse com o rosto colado ao seu peito. Respirei fundo tentando controlar a respiração totalmente descompensada em que estava. O moreno ao meu lado não estava diferente. 

— (Seu nome) — Baekhyun me chamou. 

— Hm? — murmurei baixo com o rosto colado ao peito de Byun.

— Eu te amo. — não acreditei ao escutar Baekhyun dizendo aquelas palavra para mim. O fitei totalmente surpresa. — Estou falando sério. — acariciou minha bochecha. — Você foi a primeira garota que amei de verdade. 

— Baek... — ele me calou com o dedo indicador sobre minha boca.

— Shhh... Não precisa dizer nada. — apenas fiquei quieta como ele havia pedido. — Eu sei que você me ama também. — corei fortemente com aquilo. — E eu gosto muito disso. — sorriu para mim e não pude lhe negar outro sorriso. — Fico feliz que eu tenha sido seu primeiro. 

— Mas somos irmãos... — falei baixo compeçar em minha voz.

— Eu sei. — brincou com meus cabelos, fazendo um cafuné. — Por mais que seja errado, será nosso pequeno segredo. O que acha? — disse me fitando com um olhar sugestivo.

— Topo qualquer coisa com você, Baekhyun. — sorri de orelha a orelha. 

— Também topo qualquer coisa desde que seja com você, (seu nome). — Sorriu também de orelha a orelha, deixando evidente sua felicidade. Segurou meu queixo e me puxou para si. — Nunca se esqueça que te amo.

— Não vou esquecer. — sorriu de novo e depositou um selinho em minha boca.

Sorrimos um para o outro e depois ele depositou um selar em minha testa passando todo seu carinho que sentia por mim. Eu o amava por isso. Eu amava muito, Byun Baekhyun. Em nenhum momento me importava em sermos irmãos.

"Não fique com medo de que eu vá mudar, yeah

Eu permanecerei do seu lado pra sempre

Não se preocupe, não se preocupe comigo

O parque de diversões é como o mundo

[...]"


Notas Finais


Foi isso, peoples
Espero que tenham gostado deste cap
Peço desculpas desde já pelos possíveis erros encontrados
Os vejo em breve, okay? ><
~~Kissus da Ice sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...